Luiz Gonzaga - O Rei do Baião

As músicas e histórias do maior e mais representativo cantor nordestino.

Sádado, 20.02.2016 - 08h
Apresentação: Renato Gonçalves

Para ouvir no site: www.radiocabriola.com
Para ouvir no celular, baixe nosso aplicativo: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.webradiocast.radiocabriola

Para ouvir aqui: 

Temer diz que “agora é o tempo do PMDB” e defende candidatura própria em 2018

Paulo Victor Chagas - Repórter da Agência Brasil Edição: Luana Lourenço

O vice-presidente Michel Temer disse hoje (19), em Rio Branco, que “agora é o tempo” do PMDB e que a legenda terá um candidato próprio à presidência da República em 2018.

Temer participou, na capital acriana, de encontro com peemedebistas e empresários locais. Ele tem feito viagens pelo país em busca de apoio para ser reconduzido à presidência nacional do PMDB e defendido a unidade do partido para as eleições municipais deste ano.

Segundo Temer, é preciso “despertar” o partido. Ao se dirigir a um dos participantes do evento, o vice-presidente voltou a dizer que a legenda terá candidato próprio ao Palácio do Planalto em 2018. “Você vai votar num candidato do PMDB à Presidência da República. Não tenho a menor dúvida disso. Tudo tem seu tempo certo. Agora é o tempo do PMDB, não tenho a menor dúvida disso.”

No evento, Temer também destacou a trajetória do PMDB, que este ano completa 50 anos. “Um partido que conseguiu redemocratizar país, que conseguiu dar governabilidade para os grandes temas nacionais, agora não quer apenas ser apoiador da governabilidade, mas quer ser governo, aqui no município e no Brasil”, acrescentou.

A convenção nacional da legenda está marcada para o dia 12 de março, em Brasília. Temer convocou os peemedebistas do Acre a participar do encontro e defendeu sua candidatura e o documento Uma Ponte para o Futuro, publicado no fim do ano passado, com propostas de soluções para a crise econômica no Brasil.

Além da agenda partidária, que inclui uma visita ao diretório do PMDB em Porto Velho, em Rondônia, Temer também participou nesta sexta-feira das ações de combate ao mosquito Aedes aegypti ao lado do governador do Acre, Tião Viana.

Anna Muylaert: ‘Chegou a hora de uma nova onda feminista'

Veja.com  |  De Mariane Morisawa



Os últimos dois anos foram agitados para Anna Muylaert. Ela rodou dois filmes ao mesmo tempo - Que Horas Ela Volta?, bem recebido em Sundance, que premiou a atuação de Regina Casé e Camila Márdila, e em Berlim, de onde saiu como o favorito do público da mostra Panorama, e Mãe Só Há Uma, exibido na mesma seção na 66º edição do festival. No ano passado, fez o lançamento em vários países e a campanha para o Oscar para Que Horas Ela Volta?. Mãe Só Há Uma também gira em torno da maternidade. O adolescente Pierre (Naomi Nero) descobre que sua mãe (Dani Nefusi) o roubou, quando bebê, e é obrigado a se reunir com sua família biológica (Matheus Nachtergaele é o pai, a mesma Dani Nefusi como a mãe, e Daniel Botelho, o irmão). Em entrevista ao site de VEJA, a cineasta fala sobre as diferenças entre os dois trabalhos, sexualidade fluida e machismo.

Você fez Mãe Só Há Uma e Que Horas Ela Volta? ao mesmo tempo. Como isso se deu? O projeto de Que Horas Ela Volta? tem 20 anos. Mãe Só Há Uma tem uns 8. Eu ganhei o edital de baixo orçamento para fazer Mãe Só Há Uma no meio da captação de Que Horas Ela Volta?. Depois eu perdi, porque um dos concorrentes entrou com um processo. O Ministério da Cultura viu que ia sobrar um dinheiro e me deu o que tinha. Ficou faltando um pouco para completar o orçamento. Eu estava para fazer Que Horas Ela Volta? e tinha um prazo para usar o dinheiro do edital. Então, depois de rodar descansei um pouco e fiz o primeiro corte. Terminei Que Horas Ela Volta? filmando este. Mas olha minha voz! Agora vou descansar.

Foi quase como ter gêmeos, não? Sim, e sendo tão diferentes. Que Horas Ela Volta? é mais clássico, para cima, para agradar ao público. É um filme de cura, de apontar saída para uma crise. Mãe Só Há Uma é entrar numa crise, é "sai do meu colo". O outro é "vem para meu colo". Fora que o novo é mais arriscado. A gente tem um elenco de não famosos. Queria uma atriz de teatro. Fiz um filme de câmera na mão. É uma história provocativa, de jovem, de uma tragédia. Quase diria que o longa anterior é o amadurecimento de uma coisa que vinha fazendo desde Durval Discos. E agora fui para outro caminho. Mas isso não quer dizer que eu não vou voltar para o rumo anterior, provavelmente sim, porque minha escola é mais do cinema clássico.

Como foi a experiência de fazer campanha por uma indicação ao Oscar de produção em língua estrangeira para Que Horas Ela Volta? Foi ótima. Sempre soube, graças a Deus, que a gente tinha chance, mas não era certo. Não fiquei decepcionada. Eram só cinco indicados entre 80 bons filmes.

O filme é inspirado pelo famoso caso Pedrinho - na década de 1980, Vilma Martins raptou um bebê em Brasília, o que foi descoberto quando o rapaz tinha 16 anos. Quando pensou que dava um filme? E por que fazer sob o ponto de vista do menino? No final de É Proibido Filmar, falei com minha produtora, a Sara Silveira, sobre isso. Ela me disse que já havia um filme do cineasta Caetano Gotardo, O Que se Move. Sabia que o meu ia ser diferente. Eu tinha mais fascínio pelo personagem do filho. Imagine: ele troca tudo, tudo o que era não era. Foi isso que me interessou. Sempre que vou fazer um projeto, penso no que vai ser útil para as pessoas. Acho que de alguma maneira todo o mundo na adolescência vive isso. Porque, na infância, sua mãe o ama incondicionalmente, você é uma gracinha em todos os aspectos. De repente, com 16 ou 17, começa o "penteia o cabelo", "troca essa roupa", "esse amigo não serve". Vêm as restrições, os conflitos. Quis falar dessas duas mães, a oceânica e depois a restritiva, muitas vezes autoritária ou invasiva. Quase todo o mundo passa por essa sensação.

Já foi assim? Tento não ser. Mas às vezes sou. Li muito Freud. Minha ideia de educação sempre foi de respeitar a criança. Fui rígida com ir para a escola, escovar os dentes. Mas fora isso, conceitualmente, deixei cada um ser a flor que queria ser. Um dos psicólogos disse que eu estava estragando meus filhos porque deixava eles escolherem tudo. Eu respondi que fazia aquilo porque realmente acreditava. Fiquei mal depois de ele falar isso. Agora que eles estão maiores, acho que fiz uma coisa legal. Os dois estão muito seguros de quem são. Educar filho é a coisa mais difícil do mundo.




A questão da sexualidade fluida da juventude de agora foi incorporada recentemente. Pode falar sobre isso? Na verdade foi incorporado pouco antes de filmar. Por causa de Que Horas Ela Volta?, fiquei amiga de um monte de gente mais jovem. Voltei a sair, meus filhos agora estão crescidos. Fui a uma festa em São Paulo onde vi essa nova cena, com as meninas se agarrando, meninos de vestido e barba. Já não havia aqueles limites entre gay, hétero, homem, mulher. Essa galera jovem foi me explicando, me dando livros e filmes, como os do Xavier Dolan. Fui me inteirando de uma coisa que é nova para mim. Absorvi no personagem, porque já era uma história de identidade que poderia ficar mais interessante com essa questão do gênero.

Por que decidiu usar a mesma atriz para fazer as duas mães? É bem freudiano: você sempre está criando relações que repetem a que teve com sua mãe na primeira infância. Era baseado nesse conceito de que não importa, que aquela mãe sempre vai estar. Fora que tem essa ideia de que é uma mãe só, com os dois aspectos, uma da infância e outra da adolescência. A cara é a mesma, o sentimento é outro. Muita gente na equipe achava que podia confundir. No fim, ninguém percebe que é a mesma atriz.

Seu próximo filme, provavelmente, vai abordar o machismo. Você passou por aquela experiência com seus amigos, os cineastas, Claudio Assis e o Lirio Ferreira, que ficaram interrompendo um debate sobre Que Horas Ela Volta? no Recife. A escolha do tema teve a ver com isso? Não. Aquilo foi uma ocasião quase festiva e metafórica para uma coisa muito mais grave que aconteceu comigo no ano passado. Eu era uma Polyana. O que entendi é que a mulher pode ocupar um lugar no mercado de trabalho em posições que não sejam de destaque. No caso de uma cineasta, pode fazer um curta, ou um longa de arte. Agora, quando o filme alcança certo nível financeiro, nacional e internacional, a coisa muda. Meu filme saiu inclusive do nicho "cinema de mulher". O sistema machista sempre está te colocando num nicho. Meu filme extrapolou isso, e aí não tinha cadeira para mim. Na verdade, o episódio serviu para explodir o que estava me incomodando. Por exemplo, eu ganhar um prêmio e vir um homem responder por mim. Numa reunião, o homem não olhar para mim, não me vendo como responsável pelo sucesso. Saquei pela primeira vez que o dinheiro do mundo está na mão dos homens. Viu a lista da revista de milionários da Forbes? São 96 homens e 4 viúvas. Eu saquei que essa de artista que não liga pra dinheiro é uma bobagem. Assim como eu sei fazer roteiro, vou ter de saber fazer contrato. Senão, vou ser tratada como café com leite.

Como pretende tratar disso no filme? O que gostaria de fazer no filme novo é mostrar o ponto de vista da mulher com algo que vivi. Você não ser considerada pelo fato de ser mulher. Chegou a hora de uma nova onda feminista, e isso está acontecendo. A mulher é educada para ser humilde, servil, simpática, para não reclamar. O homem, para ser forte, para dar soco. Então quando chega a hora do trabalho, depois da faculdade, eu, mulher, acho que tenho de ser humilde e aprender, enquanto o homem já tem excesso de arrogância, acha que está pronto, porque foi o que ouviu desde pequeno. É comum o cara se estrumbicar na primeira esquina. Só que quando a mulher está se dando bem, a estrutura não dá chefia para a mulher. Se você está preparada para ser a chefe, precisa lutar por isso. Mulher sempre pensa: "Ah, não preciso de crédito, não preciso estar na foto". Isso vem da educação. Mas tem hora que a gente tem de ir, senão um homem vai no lugar. Ele vai ocupar a posição de poder que é sua, na verdade, quando não a sua voz. Quero falar disso, mas ainda não sei a maneira. O machismo é um conjunto de regras, não é o homem malvado, a mulher, coitada. A gente precisa começar a questionar. E às vezes é até difícil de perceber.

STF manda soltar 1º senador preso da República, Delcídio do Amaral (PT-MS)

HuffPost Brasil  |  De Grasielle Castro



O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, revogou a prisão do senador Delcídio do Amaral. Relator dos processos da Lava Jato, Zavascki estabeleceu que o senador poderá comparecer as sessões no Senado e determinou que nos dias de folga e durante a noite, o senador deverá ficar em casa.

De acordo com a Folha de S.Paulo, as regras valem para o período em que o senador estiver no exercício do mandato. Caso ele seja cassado, o regime passa a ser o de prisão domiciliar em tempo integral.

Delcídio terá que entregar o passaporte à Justiça e está proibido de deixar o País.

O senador está preso desde 25 de novembro por suspeita de tentar atrapalhar as investigações da operação que apura casos de corrupção na Petrobras.

A prisão foi sustentada em uma gravação na qual ele oferece um plano de fuga e R$ 50 mil mensais para o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró. A intenção era evitar que Cerveró fechasse acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal.

Morte de Harper Lee: Escritora de 'O Sol É para Todos' morre aos 89 anos

HuffPost Brasil  |  De Caio Delcolli



Morreu aos 89 anos a escritora norte-americana Harper Lee, autora do clássico O Sol É para Todos (To Kill a Mockingbird), como informado na manhã desta sexta-feira (19) pela prefeitura da cidade de Monroeville, no estado interiorano do Alabama, onde a autora morreu.

Lançado em 1961, O Sol É para Todos é um dos títulos mais relevantes da literatura dos Estados Unidos do século 20. Ambientada na década de 1930 em Maycomb, uma cidadezinha ficcional do Alabama, a história trata de um caso de injustiça racial em uma das regiões mais racistas e conservadoras dos EUA.

Nelle Harper Lee se inspirou na própria infância em Monroeville para escrever o romance, que se tornou imediatamente adorado por gerações e vendeu mais de dez milhões de cópias, sendo também uma leitura escolar obrigatória nos EUA. Venceu o prêmio Pulitzer de ficção no ano seguinte ao lançamento.




Em 1962, foi lançada uma elogiada e cultuada adaptação cinematográfica do romance dirigida por Robert Mulligan e produzida por Alan J. Pakula. Venceu o Oscar nas categorias de melhor ator (Gregory Peck), roteiro adaptado (Horton Foote) e direção de arte em preto e branco (Alexander Golitzen, Henry Bumstead e Oliver Emert), além de ter sido indicado a mais cinco, incluindo filme e diretor.

O filme só fez dar força ao sucesso de Lee, que nunca aceitou essa posição e se tornou reclusa – ela nunca havia imaginado que O Sol É para Todos seria bem sucedido em vendas, crítica e público.

O livro foi o primeiro e único da autora durante mais de 50 anos: em 2015, foi lançado Vá, Coloque um Vigia (Go Set a Watchman), sequência do lançamento de 1961.

Pessoas próximas a Lee foram acusadas de se aproveitar da delicada saúde da escritora para convencê-la a publicar o novo romance, cujo manuscrito ficou guardado desde antes do lançamento de O Sol É para Todos.

Vá, Coloque um Vigia deixou o mundo literário em furor. Vendeu mais de um milhão de cópias, embora a crítica não tenha o recebido tão bem quanto o primeiro.

Lee também escreveu ensaios de não ficção, embora estes nunca tenham tido o mesmo destaque de seu principal livro.

A escritora estudou direito na Universidade do Alabama, onde escrevia para o jornal universitário. Ela não chegou a concluir a graduação: mudou-se para Nova York, onde trabalhou como agente de reservas de viagens aéreas e escrevia paralelamente, até deslanchar na literatura.

Lee foi amiga próxima do escritor Truman Capote (1924-1984), a quem ajudou na investigação do livro A Sangue Frio. Lançada em 1966, a obra que também se tornou um clássico do século 20 relata, baseada em fatos, a história do assassinato de uma família no interior dos EUA.




Um dos retratos mais famosos da relação de ambos está no filme Capote (2005), que conta os bastidores da investigação de A Sangue Frio. Em elogiada atuação, Catherine Keener interpreta Lee no longa dirigido por Bennett Miller – ela foi indicada ao Oscar de melhor atriz coadjuvante pelo papel. Philip Seymour Hoffman deu vida ao personagem-título.

Em 2007, Nelle recebeu de George W. Bush, então presidente dos EUA, a Medalha Presidencial da Liberdade, por sua atuação na literatura.

Harper Lee morou durante anos em uma casa de repouso em sua cidade natal. Sabe-se que ela sofria de diversas limitações físicas e mentais, mas por ora, a causa específica de sua morte não foi divulgada.

João Campos, filho de Eduardo Campos, é novo chefe de gabinete de Pernambuco

HuffPost Brasil  |  De Ana Beatriz Rosa



João Campos, filho de Eduardo Campos, ex-governador de Pernambuco pelo PSB, tem apenas 22 anos e um belo desafio pela frente: terminar a graduação em Engenharia Civil... e ser chefe de Gabinete do Estado!

O jovem foi nomeado pelo atual governador de Pernambuco, Paulo Câmara, e vai substituir Ruy Bezerra, que comandará a Controladoria Geral do Estado.

No cargo, ele deve receber um salário líquido de R$ 7.787,43 — vencimento do antecessor.

Irmã de ex-amante de FHC é 'funcionária fantasma' no gabinete do senador José Serra, dizem jornais

HuffPost Brasil  |  De Thiago de Araújo



A irmã da jornalista Mirian Dutra Schmidt – que manteve um relacionamento extraconjugal nos anos 80 e 90 com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) – é uma ‘funcionária fantasma’ do gabinete do senador José Serra (PSDB). Margrit Dutra Schmidt sequer é conhecida dos outros servidores do tucano, segundo os jornal O Globo e O Estado de S. Paulo.

O regimento interno do Senado determina que servidores devem cumprir expediente diário de nove horas - o registro de ponto fica dispensado em alguns casos, segundo o artigo 72, mas é proibido trabalhar fora do prédio da Casa. Ao Estadão, o gabinete de Serra afirmou que Margrit não registrava presença no gabinete. “Ela trabalha para o senador como consultora. Ele solicita trabalhos e ela produz”, afirmou ao jornal o chefe de gabinete de Serra, Marcos Köhler.

Segundo informações disponíveis no Portal da Transparência do Senado, Margrit ocupa o cargo em comissão de assistente parlamentar júnior, com remuneração básica de R$ 9.456,13 e salário líquido de R$ 7.353,14, conforme mostram dados de dezembro de 2015. Para a assessoria de Serra, o fato dela trabalhar como consultora não configura irregularidade.




“Ela trabalha (de casa). Meu gabinete tem pouco espaço, não tem sala para todo mundo”, justificou o senador do PSDB ao jornal O Globo. À publicação, Serra explicou que Margrit está ajudando-o em um projeto na área da educação, e que a relação que ele possui com a servidora é antiga no âmbito pessoal.

“Ainda é um projeto sigiloso, peço que você não adiante o que é. Lançarei em breve. Queria alguém que me ajudasse em questões não econômicas. Conheço a Mag há muitos anos. Tenho relações pessoais e intelectuais”, completou o senador. Questionados pelo jornal do Rio, 10 dos 15 servidores do gabinete de Serra disseram desconhecer Margrit.

RÁDIO CABRIOLA 



A irmã de Mirian Dutra, que nesta semana apontou que uma empresa com sede nas Ilhas Cayman teria sido usada pelo ex-presidente FHC para mandar recursos financeiros a ela e ao filho no exterior, integra o gabinete de Serra desde março de 2015, após ter sido demitida pelo senador Álvaro Dias (PV-PR), à época parlamentar do PSDB.

Margrit ainda atuou nos gabinetes do ex-senador Arthur Virgílio (PSDB), hoje prefeito de Manaus (AM), e da senadora Lúcia Vânia (PSB-GO), outra ex-PSDB. Em comum em todos os casos, ao longo de 15 anos de serviços prestados ao Senado, está o fato da liderança tucana no bloco de oposição ao PT repassá-la aos gabinetes dos parlamentares.

Conforme mostram imagens postadas por Margrit em sua página no Facebook, ela está em viagem ao Caribe ao lado da família. Ao Globo, ela informou apenas estar viajando “por banco de horas”.

‘Já disse o que queria dizer’

Em postagem em suas redes sociais, Mirian Dutra afirmou ter ficado “surpresa” com a repercussão de suas entrevistas a respeito de um “fato que não era novo”, em referência ao seu relacionamento com FHC. “Confesso que nunca achei que esta história tomasse esta dimensão”, escreveu a jornalista, que emendou dizendo que só falou agora, passados tantos anos, por conta do fim do seu vínculo de 32 anos com a Rede Globo.

“Não achava correto, ético. Em dezembro fui dispensada da Globo. Achei que estava agora livre para contar minhas memórias”, completou Mirian, que agora destacou que quer “fechar o passado” para recomeçar a sua vida “com outros trabalhos. “Eu já disse o que queria dizer (...). Preciso trabalhar!”.

Por fim, alfinetou os que possam estar incomodados com suas revelações. “Não vendo minha vida, e tampouco coloco pessoas em situações difíceis. Se elas se incomodam, devem ter motivos e isto não é meu problema”, avaliou, pedindo ainda que os seus críticos nas redes sociais “busquem funções, como limpar o Brasil do Aedes (aegypti) e castigar o governo pela falta de sanidade!”.

Publicidade



FHC admite ter firmado contrato com Brasif

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou nessa quinta-feira (18) existir um contrato feito "há mais de 13 anos" com a Brasif S.A. Exportação e Importação, empresa que, segundo a jornalista Mirian Dutra, foi usada para repassar uma mesada de US$ 3.000 a ela entre dezembro de 2002 e dezembro de 2006. O tucano, no entanto, disse não ter condições de se manifestar sobre os detalhes até que a empresa preste esclarecimentos sobre o assunto.

Mirian afirmou ao jornal Folha de S.Paulo que um contrato fictício de trabalho com a Brasif era usado para repassar a mesada. A empresa foi concessionária das lojas duty free nos aeroportos brasileiros nos anos 1990 e atualmente atua em diversos segmentos. "Desconheço detalhes da vida profissional de Mirian Dutra. Com referência à empresa citada no noticiário de hoje (ontem), trata-se de um contrato feito há mais de 13 anos, sobre o qual não tenho condições de me manifestar enquanto a referida empresa não fizer os esclarecimentos que considerar necessários", disse o ex-presidente.

Fernando Henrique afirmou que os recursos destinados à jornalista "provieram de rendas legítimas" do seu trabalho. "Depositadas em contas legais e declaradas ao IR, mantidas no Banco do Brasil em NY/ Miami ou no Novo Banco, Madri, quando não em bancos no Brasil." Segundo Mirian, que na ocasião era funcionária da Rede Globo, o contrato previa que ela fizesse análise de mercado em lojas convencionais e de duty free. Mirian admitiu ao jornal, porém, que nunca esteve em uma loja para trabalhar. De acordo com ela, o contrato era um meio para receber dinheiro de FHC e ajudar a sustentar o filho dela, Tomás Dutra.

Em sua nota, o ex-presidente também diz que sempre ajudou Tomás Dutra Schmidt, apesar de os testes de DNA não terem reconhecido sua paternidade. "Sempre me dispus a fazer qualquer outro teste que os interessados julgassem conveniente. A despeito disso, procurei manter as mesmas relações afetivas e materiais com o Tomás." O ex-presidente também relata que continuou a pagar a matrícula e sustento de Tomás em uma "prestigiada universidade americana". "Da mesma forma, doei mais recentemente um apartamento a ele em Barcelona, bem como alguns recursos para fazer os estudos de mestrado e, quando possível, atendo-o nas necessidades afetivas". Ao jornal, o ex-presidente havia negado ter enviado dinheiro para Mirian Dutra por meio da empresa.

Na sua entrevista, Mirian afirmou que começou a receber a ajuda financeira em 2002, quando seu contrato com a Globo foi alterado e sua remuneração diminuída. A emissora disse no comunicado que revisou o contrato da "remuneradora" em 2004, não em 2002, "tudo segundo a lei vigente no país em que trabalhava (Espanha)". A jornalista havia tratado da relação com FHC também em entrevista à edição deste mês da revista BrazilcomZ, publicada na Espanha.

Procurada, a empresa Brasif não se manifestou até a conclusão desta edição. Por meio de nota, a Rede Globo informou que "jamais foi avisada" pela jornalista de supostos contratos fictícios que a profissional teria firmado com Brasif.

(Com Estadão Conteúdo)

Asteroide deve passar perto da Terra, mas não há risco de impacto, diz Nasa

Maiana Diniz – Repórter da Agência Brasil Edição: Denise Griesinger


Um pequeno asteroide chamado TX68 passou pela Terra há dois anos e está retornando no dia 5 de março. Desta vez o objeto pode passar bem mais perto da Terra do que antes mas, de acordo com a Agência Espacial Norte-americana (Nasa) não há possibilidade de cruzar a atmosfera terrestre.

Em 2014, o asteroide passou a uma distância de cerca de 2 milhões de quilômetros do planeta. Desta vez, pode passar a uma distância entre 17 mil quilômetros e 14 milhões de quilômetros, a depender da trajetória que o objeto seguir. A Nasa informou que não sabe ao certo a órbita do TX68, porque foi descoberto em 2013 e ainda foi pouco rastreado.

“A órbita desse asteroide é bem incerta, será difícil prever onde procurar ele no céu”, informou ao site da Nasa o gerente do Centro de Estudos NEO, Paul Chodas. “Há uma chance de que o asteroide seja observado por telescópios especializados durante essa passagem, nos provendo com dados para definir a órbita em torno do sol com mais precisão”, disse.

Os cientistas que avaliaram o caso identificaram uma possibilidade remota de impacto do TX68 com a Terra no dia 28 de setembro de 2017. A chance seria de uma em 250 milhões. “As possibilidades de colisões nas próximas três aparições previstas do asteroide são muito pequenas para serem motivo de preocupação”, disse Paul Chodas. “Eu realmente espero que as observações futuras reduzam essa possibilidade [de impacto] ainda mais”, completou.

O diâmetro do TX68 é estimado em 30 metros, dez a mais que o meteoro que se transformou em uma bola de fogo e provocou uma chuva de meteoritos ao cruzar a atmosfera sobre a cidade russa de Chelyabinsk, há três anos. Segundo a Nasa, se um asteroide do tamanho do TX68 entrasse na atmosfera terrestre, causaria uma explosão com o dobro de energia do episódio na Rússia.


Dilma: um mosquito não pode derrotar 204 milhões de pessoas

Ana Cristina Campos – Repórter da Agência Brasil Edição: Denise Griesinger



Petrolina (PE) – A presidenta Dilma Rousseff durante visita à unidade habitacional do Residencial Vivendas de Petrolina I e IIRoberto Stuckert Filho/PR

A presidenta Dilma Rousseff disse hoje (19) que o mosquito Aedes aegypti não pode derrotar o país. “Um mosquito não pode derrotar 204 milhões de pessoas. Somos muito mais fortes que esse mosquito. Aliás, serve de exemplo, de símbolo para nós. Nós, hoje, enfrentamos dificuldades em nosso país. Nós, juntos, vamos superar essas dificuldades. Esse país vai crescer, gerar empregos, vai continuar fazendo programas como esse, o Minha Casa, Minha Vida”, afirmou, ao entregar unidades habitacionais em Petrolina, Pernambuco.

Ela contou que ainda hoje vai à cidade de Juazeiro, na Bahia, dar uma aula em uma escola no dia de mobilização da educação contra o mosquito. Além de Dilma, pelo menos 25 ministros viajam pelo país para visitar escolas e conscientizar e mobilizar os estudantes para o combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, da febre chikungunya e do vírus Zika.

“Os ministros vão a uma escola no país explicar uma das questões mais graves que estamos vivendo que é a relação entre o velho conhecido nosso, que é o mosquito da dengue, e o Zika, que é um novo vírus que, aqui em Pernambuco é onde mais se desenvolveu. O vírus está sendo o causador da microcefalia provocando grave lesão neurológica nas crianças”, acrescentou a presidenta.

Segundo Dilma, o governo vai usar “todos os recursos” para garantir uma vacina contra o vírus, mas, enquanto não é desenvolvida a vacina, é preciso não deixar o mosquito nascer. “A mosquita põe ovos em água parada, limpa ou suja. Tem água parada sobretudo na casa das pessoas. De cada três lugares onde o mosquito se cria, dois estão nas nossas casas. Quem pica e gosta de se alimentar do sangue humano é a mosquita. Ela é sensível ao cheiro, procura lugares onde tem água parada e é escuro para reproduzir seus ovos”.

A presidenta pediu que a população faça uma vistoria em casa uma vez por semana para buscar focos do inseto. “Peço a vocês 15 minutos, uma vez por semana, que façam uma vistoria em suas casas. Falem com seus parentes e vizinhos. Não podemos deixar o mosquito fazer a festa. Não picando, ele não transmite o vírus. Não transmitindo [o vírus], as grávidas que carregam em seus ventres o futuro desse país não terão a tristeza que é ter um filho com microcefalia”, concluiu.


Banco Central lança quarto conjunto de moedas sobre Olimpíadas

Da Agência Brasil Edição: Kleber Sampaio



Moeda de ouro homenageia o Cristo Redentor e a Tocha OlímpicaDivulgação/Banco Central

O Banco Central (BC) lançou hoje (19) o quarto conjunto de nove moedas comemorativas dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, sendo uma de ouro, quatro de prata e outras quatro de circulação comum. Assim, o BC encerra a série especial dos jogos, que contém 36 moedas.

A moeda de ouro homenageia o Cristo Redentor e a Tocha Olímpica, que é o símbolo dos jogos. As moedas de prata são referentes ao Rio de Janeiro, trazendo paisagens conhecidas pelo carioca como a prática de esportes e aspectos culturais e da natureza da cidade.

Já as de circulação comum lembram dois dos esportes em que o Brasil conquistou mais medalhas nas Olimpíadas e nas Paralímpíadas, que são o boxe e a natação paralímpica, além de apresentarem os mascotes dos jogos, Vinícius, mascote olímpico, e Tom, representando os Jogos Paralímpicos.

O diretor de Relações Internacionais do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), João Sidney Figueiredo Filho, lembrou que, no mundo, existem milhares de colecionadores de moedas e que este é um nicho que o Brasil poderia aproveitar mais.

“A gente iniciou esse projeto [confecção de moedas comemorativas] ainda em 2010 visando resultados benéficos para o nosso país. Ao redor do mundo existem milhares, milhões de colecionadores de moedas de todos os tipos. É uma grande indústria que chega a render milhões. Por anos, estivemos parados nesse ramo, mas esperamos que, com o lançamento de todas que já colocamos à venda desde 2014, o Brasil se mostre um mercado forte nesse ramo”, disse.

Momento histórico

Já o diretor de Relações Institucionais do Banco Central, Edson Feltrin, se disse orgulhoso pelo banco participar diretamente de um momento histórico para o Brasil. “É uma grande honra e motivo de muito orgulho termos a nossa marca nesse momento. É uma pequena contribuição para o sucesso do evento. Com o lançamento deste quarto conjunto de moedas, esse se torna o maior programa numismático [termo que se refere ao colecionismo de moedas] já feito para as Olimpíadas”.

As moedas poderão ser adquiridas no site do Banco do Brasil por meio de boleto bancário, ou, no caso de correntistas do banco, via débito em conta. Elas também estarão disponíveis para venda em algumas agências do Banco do Brasil, onde o pagamento deve ser feito em dinheiro. Todas elas foram produzidas pela Casa da Moeda do Brasil.

App Vigilante permite denunciar casos de violência policial pelo celular

HuffPost Brasil  |  De Ana Beatriz Rosa




“Não é só pelos 20 centavos”, “O gigante acordou”, “Vem pra rua, vem”.

Essas frases marcaram o ano de 2013, quando ocorreram diversas manifestações por todo o País. A população estava descontente com uma série de pautas e o aumento da tarifa do transporte público se encarregou de ser a gota d'água.

Nas ruas lotadas, jovens e adultos se misturavam. Mas, de repente, era recorrente sentir a ardência nos olhos, a fumaça, a correria e a brutalidade.

A ação truculenta da polícia nas passeatas, principalmente em São Paulo, ecoaram para o resto do Brasil.

A situação foi vivenciada bem de perto por um grupo de estudantes de direito que, mais tarde, foram os responsáveis por reivindicar o habeas corpus coletivo para os manifestantes presos durante os atos organizados pelo Movimento Passe Livre.

Entre eles, estava Luccas Adib, bacharel em Direito e diretor-executivo da EvoBra, associação sem fins lucrativos que pesquisa inovações em políticas públicas.

Em entrevista ao HuffPost Brasil, Adib explicou a origem do projeto:

“Toda aquela situação me intrigou. Vi pessoas tendo o seu direito violado por policiais. A maioria da população, na verdade, não sabe quais são os seus direitos. Um policial pode pedir para acessar ao seu celular? Ou cometer qualquer tipo de violência? Resolvi estudar e pesquisar mais sobre o tema. Foi ai que surgiu a ideia de criar uma ferramenta que mediasse essa situação e atuasse em colaboração com a própria polícia para conter os abusos.”
Nascia a ideia do Projeto Vigilante, aplicativo lançado este mês para o sistema Android, que tem por objetivo principal empoderar o cidadão, mediar as denúncias de situações de abuso de autoridade ou violência e, assim, fortalecer o papel das ouvidorias nas instituições -- a ouvidoria da polícia é uma espécie de ombudsman da segurança pública no Estado. É um órgão dirigido por um representante da sociedade civil, com autonomia e independência, cuja principal função é ser o porta-voz da população em atos irregulares praticados pelas Polícias.

“Nosso objetivo não é acumular dados e direcionar para outros fins. O que queremos é ser um facilitador paraestatal da denúncia. Não faz mais sentido que o Estado utilize como meio formal de comunicação um telefone, notificação escrita ou fax. A ouvidoria das polícias foi criada em 1995 e os mecanismo de diálogo com a população são da mesma época. Estamos atrasados nessa ponte e a ideia do projeto veio para complementar uma lacuna.”
Um método mais dinâmico que facilite o diálogo entre a população e o Estado pode vir a ocupar um espaço importante na construção de uma sociedade que se preocupa com os direitos do cidadão.

No site da Ouvidoria da Polícia de São Paulo, por exemplo, é possível acessar relatórios de prestação de contas das denúncias.

O último período contabilizado, no entanto, foi o primeiro semestre de 2015, que contou com 95 queixas de abuso de autoridade, 88 de corrupção passiva, 27 de tráfico de drogas com envolvimento de policiais e 544 queixas de má qualidade no atendimento. A taxa de indivíduos responsabilizados pelas queixas, porém, não é divulgada.

O App



Dividido em duas partes, “Denuncie” e “Conheça seus direitos”, o app é gratuito e tem capacidade para armazenar até dez mil queixas, que podem ser cadastradas de forma anônima ou não.

Mas, como garantir que os dados enviados pelos usuários sejam encaminhados, processados e as devidas partes do processo responsabilizadas, de fato? Por uma imposição legal, qualquer ouvidoria é obrigada a receber todo tipo de denúncia e encaminhar o protocolo.

Contudo, segundo o bacharel em direito, é comum que as vítimas não tenham suas queixas processadas por falta de elementos que estruturem as denúncias.

E ai está o diferencial do aplicativo: permitir que a queixa seja feita em diversas mídias, uma vez que é possível armazenar fotos, áudios, vídeos e mensagens por meio dos smartphones.

O serviço conta ainda com geolocalização, a possibilidade de identificação da corporação (polícias Civil, Militar, Federal ou Guarda Metropolitana), a descrição e o tipo do delito e a diferenciação entre “testemunhas” e “vítimas” no momento de cadastro da ocorrência.

Para ser efetivo, o Projeto Vigilante deve trabalhar em parceria com as ouvidorias e corregedorias.

“O nosso papel é fazer com que as denúncias sejam entregues. Depois disso, a responsabilidade é do Estado. Nós somos uma ferramenta e nos preocupamos em ser acessíveis para todo usuário que quiser fazer uma denúncia, inclusive o policial que sofre com o abuso de autoridade de seus superiores”, afirma o fundador do app.

A plataforma, somente disponível para Android, por enquanto, é resultado do projeto colaborativo EvoBra, fundado em 2015 por Luccas e que hoje conta com uma equipe de 7 integrantes.

A associação sem fins lucrativos, ainda, lançou uma campanha de financiamento coletivo para finalizar a estruturação do aplicativo para outros formatos, como o IOS e o Windows, além de outras melhorias.

'É possível transformar a morte em algo divertido'

Veja.com  |  De Carolina Melo



O estilo de trabalhar e de se vestir faz com que o oncologista pediátrico americano Patch Adams, de 70 anos, seja muitas vezes confundindo com um palhaço de circo.

Na verdade, ele usa quartos de hospitais para fazer seu espetáculo. Há 40 anos, Patch Adams inspira médicos de todo mundo a desenvolver uma medicina mais humanizada.

Adams defende que a piada, quando acompanhada de boas gargalhadas, pode ser uma poderosa aliada no tratamento de doenças.

Na década de 70, fundou nos Estados Unidos o Instituto Gesundheit ("saúde", em alemão), que atende pacientes de graça e integra a medicina tradicional com atividades recreativas, como pintura e teatro.

A trajetória do oncologista se transformou em um filme estrelado por Robin Williams: Patch Adams - O Amor É Contagioso.

O que o senhor acha da forma como a medicina tem sido ensinada nas universidades?

Um lixo. Há 40 anos me correspondo por cartas com muitos alunos de medicina de mais de 120 países e nunca recebi uma mensagem positiva sobre a maneira como têm sido educados. Durante esse tempo todo nada mudou.

Os professores são rudes e arrogantes e educam médicos que não gastam tempo suficiente com o paciente. Esses médicos acabam achando normal trabalhar em ambientes de trabalho estressantes.

Não há um hospital feliz no mundo. Uma pena. O hospital pode ser um lugar extremamente agradável. Os pacientes deveriam nem sentir vontade de ir embora!

Como um hospital pode ser divertido?


Os profissionais devem ser bons -- e não me refiro apenas no sentido técnico. Um bom médico é aquele que sabe cultivar a relação com o paciente por meio da troca de amizade, confiança e... humor.

Eu acredito e defendo sempre que é possível transformar a morte em algo divertido. Com humor. Tenho tentado fazer isso desde sempre.

Qual é o pior defeito que um médico pode ter? A arrogância. De todos os meus professores da faculdade, 95% deles eram arrogantes. Chegava a ser constrangedor quando eu entrava no quarto de um paciente com alguns deles.

Eles ficavam com o paciente por cerca de 5 a 10 minutos. Isso é um médico ruim. As pessoas são complexas e têm doenças complicadas. É impossível conhecer um paciente em apenas 10 minutos.

Seu nome remete imediatamente ao personagem de Robin William em Patch Adams: O Amor é Contagioso, de 1998. Qual é a sua opinião sobre o filme?

Eu fiquei constrangido pelo filme. Robin Williams, claro, não teve nada a ver com isso. O problema foi com o diretor (Tom Shadyac). Ele não teve o menor interesse em me conhecer de verdade.

É um arrogante que quis vender ingressos. Ele não quis falar do meu trabalho como realmente é. Por exemplo, o meu melhor amigo da faculdade, que morreu seis anos após nossa formatura, se transformou no filme em uma namorada fictícia que morre de forma dramática.

Essa versão inventada, obviamente, vende mais. Tive até de pedir desculpas ao filho desse meu amigo pelo que fizeram. Além disso, a cena em que Patch Adams leva uma paciente idosa para nadar em uma piscina de macarrão foi muito mais divertida na vida real.

Após perder contrato com a Nike, Pacquiao reafirma posição contra casamento gay

HuffPost Brasil  |  De Rafael Nardini



Por incrível que possa parecer, Manny Pacquiao não está acabado. Jogado às cordas pela patrocinadora, a Nike, o pugilista filipino continua extremamente popular.

E não parece estar arrependido. Nesta quinta, ele chegou a dizer que sentiu-se "aliviado porque muitas pessoas ficaram alarmadas com a verdade" (sobre os ataques ao casamento entre pessoas do mesmo sexo). Ele também não se abalou nenhum um pouco com o final do acordo com a Nike: "Qualquer que seja decisão, eu respeito. Nosso contrato já havia acabado... eles me apoiavam apenas com o boxe".

Até aqui, o caminho parece livre para que ele consiga uma vaga no Senado das Filipinas nas eleições gerais de 9 de maio.

Lembrando: Pacquiao comparou os gays à animais. A Nike rapidamente agiu e repreendeu seu ex-contratado, classificando as ofensas como "detestáveis". O contrato foi rompido imediatamente.



O país asiático, considerado conservador e de maioria absoluta católica - cerca de 80% dos 100 milhões de habitantes -, pode dar ao lutador uma das 12 cadeiras no Senado.


Benito Lim, professor de ciência política da Universidade Ateneo de Manila, ouvido pela Reuters, diz:

"Pacquiao ofendeu claramente a comunidade de gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros com seus comentários sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo, mas este grupo representa uma minoria, e isso não irá afetar a popularidade do boxeador entre os eleitores".    

"Ele ainda pode vencer as eleições", confirma, o professor.

O que pode então derrubar a popularidade do extremamente habilidoso lutador de 37 anos? Uma derrota frente Timothy Bradley, em abril.

Candidato à presidência do Peru retira candidatura e denuncia irregularidades

Da Agência Lusa


O congressista peruano Renzo Reggiardo vai retirar sua candidatura à presidência do Peru por considerar que o processo para as eleições de 10 de abril está “contaminado, sujo e cheio de irregularidades”.

Líder do partido Peru Pátria Segura, Reggiardo anunciou a desistência em uma coletiva de imprensa, na quinta-feira (18). “Nós não vamos disputar um jogo contaminado, um jogo sujo, um jogo cheio de irregularidades”, assinalou.

Renzo Reggiardo, que aparece com 1,1% das intenções de voto nas sondagens, questionou a substituição de um membro do Jurado Nacional de Eleições (JNE) em pleno processo eleitoral e também lamentou “uma série de denúncias feitas em relação a possíveis atos de corrupção”.

“Exigimos que o órgão eleitoral seja imparcial e, lamentavelmente, o que se viu até ao momento gerou dúvidas, suspeitas, e o que vier a seguir não vai nos dar confiança”, disse.

A situação do processo eleitoral também foi questionada ontem pelo ex-presidente Alejandro Toledo (2001-2006), candidato do partido Perú Posible.

"Cuidado. Quero advertir que esta disputa eleitoral já está muito manchada e muito polarizada e cheia de vícios. Tenho um grande respeito pelo JNE, mas tomem decisões e não politizem a questão", disse Toledo, em declarações publicadas pelo portal do diário El Comercio.

Toledo criticou a eventual mudança de um magistrado do JNE e pediu aos membros do organismo para não serem parciais nem fazerem política com isso, caso contrário “vai haver muitos candidatos que não vão querer disputar este jogo”.

As mais recentes sondagens dão a vitória a Keiko Fujimori, filha do ex-presidente Alberto Fujimori (1990-2000), com 35% das intenções de voto, seguido de Julio Guzmán (17%), o ex-ministro Pedro Pablo Kuczynski (11%) e César Acuña (8%).

O sistema político do Peru, onde o voto é obrigatório, tem por base um regime presidencialista com um mandato de cinco anos renovável, mas não de modo consecutivo, e um parlamento de câmara única.


Avião ataca casa na Líbia e mata 40 supostos membros do Estado Islâmico

Da Agência Lusa Edição: Kleber Mota Vaz Sampaio


Mais de 40 pessoas morreram hoje quando um avião estrangeiro atacou uma residência perto da capital da Líbia, Tripoli, onde estavam reunidos supostos membros do grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico, informaram fontes da segurança líbia. Acrescentaram que as vítimas, entre as quais mulheres e crianças, nasceram na Tunísia.

A casa, na cidade de Sabratha, cerca de 70 quilómetros a oeste de Tripoli, ficou completamente destruída.

Um responsável ocidental citado pelo jornal New York Times disse que o ataque foi feito por aviões norte-americanos e visou um responsável operacional tunisiano do grupo extremista, envolvido nos atentados perpetrados em 2015 no Museu do Bardo e na estância turística de Port el-Kantaoui, perto de Sousse, na Tunísia.

Os serviços de informações dos Estados Unidos tentam agora determinar se entre as vítimas se encontra Nouredine Chouchane, um dos principais dirigentes do grupo extremista Estado Islâmico na região.

Pelo menos 17 pessoas morrem em atentado suicida em Camarões

Da Agência Lusa


Pelo menos 17 pessoas morreram hoje (19) em um atentado suicida que ocorreu em um mercado, próximo à cidade de Mora, na região do extremo borte dos Camarões.

Por volta das 8h40 (5h40 em Brasília), dois homens acionaram os explosivos que transportavam presos ao corpo, quando várias pessoas chegavam ao mercado. As forças de segurança camaronesas procuram um terceiro suspeito, que teria fugido, disseram as mesmas fontes.

A autoria do atentado ainda não foi reivindicada por nenhum grupo terrorista, mas a região do extremo norte dos Camarões é palco de frequentes ataques do grupo islamico radical nigeriano Boko Haram.

A explosão acontece uma semana depois que duas meninas cometeram um atendado suicida, durante um funeral em Nguetchéwé, na mesma região do país, quando pelo menos oito pessoas morreram.

As forças de segurança camaronesas acreditam que o Boko Haram utiliza crianças e adolescentes para transportar os explosivos, que são acionados à distância por milicianos do grupo.

Os Camarões registraram mais de 30 atentados terroristas, desde o início do ano, perpetrados pelo Boko Haram. De acordo com dados governamentais, cerca de 30 pessoas morreram nestes ataques.

Os jihadistas nigerianos aumentaram os atentados suicidas na região do lago Chade, após o início das operações da força multinacional regional contra o Boko Haram. A região é de difícil controle devido à quase ausência de postos ao longo das fronteiras entre a Nigéria, Camarões, Chade e Níger.

Na terça-feira, forças da Nigéria e dos Camarões reconquistaram a localidade de Goshi, no estado de Borno (nordeste da Nigéria) e libertaram mais de 100 reféns. Na operação foram mortos mais de 162 milicianos do Boko Haram, informaram as autoridades camaronesas.


Seul e Washington simulam envio de tropas americanas em caso de guerra

Da Agência Lusa


A Coreia do Sul e os Estados Unidos (EUA) realizaram hoje (19) um exercício para agilizar o envio de tropas norte-americanas em caso de guerra, em meio a momentos de tensão com a Coreia do Norte devido aos ensaios nuclear e de mísseis.

Na manobra conjunta, os soldados simularam uma situação de guerra em que era necessário proporcionar apoios pertinentes para o envio urgente de soldados dos Estados Unidos para a península coreana, confirmou um representante do Ministério da Defesa de Seul à agência EFE.

Os dois países fazem exercícios como esses com regularidade há mais de duas décadas, mas atualmente as ações têm particular importância, pois a Coreia do Sul e os Estados Unidos intensificam a pressão política e militar sobre a Coreia do Norte.

Os dois aliados ampliaram e intensificaram suas manobras militares na Coreia do Sul e destacaram mais armamento – incluindo quatro caças F-22 Raptor norte-americanos e um submarino de propulsão nuclear – depois dos últimos avanços da Coreia do Norte no domínio da tecnologia nuclear e de lançamento de mísseis.

A Coreia do Norte fez o quarto ensaio nuclear em 6 de janeiro e um mês depois anunciou o lançamento para o espaço do seu segundo satélite, uma operação considerada, porém, um teste encoberto de mísseis balísticos, o que violaria as resoluções da Organização das Nações Unidas (ONU).

Enquanto se aguarda que o Conselho de Segurança da ONU decida as sanções a aplicar, o Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, promulgou na quinta-feira (18) uma lei que prevê a imposição de mais sanções, de forma unilateral, contra a Coreia do Norte.

Essas sanções, que incluem o confisco de bens, a proibição de vistos e a recusa de contratos públicos norte-americanos, visam a qualquer pessoa ou a empresa que ajude o regime norte-coreano, principalmente na aquisição de materiais para produzir armas de destruição em massa.


Síria: Turquia bombardeia posições curdas no norte de Alepo

Da Agência Lusa


A Turquia bombardeou na noite dessa quinta-feira (18) zonas controladas pelos curdos no norte da província de Alepo, no Norte da Síria, informou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

De acordo com a organização não governamental, é a mais forte ofensiva da Turquia contra essas áreas desde que começou a atacar as suas posições há dias.

O diretor do OSDH, Rami Abdel Rahmane, disse à agência France Presse que os ataques aéreos visaram ao reduto curdo de Afrin e não apenas às zonas controladas recentemente pelas Forças Democráticas Sírias, uma coligação árabe-curda dominada pelas Unidades de Proteção do Povo (YPG, o braço armado do Partido da União Democrática, principal formação política dos curdos da Síria).

Apoiadas pelos foguetes aéreos russos, as Forças Democráticas Sírias assumiram o controle de diversas localidades que estavam nas mãos dos rebeldes no norte da província de Alepo, próximo da fronteira turca.

Os avanços das forças alarmam a Turquia que faz bombardeios desde sábado (13).

Ancara lançou ataques pela primeira vez, nessa quinta-feira, contra Afrin, área ocidental curda, onde dois civis morreram e 28 ficaram feridos, segundo Abdel Rahmane.

A província de Alepo está atualmente controlada por diversos grupos a partir da fronteira turca: os rebeldes estão ao norte, confrontados com os curdos mais ao sul. Estão também presentes as forças pró-regime que controlam a maioria do sul da província, enquanto o grupo jihadista Estado Islâmico controla os setores a leste.

Segundo o OSDH, os novos combatentes pertencem a um mosaico de grupos rebeldes e islamitas, entre elas a Faylaq Al Cham (Legião do Levante).


Autoridades sul-coreanas fazem buscas em escritórios da Volkswagen em Seul

Da Agência Lusa


Testes feitos em carros da Volkswagen para avaliar emissões de gasesEPA/Patrick Pleul/Agência Lusa/Direitos Reservados

As autoridades sul-coreanas realizaram hoje (19) buscas na sede da Volkswagen em Seul no âmbito da investigação ao escândalo da manipulação de emissões de poluentes, informou um porta-voz do fabricante automóvel alemão.

Os investigadores confiscaram discos rígidos de computadores e documentos depois de buscas na sede em Seul e em outros escritórios da Volkswagen na capital sul-coreana, indicou a agência Yonhap.

Residências de funcionários da empresa responsáveis pelo controle de qualidade também foram foco das operações.

“Deixamos claro que vamos cooperar totalmente com a investigação e que a nossa posição se mantém inalterada”, disse um porta-voz da Volkswagen à agência noticiosa AFP.

A ação ocorre um mês depois de o Ministério do Ambiente da Coreia do Sul ter interposto uma ação criminal contra Johannes Thammer, o diretor da unidade da empresa alemã no país asiático, alegando que o plano de chamada à revisão dos veículos manipulados apresentava deficiências jurídicas.

O segundo maior fabricante de automóveis do mundo enfrenta processos judiciais em diversos países, depois de ter admitido em setembro do ano passado que manipulou os testes de emissão de poluentes em alguns dos seus veículos com motores a diesel.

Em novembro, Seul ordenou à Volkswagen da Coreia que chamasse para revisão 125 mil automóveis a diesel vendidos no mercado sul-coreano e multou a empresa em 14,1 bilhões de won (10,2 milhões de euros).

Onda de frio atingirá a China até amanhã

Da Agência Lusa


Uma frente fria atingirá grande parte da China, provocando ventos fortes e temperaturas baixas ao longo dos próximos três dias, informou hoje o Centro Meteorológico Nacional da China.

As regiões ao longo das partes médias e baixas e ao norte do rio Yangtze serão afetadas por uma onda de frio entre hoje e sábado, com temperaturas de até 6 graus em algumas partes do nordeste e do norte.

As províncias e regiões da Mongólia Interior, Gansu, Ningxia e Xinjiang, no noroeste do país, deverão ser atingidas por tempestades de areia, enquanto o sul será afetado por chuvas nos próximos dois dias.


Japão vai triplicar produção de energia eólica nos próximos cinco anos

Da Agência Lusa


O Japão vai triplicar a capacidade de produção de energia eólica (gerada pelos ventos) até 2020, segundo estimativa publicada hoje (19) pelo diário económico Nikkei, com base nos planos de investimentos das principais empresas do setor.

O jornal adianta que a Eurus Energy Holdings e a J-Power pretendem investir 60 bilhões de ienes (478 milhões de euros) em novas instalações nos próximos cinco anos.

A Eurus, uma joint-venture entre a corretora Toyota Tsusho e a operadora da Central Nuclear de Fukushima, a Tokyo Electric Power (Tepco), planeja instalar 200 mil kilowatts (kw) durante esse período, o que elevaria sua capacidade para até 850 mil kw.

O primeiro projeto é uma fábrica de cerca de 40 mil kw na prefeitura de Akita, no Norte do Japão, cuja construção deve começar ainda este ano.

A J-Power também quer um aumento em torno de 200 mil kw, até 600 mil, a partir de novos centros de geração de energia em Hokkaido (Norte) e Ehime (Sul).

O jornal Nikkei estima que esses projetos e outros de menor escala vão contribuir para aumentar a capacidade de produção de energia eólica do Japão dos atuais 3 milhões de kw para até 10 milhões, o que equivaleria a uma dezena de centrais nucleares.

O governo japonês propôs aumentar a proporção da eletricidade gerada por meio de energias renováveis dos atuais 3% para 15% até 2030.

Apesar das vantagens da eólica em relação a outras fontes renováveis, esse tipo de energia pouco avançou nos últimos anos devido aos procedimentos administrativos e estudos de impacto ambiental exigidos para novas instalações.

Desse modo, a energia eólica atende apenas a 0,5% das necessidades de eletricidade do Japão, valor muito abaixo de países como a Alemanha (9,6%), os Estados Unidos (4,4%) ou a China (2,8%).


Brasil e Argentina vão começar a renegociar acordo automotivo em abril

Monica Yanakiew - Correspondente da Agência Brasil Edição: Fábio Massalli


Os governos brasileiro e argentino vão começar a renegociar, em abril,  o acordo automotivo entre os dois países, que vence no dia 30 de junho. Entretanto, o ministro do Desenvolvimento, Industria e Comercio Exterior, Armando Monteiro, disse nessa quinta-feira (18) que a criação de um regime de livre comércio neste setor ainda vai demorar. “Eu imagino um horizonte inferior a cinco anos”, disse .

Monteiro deu entrevista após um encontro, em Buenos Aires, com o ministro da Produção da Argentina, Francisco Cabrera, no qual o principal tema foi o acordo automotivo. Uma das questões que tem dificultado a liberalização do setor é a adoção, por parte de cada país, de políticas próprias de incentivos à indústria, que acabaram criando assimetrias.

Apesar de reconhecer que elas existem e precisam ser eliminadas, Monteiro explicou que não se pode fazer isso “em um estalar de dedos”. No caso do Brasil, o programa de incentivos Inovar-Auto tem duração prevista até 2017 – apesar de ter sido questionado na Organização Mundial do Comércio (OMC) e pelos argentinos.

Pelo atual regime automotivo,  cada vez que o Brasil exporta US$ 1,5 em veículos e autopeças para a Argentina, tem que importar US$ 1 desses produtos do país vizinho.  Os dois governos reconheceram que, na atual conjuntura internacional,  interessa a ambos superar os obstáculos e construir uma “plataforma industrial integrada” para conquistar outros mercados.

Monteiro citou como exemplo os países da Aliança do Pacifico, mas também falou na necessidade de criar uma indústria regional competitiva para fazer frente a outros blocos econômicos. “Estamos negociando um acordo [de integração]  com a União Europeia (UE)”, disse Monteiro. “Se não tivermos capacidade de construir uma plataforma nova e competitiva no setor automotivo, como vamos nos relacionar com os europeus?”

Segundo o ministro, as negociações entre o Mercosul (mercado comum integrado por Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela) e os  28 países da UE estão avançando rapidamente. Ele acha que o processo de negociações para liberalizar o comércio entre os dois blocos pode começar esse semestre. “Quem sabe ainda nesse trimestre”, disse.

Monteiro também manifestou satisfação com a decisão do novo governo argentino de eliminar a Declaração Antecipada de Importação (DJAI)  - um mecanismo que restringia as importações e afetava os exportadores brasileiros.  Em seu lugar foram adotadas outras medidas para assegurar o equilíbrio da balança comercial mas, segundo o ministro, o número de produtos brasileiros afetados é pequeno.


Monetização da gravidez: Michel Teló e Thais Fersoza anunciam gestação com publicidade

HuffPost Brasil  |  De Ana Beatriz Rosa




Michel Teló e Thais Fersoza estão aumentando a família. O casal anunciou na última quarta-feira (17) que ela está grávida.

O comunicado, como virou costume entre as celebridades, foi feito no Instagram. Mas desta vez os futuros papais aproveitaram a oportunidade para fazer um publieditorial de uma marca de teste de gravidez indicado por meio de hashtags.

Precisava mesmo?

Em meio às mensagens carinhosas dos fãs, vários usuários desaprovaram a atitude do casal. Para eles, os futuros papais foram longe demais nessa história de posts patrocinados.

Anatel propõe fim das concessões de telefonia fixa na maior parte do país

Sabrina Craide - Repórter da Agência Brasil Edição: Fábio Massalli



A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) apresentou hoje (18) uma proposta de mudança nos contratos de concessão de telefonia fixa e das metas de universalização dos serviços. A ideia é fazer com que a prestação do serviço em regime público seja apenas para as localidades que atualmente só têm orelhões para a comunicação e não têm cobertura de telefonia celular.

De acordo com o relator da matéria, conselheiro Igor de Freitas, atualmente são 18 mil setores censitários (bairros ou conjuntos de bairros) que contam apenas com o serviço dos orelhões para se comunicar. Segundo a proposta, no restante do país, a telefonia fixa seria oferecida por meio de autorizações, como ocorre em muitas cidades do país, mas com alguns compromissos como a manutenção da oferta de acessos individuais.

Freitas explicou que atualmente a telefonia fixa não é mais considerada um serviço essencial, por isso não é mais necessário manter as concessões para o setor. “O objetivo da concessão é que o serviço chegue a todo mundo em ambiente competitivo. No serviço de voz, isso já foi atingido para a larga maioria da população, então a concessão é dispensável. A concessão mantida integralmente no país fere o interesse público, porque ela aloca investimento disponível para um serviço que não é a prioridade da população”, disse o relator.

A proposta não foi votada hoje por causa de um pedido de vista do conselheiro Rodrigo Zerbone. Depois de aprovada pela Anatel, a proposta será encaminhada para análise do Ministério das Comunicações, que já analisa mudanças no modelo de prestação dos serviços de telecomunicações em vigor no país.


PT pede arquivamento de ação contra Dilma e Temer no TSE

André Richter – Repórter da Agência Brasil Edição: Nádia Franco


O PT pediu hoje (18) ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o arquivamento da ação na qual o PSDB pede a cassação dos mandatos da presidenta Dilma Rousseff e do vice-presidente Michel Temer. Os tucanos alegam que houve irregularidades fiscais na campanha presidencial petista relacionadas a doações de empreiteiras investigadas na Operação Lava Jato.

O PT sustenta que as contas da campanha eleitoral da Dilma e Temer foram aprovadas pelo tribunal em dezembro de 2014 e que, por isso, os fatos alegados pelo PSDB já foram julgados. Na manifestação, o PT também alega que o PSDB apresentou apenas ilações sobre supostas irregularidades nas contas eleitorais da campanha presidencial.

A defesa petista afirma que a coligação oposicionista também recebeu doações de empresas que foram citadas na Lava Jato. De acordo com levantamento do partido, os tucanos receberam 31,38% de empreiteiras do total de receitas arrecadadas em 2014.

“Não é crível imaginar que as empresas investigadas na operação policial por fraude à licitação e formação de cartel tenham condições de diferenciar dinheiro de corrupção e dinheiro sem corrupção. Se as doações ocorridas ao Partido dos Trabalhadores por estas empresas são consideradas como de corrupção, logicamente que as doações ocorridas ao partido PSDB, à Coligação Muda Brasil, também o são”, argumentam os advogados.

Mais cedo, os advogados da presidenta Dilma Rousseff entregaram ao TSE a defesa na ação de investigação. De acordo com os advogados da presidenta, o PSDB pretende obter no TSE “aqueles inúmeros votos que não conseguiu nas urnas”.

Outro lado

Em nota divulgada à imprensa, o PSDB afirma que a presidenta, na ausência de argumentos consistentes para sua defesa, ataca o partido e o TSE. De acordo com a legenda, Dilma deveria se defender das “inúmeras e graves acusações que pairam sobre sua campanha”.

A íntegra da nota é a seguinte:

“Na ausência de argumentos consistentes para sua defesa, a presidente Dilma Rousseff ataca o PSDB e agride o TSE, que existe para garantir o equilíbrio e a lisura dos pleitos eleitorais. Ao acatar a ação proposta pelo PSDB, o tribunal reconhece haver fortes indícios de abuso de poder econômico e político e utilização de dinheiro da corrupção e caixa dois na última campanha presidencial. Ao invés de dispender energia mais uma vez atacando o PSDB, deveria a presidente da República dedicar-se a se defender das inúmeras e graves acusações que pairam sobre sua campanha.”


Aeronautas aceitam proposta do TST e encerram estado de greve

Felipe Pontes - Repórter da Agência Brasil Edição: Beto Coura



Pilotos e comissários de bordo aceitaram a proposta de conciliação do ministro Ives Granda, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), para encerrar um impasse na negociação salarial com as companhias aéreas. A categoria encerrou o estado de greve.

Em assembleias realizadas hoje (18) em São Paulo, Brasília, Porto Alegre e Campinas, além do Rio de Janeiro, os aeronautas resolveram aceitar integralmente a proposta, que também foi acatada pelo Sindicato Nacional de Empresas Aeroviárias (Snea), representante das companhias aéreas Azul, Avianca, Gol e TAM.

Os aeronautas receberão reajuste salarial de 11% em duas parcelas de 5,5% em fevereiro e maio, não retroativo à data base vencida em 1º de dezembro. Além disso, foi concedido reajuste de 11% nos benefícios e feita a promessa de que nenhuma retaliação recairá sobre os trabalhadores, em função da paralisação feita em 3 de fevereiro.

O Sindicato Nacional dos Aeroviários, que representa trabalhadores que atuam em solo (agentes de check-in, auxiliares de serviços gerais, mecânicos de aeronaves, agentes de bagagem, operadores de equipamentos) marcou assembleias a partir de amanhã (19) para deliberar se aceitam a proposta do TST.


Pesquisa investiga se outros fatores associados ao Zika causam microcefalia

Aline Leal - Repórter da Agência Brasil* Edição: Luana Lourenço


Pesquisadores dos Estados Unidos e do Brasil vão investigar se o vírus Zika provoca sozinho a microcefalia ou se a malformação ocorre quando o agente está combinado com outros fatores.

“[Vamos descobrir se a causa do aumento de microcefalia] é o vírus Zika só ou associado a alguma coisa, ou é o virus Zika no organismo que tem essa ou aquela predisposição. São questões em aberto”, disse o ministro da Saúde, Marcelo Castro, em entrevista antes da abertura de encontro entre pesquisadores e representantes dos governos brasileiro e norte-americano na sede da Organização Pan-Americana da Saúde, em Brasília.

A pesquisa está sendo desenvolvida na Paraíba, em parceria entre técnicos do governo local e do Centro de Controle e Prevenção de Doenças Transmissíveis (CDC) dos Estados Unidos.

A reunião de hoje (18) juntou o Instituto Butantan, o laboratório Biomanguinhos, o Instituto Evandro Chagas, os ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação e da Saúde, além de representantes norte-americanos do CDC, do Departamento de Saúde e da Food and Drug Administration (FDA).

Os principais pontos a serem discutidos pelas instituições são o desenvolvimento de uma vacina contra o vírus Zika, de tratamento para a doença, de melhores tecnologias para o diagnóstico e o combate ao Aedes aegypti.

Na abertura da reunião, a embaixadora dos Estados Unidos do Brasil, Liliana Ayalde, disse que infecções não respeitam barreiras e por isso os países devem atuar juntos e coordenadamente para combater a transmissão de doenças como a zika.

*Colaborou Paula Laboissière


Ivete Sangalo será homenageada pela Grande Rio no Carnaval 2017

HuffPost Brasil




O Carnaval 2016 mal acabou e já temos um bom motivo para aguardar a festa do próximo ano.

Ivete Sangalo, rainha absoluta do Carnaval baiano, vai levar seu brilho para as terras cariocas em 2017.

A escola de samba de samba Acadêmicos do Grande Rio anunciou nesta quinta-feira (18) que a cantora será o tema do seu próximo samba- enredo.

Promoter da escola de samba, David Brasil foi quem divulgou a informação nesta manhã, comemorando em seu Instagram.

"É amor, Felicidade transbordando em mim, Tem tanto tempo nossa união, Chegou o dia que o meu coração, Tá daquele jeito! Muito bom dividir com vocês. Alegria, alegria!”

Uma foto publicada por David Brazil (@davidbrazil24) em Fev 18, 2016 às 2:39 PST


No começo da tarde, a página oficial da agremiação confirmou a notícia.

No Carnaval 2016 do Rio, depois de um jejum de 14 anos, a Mangueira foi a grande campeã com um enredo em homenagem à Maria Bethânia, ícone da música brasileira também nascida na Bahia.

E na história recente do Carnaval carioca, outras duas escolas também saíram vitoriosas ao homenagear personalidades da música nacional.

Em 2011, a Beija Flor foi campeão com um samba-enredo sobre Roberto Carlos. No ano seguinte, a Unidos da Tijuca levou o título de melhor escola depois de prestar homenagem a Luiz Gonzaga.

Será que a Grande Rio seguirá os passos com Veveta?

É aguardar para ver.

Pacientes do DF podem pedir a importação de medicamentos à base de canabidiol

HuffPost Brasil  |  De Rafael Nardini



Brasileiros lutaram anos para conseguir acesso aos medicamentos que seus familiares que sofrem com dores crônicas, Parkinson e epilepsia refratária tanto precisam. O motivo? Os remédios contarem na fórmula com canabidiol, substância presente na maconha.

Atendendo à decisão judicial, o governo do Distrito Federal vai importar os tais medicamentos. A decisão publicada no Diário Oficial da União no dia 15 dispensa a necessidade de licitação para os produtos.

A importação em caráter emergencial acontece até 17h de amanhã. Os pedidos devem ser encaminhados via email ou presencialmente, na Diretoria de Aquisições da Secretaria de Saúde.



Poderão ser importados medicamentos em frascos ou seringas preenchidas. Para fazer o pedido, os pacientes deverão comprovar a necessidade do uso e precisam da devida prescrição médica.

No entanto, os pacientes que não optarem por fazer a encomenda de maneira individual - por e-mail ou pessoalmente - e contarem com o pedido feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS) vão necessitar de decisão judicial.

As encomendas dos medicamentos não poderão ultrapassar a quantidade necessária para um ano de tratamento.

FHC usou empresa com sede nas Ilhas Cayman para enviar dinheiro à ex, diz jornal

Folha de S.Paulo  |  De Mônica Bergamo



O ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso (PSDB) utilizou a Brasif S.A. Exportação e Importação para enviar recursos financeiros para a jornalista Mirian Dutra, com quem teve uma relação extraconjugal nos anos 80 e 90, e para o filho dela, Tomás Dutra. A informação foi publicada pelo jornal Folha de S. Paulo nesta quinta-feira (18).

Segundo a jornalista – que garante que FHC é o pai de Tomás –, ela firmou um contrato fictício de trabalho com a Eurotrade Ltd., empresa da Brasif com sede nas Ilhas Cayman. Pelo acordo, ela recebia US$ 3 mil mensais, apesar de jamais ter trabalho de fato para a empresa. O dono da empresa não negou o acerto com Mirian.

Já FHC admitiu manter contas no exterior – declaradas às autoridades brasileiras, segundo ele – para repassar recursos para Tomás, porém rechaçou a versão de ter usado a empresa citada para pagamentos à ex-namorada.

Agredida, transexual é tratada como homem e tem nome social ignorado pela polícia em SP

Estadão Conteúdo




A Secretaria de Segurança Pública vai apurar por que o nome social da transexual Melissa Hudson não foi registrado no 78º DP (Jardins), quando ela foi registrar um caso em que foi vítima de roubo e agressão.

Na madrugada de domingo (15), ela estava acompanhada por algumas amigas quando foi atingida por uma garrafa na cabeça, na Rua Augusta, no centro. Em seguida, foi derrubada no chão, levou socos e chutes, e teve o celular roubado. Por causa das agressões, ela teve pontos rompidos de uma cirurgia na face que fez em dezembro.

Ela foi ao 78º DP na segunda-feira para fazer o boletim de ocorrência. Melissa foi tratada como homem e em nenhum momento foi cogitada a possibilidade de as agressões terem ocorrido por causa da identidade de gênero da vítima. Durante o espancamento, os agressores gritaram "traveco nojento", segundo ela.

Em novembro, o governador Geraldo Alckmin anunciou que os registros policiais passariam a ter espaços para preenchimento do nome social e de motivo presumido de discriminação e violência motivada por orientação sexual ou identidade de gênero.

Procurada, a Secretaria de Segurança Pública não respondeu aos questionamentos até as 20h30 desta quarta-feira (17). Ao jornal Extra, a pasta informou que o equívoco será apurado.

Na Argentina, filhote de golfinho morre após ser retirado do mar para banhistas tirarem selfies

HuffPost Brasil



Um filhote de golfinho morreu depois que banhistas o retiraram do mar de Santa Teresita, na Argentina, para fazer selfies com o animal.

A ONG WWF (World Wildlife Foundation), que denunciou o caso, informou na última quarta-feira (17) que os turistas tiraram dois golfinhos da água e passaram de mão e mão para dezenas de pessoas tirarem fotos. Um deles não resistiu depois de ficar tanto tempo fora da água.

O caso aconteceu no último final de semana. Em nota, a WWF afirmou que o filhote era um golfinho Franciscana, um dos menores golfinhos do mundo, medindo entre 1,30 e 1,70 metro de comprimento, que tem pele frágil e, portanto, não pode passar muito tempo longe da água porque ele superaquece e morre.

"Por isso, a ocasião serve para informar a população sobre a necessidade urgente de devolver estes golfinhos ao mar ao encontrá-los na orla", alertou a ONG. "Isto é fundamental para que pessoas ajudem a resgatar estes animais, porque cada Franciscana conta."

"Por ser uma espécie prioritária para a vida silvestre, há mais de dez anos trabalhamos junto a diferentes instituições para a proteção destes animais."
A espécie, também chamada de "golfinho La Plata", é encontrada na Argentina, Uruguai e Brasil e está vulnerável à extinção, de acordo com a Unión Internacional para la Conservación de la Naturaleza (UICN). Estima-se que existem menos de 30.000 na Argentina.






Empregada doméstica consegue casa moderna com R$ 150 mil que juntou na poupança

HuffPost Brasil  |  De Amauri Terto



A nova casa da empregada doméstica Dalvina Borges, de 74 anos, faz sucesso na Vila Costa Melo, zona leste de São Paulo.

E isso ocorre não só por causa de seu visual moderno.

Além de seu acabamento de concreto aparente e boa distribuição de espaço, a residência tem uma história curiosa e inspiradora.

Dalvina fez economias durante 30 anos que possibilitaram uma mudança de realidade quando a antiga casa começou a se deteriorar (e até desmoronar).

A quantia de R$ 150 mil era o que ela tinha na poupança para investir. Com a ajuda do filho, em vez de um construtor, a família procurou por arquitetos para realizar o projeto.

O escritório Terra e Tuma, aceitou o desafio e se responsabilizou pela empreitada, mostrando que uma casa arrojada e funcional não é sinônimo de custo alto.

“Tratamos como um projeto normal. Teve a nossa remuneração, cálculo de estrutura, empreiteiro e aprovação da prefeitura” contou o arquiteto Pedro Tuma ao jornal Folha de S. Paulo.

A casa de Dalvina rendeu, inclusive, um prêmio internacional ao escritório. O projeto venceu na categoria 'Casa' do Building of the Year 2016, do site Archdaily, que elege as 14 melhores construções de todo o mundo.

A seguir, você confere imagens da residência que é destaque na vizinhança.





No player abaixo, você acompanha o depoimento de Dalvina à revista Arquitetura e Construção, revista na qual a casa foi tema de reportagem no final de 2015.



Kanye West: 'Sou mais influente que Kubrick, Picasso, Escobar e o apóstolo Paulo'

HuffPost Brasil  |  De Amauri Terto




Por favor, alguém segure Kanye West.

Neste 2016, o rapper tem se mostrado totalmente sem controle.

Só nestes últimos dois meses, o ele já conseguiu brigar feio com Wiz Khalifa no Twitter; mudar o nome de seu novo álbum (The Life of Pablo) três vezes, defender o comediante Bill Cosby - acusado de assédio sexual pedir publicamente ajuda financeira a Mark Zuckerberg, além de lançar uma música em que chama Taylor Swif de "vadia".

E essa lista de surtos acaba de aumentar.

Na noite desta quarta-feira (17), foi divulgado o áudio de uma reação explosiva do rapper nos bastidores do programa de comédia Saturday Night Live, do qual participou no último sábado.

O marido de Kim Kardashian se irritou com uma mudança de última hora no palco em que se apresentaria.

“Olhe para essa merda. Mudaram meu palco do SNL sem me avisar. Estou desapontado. Se vamos fazer isso, temos que ‘quebrar’ a internet.”
E não se irritou pouco.

Logo em seguida, fez as seguintes declarações:


"Eles estão malucos? Sou 50% mais influente do que Stanley Kubrick, Pablo Picasso, Paulo, o apóstolo, e Pablo Escobar. Não mexe comigo. Não mexe comigo. Pelo menos 50%. Mortos ou vivos. Pelo menos por mil anos. Yeah.”
Que ego, não?

Além disso, sobrou mais uma vez para Taylor Swift, que foi chamada de falsa na ocasião.

Francisco defende João Paulo II e diz que amizade com mulher é possível

Da Ansa Brasil


O papa Francisco disse a jornalistas hoje, dia 18, no avião que o trouxe do México para o Vaticano, que sabia da relação entre João Paulo II e a filósofa Anna-Teresa Tymieniecka, e que a amizade entre homens e mulheres não é um pecado.

"A amizade com uma mulher não é um pecado, é uma amizade. Uma relação amorosa com uma mulher que não seja sua esposa, sim, é um pecado", disse, acrescentando que o papa João Paulo II “era um homem que queria pensar como as mulheres”.

“O Papa tem um coração que pode ter uma amizade saudável e santa com uma mulher”, disse.

Centenas de cartas enviadas pelo papa João Paulo II para a filósofa norte-americana de origem polonesa foram reveladas em um documentário da emissora britânica BBC nesta semana. Os documentos mostram uma amizade “intensa”, mas não apontam evidências de que o religioso tenha rompido o voto de celibato feito ao se tornar padre.

Francisco acrescentou que um homem que não sabe ter uma boa amizade com uma mulher é alguém a quem falta algo. “E eu, por experiência, quando peço conselhos a colegas ou amigos, sempre gosto de receber a opinião de uma mulher”.

As mulheres "te dão tanta riqueza, olham para as coisas de uma maneira diferente. Eu gosto de lembrar que a mulher é aquela que constrói a vida no útero".

Apesar de o conteúdo só ter sido revelado agora, a troca de mensagens era conhecida no Vaticano - e não são as primeiras do Pontífice com mulheres. Ainda segundo Francisco, as mulheres são, até hoje, pouco levadas em consideração. “Ainda não entendemos o bem que a mulher faz para a vida do sacerdote e da Igreja, no sentido do conselho, da ajuda e da amizade saudável”.

As correspondências iniciaram-se em 1973, quando João Paulo II era o arcebispo de Cracóvia. A primeira carta enviada pela norte-americana tinha como objetivo o debate sobre um livro publicado pelo religioso.

Desde então, uma série de documentos foram trocados entre os dois e vários encontros para debates filosóficos foram feitos. Os primeiros escritos apontam uma comunicação “mais formal”, que foram ficando mais “íntimas” ao longo do tempo, segundo a emissora britânica.


Para combater Zika, papa sugere uso de anticoncepcionais

Da Ansa Brasil


Em uma entrevista coletiva no avião que o levou do México para o Vaticano, o papa Francisco defendeu métodos contraceptivos como um “mal menor” para combater a disseminação do vírus Zika, mas criticou o uso do aborto para evitar o nascimento de crianças com microcefalia.

"O aborto não é um problema ideológico, é um problema humano, um problema médico; é matar uma pessoa para salvar outra, no melhor dos casos, ou para deixá-la bem. É um mal em si mesmo", declarou o Pontífice.

Contudo, segundo Jorge Bergoglio, não se deve confundir o “mal para evitar a gravidez” com a interrupção da gestação. "Sobre o mal menor, evitar a gravidez, falemos em termos de conflito entre o quinto e o sexto mandamentos ['não matar' e 'não pecar contra a castidade']. Paulo VI, o grande, em uma situação difícil na África, permitiu às freiras o uso de anticoncepcionais em casos de violência", declarou Francisco aos jornalistas presentes em seu avião.

No início de fevereiro, o alto-comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Zeid Ra'ad Zeid Al Hussein, havia pedido a revogação de leis que limitassem o acesso a serviços de saúde sexual e reprodutiva, inclusive ao aborto e à contracepção de emergência, para fazer frente a disseminação do Zika, que pode causar microcefalia em fetos.

Além disso, no Brasil, algumas personalidades, como o ex-ministro da Saúde José Gomes Temporão (PSB-RJ), defendem que as mulheres tenham direito de interromper a gestação de fetos com malformação cerebral.

"Evitar a gravidez não é um mal absoluto. Em certos casos,anti como esse do vírus Zika ou aquele que mencionei, do beato Paulo VI, isso fica claro", ressaltou o Papa.




Notificação de casos de Zika passa a ser obrigatória no Brasil

Paula Laboissière - Repórter da Agência Brasil Edição: Beto Coura



A partir de hoje (18), a notificação de casos suspeitos de infecção pelo vírus Zika passa a ser obrigatória. A portaria, publicada no Diário Oficial da União, prevê que todos os casos suspeitos deverão ser comunicados semanalmente às autoridades sanitárias.

No caso de gestantes com suspeita de infecção pelo vírus Zika ou de óbito suspeito, a notificação deverá ser imediata, ou seja, feita pelos profissionais de saúde em até 24 horas.

O Ministério da Saúde informou que a mudança é resultado de uma análise dos métodos de acompanhamento do Zika no Brasil. Até então, a infecção era monitorada por meio do Sistema de Vigilância Sentinela, para prestar apoio a medidas de prevenção à doença.

A decisão de tornar a notificação obrigatória foi tomada em parceria com estados e municípios, além de especialistas.

“Os profissionais de saúde de todo o Brasil estão sendo orientados sobre a medida por meio dos diversos canais de comunicação de rotina, como videoconferências, e-mails, ofícios e contatos diretos”, destacou o ministério.


* Colaborou Aline Leal







Após eleição de Picciani, ala insatisfeita do PMDB promete manter resistência

Carolina Gonçalves - Repórter da Agência Brasil Edição: Talita Cavalcante


Leonardo Picciani (PMDB-RJ) concede entrevista após ser reconduzido à liderança do partido na CâmaraFabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Mesmo com a recondução do deputado Leonardo Picciani (RJ) à liderança do PMDB na Câmara, com 37 dos 71 votos, a ala insatisfeita do partido promete manter resistência. Darcísio Perondi (RS), um dos deputados que defenderam na eleição de ontem (17) a troca no comando da bancada, afirmou hoje (18) que a divisão dentro da legenda será levada inclusive à convenção do partido, marcada para 12 de março. “Vamos continuar sendo dissidentes, defendendo que o PMDB saia do governo e vamos continuar trabalhando pelo impeachment [da presidenta Dilma Rousseff]”, afirmou.

O deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS) disse que o grupo que defendia a eleição de Hugo Motta (PB), concorrente de Picciani, amarga o resultado, mas manterá resitência ao governoJosé Cruz/Agência Brasil

O deputado explicou que o grupo que defendia a eleição de Hugo Motta (PB), concorrente de Picciani, amarga a derrota, com diferença de sete votos. “O jogo foi muito pesado. Fomos incompetentes. Perdemos por competência do outro lado, da prefeitura do Rio de Janeiro e do Palácio do Planalto”, completou, ao mencionar o retorno de titulares que ocupavam cargos no Executivo e foram exonerados para participar das eleições, como Marcelo Castro, que deixou momentaneamente o Ministério da Saúde para poder votar na escolha do líder do PMDB.

Em janeiro, as duas alas do PMDB chegaram a um acordo em relação à questão que acabou criando toda a divisão no partido: a formação da comissão especial que analisará o processo de impeachment da presidenta Dilma. Picciani comprometeu-se a entregar uma lista equilibrada. Para Perondi esta será um dos momentos decisivos que o líder enfrentará este ano. “Se ele quiser mesmo a unificação da bancada, como disse ele, terá que comportar o [grupo] perdedor”, cobrou.

Picciani confirmou o compromisso. No Salão Verde, ao lado de Perondi, garantiu que a lista do partido, com oito indicações, será equilibrada. “A comissão do impeachment contemplará todas as correntes de pensamento: os favoráveis, os contrários e os que ainda não manifestaram opinião. Em relação às comissões permanentes, os deputados recebem um formulário em que marcam suas preferências. Conseguimos atender a mais de 90% desses pleitos. Não vejo dificuldade.”

Perguntado sobre a convenção do PMDB, Picciani disse que o partido está buscando unidade partidária. “Talvez consiga chegar a um cenário em que não haja disputa. Esse é o melhor dos cenários”, afirmou. O líder da legenda na Câmara não acredita que a ruptura com o governo, defendida pela outra ala do PMDB, entre na pauta do encontro. “Na maioria dos convencionais não há um desejo de discutir este tema neste momento.”

Reforma da Previdência

Picciani ainda defendeu que a Câmara se debruce sobre pontos considerados estratégicos pelo governo, como a reforma da Previdência. “Há um sentimento geral de que a reforma é estruturante para o país e precisa ser feita. É preciso que Executivo envie o projeto para que a gente discuta o mérito da proposta. Mas que é preciso mexer não resta dúvida, e a situação do país, dos municípios e dos estados demonstra isto.”

Do lado do PT, a posição sobre a reforma ainda não é tão certa. O partido da presidente Dilma deve se reunir na próxima semana para tentar um consenso sobre a proposta. “O PT é o partido da presidente. O Brasil precisa fazer essa reforma. Até o PSDB deu sinais de que pode votar, se o PT fechar questão a favor da reforma da Previdência”, afirmou o vice-líder do governo, Silvio Costa (PSC-PE). “Quero perguntar ao PT se ele quer ajudar a presidente Dilma e o país ou quer fazer demagogia, porque o partido sabe que a reforma da Previdência é numa visão de futuro e que não vamos mexer em direitos adquiridos do trabalhador. Cobro do PT que seja aliado”, acrescentou Costa, visivelmente irritado.