Notícias 24hs


As notícias desse blog e muito mais, com atualizações diárias, 24hs no ar para você ouvir quando e onde quiser.


Rádio Cabriola - Um serviço de rádio jornalismo da Cabriola Cia de Teatro.

Lula submetido a 'ilegal devassa'

Defesa diz que Lula e família foram submetidos a 'ilegal devassa' por Moro
Advogado do ex-presidente afirma que MPF não conseguiu localizar qualquer elemento concreto que pudesse embasar uma acusação em relação ao sítio de Atibaia
Advogado do ex-presidente Lula, Cristiano Zanin Martins se manifestou, por meio de nota publicada pelo Instituto Lula, sobre matéria do jornal "O Estado de São paulo", que diz que uma denúncia do sítio de Atibaia será a primeira acusação contra o líder petista na Lava Jato.

De acordo com ele, o Ministério Público Federal (MPF) recebeu toda a documentação relativa à compra do sítio Santa Bárbara, inclusive com a origem dos recursos utilizados.

"O MPF tem conhecimento, em virtude de provas documentais, de que: (i) o sítio foi comprado com recursos provenientes de Jacó Bittar e de seu sócio Jonas Suassuna; (ii) que Fernando Bittar e Jonas Suassuna custearam, com seu próprio patrimônio, reformas e melhorias no imóvel; (iii) que Fernando Bittar e sua família frequentaram o sítio com a mesma intensidade dos membros da família do ex-Presidente Lula, estes últimos na condição de convidados", afirmou.

Zanin disse também que Lula e seus familiares foram vítimas de uma "ilegal devassa por decisões de Sérgio Moro, a pedido do MPF", e que nenhum elemento concreto foi localizado para embasar uma acusação, seja em relação à propriedade do imóvel, seja em relação às reformas.

"Lula também prestou diversos depoimentos ao MPF e à Polícia Federal, nos quais demonstrou que não é proprietário direto ou indireto de imóveis situados em Atibaia (SP) ou no Guarujá (SP)", enfatizou o advogado.

POR NOTÍCIAS AO MINUTO

José de Abreu justifica cusparada

José de Abreu tenta justificar cusparada em casal durante jantar
Vídeo da discussão circula na internet desde a noite desta sexta-feira (22)
Circula na internet desde a noite desta sexta-feira (22) um vídeo em que, após discutir com um casal em um restaurante japonês de São Paulo por questões políticas, o ator José de Abreu, árduo defensor do governo Dilma, cospe em direção aos dois.

Em entrevista ao Extra, ele disse que jantava com a esposa quando ela percebeu que o casal da mesa ao lado começou a xingá-los e a dizer que o dinheiro do artista era oriundo de roubo e da Lei Rounet. "Estavam nos xingando de safados. Minha mulher, percebendo que eu ainda não tinha ouvido, tentou evitar que eu escutasse. O cara ao lado começou a me chamar de ladrão e a chamar minha mulher de vagabunda. Foi natural: fiquei com a cabeça quente. Quem não ficaria?", questionou.

"Ele dizia que era fácil roubar dinheiro do povo e ir gastar em restaurante japonês. O meu dinheiro não vem de Lei Rouanet. O meu dinheiro vem da TV Globo, do meu trabalho como ator. Ontem mesmo, num hotel, eu tirei mais de cem fotografias. As pessoas não costumam me tratar assim. Eu não sou ladrão. Eu sou honesto. Não preciso que ninguém venha me dar lição de moral", prosseguiu.

Ainda segundo o Extra, Abreu não pretende processar o casal e também acredita que a dupla não fara algo similar. "Eu não sei se ele vai botar a cara a tapa. Ele vai se esconder, não vai ter coragem de se apresentar. E se aparecer, no Brasil, o que ele vai fazer? Vai limpar privada. Ele estragou o jantar de umas 40 pessoas. Ele sabia que ia incomodar. Ele estava querendo isso."

POR NOTÍCIAS AO MINUTO


646 mortos no Equador

Sobe para 646 número de mortos em terremoto no Equador
Terremoto  destruiu  edifícios  na  zona  central da cidade de Guayaquil César Muñoz/Agência Andes
O número de mortos no terremoto que sacudiu, há uma semana, o Equador subiu para 646, segundo  balanço foi divulgado pelo presidente Rafael Correa.

“Temos ainda 130 desaparecidos, 12.492 feridos e 26.091 pessoas desabrigadas”, disse o presidente.  Segundo Correa, 27 países enviaram ajuda e equipes de socorro, incluindo o Japão, a Turquia, os Estados Unidos e vários países da Europa e da América Latina.

O presidente anunciou ainda que vai assinar decreto declarando oito dias de luto nacional pelas vítimas do terremoto, de 7,8 graus na escala Richter, que foi seguido de várias réplicas. O tremor. registrado às 18h58 do último dia 16, teve o epicentro localizado a 10 quilômetros de profundidade e ocorreu a cerca de 173 quilômetros da capital, Quito.cidos con la obligatoriedad de citar la fuente.

Em seu informe semanal, Correa apelou pela união de todos para vencer os problemas causados pelo tremor de terra. O presidente pediu que não sejam levadas em conta miudezas e que todos sigam em frente pelos grandes objetivos nacionais. “É uma imensa tragédia, porém, é ainda maior a vontade do povo equatoriano de continuar, avançar, de alcançar o bem-viver”, afirmou.

Das agências Lusa e Andes

Levante Popular contra Temer

Levante Popular da Juventude protesta contra Temer no Jaburu
Grupo leva ao Jaburu faixa em que chama o vice-presidente de golpista Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Um grupo de aproximadamente 150 manifestantes do Levante Popular da Juventude do Distrito Federal fez, na tarde deste sábado (23), um protesto de aproximadamente uma hora em frente ao Palácio do Jaburu, residência oficial do vice-presidente Michel Temer em Brasília. Com faixas e cartazes, os manifestantes acusavam Temer de golpista e traidor da pátria, em uma ação batizada de "Escracho contra Temer".

Segundo um dos líderes da manifestação, que se identificou apenas como Pacheco, o grupo foi responsável pelos protestos da última quinta-feira (21) em frente à casa do vice-presidente, no Alto de Pinheiros, zona oeste da capital paulista. Pacheco disse que Temer só deixou São Paulo e retornou a Brasília por causa dos manifestantes.

“Não aceitaremos um governo ilegítimo, conquistado por golpistas. Para nós, neste momento da conjuntura política brasileira, nossa jovem democracia está ameaçada. Uma presidente legitimamente eleita por mais de 54 milhões de pessoas, que não é acusada de qualquer crime, seja de corrupão ou responsabilidade fiscal, está correndo o risco de ser afastada em um golpe orquestrada por esses traidores da pátria, como Temer, Cunha [Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados] e outros”, disse Pacheco.

De acordo com Pacheco, o Levante Popular da Juventude se organiza mostrar que está em luta e continuará nas ruas para denunciar um golpe que é contra o povo brasileiro, em especial a juventude.

O grupo portava ainda uma faixa preta com os dizeres: "Temer golpista".

Nas placas de sinalização, os manifestantes acrescentaram frases como: "aqui estão os golpistas" e "QG do Golpe".

Iolando Lourenço – Repórter da Agência Brasil Edição: Nádia Franco

Lula será acusado formalmente

Lula será acusado formalmente pela 1ª vez por sítio de Atibaia
DR
O STF decidirá ainda se Lula pode assumir o cargo de ministro da Casa Civil e se ele será denunciado pela PGR

A força-tarefa da Operação Lava Jato considera ter elementos para levar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao banco dos réus, acusado de envolvimento com a organização criminosa que corrompeu e lavou dinheiro desviado da Petrobras - independente de qual instância ele será processado. O inquérito sobre a compra e reforma do Sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP), será a primeira acusação formal entregue à Justiça.

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidirá ainda se Lula pode assumir o cargo de ministro da Casa Civil e se ele será denunciado pela Procuradoria Geral da República (PGR), considerando o direito ao foro especial por prerrogativa de função, ou se as acusações poderão ser apresentadas pela Procuradoria, em Curitiba, diretamente ao juiz federal Sérgio Moro - dos processos em primeiro grau da Lava Jato.

Alvo em Curitiba de três frentes de apuração na Lava Jato - as outras duas envolvem o tríplex 164 A, da OAS, no Guarujá, e os pagamentos e repasses para o ex-presidente via sua empresa de palestras, a LILS, e para o Instituto Lula -, a que envolve o sítio de Atibaia é a mais robusta, na avaliação dos investigadores. Os inquéritos estão suspensos depois que ele foi nomeado ministro da Casa Civil pela presidente Dilma Rousseff, no dia 17, e o tema foi levado ao Supremo.

A peça apontará a família do ex-prefeito de Campinas (SP) e amigo de Lula Jacó Bittar (PT) como "laranjas" na ocultação da propriedade, adquirida em 2010 pelo valor declarado de R$ 1,5 milhão. Os registros de escritura em nome dos donos oficiais, um "contrato de gaveta" em nome do ex-presidente e da mulher, Marisa Letícia, encontrado nas buscas e depoimentos dos investigados farão parte da acusação.

O compadre e defensor jurídico do ex-presidente Roberto Teixeira também será citado como parte da operação de formalização do negócio. Oficialmente a propriedade está registrada em nome de um dos filhos de Bittar, Fernando Bittar, e do empresário Jonas Suassuna - ambos sócios do filho de Lula. O registro de compra do imóvel foi realizado pelo escritório de Teixeira.

Com base nas notas fiscais localizadas nas buscas e apreensões, depoimentos colhidos e movimentações bancárias analisadas, a Lava Jato também vinculará os desvios de recursos na Petrobras à reforma executada no sítio e a manutenção de bens referentes a Lula. OAS, Odebrecht e o pecuarista José Carlos Bumlai serão vinculados aos serviços executados, como compensação por obras loteadas pelo cartel.

Em documento enviado ao STF, a defesa de Lula sustenta que o sítio foi comprado pelo amigo Jacó Bittar para convívio das duas famílias, após ele deixar a presidência, em 2011.

Ao Estadão, o defensor de Lula Cristiano Zanin Martins informou que o "MPF tem conhecimento, em virtude de provas documentais, de que (i) o sítio foi comprado com recursos provenientes de Jacó Bittar e de seu sócio Jonas Suassuna; (ii) que Fernando Bittar e Jonas Suassuna custearam, com seu próprio patrimônio, reformas e melhorias no imóvel; (iii) que Fernando Bittar e sua família frequentaram o sítio com a mesma intensidade dos membros da família do ex-Presidente Lula, estes últimos na condição de convidados".

NOTÍCIAS AO MINUTO (Com informações do Estadão Conteúdo)

Dia Mundial da Leitura

Dia Mundial da Leitura: conheça cinco sites para ler e ouvir livros de graça
Creative Commons - CC BY 3.0. Foto: Steve Walker/Creative Commons
Todos os anos, celebra-se em 23 de abril o Dia Mundial da Leitura, que este ano também marca o 400º aniversário da morte de William Shakespeare e Miguel de Cervantes. Com toda a correria da modernidade, manter esse hábito tem se tornado cada vez mais difícil.

Há quem não abra mão do bom e velho livro, com seus diversos tipos de encadernação, com cheirinho de novo ou velho, com a textura das folhas passando pelas mãos.

Por outro lado, as obras digitais também têm seus adeptos. Há quem prefira a praticidde de poder carregar vários livros em um único aparelho, como tablet ou leitor específico de e-books - como os livros digitais são chamados. Para estes adeptos às novas ferramentas, as bibliotecas virtuais são uma opção para encontrar livros de qualidade, e o melhor: muitos deles gratuitos.

Confira alguns desses sites e entregue-se a mais uma história:

Biblioteca Nacional Digital - Oficialmente lançada em 2006, a BNDigital integra coleções que desde 2001 vinham sendo digitalizadas no contexto de exposições e de projetos temáticos, em parceria com instituições nacionais e internacionais. Oferece um rico acervo para download e consulta.

Biblioteca Virtual de Literatura - Obras completas da literatura brasileira para serem lidas na própria página.

Portal Domínio Público - Disponibiliza amplo acesso a obras literárias, artísticas e científicas (na forma de textos, sons, imagens e vídeos), já em domínio público ou que tenham a sua divulgação devidamente autorizada, que constituem o patrimônio cultural brasileiro e universal.

Projeto Releituras - Divulgação dos melhores textos de escritores nacionais e internacionais. Resumos biográficos e bibliográficos de escritores brasileiros.

Do Portal EBC Edição: Luana Lourenço

Hora de ouvir histórias


Contação de Histórias para seu evento: Escolas, empresas, festas, feiras, etc.

Cabriola Cia de Teatro na Mostra Literária (Salvador Norte Shopping - outubro de) - foto: Lucas Lins
Contar histórias para crianças (fazer de conta) é sustentar o imaginário, é ter a curiosidade respondida em relação a muitas perguntas, é encontrar idéias para solucionar questões, é uma possibilidade de descobrir o mundo intenso de conflitos, dos impasses, das soluções que todos vivemos e atravessamos através dos problemas que vão sendo enfrentados (ou não), resolvidos (ou não), pelos personagens de cada história. Fazer de conta é uma fonte muito rica de incentivo à leitura. Além do prazer que proporciona à criança (e aos pais), contribui para educar-lhe o ouvido e a sensibilidade. Ver e ouvir histórias não é apenas um lazer, um passatempo; é, também, um recurso valioso e agradável para a predisposição à aprendizagem e para sua complementação.


WhatsApp 71 9 8629-1129

Justiça argentina proíbe Uber

Justiça argentina proíbe Uber em Buenos Aires
Foto: Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas
A juíza portenha Claudia Alvaro determinou o bloqueio preventivo do aplicativo Uber, do site da empresa e das plataformas digitais vinculadas ao serviço na cidade de Buenos Aires, capital argentina.

A medida, segundo a juíza, vale até que a “empresa se adeque às leis da cidade”. Na decisão, a magistrada argumentou que, sem regulamentação, o serviço privado de carro com motorista oferecido pelo aplicativo “constitui uma atividade de risco que põe em perigo a segurança pública por ser desenvolver sem controle nem supervisão do Estado”.

Os usuários do aplicativo, segundo a juíza, “estariam desprotegidos ao contratar um serviço de transporte de passageiros que não está habilitado, cujo motorista não possui licença de condutor profissional e que não tem seguro de acordo com a atividade”. Sem regras definidas, “a empresa Uber não se responsabilizará por danos nem prejuízos relativos ao uso do serviço”, acrescentou a magistrada na medida cautelar.

O Uber foi lançado em Buenos Aires no dia 12 de abril sob protestos de taxistas locais, como ocorreu em outras cidades do mundo. Em resposta à chegada do serviço, os taxistas portenhos interromperam o trânsito na cidade em vários pontos ao longo dos últimos dias e prometem ampliar as manifestações.

Da Agência Télam

Internet: corte do serviço

Marco Civil da Internet garante qualidade da rede e proíbe corte do serviço

Para especialistas e entidades de defesa do consumidor, a possibilidade de que as operadoras de telecomunicações adotem limites de tráfego de dados para a internet fixa, com o corte do serviço ou redução da velocidade quando a franquia chegar ao fim, viola o Marco Civil da Internet. A lei está em vigor desde 2014, e estabelece os princípios, garantias, direitos e deveres para quem usa a rede.

O especialista em propriedade intelectual e direito digital Maurício Brum Esteves lembra que o Marco Civil garante a manutenção da qualidade contratada e estabelece que o usuário não pode ter sua internet suspensa a não ser por débito com a operadora. Esteves também destaca princípios da legislação, como a finalidade social da rede, o acesso amplo e a defesa do consumidor.

Em vigor desde 2014, Marco Civil da Internet estabelece princípios, garantias, direitos e deveres de quem usa a rede  Arquivo/Agência Brasil 
“O Marco Civil traz toda uma gama de valores que dialoga com o fato de que a internet tem que chegar a todos. A internet é uma forma de liberdade de expressão, de conhecimento, de ter participação na vida política. E na medida em que a internet passa a ser controlada pela quantidade de dados, as pessoas menos favorecidas, que não têm condições de contratar um pacote de dados melhor, vão ficar excluídas da vida digital.”

Para a coordenadora da Proteste Associação de Consumidores, Maria Inês Dolci, a adoção de franquias viola o Marco Civil, que estabelece a internet como um serviço fundamental e diz que as operadoras só podem interromper o acesso por falta de pagamento.

“O Marco Civil da Internet levou seis anos para ser aprovado. Não podemos violar dessa forma para que as empresas sejam contempladas com receitas maiores em detrimento do consumidor”, disse Maria Inês. A Proteste também considera que o Código de Defesa do Consumidor pode ser violado no caso de mudanças unilaterais nos contratos.

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) também diz que as alterações nos contratos são ilegais e afrontam o Código de Defesa do Consumidor, o Marco Civil da Internet e a Lei do Conselho Administrativo de Defesa Econômica. O pesquisador em telecomunicações do Idec, Rafael Zanatta, ressalta que as provedoras não podem usar a franquia de dados como instrumento para precificar os dados e segmentar seus clientes por capacidade de compra.

“Isso implicará em fragmentação da internet, entre aqueles que podem acessar serviços de qualidade e intensivos em dados e aqueles que não poderão”. Para Zanatta, a diferenciação de consumidores vai contra a própria finalidade da internet, de natureza livre e aberta para todos, bem como a finalidade social de que trata o Marco Civil da Internet.

Sabrina Craide - Repórter da Agência Brasil Edição: Luana Lourenço

Internet com franquia

Limitar dados na internet fixa pode excluir usuários, dizem especialistas
A oferta de pacotes de internet fixa com franquia de dados poderá encarecer o serviço e limitar o acesso dos usuários no país. Segundo o especialista em propriedade intelectual e direito digital Maurício Brum Esteves, as operadoras querem impor limites de navegação porque precisam reduzir o uso da internet no Brasil.

“Elas constataram que as pessoas têm utilizado mais a internet, que está ficando sobrecarregada. Ao impor o limite de dados, elas querem literalmente tirar algumas pessoas da internet, que são aquelas pessoas que não vão conseguir pagar.”

Para Esteves, a necessidade de estabelecer limites de navegação para os usuários é resultado da falta de investimentos no setor. “Na medida em que não se investe e as pessoas demandam mais, é natural que a banda fique sobrecarregada e é natural que se precise impor um controle”.

Na última semana, o debate sobre a possibilidade de as operadoras de telecomunicações passarem a oferecer internet fixa com limite de dados para navegação ganhou força entre os consumidores, especialmente nas redes sociais. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) entende que as empresas não são proibidas de estabelecer limites para a navegação, mas proibiu ontem (22) as operadoras de oferecer planos com franquia, por tempo indeterminado, até que a questão seja analisada “com base nas manifestações recebidas pelo órgão”.

Esteves avalia que a limitação de dados não seria problema se o consumidor tivesse a opção de contratar uma quantidade grande de dados por um valor razoável. Mas, na opinião do especialista, a franquia oferecida pelas operadoras será “irrisória e caríssima”.

“O problema é que a limitação de dados vai acabar sendo cara e vai ser uma forma de limitar os consumidores”, acrescentou.

A regulamentação da Anatel não proíbe o estabelecimento de franquias de dados para internet fixa, mas o grande número de reclamações de consumidores levou a agência a proibir a limitação por tempo indeterminado Arquivo/Agência Brasil
O professor Marco Aurélio Campos Paiva, que dá aulas de telecomunicações e redes no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás, considera que a adoção de franquias para a internet fixa é um retrocesso, principalmente porque vai estabelecer uma limitação digital para os usuários. “Caso seja adotado pelas empresas, será um grande prejuízo não só pela questão financeira para o usuário, como na própria tecnologia, porque vamos ficar limitados digitalmente”, avaliou.

Outra consequência, segundo Paiva, será a limitação de acesso de estudantes a cursos de ensino a distância, que dependem da internet. “Para o aluno pode ser um fator limitante, ele precisa fazer as aulas online, precisa fazer download de arquivos, exercícios. Vai aumentar o seu consumo, e dependendo da banda que ele tenha, o pacote será gasto muito rapidamente”, destacou.

Para o professor, as empresas pretendem adotar a franquia de dados por causa da falta de infraestrutura de telecomunicações adequada no Brasil. “Nossa estrutura de telecomunicações ainda é muito limitada, as operadoras investiram pouco. Se tivéssemos toda uma infraestrutura de telecomunicações melhor, ou seja, fibra óptica cortando o país de Norte a Sul, Leste a Oeste, não teríamos essa limitação”, analisou.

Já o presidente da consultoria Teleco, Eduardo Tude, diz que a oferta de pacotes de internet com franquia vai possibilitar que o consumidor faça uma adequação da quantidade de dados contratada com o seu consumo. “Há quem consome muito, outros que consomem pouco. Então, está na hora de ter essa tarifação por pacotes, como vemos em vários países.”

Tude avalia que o crescimento do consumo de internet no Brasil é um dos fatores para que as operadoras adotem um novo modelo de vendas. “A banda larga fixa está virando o serviço principal das empresas e o consumo de dados está crescendo muito, com um aumento de quase 50% por ano. Então, não dá para manter o preço com esse aumento”, disse. O consultor lembra que quando o governo lançou o Plano Nacional de Banda Larga, em 2010, foi possível oferecer pacotes a preços populares porque havia uma cota de dados associada ao plano.

Em nota, a operadora Vivo, que pretende começar a oferecer pacotes com franquia, explicou que o volume de tráfego da rede cresce exponencialmente no Brasil e no mundo. “Cada byte que circula na rede consome capacidade e tem custo que compõe o valor das mensalidades dos planos praticados ao cliente, hoje aplicados de forma igual para todos, seja qual for o volume de dados consumido por mês”. A empresa nega que pretenda implantar o modelo de franquia para restringir o acesso a serviços de streaming ou de qualquer outro tipo.

Consumidores

Para o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), as operadoras não apresentaram justificativas técnicas para inclusões ou reduções de franquias de dados nos novos planos. “Ao adotarem essas medidas, as operadoras elevam seus preços sem justa causa, detém vantagem excessiva nos contratos, limitam a competição e geram aumento arbitrário de lucro”, disse o pesquisador em telecomunicações do instituto, Rafael Zanatta.

A entidade ingressou com uma ação civil pública contra as operadoras Claro, Net, Oi e Telefônica. O objetivo é impedir a suspensão do serviço de internet, que, segundo o Idec, é uma importante ferramenta de acesso à informação, reconhecido como direito fundamental e essencial para o exercício da democracia e da cidadania, “não devendo, portanto, prevalecer as alterações desejadas pelas operadoras”.

Para a Proteste Associação de Consumidores, mesmo que as empresas ofereçam aos consumidores ferramentas para medir o consumo e saber quando a franquia está acabando, como determinou a Anatel, isso não é suficiente. “A questão não é o direito de ser avisado sobre a proximidade do esgotamento da franquia, o problema é adotar a franquia, que a Proteste julga indevida porque viola leis existentes”, disse a coordenadora institucional da Proteste, Maria Inês Dolci.

A Proteste também entrou com uma ação judicial para impedir as operadoras de limitarem o acesso à internet por meio de franquia, tanto em celular, tablets e outros dispositivos móveis quanto em conexões fixas e lançou uma petição online contra o limite de uso de dados de internet dos serviços de banda larga fixa, que já tem mais de 150 mil assinaturas.

Uma petição online no site da Avaaz contra o limite na franquia de dados da banda larga fixa já alcançou 1,6 milhão de assinaturas e a página do Movimento Internet Sem Limites já tem mais de 460 mil seguidores em sua página do Facebook.

Sabrina Craide - Repórter da Agência Brasil Edição: Luana Lourenço

Síria: 4,7 mil mortos

Síria: mais de 4,7 mil mortos em um ano e meio de bombardeios
Foto: Civil Defense Idlib
Mais de 4,7 mil pessoas, a maioria jihadistas, já morreram na Síria devido aos bombardeios da coligação internacional, que começaram há um ano e sete meses, segundo dados divulgados hoje (23) pelo Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Entre os 4.742 mortos, pelo menos 391 eram civis e destes 99 eram menores de idade e 67 mulheres.

As vítimas eram, na maioria, das províncias de Al Hasaka, Al Raqa, Alepo e Idleb, e Deir al Zur.

O Observatório, que tem sede em Londres e uma ampla rede de ativistas na Síria, indicou que 64 civis morreram numa única operação da coligação na noite de 30 de abril de 2015 em Bir Mahali, no norte da província de Alepo.

Os números contrastam com os divulgados ontem (22) pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos, que dirige a coligação e admitiu ter matado 20 civis em vários ataques aéreos no Iraque e na Síria, entre setembro e fevereiro passados.

Os dados norte-americanos elevariam para 41 o balanço total de mortos civis em no Iraque e na Síria desde o início da campanha militar contra o grupo extremista autodenominado Estado Islâmico, segundo a contagem de Washington.

Por sua vez, a página de internet Airwars, que rastreia e compila dados dos bombardeios da coligação no Iraque e na Síria, estima que os civis mortos nos dois países sejam cerca de 1,1 mil.

Quanto às mortes de ativistas do Estado Islâmico, o Observatório indicou que em um ano e sete meses de bombardeios, 4.195 membros do grupo extremista morreram. A maioria era de nacionalidade estrangeira. Entre estes combatentes, figuram dezenas de líderes do grupo terrorista, como o comandante militar Abu Omar al Shishani.

Os bombardeios também causaram a morte de pelo menos 136 combatentes da Frente al Nusra, filial a Al Qaeda na Síria, e dez combatentes do grupo islamita Yaish al Suna.

O Observatório acredita que o número de mortos entre os grupos extremistas é maior que o anunaciado, por causa da proibição de informações imposta pelos jihadistas sobre mortes em suas organizações.

A coligação liderada pelos Estados Unidos e formada por mais de 60 países começou a bombardear as sedes do Estado Islâmico alguns meses depois de o grupo proclamar, em junho de 2014, um califado nas vastas zonas sob seu controle na Síria e no Iraque.

Da Agência Lusa

Últimas Notícias-23.04.16-08h

Prefeito do Rio diz que também é responsável por queda de ciclovia

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, disse ontem (22) que também se sente responsável pelo desabamento da ciclovia da Avenida Niemeyer, ocorrido ontem (21) e que deixou pelo menos dois mortos. O prefeito falou à imprensa hoje, depois de chegar de uma viagem à Europa e se reunir com sua equipe e com engenheiros. “Sou totalmente responsável....

Manifestantem fazem ato contra e a favor do impeachment de Dilma em Nova York

Desde a chegada da presidenta Dilma Rousseff à Nova York para participar da cerimonia do Tratado sobre o Clima, assinado ontem (22), manifestantes contrários e favoráveis ao impeachment protestaram do lado de fora da sede das Nações Unidas em Nova York e também em frente à residência oficial da chefia da missão diplomática da ONU na cidade. Nas m...

Anatel proíbe redução na velocidade de internet fixa por tempo indeterminado

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) proibiu, por tempo indeterminado, que as operadoras de telefonia reduzam a velocidade da internet banda larga fixa de seus clientes. A decisão, tomada pelo conselho da agência, foi anunciada ontem (22) à noite. A proibição, que antes tinha prazo de 90 dias, agora vai vigorar até que a Anatel analise...

Número recorde de países assina acordo contra mudanças climáticas

Um número recorde de países, incluindo os Estados Unidos e a China, os maiores poluidores do mundo, assinou ontem (22), na sede das Nações Unidas (ONU) em Nova York, o acordo histórico que visa diminuir o aquecimento do planeta, negociado em dezembro passado na capital francesa, na Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP21)...

Organismos da ONU manifestam preocupação com situação política no Brasil

O Escritório Regional para América do Sul do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) e a Comissão Econômica para América Latina e o Caribe (Cepal) divulgaram mensagens ao Brasil diante da crise política no país. O ACNUDH repudiou discursos de ódio e contra os direitos humanos durante a sessão da Câmara dos Deputados...

Vice-líderes do governo declaram voto pela admissibilidade do impeachment

Os vice-líderes do governo no Senado, senadores Hélio José (PMDB-DF) e Wellington Fagundes (PR-MT), declararam ontem (22) em discursos no plenário da Casa que irão votar a favor da admissibilidade do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. O senador Wellington, que vai integrar a comissão especial encarregada de analisar o processo,...


fonte: EBC





Para sua festa!

Apresentação cênico-musical para seu evento;


A Menina Que Não Gostava de Regras

Trata-se de uma apresentação cênico-musical da Cabriola Cia de Teatro, que tem como roteiro principal a história de uma menina que não gostava de cumprir regras porque acreditava que elas eram inúteis, até ser levada pela sua imaginação ao País dos Prequetés, um lugar onde as regras não existem.
Ao misturar realidade e fantasia a peça consegue se aproximar do universo das crianças sem subestimar lhes a inteligência e a capacidade que elas próprias têm de resolver seus problemas e inserir-se na realidade. De uma maneira inteligente e divertida o texto (inspirado na peça “OS Prequetés”) provoca a reflexão sobre o conceito de autoridade e convívio social.
A direção é de Heraldo Souza que divide o palco com Etiene Bouças. 


71 9 8629-1129

Dilma sugere que avaliem impeachment

Dilma sugere que Mercosul e Unasul avaliem processo de impeachment
Foto: Roberto Stuckert Filho/ PR (22/04/2016)
A presidenta Dilma Rousseff sugeriu que o Mercado Comum do Sul (Mercosul) e a União dos Países Sul-Americanos (Unasul) avaliem o processo de impeachment contra ela no Congresso Nacional, que classifica como "golpe", durante entrevista coletiva nos Estados Unidos, hoje (22), onde discursou na Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), em Nova York,  na cerimônia de assinatura do Acordo do Clima  de Paris.

A presidenta brasileiro se disse vítima e injustiçada com o processo, que vai se esforçar "muito" para convencer os senadores de que não cometeu crime de responsabilidade e que "dizer que não é golpe é tapar o sol com a peneira".

Ao ser indagada pelos jornalistas sobre a repercussão internacional que o tema está provocando, Dilma contou que recebeu solidariedade de alguns presidentes que lhe desejaram "força". Segundo ela, "Outros disseram: ‘Solidariedade, é difícil. Segura, você é corajosa'. Eu vou dizer o seguinte. Está em curso no Brasil um golpe. Então, eu gostaria que o Mercosul e a Unasul olhassem esse processo", disse. De acordo com ela, a "cláusula democrática", prevista nas regras do Mercosul, prevê que seja feita uma avaliação dos casos.

Dilma afirmou que não acusa ninguém que propõe eleição direta de golpista, mas que deve aos seus 54 milhões de eleitores a defesa do seu mandato: "Não sou contra eleições de maneira alguma. Acho que uma coisa é eleição direta, com voto secreto das pessoas e o povo brasileiro participando. Mas acho que tem de ser me dado o direito de defender meu mandato. Não sou uma pessoa apegada a cargo. Agora, eu estou defendendo meu mandato", disse.

Segundo a presidenta, não há acusação de contas no exterior, lavagem de dinheiro nem processos de corrupção contra ela. "Quem assumirá os destinos do país? Pessoas ilegítimas? Pessoas que não tiveram um voto para presidente da República. Acho que essa sensação de injustiça e essa situação de vítima eu não escolhi, me colocaram nela", declarou.

Após fazer uma longa explicação sobre os decretos assinados em seu governo, justificativa para o pedido de impeachment, ela voltou a se dizer injustiçada porque sofre um "processo ilegal, golpista e conspirador. Eu fico muito intrigada porque tem esse medo absurdo quando nós falamos que tem um golpe no Brasil. O medo de ter um golpe no Brasil decorre da absoluta ilegalidade", disse ainda.

Leia aqui a íntegra do discurso da presidente Dilma Rousseff na Assembleia Geral da ONU.

Paulo Victor Chagas - Repórter da Agência Brasil Edição: Jorge Wamburg

Delcídio pede suspensão de cassação

Delcídio pede ao STF suspensão de processo de cassação no Senado
Foto: Geraldo Magela /Agência Senado 
A defesa do senador Delcídio do Amaral (MS) recorreu hoje (22) ao Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender o processo de cassação contra o parlamentar no Conselho de Ética do Senado. Os advogados alegam que o colegiado tem cerceado o direito de defesa do senador.

Com o recurso, a defesa pretende impedir que o senador preste depoimento ao Conselho de Ética na próxima terça-feira (26). Logo após ser solto, em dezembro do ano passado, Delcídio conseguiu um atestado médico e não compareceu a três depoimentos que foram marcados.

De acordo com os advogados, a tramitação do processo disciplinar é ilegal porque não foi suspenso durante o período da licença médica, foram rejeitados pedidos de convocação de testemunhas, não foi feito laudo pericial na gravação que justificou sua prisão e falta apensamento da íntegra do inquérito que Delcídio responde no Supremo.

“O não cumprimento das diligências processuais supradeclinadas, as quais devem anteceder o interrogatório do acusado, impedem que o senador seja ouvido perante o Conselho de Ética, sob pena de configurar inversão tumultuária do processo”, sustenta a defesa.

O mandado de segurança foi remetido ao ministro Celso de Mello, que rejeitou o mesmo pedido de suspensão no dia 16 de março.

Delcídio do Amaral foi preso no dia 25 de novembro do ano passado depois que Bernardo Cerveró, filho de Nestor Cerveró, ex-diretor da Área Internacional da Petrobras, entregou ao Ministério Público o áudio de uma reunião na qual o parlamentar propunha o pagamento de R$ 50 mil por mês à família de Cerveró e um plano de fuga para o ex-diretor deixar o país.

Delcídio foi solto no dia 18 de fevereiro sob condição de se manter em recolhimento domiciliar, podendo deixar a sua residência apenas para ir ao Senado trabalhar e retornando no período noturno. Desde então, ele está de licença médica, que vem senso prorrogada e não retornou à Casa.

Delação

Na quarta-feira (20), o ministro Teori Zavascki, do Supremo, decidiu incluir no principal inquérito da Operação Lava Jato que tramita na Corte trechos da delação do senador Delcídio em que a presidenta Dilma Rousseff, o vice-presidente, Michel Temer, e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva são citados. Na delação, também foi citado e incluído no inquérito Joel Rennó, ex-executivo da Petrobras do governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

André Richter – Repórter da Agência Brasil Edição: Fábio Massalli

Prince: Causa da morte

Prince: autoridades descartam suicídio e violência como causa da morte do cantor
Prince em 2008.- foto: Wikipédia, a enciclopédia livre.
As autoridades norte-americanas afirmaram hoje (22) que não há indícios de traumatismo no corpo do cantor Prince, encontrado morto ontem (21), nem razões para se pensar que a causa de morte tenha sido suicídio.

A polícia não encontrou “nenhum sinal de traumatismo” no corpo do músico e disse não haver nenhuma razão para acreditar que o músico se suicidou, disse hoje o xerife do condado de Carver, Jim Olson, em entrevista coletiva.

“Até agora, não há nenhuma indicação de que o cantor tenha sofrido uma overdose de drogas”, disse a porta-voz do escritório de medicina-legal, Martha Weaver.

Prince morreu ontem, aos 57 anos, e foi encontrado em sua casa em Paisley Park, no estado do Minesota.

A causa da morte continua desconhecida e o médico legista local disse que os resultados preliminares da autópsia vão levar dias para sair. O resultado do exame toxicológico completo poderá levar semanas.

Da Agência Lusa

Brasil contra aquecimento global

Brasil vai liderar luta contra o aquecimento global, diz especialista

Nova York (EUA) - Presidenta Dilma Rousseff durante sessão de abertura da cerimônia de assinatura do Acordo de Paris, na sede da ONU (Ichiro Guerra/PR)
O Brasil é um dos países mais bem preparados para cumprir os objetivos do Acordo de Paris, que prevê medidas para controlar o aquecimento global, disse hoje o integrante da Coalizão Brasil e presidente do Conselho da Amata, Roberto Waack, após participar da reunião de líderes mundiais para a assinatura do acordo na sede da ONU, em Nova York.

Waack citou, entre as vantagens comparativas do Brasil, a disponibilidade de terra, de energia e de ambiente institucional, representado pela existência de um código florestal. Esses fatores, somados, propiciam uma combinação muito favorável de “conservação e de produção”.

Os líderes mundiais, que representam mais de 170 países, assinaram documento em que proclamam princípios de defesa do meio ambiente e insistem para que os parlamentos de cada país adotem uma regulamentação que permita limitar o aumento da temperatura global abaixo de 2º Celsius (C) e, ao mesmo tempo, tentar um objetivo mais ambicioso: reduzir o aumento de temperatura para 1,5º C.

Segundo o membro da Coalizão Brasil, que é um movimento multissetorial comprometido com a adoção da agenda das mudanças climáticas, o quadro brasileiro é vantajoso perante o mundo. Roberto Waack observou que a existência de uma combinação brasileira de conservação e de produção, em contraste com o antagonismo de outros países, que precisam escolher entre conservação ou produção.

Segundo ele, as condições do país colocam o Brasil como uma liderança mundial, no que se refere à oferta de produtos com baixa utilização de carbono. Por isso, “o Brasil precisa cuidar para que o processo decorrente do Acordo de Paris receba endosso do Legislativo rapidamente”, afirma Waack.

José Romildo – Correspondente da Agência Brasil Edição: Beto Coura

Cunha é alvo de mais seis investigações

Janot diz que Cunha é alvo de mais seis investigações na PGR
Foto: Wilson Dias/ Agência Brasil
A situação de Cunha foi tratada pelo procurador na manhã de hoje (22), durante palestra para alunos brasileiros do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, da Universidade de Cambridge, nos Estados Unidos.

De acordo com o procurador, dois dos seis inquéritos abertos para apurar fatos distintos em relação a Cunha estão em fase avançada e deverão “rapidamente” virar duas denúncias ao Supremo.

Perguntado por um aluno brasileiro sobre o papel da procuradoria para acelerar a ação na qual pediu ao STF afastamento de Cunha do cargo de presidente da Câmara, Janot respondeu que “o problema está com o Supremo”.

Em dezembro do ano passado, Janot pediu ao STF o afastamento de Cunha. O relator é o ministro Teori Zavascki, que ainda não tem data para liberar o processo para julgamento.

Para justificar o pedido, o procurador citou 11 fatos que comprovam que Cunha usa o mandato de deputado e o cargo de presidente da Casa “para intimidar colegas, réus que assinaram acordos de delação premiada e advogados”.

No mês passado, o Supremo abriu ação penal contra Eduardo Cunha. Seguindo o voto do relator, ministro Teori Zavascki, a Corte entendeu que há indícios de que Cunha recebeu US$ 5 milhões de propina por um contrato de navios-sondas da Petrobras.

Na defesa, o advogado Antonio Fernando Barros disse que a denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal contra o deputado “não reúne condições para ser admitida”.


André Richter - Repórter da Agência Brasil Edição: Beto Coura

STF quebra sigilos de Agripino

Ministro do STF quebra sigilos fiscal e bancário de Agripino Maia

Agripino Maia é investigado por suposto recebimento de dinheiro da empreiteira OAS Arquivo/Agência Brasil
Em outubro do ano passado, o STF abriu um inquérito contra o senador. A Procuradoria-Geral da República (PGR) utilizou mensagens apreendidas pela Polícia Federal no celular de um dos executivos da empreiteira OAS, José Aldelmário Pinheiro, condenado na Operação Lava Jato, para embasar o pedido de abertura de inquérito contra Agripino.

Senador José Agripino Maia durante convenção nacional do Democratas (DEM), em Brasília (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Agripino Maia é investigado por suposto recebimento de dinheiro da empreiteira OAS Arquivo/Agência Brasil

O senador é investigado pelo suposto recebimento de dinheiro da empreiteira OAS, responsável pela construção da Arena das Dunas, estádio construído em Natal para Copa do Mundo de 2014.

A PGR pede a quebra dos sigilos de 2010 a 2015. De acordo com o pedido, há elementos nos autos que indicam que “os fatos se relacionam a complexo esquema de recebimento e repasse de valores ilícitos para várias pessoas, mediante a utilização de diversas empresas, com a finalidade de ocultar a origem e o destino final dos recursos envolvidos. Nesse contexto, mostra-se essencial à descoberta da verdade o acesso aos dados fiscais e bancários dos implicados na situação”.

A quebra de sigilo bancário e fiscal foi decidida por Barroso no último dia 7 e atende a um pedido feito pela PGR no mês passado. De acordo com a decisão, a PGR demonstrou que as provas apontam indícios de lavagem de dinheiro.

“Com efeito, há nos autos informações de operações financeiras realizadas pelo investigado que consubstanciariam indícios da prática de lavagem de dinheiro. Como explicitado pelo Procurador-Geral da República, estes elementos, aliados aos demais indícios coletados, recomendam o aprofundamento da investigação com o deferimento da medida requerida”, diz a decisão.

No pedido feito ao STF, a PGR lista familiares, empresas, assessores e ex-assessores do senador, que também terão os sigilos bancário e fiscal quebrados. O deputado federal Felipe Maia, filho de Agripino, está entre os citados.

Por meio de sua assessoria, Agripino Maia disse que a quebra de sigilo vai ajudar no esclarecimento dos fatos e mostrar “a falta de fundamento” das acusações. “Tenho certeza que tornarão clara a improcedência da acusação que me é feita, de conduta irregular na construção da Arena das Dunas.”

A assessoria do deputado Felipe Maia também informou que a medida será positiva para o esclarecimento da denúncia. “A quebra dos meus sigilos fiscal e bancário, autorizada pelo Supremo Tribunal Federal, contribuirá para esclarecer em definitivo os fatos investigados e comprovará a falta de fundamento e consistência das acusações feitas contra o senador José Agripino e pessoas ligadas a ele”, disse.

Michèlle Canes - Repórter da Agência Brasil Edição: Luana Lourenço

Últimos sobreviventes de desabamento

Bombeiros retiram últimos sobreviventes de desabamento em São Paulo

Desabamento em obra em São Paulo deixa um operário morto Reprodução de TV
O resgate das vítimas do desabamento de uma obra hoje (22), na zona sul de São Paulo, terminou por volta das 12h30. Um operário morreu e cinco tiveram ferimentos leves. Depois de encerrado o atendimento às vítimas, a Defesa Civil interditou toda a área, já que ainda há risco de novos desabamentos.

O coordenador da Defesa Civil do município, Milton Roberto Persoli, corrigiu de sete para seis o número total de vítimas. “A obra teve a laje que cedeu, bastante ferro retorcido, o teto veio totalmente junto com a lage. Um cenário de bastante dificuldade para os bombeiros, para a localização das vítimas. Neste primeiro momento, foi difícil saber quantas vítimas são e onde estavam no momento do acidente”, afirmou.

O desabamento ocorreu na reforma de uma edificação que funcionava como showroom da empresa Cyrela, destinado a atender interessados em comprar apartamentos no bairro Itaim Bibi. O colapso do estande de vendas, segundo Persoli, afetou duas colunas que seguravam uma base metálica. Não foi possível ainda identificar o que causou o acidente.

A obra está localizada na Rua Michel Milan, 107, no bairro Itaím Bibi. Segundo testemunhas, os funcionários trabalhavam, por volta das 9h, na soldagem da estrutura metálica que desabou. A Defesa Civil interditou a área, mas não há risco para imóveis da vizinhança.

“Vamos aguardar o responsável [pela obra], para que possamos fazer um relatório técnico inicial e encaminhar à subprefeitura, para que ela faça a análise das licenças emitidas, dos projetos elaborados”, informou Persoli.

Para funcionar, o showroom deve ter alvará e licença de funcionamento, o que não foi confirmado até o momento, já que a subprefeitura não funciona em razão do feriado prolongado. A Polícia Civil está no local ouvindo os responsáveis e as testemunhas.

Em nota, a Cyrela e a ICR Construções Racionais lamentaram o ocorrido. "O estande de vendas estava desativado desde a última quarta-feira. As empresas informam que estão prestando toda a assistência às vítimas e suas famílias e auxiliando as autoridades na investigação dos fatos".

Fernanda Cruz - Repórter da Agência Brasil Edição: Graça Adjuto

Pedido de absolvição de Vaccari

Defesa pede absolvição de Vaccari em ação penal da Lava Jato

Nas alegações enviadas à Justiça Federal, a defesa diz que não há provas contra VaccariArquivo/Agência Brasil
A defesa do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto pediu a absolvição do seu cliente na ação penal decorrente da 17ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Pixuleco. O pedido foi feito nas alegações finais entregues pelos advogados à Justiça Federal no Paraná.

Nas alegações, protocoladas na terça-feira (19), a defesa de Vaccari diz que não há provas contra ele. “Muito embora a acusação pleiteie a condenação do acusado Sr. Vaccari, não existem nos autos provas que justifiquem a tese acusatória, devendo o acusado ser absolvido das acusações que lhe são impostas, diante dos elementos colhidos neste feito, que demonstram ser o acusado inocente.”

No último dia 7, o Ministério Público Federal (MPF) também entregou as alegações finais e pediu à Justiça Federal no Paraná a condenação de Vaccari, do ex-ministro José Dirceu, e de mais 13 réus da ação penal da Pixuleco. No pedido, o MPF acusa Vaccari do crime de corrupção passiva.

Os advogados dizem que nenhuma prova foi encontrada que demonstrasse algo contra Vaccari, e que as acusações feitas se baseiam apenas em delações. “O Ministério Público Federal imputa ao acusado a conduta de ter participado de empreitada criminosa, baseando-se apenas nas precárias informações conseguidas por meio de delações premiadas e, mesmo assim, extremamente frágeis e carentes de demonstração fática, pois nada, absolutamente nada, corroborou tais delações, quando se referem desfavoravelmente ao acusado.”

Além de Vaccari Neto e do ex-ministro José Dirceu, na mesma ação penal são réus Júlio Camargo, Pedro Barusco, Olavo Hourneaux de Moura Filho, Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, Roberto Marques, Julio César Dos Santos, Renato Duque, Pedro Barusco, Gerson Almada, Cristiano Kok, José Antunes Sobrinho, Milton Pascowitch e José Adolfo Pascowitch. A denúncia contra eles foi aceita pelo juiz federal Sérgio Moro em setembro do ano passado.

Michèlle Canes – Repórter da Agência Brasil Edição: Juliana Andrade

Íntegra do discurso de Dilma

Leia a íntegra do discurso da presidenta Dilma Rousseff:
Nova York (EUA) - Presidenta Dilma Rousseff discursa durante sessão de abertura da cerimônia de assinatura do Acordo de Paris, na sede da ONU (Ichiro Guerra/PR)- Assuntos: Dilma, clima, Acordo de Paris

"Senhor secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon,
Senhor presidente da França e presidente da COP21, presidente François Hollande,
Senhoras e senhores chefes de Estado e de governo participantes dessa cerimônia de assinatura do Acordo de Paris,
Senhoras e senhores integrantes de delegações,
Senhoras e senhores,

Com imensa honra e emoção, venho a Nova Iorque, hoje, no Dia da Terra, assinar o Acordo de Paris sobre a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima, um acordo universal.

Sua conclusão exitosa, em dezembro de 2015, representou um marco histórico na construção do mundo que queremos: um mundo de desenvolvimento sustentável para todos, com o cumprimento das metas estabelecidas na Agenda 2030. O êxito deve muito à atuação do governo francês, à judiciosa e paciente construção do acordo pelo presidente François Hollande e também ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.


Tenho orgulho do trabalho desenvolvido pelo meu governo e pelo meu país para que, coletivamente, chegássemos a esse acordo. Tenho orgulho de nossa contribuição e da contribuição de todos os países e da sociedade internacional. Agradeço o esforço e o trabalho incansável da equipe de negociadores do Brasil, chefiada pela nossa ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira.


Nós, países participantes, demos respostas firmes e decisivas aos imensos desafios apresentados pela construção de um amplo consenso, consenso necessário para o enfrentamento das mudanças do clima.

Hoje, ao lado de todos os chefes de Estado e de governo aqui presentes, assumo o compromisso de assegurar a pronta entrada em vigor do Acordo no Brasil e mais uma vez saúdo a todos por essa histórica conquista da humanidade.


O caminho que teremos de percorrer agora será ainda mais desafiador: transformar nossas ambiciosas aspirações em resultados concretos. Realizar os compromissos que assumimos irá exigir a ação convergente de todos nós, de todos os nossos países e sociedades, rumo a uma vida e a uma economia menos dependentes de combustíveis fósseis, dedicadas e comprometidas com práticas sustentáveis na sua relação com o meio ambiente.


Países em desenvolvimento, como o Brasil, têm apresentado resultados expressivos na redução das emissões e se comprometeram  com metas ainda mais ambiciosas.


O desafio de enfrentar a mudança do clima torna imprescindível o aumento progressivo do nível de ambição dos países desenvolvidos. Exige, de forma contínua, a mobilização de meios de implementação adequados, para que os países em desenvolvimento tenham suporte e sigam contribuindo para os esforços globais de mitigação e adaptação.


É fundamental ampliar o financiamento do combate à mudança do clima para além do compromisso de US$ 100 bilhões anuais.


É indispensável criar meios de reorientar os fluxos financeiros internacionais de modo permanente para apoiar ações que representem soluções para o problema global e promovam também benefícios de adaptação, saúde pública e desenvolvimento sustentável.


É necessário, ainda, que o setor privado desenvolva um esforço robusto de redução de emissões.


Senhoras e senhores,


Ao reiterar o compromisso do Brasil com os objetivos do Acordo de Paris, quero assegurar que estamos perfeitamente cientes que firmá-lo é apenas o começo.  A parte mais fácil.


Meu país está determinado a intensificar ações de mitigação e de adaptação. Anunciei aqui, durante a Cúpula da Agenda de Desenvolvimento 2030, a contribuição brasileira de 37% de redução dos gases de efeito estufa até 2025, assim como a ambição de alcançarmos uma redução de 43% até 2030 – tomando 2005 como ano-base em ambos os casos.


Alcançaremos o desmatamento zero na Amazônia e vamos neutralizar as emissões originárias da supressão legal de vegetação. Nosso desafio é restaurar e reflorestar 12 milhões de hectares de florestas e outros 15 milhões de hectares de pastagens degradadas. Promoveremos também a integração de 5 milhões de hectares na relação lavoura-pecuária e florestas.


Todas as fontes renováveis de energia terão sua participação em nossa matriz energética ampliada até alcançar 45% em 2030.


Continuaremos contando com a contribuição e a participação de todos os setores de nossa sociedade, que estão conscientes da amplitude do desafio, e com a necessidade de deixar este legado às futuras gerações.


Senhoras e senhores,


Meu governo traçou metas ambiciosas e ousadas porque sabe que os riscos associados aos efeitos negativos recaem fortemente sobre as populações vulneráveis de nosso país e do mundo quando nós não tomamos medidas corretas para a contenção da mudança do clima.


Essa preocupação deve ser compartilhada agora e por todos nós. Sem a redução da pobreza e da desigualdade não será possível vencer o combate à mudança do clima. E esse combate tampouco pode ser feito à custa dos que menos têm e menos podem.


Essa é uma das razões pelas quais o conceito de desenvolvimento sustentável precisa ser referência permanente de nosso projeto comum. Incluir, crescer, conservar e proteger: eis a síntese alcançada na Conferência Rio+20, realizada no Brasil em 2012.


Senhoras e senhores,


Não posso terminar minhas palavras sem mencionar o grave momento que vive o Brasil. A despeito disso, quero dizer que o Brasil é um grande país, com uma sociedade que soube vencer o autoritarismo e construir uma pujante democracia. Nosso povo é um povo trabalhador e com grande apreço pela liberdade. Saberá, não tenho dúvidas, impedir quaisquer retrocessos.


Sou grata a todos os líderes que expressaram a mim sua solidariedade.


Muito obrigada."

* Com informações da Agência Lusa


Hábitos que prejudicam

Conheça os hábitos que podem prejudicar o trabalho

Queixar-se constantemente, mentir e fofocar podem colocar o emprego em risco
Se existem várias formas de permitem manter a boa atitude no local de trabalho, existem outras que fazem com que se seja a pessoa mais odiada por lá.

O comportamento é o principal espelho da personalidade e algumas atitudes (ou palavras) podem cair mal e fazer com que as pessoas fiquem desconfortáveis e até mesmo chateadas. É o que acontece quando alguém compartilha informações sobre a vida pessoal, especialmente quando não existe interesse por parte de quem ouve.

Conta o site Inc.com que existem 11 hábitos que são fatais para o respeito que os colegas de trabalho sentem uns pelos outros. Além do narcisismo, as queixas constantes, as mentiras, a preguiça e os atrasos recorrentes são alguns dos exemplos de hábitos e atitudes que não caem nada bem numa equipe.

Os dramas (muitas vezes pessoais), a fofoca, a arrogância e as escolhas de roupas inadequadas são também formas de prejudicar a imagem aos olhos dos colegas e chefes.

Culpar os outros pelos seus fracassos ou pelos fracassos coletivos e ser hipócrita são atitudes que não só criam um mau ambiente, como podem colocar o emprego em causa.

POR NOTÍCIAS AO MINUTO

Importância dos Fermentados

Alimentos fermentados são importantes na dieta; descubra!

São aliados da boa saúde e devem constar no menu diário
Alimentos fermentados são aqueles que foram obtidos mediante a ação de bactérias ou fungos no alimento original. O alimento fermentado “adquire um sabor, uma textura e uma estabilidade diferente do alimento original, e na sua maioria têm um sabor mais amargo ou ácido, mas nem por isso têm um sabor menos apreciado”. A explicação é dada pelo site Esmeralda Azul, especializado em Medicina Geral Integrativa.

Este tipo de alimento é comum na alimentação diária e os seus benefícios vão desde a digestão – “as proteínas complexas, amidos e gorduras são degradadas em componentes mais simples, e algumas moléculas são alteradas tornando-se mais comestíveis” – passando pela composição nutricional – têm “níveis aumentados de determinadas vitaminas, nomeadamente vitaminas do complexo B” – e a maior validade – o “período de validade muito mais alargado que o alimento original”.

Segundo o Instituto Macrobiótico de Portugal, na Europa, os alimentos fermentados mais utilizados são “os pickles, as azeitonas, o chucrute, o iogurte (nos países de Norte) e também pequenas quantidades de bebidas alcoólicas como cerveja e vinho processados de forma natural”. Mas existem outros que, embora sejam mais comuns no Oriente, começaram a ganhar espaço na alimentação, como é o caso do “Miso (pasta de soja), Shoyu (molho de soja), Umeboshi (pickle de ameixa), Tempeh (produto fermentado a partir da soja, alimento tradicional da Indonésia), Saké (vinho de arroz)”.

Todos estes alimentos fermentados exercem uma ação benéfica na digestão, uma vez que fornecem enzimas e vitaminas que “ajudam a assimilarmos melhor os alimentos” e possuem “bactérias que ajudam a repovoar a flora intestinal”. Diz ainda o organismo que os alimentos fermentados “produzem moléculas de assimilação fácil”.

A revista Time vai mais longe e acrescenta a esta lista outros alimentos fermentados que devem ser incluídos na alimentação. É o caso do kefir, do leite fermentado, do Natto, do Kombucha (bebida fermentada à base de chá preto) e dos vegetais em conserva.

POR NOTÍCIAS AO MINUTO

Faça a festa!


Sonorização e iluminação para seu evento

Projeto errado de ciclovia

Desabamento de ciclovia foi causado por erro de projeto, diz conselheiro do Crea

Desabamento de parte da recém-inaugurada ciclovia Tim Maia, na Avenida Niemeyer, durante uma ressaca no mar de São Conrado, deixa mortos e feridosFernando Frazão/Agência Brasil
O desabamento de parte da Ciclovia Tim Maia, em São Conrado, na zona sul do Rio foi causado por falha de projeto, de acordo com o engenheiro civil e conselheiro do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio de Janeiro (Crea-RJ), Antônio Eulálio Pedrosa Araújo, membro da Associação Brasileira de Pontes e Estruturas. Duas pessoas morreram no acidente.

“Não foi considerado o efeito da onda sobre a parte inferior da passarela, que fez com que ela tombasse. Aquele trecho é diferente dos demais, tinha apenas uma viga central. Como os apoios eram muito próximos um do outro sobre os pilares, a força de içamento do lado que onda bateu ficou mais engrandecida”, explicou. “Quem fez o projeto não levou em consideração o efeito dessa onda, embora a premissa de um projeto sejam as considerações e combinações de carga", acrescentou.

Para ele, os cerca de quatro quilômetros da via devem passar por nova análise. “Tem que ser feita uma análise de todo o projeto, a memória de cálculo, para tranquilizar a população. Talvez tenham subestimado o efeito da onda, não tenham considerado a maior onda, que é uma estatística. Há ondas que ocorrem de cem em cem anos, mas devem ser consideradas, e um fator de segurança deve ser aplicado.”

O engenheiro disse que, em geral, a engenharia estrutural é desvalorizada. “O preço dos projetos às vezes é muito aviltado, reduzindo prazos e isso acaba influindo na qualidade do projeto. Em engenharia estrutural, não pode haver riscos, pois os riscos ocasionam mortes; às vezes, várias mortes.”

O prefeito Eduardo Paes chamou de imperdoável o acidente e determinou a apuração imediata dos fatos. Ele estava na Grécia para o acendimento da tocha olímpica ontem (21) e voltou ao Brasil antes do previsto. Ele fará uma coletiva de imprensa ainda hoje (22) sobre o caso. Ainda não há horário definido.

Perícia independente

A Fundação Geo-Rio, da prefeitura, vai contratar perícia independente para emitir parecer sobre o desabamento. Uma primeira inspeção técnica no trecho de 26 metros da estrutura da ciclovia que desabou foi feita nesta manhã. Devido às más condições do mar, nova análise deverá ser feita depois que o nível da água permitir.

A prefeitura informou ainda que toda a extensão de 3,9 quilômetros (km) da ciclovia foi vistoriada e a estrutura está preservada, sem risco iminente. Por medida de segurança, a Avenida Niemeyer segue interditada ao tráfego, pois as ondas continuam atingindo a pista.

Custos

Os reparos serão executados pelo Consórcio Contemat/Concrejato, responsável pela construção, sem ônus adicionais ao município, pois a ciclovia ainda está na garantia de obra. A Avenida Niemeyer permanece interditada ao tráfego e o Corpo de Bombeiros continua as buscas no local.

O consórcio informou que está estudando as causas do acidente. O consórcio que venceu a licitação disse ainda que todo o processo foi supervisionado pelos órgãos de fiscalização competentes e que a empresa segue todos os protocolos e normas de segurança, utilizando-se das mais modernas técnicas e equipamentos de construção.

A estrutura da ciclovia no trecho é composta por elementos pré-moldados concebidos por sobrecarga total prevista em norma de 22,5 toneladas. Os três pilares estão apoiados em fudações fixadas à rocha.

Vítima

Os corpos das duas vítimas permanecem no Instituto Médico-Legal (IML) e devem ser liberados ainda hoje. O do engenheiro Eduardo Marinho de Albuquerque, de 54 anos, será cremado amanhã (23) no Memorial do Carmo, no bairro do Caju, zona portuária do Rio.

O engenheiro Eduardo Albuquerque era corredor e fazia sempre o trajeto da ciclovia. Ontem, antes de sair de casa, ele deixou um bilhete para o filho de 15 anos: “Vou correr. Volto já. Te amo”.

Flávia Villela - Repórter da Agência Brasil Edição: Talita Cavalcante

Dilma nomeia ministros

Dilma nomeia ministros para Minas e Energia, Portos, Cidades e Turismo

Foto: Roberto Stuckert Filho/ PR
A presidenta Dilma Rousseff exonerou hoje (22) os ministros de Minas e Energia, Eduardo Braga, e da Secretaria de Portos, Helder Barbalho, ambos do PMDB. Eles entregaram suas cartas de demissão na última quarta-feira (20), três dias após a Câmara dos Deputados aprovar a abertura do processo de impeachment dela, com amplo apoio da legenda. Ainda na edição de hoje do Diário Oficial da União, Dilma nomeia Marco Antônio Martins Almeida para Minas e Energia e Maurício Muniz Barreto de Carvalho para os Portos. Carvalho ocupava, até então, o cargo de secretário do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Também foram publicadas no Diário Oficial da União as nomeações de Inês da Silva Magalhães para o Ministério das Cidades, no lugar de Gilberto Kassab (PSD), e de Alessandro Golombiewski Teixeira para o Ministério do Turismo, no lugar de Henrique Eduardo Alves (PMDB).

Na semana passada, deixaram o Executivo os ministros da Aviação Civil, Mauro Lopes, e da Ciência, Tecnologia e Inovação, Celso Pansera, ambos do PMDB. No momento, dos sete integrantes da legenda nomeados ministros, apenas dois permanecem nos cargos: Marcelo Castro, na Saúde, e Kátia Abreu, na Agricultura.

Ainda na edição desta sexta-feira, Dilma torna sem efeito a nomeação de Marcos Antonio Baumgärtner para a o cargo de diretor administrativo da Itaipu Binacional, assim Edésio Franco Passos fica no cargo, pois teve exoneração também sem efeito.

Interinos

Com as recentes saídas de ministros do PMDB e de outros partidos, o governo tem cinco ministros interinos: da Casa Civil, da Integração Nacional, do Esporte, da Secretaria de Aviação Civil, da Ciência, Tecnologia e Inovação.

No fim de março, o Diretório Nacional do PMDB decidiu deixar a base aliada do governo Dilma. A decisão foi anunciada pelo senador Romero Jucá (RR), substituto de Michel Temer, vice-presidente da República, na liderança nacional da legenda.

Paula Laboissière - Repórter da Agência Brasil Edição: Talita Cavalcante

Dilma na ONU

Povo brasileiro saberá impedir qualquer retrocesso, diz Dilma na ONU
Presidente Dilma Rousseff durante sessão de abertura da cerimônia de assinatura do acordo de Paris, na sede da ONU, em Nova YorkRoberto Stuckert Filho/PR
A presidenta Dilma Rousseff discursou na manhã de hoje (22) na sessão de abertura da cerimônia de assinatura do Acordo de Paris, na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York. Dilma Rousseff mencionou a crise política que vive o Brasil. Dilma disse que a sociedade brasileira soube vencer o autoritarismo, construir a democracia e saberá impedir retrocessos.

“Não posso terminar minhas palavras sem mencionar o grave momento que vive o Brasil. A despeito disso, quero dizer que o Brasil é um grande país com uma sociedade que soube vencer o autoritarismo e construir uma punjante democracia. Nosso povo é um povo trabalhador e com grande apreço pela liberdade. Saberá, não tenho dúvidas, impedir qualquer retrocesso. Sou grata a todos os líderes que expressaram a mim sua solidariedade”, disse no encerramento do discurso.

Acordo de Paris

O presidente da França, François Hollande, foi o primeiro chefe de Estado a discursar hoje (22) na sessão.

Representantes de cerca de 160 países assinam o acordo de Paris, que visa a combater os efeitos das mudanças climáticas e reduzir as emissões de gases de efeito estufa. A cerimônia de assinatura do documento, fechado em dezembro de 2015, depois de difíceis negociações entre 195 países e a União Europeia, ocorre na sede da ONU, no Dia Mundial da Terra.

Para entrar em vigor em 2020, o acordo, no entanto, só se concretizará quando for ratificado por 55 nações responsáveis por, pelo menos, 55% das emissões de gases de efeito de estufa.

Depois da adoção do texto em Paris, ainda é necessária a assinatura do acordo, até fim de abril de 2017, seguida da ratificação nacional, conforme as regras de cada país, podendo ser por meio de votação no parlamento ou de decreto-lei, por exemplo.


 Yara Aquino - Repórter da Agência Brasil* Edição: Carolina Pimentel

* Com informações da Agência Lusa


Vítima de ciclovia no Rio

Bombeiros e Defesa Civil retomam buscas a vítima de queda de ciclovia no Rio
Rio de Janeiro - Ondas estouram próximo à recém-inaugurada ciclovia Tim Maia, na Avenida Niemeyer, que desabou durante ressaca no mar de São Conrado, deixando mortos e feridos Fernando Frazão/Agência Brasil
A Polícia Civil identificou a segunda vítima do desabamento de um trecho de 26 metros da Ciclovia Tim Maia, em São Conrado, na zona sul do Rio. Trata-se de Ronaldo Severino da Silva, 60 anos. O corpo da primeira vítima identificada, o do engenheiro Eduardo Marinho de Albuquerque, 54 anos, será velado hoje (22) à tarde no Crematório Memorial do Carmo, no bairro do Caju, zona portuária do Rio, onde será cremado. Os dois corpos ainda permanecem no Instituto Médico Legal (IML) e devem ser liberados agora pela manhã.

O engenheiro Eduardo Albuquerque era corredor e fazia sempre o trajeto da ciclovia. Ontem (21), antes de sair de casa, ele deixou um bilhete para o filho de 15 anos: “Vou correr. Volta já. Te amo”.

As buscas a uma terceira vítima, que seria uma mulher, de acordo com testemunhas, foram retomadas no início da manhã de hoje. Estão sendo utilizados na operação 130 homens do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil e os trabalhos ocorrem com o auxílio de helicópteros, com moto aquática e mergulhadores, além de homens que fazem a varredura da praia com o uso de binóculos. Os mergulhares estão sendo usados na ação porque há possibilidade de o corpo estar preso entre as fendas dos rochedos. A Marinha está dando apoio com um navio-patrulha para evitar que embarcações particulares se aproximem do local com o objetivo de acompanhar o trabalho de resgate.

A Fundação Instituto de Geotécnica (GEO-Rio), órgão de prevenção de encostas da prefeitura do Rio, em uma primeira inspeção técnica, informou que outros trechos da ciclovia não foram afetados. A Geo-Rio disse ainda que nova análise será feita na estrutura assim que o nível da água do mar [ressaca] permitir. O trecho que desabou tem 26 metros e, segundo especialistas, a força do mar teria feito a estrutura cair, provocada por um empuxo da onda, que pegou a estrutura de baixo para cima.

O subsecretário municipal de Defesa Civil, Márcio Motta, disse que a Avenida Niemeyer, que liga São Conrado ao Leblon, permanecerá fechada para que os técnicos da prefeitura e homens do Corpo de Bombeiros possam trabalhar com mais tranquilidade. A prefeitura vai colocar tapumes no local onde a estrutura da ciclovia desabou, a fim de evitar que curiosos cheguem perto do trecho para tirar fotos.

Douglas Corrêa e Nielmar de Oliveira - Repórteres da Agência Brasil Edição: Graça Adjuto

Últimas Notícias-22.04.16/12h



Coreia do Norte acusa EUA de ameaça nuclear
O chanceler norte-coreano, Ri Su-Yong, disse nesta quinta-feira (22) que a capital da Coreia do Norte, Pyongyang, fez tudo o possível para resolver o problema nuclear por meio do diálogo, mas as tentativas fracassaram devido à posição de Washington. Segundo o ministro das Relações Exteriores da Coreia do Norte, os EUA conduzem uma política agressiva contra o país, que viola as normas internacionais e a Carta da ONU.

"Os Estados Unidos chamam o Conselho de Segurança da ONU a introduzir sanções contra a Coreia do Norte, acusando-nos injustamente de sermos 'uma ameaça' à paz e à segurança mundial. Esta própria declaração já é uma violação das normas internacionais e da Carta das Nações Unidas e constitui para nós um novo desafio de implementação das metas de desenvolvimento sustentável", disse o ministro.

Da Sputnik Edição: Graça Adjuto
-----------------------------------
Profissionais têm até hoje para se inscrever no Programa Mais Médicos

Hoje (22) é o último dia para profissionais com registro nos conselhos regionais de Medicina brasileiros concorrerem a cerca de 1.400 vagas no mais recente edital de reposição do Mais Médicos. As inscrições devem ser feitas pelo sistema do programa na internet.

Segundo o Ministério da Saúde, os candidatos poderão saber o resultado no dia 26 de abril. Nos dias 27 e 28 de abril, os médicos poderão escolher quatro opções de município onde desejam trabalhar. A previsão é de que eles comecem a atuar no dia 16 de maio.

No momento da seleção, os  candidatos deverão escolher entre o direito de concorrer à pontuação adicional de 10% nas provas de residência ou permanecer no município por até três anos. Os profissionais disputam somente com aqueles que optarem pelas mesmas cidades.

De acordo com o ministério, o número exato de vagas para reposição só será definido após a renovação da adesão dos municípios com vagas ociosas e a confirmação dessas vagas pelas prefeituras. A lista completa de vagas disponíveis será divulgada no dia 26 de abril.

Caso as vagas não sejam preenchidas na chamada de médicos brasileiros com registro no país, serão abertas inscrições para profissionais brasileiros que se formaram no exterior.

Aline Leal - Repórter da Agência Brasil Edição: Graça Adjuto

---------------------------------------------------------------------
Terremoto atinge Antofagasta, no Chile
Um terremoto de magnitude 5,2 graus na escala de Richter atingiu ontem (21) Antofagasta, no norte do Chile, sem provocar danos e vítimas, informou o Centro Sismológico Nacional da Universidade do Chile. O tremor localizou-se a 77 quilômetros a noroeste de San Pedro de Atacama.

Segundo o instituto sismológico, nas últimas 24 horas houve 12 tremores com magnitudes entre 2,5 e 04 na escala de Richter. O Chile é considerado uma dos países com mais atividade sísmica do mundo.

Da Agência Lusa Edição: Kleber Sampaio

Repertório Cabriola

CORDEL DAS FÁBULAS FABULOSAS 

Um macaco lutando por sua banana; Um leão preso na armadilha de um caçador; As
aventuras de um velho para vender seu burro e a mais tradicional de todas as fábulas: A
Cigarra e a Formiga. Esse é o clima da peça "Cordel das Fábulas Fabulosas"
apresentada pela Cabriola Cia de Teatro, sob a direção de Heraldo Souza.

CLIQUE AQUI para saber mais