Saiba como mudar a cor de fundo dos chats do WhatsApp

POR NOTÍCIAS AO MINUTO


Além de personalizar o mensageiro com uma foto de sua escolha, os usuários podem ainda definir uma tonalidade de cor sólida para ficar no background das suas conversas


 
O Whatspp lançou uma atualização para permitir a alteração da cor de fundo dos bate-papos.


Segundo o Techtudo, além de personalizar o mensageiro com uma foto de sua escolha, os usuários podem ainda definir uma tonalidade de cor sólida para ficar no background das suas conversas. É possível verificar os resultados em uma pré-visualização, antes de assumir o plano de fundo definitivamente. Conferia o passo a passo e veja como é simples fazer a personalização: Passo 1. Acesse o menu de “Ajustes” do WhatsApp;

Passo 2 - Selecione a opção “Conversa”;

Passo 3 - Agora, vá em “Imagem de Fundo”;

Passo 4 - A nova opção, “Cores Sólidas”, aparece entre “Biblioteca” e “Fotos”. Toque nela para abrir o menu com a paleta disponível;

Passo 5 - Selecione uma das cores;

Passo 6 - Na pré-visualização, veja como vai ficar o chat. Se você deslizar o dedo na tela para a direita, pode ver os testes de várias cores. Escolha a que mais gostar, salve no fim e seus bate-papos vão ficar coloridos.

'Estamos com ele', dizem líderes internacionais em apoio a Lula

POR NOTÍCIAS AO MINUTO


As informações foram divulgadas pelo Instituto Lula, em nota à imprensa
 

Ex-chefes de Estado e de governo de diversos países da Europa e América Latina publicaram nesta sexta-feira, 11, declaração de apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.


Dentre os 14 primeiros signatários estão José "Pepe" Mujica, ex-presidente do Uruguai, Cristina Kirchner, ex-presidente da Argentina, e Felipe González, ex-presidente de governo da Espanha.

"Lula não se considera nem está acima das leis. Mas tampouco pode ser objeto de injustificados ataques a sua integridade pessoal", diz o manifesto. "Estamos com ele e seguros de que a verdade prevalecerá."

As informações foram divulgadas pelo Instituto Lula, em nota à imprensa.

Lula sofre investigação em duas frentes no Brasil, uma do Ministério Público Federal no âmbito da Operação Lava Jato, outra do Ministério Público do Estado de São Paulo.

Na sexta-feira, 4, Lula foi conduzido à força pela Polícia Federal para depor em inquérito da Lava Jato.

Nesta quarta-feira, 9, promotores criminais paulistas denunciaram o ex-presidente pelos crimes de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica e pediram sua prisão preventiva sob alegação de que o petista "ataca o sistema de Justiça" e provoca manifestações hostis aos órgãos de investigação. A Justiça ainda não decidiu se abre ação contra Lula, nem se manda prendê-lo.

A declaração subscrita por autoridades internacionais destaca a "tentativa de alguns setores de destruir a imagem deste grande brasileiro" e "as conquistas sociais do Brasil durante os mandatos de Lula".

Assinam o manifesto:

Cristina Kirchner (Argentina)

Eduardo Duhalde (Argentina)

Carlos Mesa (Bolívia)

Ricardo Lagos (Chile)

Ernesto Samper (Colômbia)

Maurício Funes (El Salvador)

Felipe Gonzalez (Espanha)

Manuel Zelaya (Honduras)

Massímo D'Alema (Itália)

MartinTorrijos (Panamá)

Nicanor Duarte (Paraguai)

Fernando Lugo (Paraguai)

Leonel Fernandes (República Dominicana)

José Mujica (Uruguai)

Juan Manuel Insulza (OEA)

Com informações do Estadão Conteúdo.

PGR pede abertura de novo inquérito contra Renan Calheiros

André Richter - Repórter da Agência Brasil* Edição: Armando Cardoso


A Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) abertura de mais um inquérito para investigar o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), na Operação Lava Jato. No pedido, enviado à Corte na semana passada, a  PGR pretende apurar supostos repasses feitos pelo doleiro Alberto Youssef, um dos delatores do esquema de desvios na Petrobras, para o senador.

No pedido, a procuradoria pede autorização para investigar Renan Calheiros pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, pelo suposto recebimento de propina repassada pelo doleiro Carlos Alexandre de Souza Rocha, conhecido como Ceará, um dos operadores financeiros que trabalhava para Youssef.

O presidente do Senado é alvo nos seis inquéritos que chegaram ao Supremo oriundos das investigações da Lava Jato. Existem mais dois pedidos de abertura de investigação.

Em nota, Renan declarou que é "zero a chance de ter participado ou cometido irregularidades". O senador também reafirmou que não conhece a "pessoa de Alberto Youssef e a que é denominada como Ceará."

* Colaborou Mariana Jungmann


Professor diz que Anísio Teixeira pode ter sido morto por torturadores

Sayonara Moreno - Correspondente da Agência Brasil Edição: Beto Coura



Esquerda para a direita: Joviniano Neto, João Rocha e Haroldo LimaSayonara Moreno / Agência Brasil 

O relatório que coloca em dúvida a versão inicial da morte do educador baiano Anísio Teixeira foi apresentado hoje (11), em Salvador, 45 anos depois que um laudo da polícia atestou que ele morreu em um acidente, no Rio, cidade onde morava. O relatório indica que Anísio Teixeira pode ter sido morto por torturadores.

Anísio Teixeira foi um escritor e educador brasileiro. Ao lado de Darcy Ribeiro, fundou a Universidade de Brasília (UnB), da qual foi reitor em 1963. No dia de sua morte, ele saiu da Fundação Getúlio Vargas, onde trabalhava, e foi andando até o prédio onde morava Aurélio Buarque de Hollanda, no Edifício Duque de Caxias, no bairro de Botafogo. Lá, conversariam sobre a candidatura de Teixeira para a Academia Brasileira de Letras.

Apesar de não ter sido visto no edifício, o corpo dele apareceu no fosso do elevador, dois dias depois do desaparecimento. As novas análises sustentam a suspeita de que Teixeira teria sido morto pela repressão militar, durante o governo do então presidente Emílio Médici. Anísio Teixeira teria sido levado para depor na Aeronáutica, com a promessa de que seria liberado depois.

Mas o escritor e professor da Escola Politécnica da Universidade Federal da Bahia João Augusto de Lima Rocha contesta a versão oficial. Ele obteve acesso ao laudo do Instituto Médico-Legal e às fotos do corpo de Anísio Teixeira. A partir daí, começou a estudar os documentos, as imagens e se baseou, também, em depoimentos de pessoas próximas ao educador.

Segundo o professor, a versão sustentada até agora era de que Anísio Teixeira morreu após cair no fosso de um elevador, no prédio onde morava o dicionarista Aurélio Buarque de Hollanda, em 1971.


Anísio Teixeira Imagem cedida pela Comissão Nacional da Verdade

“Ele não chegou à casa do Aurélio e, quando a família o procurou, os funcionários do condomínio disseram não ter visto Teixeira entrar no prédio. Mas quando foi no dia 13 de março, o corpo dele apareceu no fosso do elevador. Então, a suspeita começa daí, porque se ele não chegou à casa do Aurélio e o corpo aparece lá, dois dias depois, há suspeita”, diz o professor, que é também sobrinho-neto do educador.

João Rocha conta que trabalhou em cima de outra contradição, porque, segundo informações que chegaram a ele, Anísio Teixeira prestou depoimento em um quartel da Aeronáutica, no Rio, no dia 12 de março, um dia depois do desaparecimento dele.

“O que estou provando, agora, é que a versão da queda é falsa. O resto – quem matou, como e por que matou –, deixaremos para a comissão de mortos e desaparecidos, em um pedido formal para que investiguem”, completa Rocha.

As análises foram possíveis porque, segundo João Rocha, a Comissão Nacional da Verdade (CNV) teve acesso ao laudo da perícia do cadáver de Anísio Teixeira, e às fotos tiradas depois que o corpo apareceu no fosso do elevador.

“A CNV me passou esses documentos, e pelas imagens fica claro que ele não caiu [do elevador]. A minha hipótese básica é de que ele morreu por tortura, e depois deram alguns golpes no cadáver, para simular a queda”, afirma o sobrinho-neto de Anísio.

Haroldo Lima, também sobrinho do intelectual nascido em Caetité, Bahia, disse que os próximos passos para as investigações serão muito importantes para os intelectuais do Brasil.

“Anísio foi um estadista da educação e fez muito pela ideia da educação pública, universal e gratuita. Era tido como comunista e dono de ideias perigosas. No final dos estudos, João demonstra que naquele elevador, Anísio não morreu. Gostaríamos que o Estado brasileiro se debruçasse sobre esse fato para apurar as verdadeiras causas da morte de Anísio Teixeira”, declara Lima.

Laudo médico

Laudo sobre a morte de Anísio TeixeiraImagem cedida pela Comissão Nacional da Verdade

Segundo o laudo médico da perícia feita em 1971 e assinado pelo legista João Guilherme Figueiredo, foi possível afirmar que a versão sustentada pelo governo da época não é verdade, de acordo com os estudiosos.

As análises mostram que a posição do corpo, os ferimentos na cabeça e a disposição dos objetos pessoais de Anísio Teixeira não correspondem ao que seria uma queda. As imagens mostram que os óculos, por exemplo, têm uma das hastes dobradas e estão aparentemente intactos mesmo depois da suposta queda de quatro metros de altura. A hipótese é de que o corpo e os objetos teriam sido depositados no local, para simular um acidente.

“Hoje, comprova-se, documentalmente e fotograficamente, com laudos periciais, que não é verdade que Anísio Teixeira tenha caído no poço daquele elevador. Vamos pedir à Comissão de Mortos e Desaparecidos que inclua o nome de Anísio Teixeira na lista de mortos da ditadura militar e prossiga com as investigações”, disse o coordenador da Comissão Estadual da Verdade, na Bahia, Joviniano Neto.



Sérgio Moro homologa dispensa de Lula como testemunha de Bumlai

André Richter - Repórter da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso


O juiz Sérgio Moro homologou hoje (11) o pedido de dispensa do depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como testemunha de defesa do empresário José Carlos Bumlai, réu na Operação Lava Jato.

O depoimento de Lula tinha sido marcado para segunda-feira (14), às 9h, por videoconferência, na Justiça de São Paulo. De acordo com o Código de Processo Penal (CPP), o réu pode desistir da oitiva de testemunhas arroladas por ele.

Em troca do depoimento presencial, Lula enviou, por meio da defesa de Bumlai, esclarecimentos por escrito ao juiz. O ex-presidente afirmou que é amigo de Bumlai desde 2002 e que nunca tratou de assuntos políticos com o pecuarista. Lula também informou que nunca teve conhecimento de que Bumlai tenha usado a amizade com ele para obter vantagens em qualquer tipo de negócio.

Antes de decidir pela homologação, Moro disse aos advogados de Bumlai que as declarações enviadas por escrito pelo ex-presidente Lula não podem ser usadas como prova na defesa do pecuarista.

Para Sérgio Moro, declarações a favor de investigados devem ser feitas por meio do contraditório, conforme estabelece o CPP.


Kátia Abreu nega possibilidade de o PMDB se afastar do governo

Cristina Indio do Brasil – Repórter da Agência Brasil Edição: Maria Claudia



A ministra Kátia Abreu visita as instalações olímpicas no Complexo de Deodoro, no Rio Cristina Indio do Brasil/Agência Brasil

"Só um capitão covarde abandona um navio na hora da tempestade e o PMDB não é um capitão covarde". A declaração é da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu, para negar a possibilidade do partido se afastar do governo.

De acordo com a ministra, o PMDB não é sócio de ocasião do governo. "Nós somos parceiros deste governo com a vice-presidência da República, com importantes ministérios do Brasil, há cinco anos, então, nós não poderemos abandonar o Brasil à crise. O PMDB tem responsabilidade com o país e com os brasileiros. Nós somos parceiros e não é só no tempo da bonança. Nós precisamos estar principalmente juntos nas horas das dificuldades. Só um capitão covarde abandona um navio na hora da tempestade e o PMDB não é um capitão covarde", disse.

Segundo Kátia Abreu, a convenção nacional que o PMDB fará, neste sábado (12), se dará conforme o estatuto, que indica a eleição do presidente do partido e de todos os demais cargos da Executiva. Para a senadora, o estatudo é claro, objetivo e pragmático e, dessa forma, ela não acredita em uma discussão sobre qualquer posição de afastamento. "Não há o que fazer em temos de decisão formal no sábado. Se quiserem tratar deste assunto, uma extraordinária deve ser convocada, no futuro, para tratar de qualquer tema. Mas, no sábado, em que pese  cada parlamentar, cada membro do partido está livre democraticamente para se manifestar na tribuna sobre qualquer assunto que queira, mas em termos de decisão, a decisão é apenas eleger o presidente do partido", ressaltou.

Competição de esgrima durante evento-teste, na Arena da Juventude Cristina Indio do Brasil/Agência Brasil

A ministra comentou que considerou um exagero o pedido de prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pelo Ministério Público do Estado de São Paulo. Ela afirmou que  que concorda com formadores de opinião que acham desnecessária a prisão, porque Lula mora no Brasil e tem endereço certo. "O que está acontecendo com ele hoje poderá ser um nós amanhã. O Estado de Direito precisa ser preservado. Os exageros e os espetáculos não ajudam a Justiça brasileira que, assim como em qualquer parte do mundo, tem que ter um comportamento e uma aparência de respeitabilidade, de confiança absoluta do cidadão, para que possa atender, não apenas a ódios, raivas, ressentimentos, e sim, ser legítima com qualquer pessoa. Mas a Justiça brasileira tem que ser imparcial e agir de acordo com a regra, com a lei, sem espetáculos", completou.

A ministra deu as declarações durante visita às instalações para os Jogos Olímpicos de 2016, no Complexo de Deodoro, na zona norte do Rio. Kátia Abreu esteve no Centro Olímpico de Hipismo e no Centro de Pentatlo Moderno e acompanhou algumas disputas de esgrima, que fazem parte do evento-teste de pentatlo moderno, e que estão ocorrendo na Arena da Juventude. Ela ficou animada com o que viu. "Os cavalos começam a chegar no final de julho e tenho convicção de que estará tudo pronto adequadamente para receber o esporte e a Olimpíada 2016. Me impressionou muito adiantamento dessas obras", disse.


Declarações por escrito de Lula não valem para defesa de Bumlai, diz juiz

André Richter – Repórter da Agência Brasil Edição: Nádia Franco



O  juiz  Sérgio  Moro  pediu  que  a defesa de Bumlai  confirme se mantém desistência do depoimento de Lula, previsto para o dia 14 Arquivo/Agência Brasil

O juiz Sérgio Moro entendeu hoje (11) que as declarações enviadas por escrito pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Justiça Federal em Curitiba não podem ser usadas como prova na defesa do pecuarista José Carlos Bumlai. Para Moro, declarações a favor de investigados devem ser feitas por meio do contraditório, conforme o Código de Processo Penal (CPP), para ter validade.

Diante da decisão de não reconhecer como prova de defesa as declarações de Lula, Moro pediu aos advogados de Bumlai que esclareçam se mantêm desistência do depoimento do ex-presidente como testemunha de defesa na ação penal que o pecuarista responde na Operação Lava Jato. O depoimento de Lula foi marcado para segunda-feira (14), às 9h, por meio de videoconferência, na Justiça de São Paulo.

“Observo que a praxe é aceitar apenas declarações por escrito quando de caráter meramente abonatório. Declarações que digam respeito aos fatos em apuração devem ser prestadas em Juízo, sob contraditório, para terem valor probatório, como exigência do Artigo 155 do CPP (Código de Processo Penal)”, justificou Moro.

Mais cedo, a defesa de Bumlai pediu dispensa do depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como testemunha de defesa do empresário.

Em troca do depoimento presencial, Lula mandou esclarecimentos por escrito ao juiz. O ex-presidente disse que é amigo de Bumlai desde 2002 e que nunca tratou de assuntos políticos com o pecuarista. Lula também informou que nunca teve conhecimento de que Bumlai tenha usado a amizade com ele para obter vantagens em qualquer tipo de negócio.

Cunha diz que vai dar continuidade ao processo de impeachment

Carolina Gonçalves - Repórter da Agência Brasil Edição: Carolina Pimentel


O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), confirmou hoje (11) que vai dar continuidade à instalação da comissão especial que vai analisar o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff na próxima quinta-feira (17). A ideia é esperar a resposta do Supremo Tribunal Federal (STF) aos recursos sobre o rito do processo, que deve sair na quarta-feira (16).


Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, diz que vai retomar processo de impeachment contra Dilma na próxima semanaAntonio Cruz/Agência Brasil

O processo está parado depois que ministros do STF anularam a eleição de uma chapa alternativa para a comissão. A chapa não foi indicada por líderes da Câmara.

“O processo volta ao curso da continuidade. Se respeitar todo o cronograma que se tem estipulado na lei e no Regimento [Interno], começando na quinta, é possível [votar em 45 dias]. Depende de outros fatores, como obstrução, recursos à Justiça. Mas se seguir o rito: instalar comissão, prazo de defesa, prazo para plenário, 45 dias é o prazo razoável”, disse Cunha.

Esta semana, ministros da Corte confirmaram que vão julgar no dia 16 o recurso que pede a mudança do julgamento sobre as regras de tramitação do processo de impeachment, definidas em dezembro do ano passado. Cunha defende votação aberta para eleição da comissão e a obrigatoriedade do Senado dar prosseguimento ao processo iniciado na Câmara.

Lula

Perguntado sobre o pedido de prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva apresentando pelo Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP), Eduardo Cunha disse que não leu a peça elaborada pelos promotores Cássio Conserino, José Carlos Blat e Fernando Henrique Moraes de Araújo.

“Aparentemente, sem eu ler, parece um pouco exagerada a medida. Tudo o que é exagerado não é bom. Tudo tem seu ritmo e deve sempre respeitar a legalidade, mas eu não li”, disse. Apesar disto, o peemedebista disse que não acredita que o anúncio sobre o pedido de prisão possa acirrar os ânimos durante as manifestações pró-impeachment, que ocorrerão neste domingo (11).

Mais cedo, o vice-líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS), disse que o pedido de prisão preventiva é parte de um “golpe jurídico midiático”. “Sugerir que uma liderança política do país, seja quem for, deve ser presa porque sua liderança mobiliza pessoas, incentiva manifestações, é como propor estado de sítio. Há um processo sendo construído no país de um golpe jurídico-midiático, de setores da oposição que encontraram aliados na burocracia do Estado, dentro do MPF, do Poder Judiciário e da Polícia Federal que atuam politicamente”, afirmou.

Para Pimenta, não há dúvida de que a decisão dos promotores teve a intenção de “jogar mais lenha na fogueira”. “O clima de violência e insegurança é causado por falta de uma postura republicana dos investigadores que transformaram seus cargos, em cargos de liderança partidária e vamos denunciar isto. Se o promotor de São Paulo acha que falar isto é motivo para prisão, vai faltar cadeia no país. Vamos denunciar todos os dias a parcialidade”, completou.

O PT está reunido em São Paulo hoje. Segundo Paulo Pimenta, o clima dentro do partido é de tranquilidade. Ele afirmou que Lula, mesmo “indignado”, também está confiante na Justiça que vai decidir se aceita o pedido e a denúncia. Não há data para a Justiça tomar a decisão.


Frente Brasil Popular protesta em São Paulo contra pedido de prisão de Lula

Flávia Albuquerque - Repórter da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso



De acordo com a organização do movimento, cerca de 1,5 mil pessoas participaram da manifestação pró-Lula em frente ao Tribunal da Justiça, na Praça da SéRovena Rosa/Agência Brasil

Integrantes da Frente Brasil Popular (movimentos sindicais e sociais) fizeram hoje (11) um ato na Praça da Sé, região central da capital paulista, em protesto ao pedido de prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, apresentado esta semana pelo Ministério Público de São Paulo (MP-SP). A mobilização, que teve como mote Não vai ter Golpe e Lula eu defendo, Lula eu confio, começou por volta de 11h da manhã e terminou às 13h.

O presidente da CUT-SP, Douglas Izzo, esclareceu que o ato foi uma vigília para que os movimentos sindicais e sociais expressassem sua indignação ao que consideram abusos do MP-SP. Para Izzo, a denúncia contra o ex-presidente não tem fundamentos. “Quisemos dar uma resposta para aqueles que utilizam o MP-SP e a Operação Lava Jato para desconstruir a imagem do presidente Lula e seu legado. Ele construiu as políticas mais consistentes para as populações trabalhadora e mais pobre”.

Segundo ele, a militância continua mobilizada para os atos nacionais marcados para os dias 18 e 31 de março. Não há previsão de nenhuma manifestação no domingo (13), quando um grupo contrário ao governo fará uma manifestação na Avenida Paulista. “Nossa única manifestação será um café solidário em frente ao prédio do ex-presidente, já que a garrafa térmica e o pão com manteiga são uma tradição nossa nas assembleias”.

Justiça

A Polícia Militar não divulgou o número de pessoas que participaram do ato. De acordo com a organização, foram 1,5 mil participantes.

O Ministério Público de São Paulo pediu a prisão preventiva de Lula e de outras seis pessoas. Os promotores Cássio Conserino, José Carlos Blat e Fernando Henrique Moraes de Araújo apresentaram no dia 9 denúncia contra Lula. Eles alegaram que o ex-presidente cometeu crimes de lavagem de dinheiro – na modalidade ocultação de patrimônio – e falsidade ideológica sobre o apartamento triplex, no Guarujá (SP). Os promotores detalharam ontem (10) a denúncia.

Os promotores pedem a prisão preventiva também de:  José Adelmário Pinheiro, Leó Pinheiro, ex-presidente da construtora OAS; Fábio Hori Yonamine e Roberto Moreira Ferreira, executivos da OAS; ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, preso na Operação Lava Jato; Ana Maria Érnica, ex-diretora da Bancoop; e Vagner de Castro, ex-presidente da Bancoop.

A Justiça não tem prazo para decidir se aceita ou não o pedido e a denúncia apresentados ontem.


Senador do PMDB defende em plenário posição de independência do governo Dilma

Karine Melo – Repórter da Agência Brasil Edição: Maria Claudia


Na véspera da Convenção Nacional do PMDB, marcada para amanhã (12) em Brasília, o vice-presidente da legenda, senador Valdir Raupp (RO), defendeu nesta sexta-feira (12), em discurso no plenário do Senado, que o partido adote no encontro uma posição de independência do governo da presidenta Dilma Rousseff, inclusive abrindo mão dos cargos que ocupa no Executivo.

“Um partido do tamanho do PMDB não pode ser irresponsável a ponto de ir para um rompimento total, ir para a oposição, principalmente neste momento que tem o vice-presidente da República. Mas eu defendo o que já defendi várias vezes: o enxugamento da máquina. Se dependesse de mim, dentro do PMDB, eu entregaria os cargos que tem no governo hoje e continuaria apoiando, aqui no Congresso Nacional, os projetos de interesse da nação, de interesse do país. Quando o governo, o presidente, manda um projeto para cá, não é interesse particular dele, é interesse da Nação, do Brasil. Isso, o PMDB poderia continuar a fazer, mas sem estar atrelado ao governo”,

Raupp disse que defende a independência porque, se PMDB quer ter um candidato a presidente da República em 2018, não pode ficar atrelado ao governo até o final. “Como é que nós vamos ficar atrelados ao governo, com uma montoeira de cargos até o final do governo, e depois disputarmos a Presidência da República?", indagou.

A convenção também irá eleger a nova direção do PMDB. O vice-presidente da República, Michel Temer, deve ser reconduzido ao posto de presidente nacional da sigla.

Lula

Na sessão desta sexta-feira, senadores governistas saíram em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do governo da presidenta Dilma Rousseff. Os parlamentares reagiram ao pedido de prisão preventiva de Lula feito ontem (10) pelo Ministério Público do Estado de São Paulo. Para os procuradores, Lula cometeu crimes de lavagem de dinheiro – na modalidade ocultação de patrimônio – e falsidade ideológica sobre o apartamento triplex, em Guarujá (SP).

A senadora Vanessa Grazzition (Pcdo B -AM) ressaltou que até os líderes do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima, e na Câmara, Antonio Imbassahy, pediram cautela sobre o assunto. A senadora desqualificou o pedido e afirmou que muitos juristas também criticaram os argumentos dos procuradores paulistas para o pedido.

“O procurador regional da República, Vladimir Aras, ligado ao grupo do procurador-geral Rodrigo Janot, que atua na Operação Lava-jato, postou a seguinte mensagem ontem, no twitter, interpretada como uma crítica à peça apresentada ao Ministério Público de São Paulo, que pede a prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva: "Nunca vi nada igual. Todo mundo comete erros, mas não é possível tamanha inépcia e falta de técnica. O texto é imprestável a qualquer juízo", destacou.

Para o senador Donizete Nogueira (PT-TO) há, entre procuradores e juízes, um desejo de estar na mídia. “Vejo que a necessidade que alguns procuradores têm de aparecer nos refletores também é preocupante, assim como os juízes. Por quê? Eles não falam no processo, mas deviam falar, e não apenas comunicar para as massas, antes da sentença, antes do trabalho terminado. Agora, vivemos uma anomalia: o procurador diz a uma revista o que vai fazer e, depois, começa a fazer”, disse o senador, sobre a declaração do procurador Cássio Conserino à Revista Veja de que Lula e a ex-primeira dama, Marisa Letícia, seriam denunciados por lavagem de dinheiro e ocultação de patrimônio.

Já o senador Acir Gurgacz (PDT-RO) defendeu que os interesses do país sejam colocados acima das disputas politicas. “A disputa política traz o embate com muita força, afetando a economia brasileira, e não é disso que nós precisamos. Nós precisamos ver toda a classe política conversando, pois não é o governo, o partido do governo e partidos de oposição presidente, que estão se desgastando, mas toda a classe política, que não cumpre o seu papel, não chega ao resultado que a população precisa. E o que estamos propondo aqui? Vamos deixar as brigas ideológicas de lado e fazer uma política voltada ao interesse da população brasileira.

Oposição

Outro senador a comentar o assunto, Cristovam Buarque (PPS-DF), lembrou que na democracia não se pode prender ninguém sem “muita justificativa”. O senador afirmou ainda que quando a decisão envolve um personagem com liderança, mesmo que se conteste o comportamento desse líder, ela tem de convencer o povo inteiro, sob pena de problemas sérios na própria legitimação da justiça

“Hoje, já olhando os argumentos, pelo menos pelo que vi na televisão, quero dizer que, desses 200 milhões que deveriam ser convencidos, eu não o fui. Não quero me meter nos aspectos jurídicos, mas, quanto à maneira como li argumentos de que o ex-presidente pode ir embora do país, não vejo a menor possibilidade de o ex-presidente Lula ir embora do país. Houve ainda o argumento de que ele poderia insuflar [a população]. Ele insuflará muito mais preso, sem dizer uma palavra, automaticamente, naturalmente”, avaliou o oposicionista.



Especialistas consideram excessivo pedido de prisão do ex-presidente Lula

Priscilla Mazenotti - Repórter do Radiojornalismo Edição: Armando Cardoso


A juíza Maria Priscilla Ernandes Veiga Oliveira, titular da 4ª Vara Criminal de São Paulo, não tem prazo para decidir sobre o pedido de prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O pedido, apresentado pelo Ministério Público de São Paulo, será analisado junto com a denúncia.

O pedido de prisão é visto como excessivo por especialistas. A professora de Direito Penal da Universidade de Brasília, Beatriz Vargas, avalia que o oferecimento da denúncia já era suficiente para a continuidade da ação penal contra Lula.

“Um pedido de prisão preventiva para o ex-presidente, considerando o cenário atual, é acirramento de ânimos, é instabilidade institucional, é uma provocação política absolutamente desnecessária”, afirmou Beatriz Vargas.

O processo apresentado pelos promotores Fernando Henrique Moraes de Araújo e Cássio Conserino tem 120 páginasReprodução/TV Brasil

Os promotores Cássio Conserino, José Carlos Blat e Fernando Henrique Moraes de Araújo apresentaram a  denúncia contra Lula na quarta-feira (9). Eles alegam que o ex-presidente cometeu crimes de lavagem de dinheiro – na modalidade ocultação de patrimônio – e falsidade ideológica sobre o apartamento tríplex, no Guarujá, litoral paulista. Os promotores detalharam ontem (10) a denúncia.

O processo é longo. Só o expediente despachado à juíza tem 120 páginas. A denúncia contra Lula tem 36 volumes. A decisão pode ser integral, acatando denúncia e pedido de prisão, ou parcial, com o recebimento apenas da denúncia e a rejeição da prisão preventiva.

Para o cientista político Malco Camargos, da PUC de Minas Gerais, o pedido de prisão preventiva impacta no governo, mas principalmente na imagem do próprio Lula, que, segundo ele, tinha ainda uma salvaguarda por ser considerado um nome competitivo para as próximas eleições presidenciais, em 2018.

“É muito claro, ao ver a postura do MP de São Paulo, como a questão política está permeando as decisões do Judiciário, o que é muito ruim para a democracia”, informou o cientista político. “O Judiciário não deveria se envolver com política”, acrescentou.

Os promotores responsáveis pela denúncia e pelo pedido de prisão negam motivações políticas. “A investigação do Ministério Público estadual foi clássica: testemunha-documento. Nada é fruto de invencionice ou especulação. É tudo fruto de depoimento testemunhal e da análise de provas documentais”, justifica ontem (10) o promotor Cássio Conserino, um dos responsáveis pela denúncia e o pedido de prisão preventiva.

Os promotores pediram também a prisão preventiva de José Adelmário Pinheiro, o Leó Pinheiro, ex-presidente da construtora OAS; Fábio Hori Yonamine e Roberto Moreira Ferreira, executivos da OAS; do ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, preso na Operação Lava Jato; Ana Maria Érnica, ex-diretora da Bancoop; e Vagner de Castro, ex-presidente da Bancoop.

A prisão preventiva de Lula foi pedida dentro do processo que o investiga por lavagem de dinheiro e falsidade ideológica.

Em relação ao pedido de prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na denúncia apresentada ontem (9) pelo Ministério Público de São Paulo à Justiça, o Instituto Lula voltou a negar hoje (10), em nota, que Lula seja dono do apartamento triplex, em Guarujá (SP), alvo da investigação do Ministério Público.

Em nota, o Instituto Lula disse ontem que o pedido de prisão preventiva do ex-presidente é uma “triste tentativa” do promotor Cássio Conserino de usar o cargo dele para fins políticos. “Cássio Conserino, que não é o promotor natural deste caso, possui documentos que provam que o  ex-presidente Lula não é proprietário nem de triplex no Guarujá nem de sítio em Atibaia, e tampouco cometeu qualquer ilegalidade. Mesmo assim, solicita medida cautelar contra o ex-presidente em mais uma triste tentativa de usar seu cargo para fins políticos".

Bumlai pede dispensa de Lula como testemunha de defesa

André Richter – Repórter da Agência Brasil Edição: Nádia Franco


O pecuarista pediu ao juiz Sérgio Moro que dispense  Lula de prestar depoimento  Arquivo/Agência Brasil

A defesa do pecuarista José Carlos Bumlai pediu hoje (11) ao juiz federal Sérgio Moro dispensa do depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como testemunha de defesa do empresário. O depoimento foi marcado para segunda-feira (14), às 9h, por meio de videoconferência, na Justiça de São Paulo.

Em troca do depoimento presencial, Lula mandou esclarecimentos por escrito ao juiz. O ex-presidente disse que é amigo de Bumlai desde 2002 e que nunca tratou de assuntos políticos com o pecuarista. Lula também informou que nunca teve conhecimento de que Bumlai tenha usado a amizade com ele para obter vantagens em qualquer tipo de negócio.

Os depoimentos ocorrem na ação penal em que Bumlai e mais 10 investigados na Operação Lava Jato foram denunciados pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

De acordo com a acusação do Ministério Público Federal (MPF), Bumlai usou contratos firmados com a Petrobras para quitar empréstimos com o Banco Schahin. Segundo os procuradores, depoimentos de investigados que assinaram acordos de delação premiada revelam que o empréstimo de R$ 12 milhões se destinava ao PT e foi pago mediante a contratação da Construtora Schahin como operadora do navio-sonda Vitória 10.000, da Petrobras, em 2009.

Desde o surgimento das primeiras denúncias, o PT sustenta que todas as doações obtidas pelo partido foram feitas de forma legal e declaradas às autoridades. A Schahin afirma que o modelo de contratação dos navios-sonda foi o mesmo praticado pela Petrobras com todas as concorrentes que prestaram igual serviço.

Confira a íntegra das informações prestadas por Lula ao juiz Sérgio Moro;

“Conheço o Sr. José Carlos da Costa Marques Bumlai desde 2002. A partir daí tornamo-nos amigos, amizade que se estendeu a nossas famílias. Mantivemos convívio próximo em diversas ocasiões”.

Posso assegurar com toda certeza que, durante todo esse período de convivência, nas inúmeras vezes em que estivemos juntos, jamais tratamos de assuntos políticos, muito menos de eventuais interesses do Sr. Bumlai junto ao governo, órgãos estatais ou empresas públicas.

Jamais tive conhecimento de eventual interesse do Sr. Bumlai em negócios relativos a sondas de prospecção de petróleo, seja através do grupo Schahin, seja de outros, assim como jamais manifestei a quem quer que fosse que esse assunto pudesse causar-lhe problemas ou pedi ajuda para ‘protege-lo’ de um mal cuja existência desconheço.

Nunca tive notícia de que o Sr. Bumlai pudesse ter se valido de sua relação pessoal comigo para obter qualquer vantagem ou benefício em qualquer tipo de negócio, com contraparte pública ou privada.”

Considero o Sr. José Carlos da Costa Marques Bumlai um homem de bem, honesto e pai de família exemplar, tendo-o na mais alta conta.”

O texto foi alterado às 14h51


Dilma diz que não vai renunciar

Ana Cristina Campos – Repórter da Agência Brasil Edição: Nádia Franco


A presidenta Dilma Rousseff diz que não sairá do cargo sem que haja motivo para tal   José Cruz/Agência Brasil

A presidenta Dilma Rousseff afirmou, há pouco, que não vai renunciar ao cargo.

“Ninguém tem o direito de pedir a renúncia de presidente legitimamente eleito sem dar elementos comprobatórios de que eu tenha, de alguma forma, ferido qualquer inciso da Constituição. Não sairei deste cargo sem que haja motivo para tal. Quem quer a minha renúncia tem que proceder de acordo com a Constituição. Solicitar a minha renúncia é reconhecer que não há base real para pedir minha saída do cargo”, disse Dilma, após reunião com reitores dos institutos federais de Educação, Ciência e Tecnologia no Palácio do Planalto.

Perguntada se estaria resignada e se renunciaria à Presidência, Dilma respondeu: “Vocês acham que eu tenho cara de estar resignada? Vocês acham que eu tenho gênio para me resignar? Eu não estou resignada diante de nada e não tenho essa atitude diante da vida. Acho que essa onda de boatos não contribui e cria uma crise política negativa para a economia brasileira. Temos todas as condições de fazer a retomada. Pelo menos testemunhem que eu não tenho cara de quem vai renunciar”, afirmou a presidenta, em entrevista coletiva.

A Câmara dos Deputados aceitou em dezembro o pedido de abertura de processo impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff.

Manifestações

Sobre as manifestações populares previstas para domingo (13), Dilma pediu que não haja confrontos.

“Faço um grande apelo às pessoas para que sejam capazes de manifestar de forma pacífica. A manifestação é um momento importante do país, de afirmação democrática. Por isso, não deve ser manchada por nenhum ato de violência."

Ela defendeu que se mantenha o que chamou de "vitórias da democracia brasileira". Segundo a presidenta, uma das vitórias, sem dúvida, é o direito de livre manifestação. "Não cabe à gente perder esse patrimônio da tolerância característico do nosso país.”

Ministério da Justiça

Quanto ao futuro do ministro da Justiça, Wellington César Lima e Silva, Dilma afirmou que decisão da Justiça é para ser cumprida. “Decisão do Supremo eu cumpro”.

Na noite de quarta-feira (9), o Supremo Tribunal Federal (STF) entendeu que Wellington Silva deve deixar o ministério em até 20 dias após a publicação da ata do julgamento, prevista para segunda-feira (14). Os ministros da Corte entenderam que ele não pode chefiar a pasta, já que tem cargo vitalício de procurador do Ministério Público da Bahia.

Perguntada se vai pedir para ele ficar no cargo, Dilma respondeu: “Eu vou olhar para ele e falar: olha, meu querido, você decida o seu destino de acordo com as suas convicções e aquilo que lhe é interessante. Ele tem 25 anos de Ministério Público, e não cabe a mim fazer nenhum apelo. Eu não posso prejudicar ninguém.”





O texto foi ampliado às 15h10


Dilma: pedido de prisão de Lula não tem base legal

Ana Cristina Campos – Repórter da Agência Brasil Edição: Nádia Franco


A presidenta Dilma Rousseff afirmou hoje (11) o pedido de prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva feito pelo Ministério Público de São Paulo é “ato de injustiça e um absurdo”.

“É um absurdo, não tem base legal. O governo repudia em gênero, número e grau este ato contra o presidente Lula. Este é um momento de diálogo, calma e pacificação”, disse a presidenta, que não quis confirmar se convidou Lula a se tornar ministro. Ela destacou, entretanto, que ele é um grande nome para compor qualquer governo.

O Ministério Público do Estado de São Paulo pediu a prisão preventiva do ex-presidente e de mais seis pessoas. Os promotores Cássio Conserino, José Carlos Blat e Fernando Henrique Moraes de Araújo apresentaram na quarta-feira (9) denúncia contra Lula alegando que o ex-presidente cometeu crimes de lavagem de dinheiro – na modalidade ocultação de patrimônio – e falsidade ideológica sobre o apartamento tríplex, em Guarujá, no litoral paulista. Os promotores detalharam ontem (10) a denúncia.

Os promotores pedem a prisão preventiva também de: José Adelmário Pinheiro, Leó Pinheiro, ex-presidente da construtora OAS; Fábio Hori Yonamine e Roberto Moreira Ferreira, executivos da OAS; ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, preso na Operação Lava Jato; Ana Maria Érnica, ex-diretora da Bancoop; e Vagner de Castro, ex-presidente da Bancoop. A Justiça ainda deve decidir se aceita o pedido e a denúncia apresentada. Não há data para essa decisão.

Na denúncia, os promotores afirmam que existem “exaustivos argumentos” contra os acusados.


Confira algumas formas naturais de acabar com a enxaqueca

POR NOTÍCIAS AO MINUTO


Costuma sentir dores de cabeça fortes? Pode ser que seja enxaqueca...
 


Uma dor de cabeça pode ser classificada como enxaqueca quando: a crise dura de quatro a 72 horas; a cabeça lateja; há náuseas; a dor piora com a luz, sons ou movimentos bruscos.


Mesmo em caso de enxaqueca há formas simples e naturais de amenizar a crise. A Revista Saúde listou alguns:

1. Acorde sempre na mesma hora. Mudanças na rotina de despertar podem estimular a dor. Levantar-se mais cedo ou mais tarde do que o normal causa enxaqueca em 7 a cada 10 pessoas.

2. Consuma alguma cafeína. Se bebe muito café, tente ir diminuindo a quantidade aos poucos, um café por dia a menos por semana, se conseguir. Quando chegar a uma quantidade mínima que o deixe confortável, mantenha esse consumo sempre. As mudanças bruscas neste tipo de hábito podem fazer surgir a enxaqueca.

3. Descarregue as emoções negativas e o estresse. Medo, raiva, culpa, irritação são ingredientes perfeitos para a enxaqueca. Tal como o estresse e todas as emoções negativas em geral. Converse com amigos, familiares ou um terapeuta. Escrever um diário ou um blog ou fazer um exercício físico podem ajudá-lo a descarregar essas emoções negativas que podem originar uma crise de enxaqueca.

4. Faça um suplemento de melatonina. É a nova aposta da medicina contra a enxaqueca. Este hormônio natural ajuda a induzir o sono e em estudos os pacientes que tomaram 3mg desta substância meia hora antes de dormir viram as crises reduzir pela metade. Mas atenção: este suplemento deve ser receitado pelo seu médico.

5. Faça uma massagem. Estudos sugerem que o estresse pode provocar até sete crises de enxaqueca por mês. Manter-se calmo e relaxado pode diminuir essas crises. Apenas 20 minutos de massagem já reduzem a produção dos hormônios que nos provocam excitação emocional.

Fundador do Napster quer revolucionar indústria do cinema com novo projeto

POR NOTÍCIAS AO MINUTO


O objetivo é permitir que o público assista aos lançamentos do cinema diretamente de suas casas na data de estreia nas telonas


 
O fundador do Napster afirmou estar envolvido em um projeto que pretende mexer drasticamente a indústria do cinema. Batizado de Screening Room, o projeto de Sean Parker planeja a criação de um set-top box antipirataria para exibir, por streaming, os filmes em cartaz nos cinemas mediante o pagamento de uma taxa pré-determinada.

O objetivo, segundo o Olhar Digital, é permitir que o público assista aos lançamentos do cinema diretamente de suas casas na data de estreia nas telonas. Para isso, seria necessário adquirir uma caixa especial por US$ 150, que daria uma espécie de licença para ver os filmes dentro de 48 horas pelo preço de US$ 50 cada um, com exibição ilimitada neste período.

Segundo a revista Variety, o Screening Room ainda está em fase de pesquisa. O avanço da ideia depende de muitas coisas, entre elas a definição do valor que seria repassado às produtoras donas dos direitos de transmissão. Algumas, inclusive, delas já teriam demonstrado interesse em embarcar na empreitada.

'Se Lula for preso será o Nelson Mandela do Brasil', diz Nicolás Maduro

POR NOTÍCIAS AO MINUTO


"Como não podem dar golpes de Estado, dão golpes midiáticos e judiciais", afirmou o Presidente da Venezuela



O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou, nesta quinta-feira (10), que caso o ex-presidente Lula for preso, se tornará "tão grande" quanto o líder sul-africano Nelson Mandela. "Agora ameaçam Lula de prisão. Se for preso, Lula será tão grande como Nelson Mandela, será o Nelson Mandela do Brasil", afirmou Maduro, comparando o ex-presidente ao líder sul-africano, preso por 27 anos ao combater o apartheid.


De acordo com informações do portal G1, Maduro manifestou a Lula "todo o apoio da Venezuela" diante do que considera manobras políticas para desestabilizar o governo da presidente Dilma Rousseff. "Como não podem dar golpes de Estado, dão golpes midiáticos e judiciais", afirmou Maduro.

Japoneses descobriram bactéria com apetite por plástico

POR NOTÍCIAS AO MINUTO


A descoberta foi divulgada na Science Mag, que nos conta que os próprios investigadores ficaram surpreendidos com a capacidade deste micro-organismo em ‘devorar’ o material


 
Investigadores descobertos descobriram uma bactéria que se alimenta de plástico e que poderá abrir caminho ao desenvolvimento de novos métodos de reciclagem.

A descoberta foi divulgada na Science Mag, que nos conta que os próprios investigadores ficaram surpreendidos com a capacidade deste micro-organismo em ‘devorar’ um plástico que que causa “preocupação” à escala global.

Em causa está o politereftalato de etileno, também conhecido como PET, um tipo de plástico particularmente resistente a água e que, por essa razão, é usado para fazer, entre outras coisas, garrafas de água.

Conta o The Verge que só em 2013 foram produzidas 56 milhões de toneladas de PET em todo o mundo e que apenas cerca de metade é devidamente reciclado.

Embora a descoberta seja recente, o estudo desta bactéria poderá contribuir para diminuir a quantidade de lixo que resulta do uso deste tipo de plástico.

As soluções para os principais 'males' dos pés

POR NOTÍCIAS AO MINUTO


A culpa nem sempre é apenas do calçado, os cuidados que se têm com os pés podem dizer muito sobre o bem-estar



Na hora de procurar o bem-estar e o conforto, há uma parte do corpo que tem que estar quase sempre no centro das atenções: os pés.

As dores nos pés podem incomodar e interferir na qualidade de vida das pessoas. Os sapatos são muitas vezes apontados como os principais culpados deste desconforto, mas estão longe de serem os únicos.

Os cuidados que se têm com os pés também podem revelar muito sobre o bem-estar de uma pessoa. Mas existem outros fatores que podem ter ‘algo a dizer’, é o caso dos joanetes, das unhas, das tendinites e das cãibras. E o El País ajuda a solucioná-los.

Fascite plantar – quando as pessoas andam e correm muito ou ficam muitas horas de pé, a planta do pé acaba por ficar dolorida, podendo ocorrer uma inflamação do tecido, condição chamada fascite plantar. Se for detectada logo, este problema pode ser tratado (ou pelo menos atenuado) com massagens caseiras feitas com uma garrafa de água congelada, sugere o podólogo Esteban Rodriguez.

Unhas encravadas – assim que a ponta de uma unha cresce para dentro da pele, vira uma unha encravada, condição altamente desconfortável e que facilmente infecciona. A melhor forma de evitar que uma unha encrave é não cortar as unhas muito rente e “fazê-lo unicamente em linha reta”.

Joanetes – se pensa que esta é uma condição única das pessoas mais velhas, está enganado. Ter o segundo dedo do pé mais longo que o primeiro é um dos fatores do aparecimento de joanetes, mas este problema pode ainda ocorrer com o uso de sapatos inadequados. A prevenção começa no uso de um calçado “amplo e confortável, sem costuras na região do osso”, lê-se na publicação, que destaca ainda a importância de não escolher meias que não tenham costuras na zona da joanete, de forma a não agravar ainda mais a pressão feita.

Tendinite do tendão de Aquiles – a inflamação dos tendões pode ocorrer em qualquer pessoa e a qualquer momento, sendo mais propício naquelas que correm e caminham com muita frequência. Analisar o andar e o impacto do pé no chão e respeitar o repouso nos primeiros sinais são as melhores formas de controlar e prevenir a situação.

Pré-diabetes: 90% das pessoas não sabe que têm a doença

POR NOTÍCIAS AO MINUTO



Estudo diz que os médicos têm ignorado os sinais de pré-diabetes


O estilo de vida sedentário e o excesso de peso são os principais causadores da diabetes tipo 2, doença em que o organismo é incapaz de usar a insulina para quebrar os níveis de glicose presentes no sangue.


Atualmente, multiplicam-se os casos de pré-diabetes, condição mais uma vez impulsionada pelo estilo de vida e pelas más escolhas alimentares e que resulta em níveis de açúcar no sangue muito elevados… mas não o suficiente para os pacientes serem declarados diabéticos.

E é esta falta de classificação que faz com que muitas pessoas fiquem na ignorância. Um estudo da Universidade da Florida (Estados Unidos) é prova disso e revela números assustadores: das pessoas que se encontram agora com pré-diabetes, 90% não faz ideia da condição em que está, lê-se no Daily Mail. Mais concretamente, estas pessoas não sabem que correm o risco de ter diabetes tipo 2 (condição que pode impulsionar o aparecimento de outras doenças, como as cardiovasculares).

No Reino Unido e nos Estados Unidos, uma em cada três pessoas corre o risco de ter Diabetes sem saber. Embora seja este um cenário de dois países com hábitos alimentares distintos, a verdade é que esta pode ser mesmo uma realidade mundial, o que coloca a saúde geral em risco.

A investigação

O estudo, levado a sério pelo médico Arch Mainous III, analisou os dados do National Ambulatory Medical Care Survey relativos a 2012 e focou-se em pacientes com mais de 45 anos, considerados como ‘grupo de risco’.

Depois de analisarem as recolhas de sangue feitas e de as terem cruzado com os dados analisados, os investigadores concluíram que 34% dos pacientes tinha níveis de glicose entre os 5,7% e os 6,4%, o que significa que já se encontram com pré-diabetes. Contudo, apenas 23% receberam tratamento.

Para o autor do estudo – publicado no Journal of the American Board of Family Medicine –, cabe aos médicos não ignorarem os sinais de pré-diabetes, uma vez que só assim se consegue diminuir os números de pessoas que desenvolvem diabetes tipo 2.

Caiu no golpe dos emoticons no WhatsApp? Aprenda a se livrar dele!

POR NOTÍCIAS AO MINUTO



As vítimas precisam tomar algumas providências para não serem cadastrados em serviços pagos ou listas de spam

 

Os internautas vítimas do novo golpe no WhatsApp que rouba informações pessoais com a promessa da instalação de um suposto “pacote de emoticons” precisam tomar algumas providências para não serem cadastrados em serviços pagos ou listas de spam.


Segundo o Olhar Digital, para quem ainda não foi vítima, é importante suspeitar de mensagens que afirmam que o usuário foi sorteado para ganhar algum prêmio, como carros, dinheiro e até vouchers de lojas. Se o internauta não se lembra de ter se cadastrado em algum concurso que iria informar os resultados por SMS, é melhor desconfiar.

Aprenda as três ações iniciais depois de ter sido vítima dessa e de outras artimanhas como o recebimento de mensagens de promoções e prêmios.

1. Alertar contatos: A primeira medida a ser tomada é alertar os contatos com os quais você compartilhou a mensagem na esperança de concluir a instalação de algum programa oferecido ou para completar o cadastro de alguma premiação. Informe-os que se trata de um golpe.

2. Cancelar serviços: A segunda etapa consiste em ligar para a operadora de telefonia e solicitar informações sobre os serviços em que o número do telefone está cadastrado. A empresa tem a obrigação de revelar essa informação para o dono da linha. Se estiver cadastrado em listas de spam e recebendo muitas mensagens ou ligações de um número específico, as operadoras também podem ajudá-lo a resolver este problema.

3. Atualizar proteção: O último conselho do especialista é investir na instalação de aplicativos de segurança para dispositivos móveis. Os programas são capazes de identificar links suspeitos e bloquear a abertura de páginas maliciosas no smartphone. É importante mantê-los atualizados para que possam desempenhar melhor suas funções.

ONU denuncia: militares do Sudão do Sul são autorizados a violentar mulheres

Da Agência Lusa


A Organização das Nações Unidas (ONU) denunciou hoje que militares combatentes pelas forças governamentais do Sudão do Sul foram autorizados a “violentar mulheres como forma de pagamento”. Para a ONU a situação dos direitos humanos naquele país está “entre as mais horríveis” do mundo.

“Trata-se de uma situação de direitos humanos entre as mais horríveis no mundo, com a utilização em massa de violações como instrumento de terror e como arma de guerra”, declarou o alto comissário da ONU para os Direitos Humanos, Zeid Ra’ad al-Hussein.

“A escala e o tipo de violência sexual – praticada principalmente pelas forças governamentais (Exército de Libertação do Povo do Sudão) e milícias afiliadas – são descritos com detalhes terríveis e devastadoras.

Em seu relatório, a ONU indica que "de acordo com fontes confiáveis, os grupos aliados do Governo estão autorizados a violar as mulheres como forma de pagamento", sob o princípio "faça o que puder e leve o que quiser".

O Sudão do Sul – que obteve a sua independência do Sudão em julho de 2011, depois de décadas de conflito – está em guerra civil desde dezembro de 2013, quando o presidente Salva Kiir acusou seu antigo vice-presidente, Riek Machar, de tramar um golpe de Estado.

Mais de 2,3 milhões de pessoas foram expulsas de suas casas, dezenas de milhares mortas pela guerra e os dois lados envolvidos no conflito são acusados de atrocidades.

O relatório contém testemunhos sobre civis que eram suspeitos de apoiar a oposição, incluindo crianças e pessoas com deficiência, que foram assassinados, queimados vivos, sufocados em contentores, mortos a tiro, pendurados nas árvores ou cortados em pedaços.

“Dada a amplitude, profundidade e gravidade das alegações, consistência, repetição e semelhanças observadas no procedimento, o relatório concluiu que há motivos razoáveis para crer que as violações podem constituir crimes de guerra e crimes contra a humanidade", disse o alto comissário das Nações Unidas.

De acordo com as Nações Unidas, a maior parte das mortes de civis não parece resultar de operações de combate, mas ataques deliberados contra civis.

"Cada vez que uma área do país muda de mãos, as pessoas responsáveis matam ou provocam o deslocamento do maior número possível de civis, com base na sua etnia", segundo a organização.



Israel fecha canal de televisão da Palestina

Da Agência Lusa



Os organismos israelenses de segurança fecharam o canal de televisão palestino ‘Falestin Al Yom’, que transmite da Cisjordânia através de várias plataformas, e detiveram um dos seus diretores por suspeitas de incentivar a violência. "‘Falastin Al Yom’ (Palestina hoje) age em nome da 'jihad' islâmica", afirmou a polícia em comunicado, citando as forças dos serviços secretos, o exército e autoridades policiais, que invadiram os escritórios do canal, em Ramallah, ontem (10) à noite.

De acordo com o relatório da polícia, "o canal serve à 'jihad' islâmica como uma ferramenta para o incitamento (à violência) entre a população da judeia e Samaria (Cisjordânia), exortando a realização de ataques contra o estado de Israel e seus cidadãos". A mesma fonte adiantou que o ‘Falestin Al Yom’ divulgou informações através da televisão, internet e redes sociais.

Um de seus diretores, Omar Faruk Kasam Alat, de 34 anos, e um residente de Bir Zet, foram presos durante a operação israelense.
Muhamad Amro, um dos executivos do canal, confirmou hoje (11) o ataque e disse à agência de notícias EFE que os agentes confiscaram todos os equipamentos eletrônicos e fecharam o canal por tempo indeterminado.

Em comunicado, o secretário-geral da OLP [Organização para a Libertação da Palestina], Saeb Erekat, condenou o ataque e instou a comunidade internacional a "agir contra Israel para parar a violência contra os palestinos e as suas instituições."

Também o sindicato dos jornalistas palestinos criticou o encerramento do canal. A decisão de fechar a televisão foi tomada ontem à noite pelo gabinete de segurança de Israel, por considerar que o país deve agir contra os meios de comunicação palestinos que sejam considerados uma plataforma para a incitação à violência. Esta semana, vários ataques em Jerusalém, Tel Aviv e Petah Tikva causaram um morto e dez feridos.


Farc e governo da Colômbia adiam data de assinatura de acordo de paz

Da Agência Lusa Edição: Graça Adjuto


As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) pediram nessa quinta-feira (10) ao governo colombiano que seja definida nova data para assinar o acordo de paz, que estava marcada, há seis meses, para o dia 23 de março.

“Estamos de acordo com o que disse [o presidente colombiano, Juan Manuel Santos] sobre o fato de as condições não estarem reunidas para o dia 23 de março”, declarou o negociador das Farc, Joaquin Gomez, em Havana, onde as negociações ocorrem há mais de três anos.

Na quarta-feira (9), o presidente afastou a ideia de assinar “um mau acordo” só para respeitar o prazo.

O governo e as Farc, com cerca de 7.500 combatentes, segundo os números oficiais, negociam desde novembro de 2012 uma forma de acabar com mais de meio século de guerra interna.

As duas partes já firmaram vários acordos, especialmente sobre reforma agrária, a luta contra o tráfico de drogas, a participação política dos guerrilheiros e as indenizações às vítimas. Precisam ainda chegar a acordo sobre as modalidades de um cessar-fogo e o desarmamento dos guerrilheiros.

Ao fim de décadas, o complexo conflito colombiano implicou guerrilhas de extrema-esquerda, paramilitares de extrema-direita e forças armadas, em situações de violência ligadas ao tráfico de drogas, deixando mais de 260 mil mortos, 45 mil desaparecidos e 6,6 milhões de deslocados.


Acidente nuclear de Fukushima completa 5 anos e preocupa ecologistas

Da Agência Lusa Edição: Graça Adjuto



O grupo ecologista Greenpeace advertiu hoje, no quinto aniversário do terremoto e do tsunami que provocaram o acidente nuclear de Fukushima, que “não há solução à vista para os quase 100 mil desalojados” pela crise na central japonesa. “Não sabemos exatamente o que causou o acidente e o governo japonês continua minimizando o nível de radioatividade nas zonas que tiveram de ser evacuadas. É trágico e inaceitável”, lamentou, em comunicado, o diretor da organização ecologista no Japão, Junichi Sato.

Para os ambientalistas, a crise da central Fukushima Daiichi foi “um dos piores acidentes industriais na história” e os governos devem apostar urgentemente na “energia limpa, renovável e segura”. O Greenpeace também pediu ao governo japonês e à operadora Tokyo Electric Power (Tepco), proprietária da central, para dar prioridade à “segurança e ao meio ambiente” e apontou que o encerramento da central de Takahama, ordenado esta semana por um tribunal do Japão, por razões de segurança, é “um sinal de que a energia nuclear não tem futuro" no país.

O Greenpeace concluiu um estudo do impacto ambiental do acidente de Fukushima e apresentará os resultados nos próximos meses. No entanto, já publicou, na semana passada, relatório em que alerta para as mutações detectadas na flora e na fauna da área afetada pelo acidente de 11 de março de 2011, advertindo para as “elevadas concentrações de radiação” em folhas novas de cedro e no pólen, alterações de crescimento em árvores como o abeto ou em espécies como as borboletas azuis, para danos no ADN de gusanos (um tipo de verme) e para uma redução da fertilidade da andorinha comum.

Cinco anos após o desastre nuclear de Fukushima, o Japão pretende que os 37 países que ainda proíbem ou limitam a importação de alimentos daquela região levantem as restrições, afirmou hoje o governo. “Gostaríamos de erradicar estes rumores danosos [sobre os produtos de Fukushima] mostrando os progressos na reconstrução, através das nossas embaixadas”, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros, Fumio Kishida.

O chefe da diplomacia nipônica se comprometeu a “continuar trabalhando” para que sejam levantadas as barreiras, impostas por conta das emissões da central que contaminaram as zonas próximas e que afetaram os produtos da agricultura, pecuária e pesca.

Segundo dados oficiais japoneses, 37 países e regiões, incluindo a China ou a Coreia do Sul, ainda impõem limitações. O Japão também proibiu temporariamente a venda e o consumo de vários produtos de Fukushima, como arroz ou carne de vaca, dentro do próprio país.


Contribuições para atualizar protocolos clínicos devem ser enviadas até hoje

Paula Laboissière - Repórter da Agência Brasil Edição: Graça Adjuto


Termina hoje (11) enquete feita pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (Conitec) para a atualização de protocolos clínicos e diretrizes terapêuticas de um total de 35 doenças no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

Os documentos, publicados entre 2012 e 2013, são elaborados com o objetivo de nortear ações dos profissionais de saúde na triagem, no diagnóstico, no tratamento, no acompanhamento e nas ações de prevenção.

Quem quiser enviar algum tipo de contribuição deve acessar a enquete na internet. Veja abaixo a lista de protocolos clínicos e diretrizes terapêuticas que serão atualizados:

- Acromegalia

- Anemia Hemolítica Autoimune

- Câncer de Estômago

- Câncer de Fígado em adultos

- Câncer de Ovário

- Diabete Insipido

- Dislipidemia

- Doença de Alzheimer

- Doença de Paget

- Doença de Wilson

- Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC)

- Dor Crônica

- Epilepsia

- Esclerose Sistêmica

- Espondilose

- Esquizofrenia

- Fenilcetonúria

- Glaucoma

- Hemangioma Infantil

- Hepatite Autoimune

- Imunossupressão no Transplante Hepático em Pediatria

- Leiomioma de Útero

- Leucemia Mieloide Crônica - Crianças e Adolecentes

- Leucemia Mieloide Crônica - LMC

- Leucemia Linfoblástica Aguda- Adultos

- Leucemia Linfoblástica Aguda - Crianças e adolescentes

- Lúpus Eritematoso Sistêmico

- Melanoma Cutâneo

- Psoríase

- Púrpura Trombocitopênica Idiopática

- Síndrome de Ovários Policísticos e Hirsutismo/Acne

- Síndrome Nefrótica Primária em Adultos

- Síndrome Nefrótica Primária em Crianças e Adolescentes

- Sobrecarga de Ferro

- Tumor Cerebral no Adulto


Seus amigos afetam sua saúde muito mais do que você imagina

The Huffington Post  |  De Anna Almendrala



Um novo estudo afirma que as dinâmicas interpessoais merecem nossa atenção não só porque as amizades fazem bem, mas porque elas cumprem um papel ainda mais importante em nossa saúde, nosso bem-estar e até mesmo em nossa sobrevivência.

Além de pouco apreciadas, as amizades podem ser pouco compreendidas, argumenta o novo estudo, um sumário de toda a literatura já publicada sobre os efeitos da amizade na saúde. O levantamento foi publicado on-line no Personality and Social Psychology Review.


Entender melhor a importância das amizades e os fatores que influenciam nossas interações com os amigos podem nos ajudar a crescer física e mentalmente.

“Sabemos muito pouco sobre a importância das amizades”, diz Brooke Feeney, principal autora do estudo e professora de psicologia social da Universidade Carnegie Mellon, em entrevista ao The Huffington Post. “[No estudo], enfatizamos o papel dos relacionamentos no suporte dos indivíduos – não só a capacidade de ajudar as pessoas a lidar com o estresse e com as adversidades, mas também a capacidade de aprender, crescer, explorar, atingir objetivos e cultivar novos talentos.”

Isso tudo pode parecer intuitivo, mas a quantidade de pesquisas sobre relacionamentos não se compara à importância deles em nossas vidas. Feeney diz, por exemplo, que uma meta-análise de 148 estudos sobre mortalidade realizada em 2010 apontou que o risco de morte para uma pessoa que não tenha um círculo social forte é comparável ao de quem fuma 15 cigarros por dia ou toma 6 drinques diários. O estudo foi publicado na revista PloS Medicine.



Cigarros e álcool são considerados fatores de risco, e campanhas sobre os riscos da obesidade e do sedentarismo são frequentes. Mas quase nada se fala da importância da amizade.

Feeney acredita que campanhas de saúde pública sobre amizades e sobre a importância de uma vida social podem ter impacto significativo na saúde da nação. “Nossa esperança é que trabalhos como esse sejam o primeiro passo para intervenções que promovam os relacionamentos como item de saúde pública.”

Juliette Holt-Lunstad, líder do estudo da PloS Medicine, elogia o novo estudo de Feeney. Ela diz que um dos méritos do trabalho é mostrar que os relacionamentos trazem resultados positivos, em vez de simplesmente descrever as coisas ruins que podem acontecer se uma pessoa não tiver uma boa rede de apoio social – essa abordagem negativa é a vertente mais comum nos estudos recentes.


Holt-Lunstad também concorda com a necessidade de campanhas de saúde pública ligadas a relacionamentos, mas com uma ressalva: é preciso realizar mais estudos.

“Os relacionamentos influenciam ligações neurais relacionadas a comportamentos, como dormir mais ou ir ao médico, mas também há ligações fisiológicas estudadas”, disse ela ao The Huffington Post. “Temos uma quantidade razoável de evidências – mas não temos dados para decidir qual é a melhor intervenção. Esse é o maior desafio.”

Em geral, as pessoas procuram as relações primárias – o parceiro, melhor amigo, irmão, irmã, pai ou mãe – para dois tipos críticos de apoio: Apoio de Fonte de Força (SOS, na sigla em inglês), na qual o amigo oferece conforto, proteção e consolo; e Catalista Reacional (RC, na sigla em inglês), o amigo que desafia, incentiva e celebra.



Leia abaixo as dicas de Feeney para ser um bom amigo:

Entenda a perspectiva do amigo. Se você for sensível ao ponto de vista do seu amigo, ele vai se sentir compreendido, reconhecido e bem-cuidado, escreve Feeney.

Certifique-se de que você tem recursos mentais e emocionais (e talvez materiais) para realmente oferecer apoio. Sem esses recursos, até mesmo o melhor dos amigos vai ter dificuldade para ser paciente, não-intrusivo e não-crítico.

Antes de mais nada, aceite a responsabilidade de apoiar um amigo. Você quer ajudar, ou seja, ser amigo dessa pessoa? Sem aceitar a responsabilidade desse papel, você não vai ter a motivação para cuidar dela de verdade, de modo sensível e eficaz.

As pessoas em necessidade devem pedir ajuda em vez de se recolher. E elas precisam expressar suas necessidades claramente. A pessoa que recebe a ajuda também tem um papel ativo a cumprir. É melhor ser direto sobre o tipo de ajuda de que você precisa em vez de esperar que os amigos adivinhem.

Expresse gratidão pela ajuda recebida e retribua o favor quando necessário. Ajudar traz muitos benefícios, especialmente quando a ajuda é útil e apreciada. Quando um amigo te ajudar, agradeça. Quando for a sua vez de cuidar deles, você vai receber a mesma recompensa emocional – ajuda a dar sentido para a vida.

Cuidado para não exigir demais da sua rede de apoio. Se um amigo não te apoia o suficiente, talvez você esteja dependendo demais dele. Isso pode ser um sinal para ampliar seu círculo social e para buscar ajuda em outro lugar.

Médico de Santa Catarina é indiciado por 16 estupros

HuffPost Brasil, com CAJ  |  De Marina Filippe



O nutrólogo Omar César Ferreira Castro, de 66 anos, foi indiciado pela Polícia Civil por 16 estupros, quase um mês após ter sido levado ao presídio masculino de Florianópolis (SC).

O delegado Ricardo Thomé disse à TV Globo que são oito estupros contra vulnerável e oito estupros "comuns". "No total são 38 vítimas, só que para caracterizar ao Ministério Público, conseguimos provar oito situações, mais outras oito situações distintas", afirmou.

Antes da prisão, Omar teve que se apresentar algumas vezes à Polícia Civil por denúncias de abusos por pacientes. Entretanto, segundo o UOL, não havia provas contra ele até uma servidora pública mostrar uma gravação em que o médico confessa o crime.

Em janeiro do ano passado, durante a consulta, a vítima “apagou" depois de beber um copo de água oferecido pelo médico e, posteriormente, teve algumas possíveis lembranças, como quando ele "estava de calças abaixadas com uma camisinha na mão, enquanto ela estava deitada na maca, sem conseguir pedir socorro".


Depois do abuso, ela foi ao consultório com um gravador na bolsa e conseguiu a confissão.

Após esse episódio, surgiram as outras denúncias.

Além do inquérito da Polícia Civil, o médico é investigado pelo Conselho Regional de Medicina, que desde 2010 recebe denúncias sobre suas práticas médicas, de acordo com o G1.

Pesquisa aponta que maconha vendida pelo tráfico ficou três vezes mais potente nos últimos 20 anos

HuffPost Brasil  |  De Rafael Nardini




A maconha está cada vez mais forte. A conclusão de um estudo feito pela Mississippi University e recentemente publicado pela Biological Psychiatry.

Para chegar ao resultado, os pesquisadores analisaram amostras de maconha produzida pelo tráfico e apreendida pela Drug Enforcement Administration (DEA) entre 1995 e 2014. Neste período, os niveis de THC, o componente alucinógeno da planta, subiram de 4% para 12%, em média.



O aumento na potência da droga nestes últimos 20 anos pode trazer riscos, claro. A ciência diz que o uso da droga na adolescência pode causar danos futuros aos usuários. O estudo da Mississippi University segue neste mesmo caminho.

O estudo também afirma que o cannabidiol, a substância usada para a produção de medicamentos para uma série de doenças - incluindo o Parkinson -, está cada vez mais raro nas amostras colhidas. Se em 1995 os niveis encontrados eram de 0,28, agora não passam de 0,14.

Mulher 'é a desgraça do homem', diz vereador gaúcho como 'homenagem' ao Dia Internacional da Mulher (VÍDEO)

HuffPost Brasil




Dilceu Medeiros Lopes, do PDT. Talvez você não tenha ouvido falar nele, mas 628 pessoas o conhecem a ponto de elegê-lo para a Câmara dos Vereadores de Capão da Canoa, no litoral do Rio Grande do Sul. O parlamentar agora se tornou notícia fora do território gaúcho por exalar um discurso altamente machista na última segunda-feira (7).

Na véspera do Dia Internacional da Mulher, Lopes resolveu usar o seu tempo na tribuna (a partir de 1h32min do vídeo acima) para ‘homenagear’, de uma “forma bem elegante” – como o mesmo definiu o seu discurso, as mulheres. A seguir, eis alguns trechos do que o vereador proferiu, sem nenhum constrangimento:

“De onde que a mulher foi feita? (Da costela de Adão, alguém responde ao fundo). É... e quer ser igual ao homem. Quer reivindicar o direito porque tem a costela do homem, bota humildade no couro”.
“Outra coisa, foi a desgraça do homem. E não satisfeita com isso, carregou a desgraça para o mundo todo. Não satisfeita, tentou a vida do Adão, terminou com a vida dele”.
“Vem cheia de glória, empurra o homem, que faz de toda coisa... mas para onde empurrou o homem? Não disse pra onde. Usa sempre as meias-verdades para dizer que empurra o homem”.
Inacreditável, não? Em seguida, o vereador emendou um “deixando as brincadeiras a parte” para, ao que parecia, começar a falar sério. Mas o que veio em seguida, bem...

“Acho que as mulheres tem uma grande conquista, mas houve uma época na história em que elas sempre, com uma petulância muito grande, que tinha a era do matriarcado... chegaram a ter a petulância de dizer que tinha ligação direta com Deus, que só elas tinham direito de criar. Até que o coitado do homem caiu em si que tinha direito à criação também (...), vou assumir uma parte disso. Aí passou a ter o patriarcado, aí ele passou a exigir a participação dele, e terminou com o matriarcado, e agora parece que estão se achando agora”.
E ele assim concluiu o seu discurso:

“Dessa forma, de uma forma bem elegante, parabenizar pelo Dia Internacional da Mulher, que foi uma conquista de uma época bem difícil, todos nós sabemos. E merecidamente”.
Procurado, o vereador não foi localizado. Lopes está em seu quinto mandato e é médico por formação. Na página da Câmara de Capão da Canoa, o parlamentar é descrito como “um homem muito correto em suas atitudes sabe o que quer e sempre procura fazer da maneira certa”.

“Honesto trabalhador e sempre lutando pela comunidade carente. Como político sempre militou em um só partido guiado pelo exemplo de honestidade e firmeza de um grande homem que foi Sr. Leonel Brizola”, completa a descrição.

Segundo o G1, nas redes sociais a fala do parlamentar foi amplamente repudiada. “Vergonha alheia, o Ministério Público precisa tomar uma providência com relação a ofensas proferidas às mulheres... A tribuna da Câmara de Vereadores não é o púlpito de uma igreja e nem uma mesa de bar”, diz um dos comentários.

Megaexposição sobre os Beatles chega a São Paulo com itens raros e tecnologia 3D

HuffPost Brasil



Atenção, beatlemaníacos!

No segundo semestre, São Paulo sedia a maior e mais completa exposição do mundo sobre o quarteto de Liverpool.

A The Beatles Experience ocorre entre os dias 20 de agosto e 8 de novembro no estacionamento do Shopping Eldorado, na zona oeste, e traz ao fãs uma combinação de memorabilia, shows e recriações de locais que marcaram a carreira da banda a partir de tecnologia 3D.

"Vamos recriar o Cavern Club, onde os Beatles se apresentaram 292 vezes, os estúdios Abbey Road. A banda All You Need is Love tocará em cima de um prédio virtual onde os Beatles realizaram o último show em Londres, em 30 de janeiro de 1969", revelou um dos produtores, Christian Tedesco, ao jornal Estadão.

A ideia da exposição nasceu no Rock in Rio de 2013, quando o produtor brasileiro Carlos Gualberto, mais conhecido como Branco, organizou uma bem sucedida Rock Street, sob a temática Inglaterra, em parceria com Visit Britain (entidade do governo inglês).

Depois da empreitada, o produtor se juntou a Tedesco e novamente ao Visit Britain para montar essa exposição de porte inédito. The Beatles Experience ainda não tem valor de ingresso definido. Após a estreia no Brasil, ela seguirá para outros países.

Canadá vai experimentar dar renda mínima sem contrapartida

Exame.com  |  De João Pedro Caleiro




O Canadá acaba de se juntar ao time de nações experimentando com o conceito de "renda mínima".

A província de Ontario anunciou recentemente um projeto piloto para dar um cheque mensal que cubra o custo de vida dos cidadãos estejam eles empregados ou não, e sem a necessidade de contrapartidas.

Ainda não há detalhes sobre os valores, locais e prazos de implementação do experimento, que já havia sido citado positivamente no ano passado pela campanha do atual primeiro-ministro Justin Trudeau, do Partido Liberal.

A ideia surgiu nos anos 60, mas voltou a ganhar força recentemente com experimentos na Europa. Ela conta com apoiadores no Vale do Silício e a "simpatia" de Bernie Sanders, pré-candidato democrata à presidência dos Estados Unidos.

Utrecht e outras cidades holandesas começaram no início deste ano seu experimento, e o valor vai de 900 euros por mês para uma pessoa sozinha a 1.300 euros por mês para um casal.

A Finlândia deve revelar um plano do tipo ainda este ano, o primeiro do mundo em nível nacional. Em junho, os suíços votarão se querem ou não que o governo forneça a todos uma renda mínima de mais de 12 mil reais.

Argumentos

Do lado da esquerda, alega-se que esse tipo de programa elimina a pobreza, incentiva o estudo e dá segurança para as famílias no contexto de um mercado de trabalho cada vez mais complicado.

Não é por acaso que ela é defendida por especialistas em tecnologia que preveem desemprego maciço com a crescente automatização. A renda mínima também teria o efeito de puxar para cima os salários da economia como um todo, tal como faz o salário mínimo.

Publicidade

Do lado da direita do debate, o argumento é que o esquema elimina a burocracia e os custos de administração necessários para manter os diferentes tipos de créditos e benefícios já existentes.

Um dos defensores disso era Milton Friedman, papa do liberalismo e vencedor do Prêmio Nobel, no modelo de um "imposto negativo" que manteria o incentivo ao trabalho. O ex-presidente republicano Richard Nixon também tentou passar um plano nesse sentido.

A principal crítica é que a renda mínima faria as pessoas deixarem de trabalhar, o que vai depender muito do contexto.

Hoje em dia, especialmente na Europa, quem passar a ganhar um salário a partir de certo valor perde seus benefícios sociais. Isso também serve de desincentivo para que estes empregos sejam ocupados.

Nos anos 70, um experimento de renda mínima foi feito na cidade de Manitoba, também no Canadá, mas seus resultados só foram encontrados e publicados recentemente por Evelyn Forget, uma das maiores pesquisadoras do país sobre o assunto.

Os dados mostram eliminação da pobreza e diminuição da força de trabalho, sim, mas principalmente pela opção de muitos pela volta aos estudos.

“Às vezes todas as forças no universo se alinham. É tempo. Nada pode deter uma ideia cujo tempo chegou", profetiza ela sobre o programa piloto anunciado.

Veja Friedman falando sobre o assunto em 1968:


Com Homem-Aranha, novo trailer de 'Capitão América: Guerra Civil' promete emoções fortes (VÍDEO)

HuffPost Brasil  |  De Caio Delcolli




Nesta quinta-feira (10), a Marvel divulgou o novo trailer do aguardado Capitão América: Guerra Civil – mas desta vez, a surpresa é a primeira e também aguardadíssima aparição do Homem-Aranha no universo dos Vingadores no cinema.

Após mais um quebra-quebra gigantesco com danos colaterais causado por uma batalha dos bem-intencionados super-heróis, cresce a pressão política para que eles sejam monitorados pelo governo. Os Vingadores, por sua vez, se dividem em dois grupos, com posições distintas sobre a novidade: um, liderado pelo Homem de Ferro (interpretado por Robert Downey Jr.) é contra, e o outro, liderado pelo Capitão América (Chris Evans), é a favor.

O embate, pelo que o trailer mostra, é inevitável. Pelo que parece, os heróis vão ficar cara a cara com as consequências de suas ações, vão sofrer perdas e as emoções serão bem fortes.

No time do Capitão, estão Falcão (Anthony Mackie), Feiticeira Escarlate (Elizabeth Olsen), Homem-Formiga (Paul Rudd), Gavião Arqueiro (Jeremy Renner) e Soldado Invernal (Sebastian Stan).

No de Homem de Ferro, estão Pantera Negra (Chadwick Boseman), Visão (Paul Bettany), Máquina de Guerra (Don Cheadle), Viúva Negra (Scarlett Johansson) e, pelo que o trailer indica, o Homem-Aranha (Tom Holland) também.

Com um visual colorido e semelhante ao dos quadrinhos, o Aranha chega com ar jovial e promete trazer mais frescor e bom humor à franquia.


Uau.

Capitão América: Guerra Civil chega aos cinemas brasileiros em 28 de abril e é dirigido pela dupla de irmãos Anthony & Joe Russo.

O filme vem em seguida de Homem-Formiga (2015) e precede Doutor Estranho, que estreia em novembro deste ano.

Agora, as pergunta inevitáveis: quais serão as mudanças que a briga vai trazer? Ela vai interferir como na busca pelas gemas do infinito?

'Você tentou fechar as pernas?', pergunta juíza à vítima de estupro

HuffPost Brasil



"Você fechou bem as pernas?". Foi assim que uma juíza espanhola se dirigiu a uma vítima de violência sexual.

Segundo a associação feminista Clara Campoamor, a juíza Carmen Molina Mansilla ultrapassou todos os limites ao violentar - com perguntas - uma mulher que havia sido estuprada. A entidade solicitou que a mulher seja suspensa ou removida do cargo que ocupa imediatante.

O caso denunciado pela mídia espanhola aconteceu no dia 16 de fevereiro, em Vitoria-Gasteiz, no País Basco, segundo o jornal El Mundo. Enquanto ouvia uma mulher, grávida de quatro meses e que havia sido vítima de estupro e agressão, a magistrada perguntou, com todas as letras:

"Você fechou bem as pernas, fechou todas as partes dos órgãos femininos?"

"Com os olhos abertos, as profissionais da justiça devem obter a formação específica necessária para poder tratar esses casos com a devida sensibilidade, empatia e critério jurídico", afirmou Blanca Estrella Ruiz Ungo, presidente da associação, em artigo publicado no El Diario. Em resposta à pergunta ofensiva da juíza, a mulher respondeu, incrédula, que sim.

Durante toda a declaração judicial, registrada em vídeo, a associação afirma que Carmen demonstrou "uma clara e manifestada predisposição de incredulidade em relação ao testemunho da denunciante, que era interrompida sem poder terminar as respostas". Além disso, a mulher fez perguntas sugestivas e condicionou o testemunho.

A associação afirma ainda que esse tipo de conduta da juíza não é isolada, mas sim um comportamento "habitual e contínuo". Segundo o jornal El Mundo, em oura ocasião, a magistrada chegou a interrogar, ao mesmo tempo, a mulher que denunciou a agressão e o próprio agressor.