Afinal, Romário teve ou não conta na Suíça no banco BSI?

HuffPost Brasil



Após negar ter tido conta em banco na Suíça, o senador Romário (PSB-RJ) disse ao jornal O Globo que já teve conta no BSI, quando jogou na Europa, entre 1980 e 1990.

Em julho, a revista Veja citou um extrato indicando que o senador tinha R$ 7,5 milhões em uma conta no banco suíço.

Na época, Romário foi à Europa, o banco divulgou um documento afirmando que o extrato era falso e que o ex-jogador não era titular da conta que indicava o documento.

A conta do jogador voltou à tona esta semana com a prisão do líder do governo no Senado, Delcídio Amaral (PT-MS).

Na transcrição do áudio, que sustentou a prisão do senador, Delcídio diz que, em função da conta, Romário tinha um acordo com o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, para apoiar Pedro Paulo.

No Facebook, Romário negou novamente a existência da conta e afirmou que pediu ao Ministério Público que investigue sua ‘suposta’ conta na Suíça.


Fonte: HuffPost Brasil

Exemplo: Holanda vai construir MILHARES de moradias para refugiados

Estadão Conteúdo


O governo da Holanda mediou um acordo com autoridades municipais e provinciais do país para abrigar milhares de imigrantes que receberam o status de refugiados.

O acordo anunciado nesta sexta-feira (27) prevê a construção de moradias para 14 mil refugiados. O objetivo é providenciar habitação para que as pessoas que tiveram os pedidos de asilo concedidos por autoridades holandesas cedam espaço nos centros de abrigos para os milhares de imigrantes que chegam a cada ano na Holanda, fugindo de conflitos e da fome em países da África, Ásia e Oriente Médio.

Os governos locais também concordaram em criar milhares de novas acomodações de emergência para pessoas que procuram asilo nos próximos meses, em instalações comerciais vazias e outros prédios.

A agência central responsável por registrar os imigrantes afirmou que o número de imigrantes que chegou à Holanda este ano já ultrapassou o total combinado de 2013 e 2014. Apenas em outubro deste ano, cerca de 47 mil pessoas pediram asilo.

A chegada dos imigrantes tem dividido o povo holandês: os que se opõem protestam em locais públicos, enquanto organizações que ajudam os refugiados afirmaram nesta semana que registraram mais de 10 mil novos voluntários em apenas dois meses.


Fonte: HuffPost Brasil

Andrade paga R$ 1 bi de multa e confessa que pagou propina até em obras da Copa

Folha de S. Paulo  |  De Mario Cesar Carvalho e Bela Megale




A Andrade Gutierrez aceitou pagar a maior multa da Operação Lava Jato e revelar detalhes de, pelo menos, cinco casos em que pagou suborno.

De acordo com a Folha de S. Paulo, a multa de R$ 1 bilhão será acompanhada de relatos sobre propina em contratos firmados em obras da Copa do Mundo, na Petrobras, em Angra 3, em Belo Monte e na ferrovia Norte-Sul.

A empreiteira junto com a Odebrecht é acusada de ter pago R$ 632 milhões de suborno em contratos com a Petrobras. O acordo livra a empresa de ser proibida de fazer novos contratos com o poder público.


Fonte: HuffPost Brasil

Em visita à África, Papa diz que favelas são 'feridas' causadas pela desigualdade

Reuters



O papa Francisco visitou uma favela de Nairóbi nesta sexta-feira (27) e definiu essas comunidades como "feridas" abertas por uma rica e poderosa elite, e exortou os governos africanos a fazerem mais para tirar o povo da pobreza.

Em sua primeira visita ao continente, o pontífice tem defendido a luta pelos pobres, tanto em declarações públicas como no seu modo de vida, evitando as vantagens institucionais do Vaticano.

Mesmo antes de se tornar o primeiro papa da América Latina, em 2013, o argentino era conhecido como o "bispo-favela" por causa de suas frequentes visitas a essas comunidades de Buenos Aires.

O Quênia é a primeira parada em sua turnê pela África, que também o levará para Uganda e a República Centro-Africana, uma nação pobre, dilacerada por conflitos sectários entre muçulmanos e cristãos.

Ao fazer um apelo ao diálogo religioso e a medidas para enfrentar as mudanças climáticas, quando visitou os escritórios da ONU em Nairóbi, Francisco se voltou para os temas da desigualdade e a pobreza, que têm sido sua principal preocupação em homilias e discursos.

Em seu último dia no Quênia, o papa visitou o distrito de Kangemi, em Nairóbi, um bairro de estradas esburacadas, esgotos a céu aberto e barracos precários, localizado a algumas centenas de metros de blocos de apartamentos em edifícios inteligentes e condomínios fechados.

Dirigindo-se aos moradores das favelas, trabalhadores de entidades beneficentes e o clero, em uma igreja local, o papa falou da "injustiça terrível da exclusão urbana" representada em tais áreas pobres.

"Estas são as feridas infligidas por minorias que se agarram ao poder e riqueza, que egoisticamente desperdiçam enquanto uma crescente maioria é forçada a fugir para periferias abandonadas, sujas e degradadas", disse.


Fonte: HuffPost Brasil

Adam Lambert pode ser impedido de fazer show em Cingapura por ser 'sexy demais'

Do HuffPost Brasil com Reuters



Adam Lambert pode ter sido um sucesso no American Idol, e no Rock In Rio aqui no Brasil, mas parece que Cingapura não quer ele por perto. O motivo? Ele é "sexy demais" para se apresentar no país.

Segundo a Reuters, petições online em Cingapura reuniram milhares de votos e ascenderam um debate sobre se ele é sexy demais ou não para fazer um show no país.

A petição contra Lambert, dirigida ao governo e à Mediacorp, organizadora do evento, reuniu cerca de 14 mil assinaturas em defesa da tese de que a atuação do cantor abertamente gay não condiz com os valores de Cingapura.

No entanto, duas petições em apoio a Lambert reuniram mais de 11 mil votos nesta sexta-feira (27), argumentando que permitir o desempenho dele mostraria que Cingapura evita a discriminação e promove a diversidade.

A empresa que organiza o evento afirmou que mantém o compromisso com Lambert. Em 2009, Adam causou controvérsia durante sua participação no American Music Awards, em 2009, quando beijou seu tecladista e simulou atos sexuais com dançarinos. O sexo entre homens é ilegal em Cingapura.

"Instamos os organizadores da contagem regressiva de 2016 a reconhecer e respeitar os valores da maioria de Cingapura, que manifestou o seu desejo de preservar a fibra moral da nossa nação", diz a petição de protesto, publicada anonimamente por um grupo dizendo representar os pais preocupados.

Quem é à favor da proibição da entrada de Lambert no país acredita que ele será uma "nota ácida" no evento que pretende comemorar o 50º aniversário dessa conservadora cidade-Estado.

A empresa de TV estatal Mediacorp manteve a contratação de Lambert e disse que o programa televisionado será adequado para o público familiar e estará em conformidade com os regulamentos de transmissão.


Fonte: HuffPost Brasil

Sobe para nove o número de mortes confirmadas pelo rompimento da barragem da Samarco em Bento Rodrigues

Estadão Conteúdo


Sobe para nove o número de mortes confirmadas pelo rompimento da barragem da Samarco no Distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, Minas Gerais.

Nesta quinta-feira (26) um dos corpos encontrados na região foi identificado como o de Mateus Marcio Fernandes, de 29 anos, funcionário de uma empresa terceirizada da mineradora.

O corpo foi localizado pelos bombeiros na madrugada em Ponte do Gama, subdistrito de Monsenhor Horta, a cerca de 30 quilômetros, em linha reta, de Bento Rodrigues. A identificação foi feita pela família pela arcada dentária.

Com a identificação do corpo, o número agora de desaparecidos depois da tragédia em Mariana é de dez. Outros quatro corpos ainda não foram identificados.

Pagamento

A Samarco divulgou nota na noite desta quinta-feira afirmando ter feito o depósito, no valor de R$ 500 milhões, acertado dentro do Termo de Compromisso Provisório (TCP) fechado com o Ministério Público Estadual (MPE) e o Ministério Público Federal (MPF) para pagamento de danos pelo rompimento da barragem da empresa no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana.

O montante corresponde à metade do total previsto. Conforme o acordo, o restante será repassado sob a forma de garantia bancária até 16 de dezembro.

Peixes mortos

O vazamento da lama da barragem da Samarco, que pertence à Vale e à anglo-australiana BHP Billiton, causou também devastação ambiental.

Nesta quinta-feira, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) informou que 11 toneladas de peixes morreram em função dos rejeitos de minério de ferro que atingiram o Rio Doce.

Do total, oito toneladas foram recolhidas em Minas Gerais e três no Espírito Santo, onde o rio deságua no mar. Ainda segundo o instituto, a retirada dos peixes mortos, que é feita pela Samarco, ainda não terminou.

Depoimentos

O diretor-presidente da Samarco, Ricardo Vescovi, será ouvido pelo MPE em Mariana na próxima terça-feira (1º). Na última quarta-feira (25), o executivo, e também representantes da Vale e da anglo-australiana BHP Billiton, prestaram depoimento à força-tarefa montada por procuradores do Ministério Público Federal (MPF) em Minas Gerais para apurar as causas do rompimento da barragem da Samarco em Bento Rodrigues.


Fonte: HuffPost Brasil

Em premiação, Bruno Gagliasso dá beijão em João Vicente de Castro

HuffPost Brasil



Ao participar do prêmio “GQ Men of the year”, realizado no hotel Copacabana Palace, na Zona Sul do Rio, nesta quinta-feira (26), ator Bruno Gagliasso surpreendeu o público ao dar um beijo na boca de João Vicente de Castro.


Para comemorar o prêmio e o beijo, Bruno, assim que pode, publicou a imagem no Instagram e escreveu:

“Aos machistas de carteirinha, hipócritas de plantão e preconceituosos…. O nosso carinho e nosso amor de homem com H!“
Em entrevista à revista Quem, o ator disse que o beijo não estava no script.

“Foi natural. A gente não ensaiou e pensou: ‘Se couber, a gente faz’. Não foi programado“.

E continuou:

"O ano que a gente viveu foi difícil, mostrou muito a cara de que demos muitos passos para trás. Foi um beijo de esperança, de amor".

A atriz Giovanna Ewbank, mulher de Gagliasso, apoiou a atitude do marido e também compartilhou a foto do beijo no Instagram.


Fonte: HuffPost Brasil

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação libera verba para 'pílula do câncer'

Estadão Conteúdo


O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) anunciou na quinta-feira (26) a liberação dos primeiros R$ 2 milhões destinados a acelerar as pesquisas com fosfoetanolamina sintética, a polêmica substância desenvolvida no Instituto de Química de São Carlos (IQSC) da Universidade de São Paulo, que ficou conhecida como "pílula do câncer".

O dinheiro faz parte de uma verba de R$ 10 milhões que será destinada até 2017 a três centros de pesquisa, responsáveis por testar a eficácia e a segurança da substância em ratos e camundongos.

O ministério solicitou 500 gramas de fosfoetanolamina à USP para serem encaminhadas aos laboratórios. A expectativa da pasta é que essa primeira fase de testes, chamada de ensaios pré-clínicos, dure "ao menos sete meses".

Os laboratórios que participarão da pesquisa são o Centro de Inovação e Ensaios Pré-Clínicos (CIEnP), de Florianópolis; o Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento de Medicamentos (NPDM), de Fortaleza, ligado à Universidade Federal do Ceará; e o Laboratório de Avaliação e Síntese de Substâncias Bioativas (LassBio), ligado à Universidade Federal do Rio de Janeiro.

O ministério planeja investir R$ 10 milhões no estudo da fosfoetanolamina até 2017 - desde que esses resultados iniciais justifiquem a continuidade da pesquisa.

"O que nós queremos mostrar para a população brasileira, principalmente as famílias que possuem doentes, é que o MCTI está agindo com rigor, mas também com muita agilidade, porque existe uma comoção nacional, existe um anseio das famílias por uma resposta", diz o ministro Celso Pansera, em um comunicado da pasta.
A fosfoetanolamina sintética foi desenvolvida nos anos 1990 pelo químico e professor do IQSC Gilberto Chierice, hoje aposentado. Acreditando ter achado uma cura para o câncer, ele distribuiu pílulas da substância gratuitamente para pacientes durante anos, sem autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), até que o IQSC determinou a interrupção da produção, em 2014.

Base científica

Alguns estudos chegaram a ser publicados, mostrando uma ação antitumoral da substância em células in vitro e em camundongos. Mas muito longe, ainda, de comprovar a eficácia ou a segurança da fosfoetanolamina como uma droga anticâncer, segundo o bioquímico Adilson Kleber Ferreira, responsável pela maior parte dos experimentos.

"Os dados indicam que a fosfoetanolamina é um candidato a fármaco; mas é tudo preliminar", disse Ferreira. "Nenhum dos dados justifica a aplicação clínica." Hoje no Instituto de Ciências Biomédicas da USP, ele foi orientado nas pesquisas pelo imunologista Durvanei Maria, do Instituto Butantã. Chierice é coautor dos trabalhos.

Ferreira diz que sempre foi contra a distribuição da substância e a segurança da molécula não está comprovada. "Não há relatos de efeitos nocivos, mas isso não é comprovação de que ela não é nociva. Há muito a ser respondido."

"Pode até ser que tenha algum efeito, mas não espero que seja uma molécula milagrosa. O que mais preocupa é a segurança", diz o especialista João Calixto, diretor do CIEnP.


Fonte: HuffPost Brasil

Taxistas de Porto Alegre sequestram e espancam motorista do Uber

HuffPost Brasil


O ódio de taxistas em relação à livre concorrência na economia brasileira ultrapassou todos os limites nesta quinta-feira (26) em Porto Alegre.

O jornal Zero Hora informa que um motorista do Uber, que começou a operar há pouco mais de uma semana na capital gaúcha, foi sequestrado e agredido por dois permissionários.

"Ninguém do Uber tira comida da boca do filho de taxista como me foi dito enquanto eu levava chutes e pontapés", contou Bráulio Escobar, com diversos hematomas no rosto.

Nesta semana, os vereadores de Porto Alegre aprovaram projeto de lei que proíbe o Uber na cidade. O prefeito José Fortunati (PDT) pode sancionar ou vetar a proposta.

"O senhor prefeito olhe bem pro meu rosto quando ele pretender dizer que Porto Alegre não é uma terra de ninguém", revolta-se Escobar.

Assistir 'Chico: Artista Brasileiro' é como passar uma tarde no apartamento de Chico Buarque

Davi Rocha 



Depois de levar 300 mil pessoas aos cinemas para ver o documentário Vinicius (2005) (recorde do nosso cinema), o diretor Wilson Faria Jr apresenta seu novo filme. Desta vez, o personagem principal é outro grande nome da cultura brasileira: o cantor, compositor, poeta, autor e praticamente unanimidade Chico Buarque.


Com 71 anos, vários romances publicados, dezenas de discos lançados, sua história pode ser contada de diversas maneiras e abordagens. A escolhida é digna de palmas. Após ver Chico: Artista Brasileiro você tem vontade de tê-lo como amigo, trocar ideia na mesa do bar, convidar pra viajar junto, até adicionar no WhatsApp.

Recomendo que você se arrume para ir ao cinema como se estivesse indo encontrar Chico pessoalmente. Que roupa usaria? Que horas iria? Marcaria de visitá-lo num domingo ou durante a semana? Imagine essa situação, prepare-se e vá ansioso pelo encontro.

Com diversas entrevistas com Chico, o filme te dá a sensação de passar uma tarde em seu apartamento no Leblon. É como se você conversasse sobre a vida, visse um grande álbum de fotos e ao mesmo tempo estivesse mexendo nas prateleiras de livros e discos. E com muitas risadas, muitas, grandes gargalhadas.



O documentário mostra detalhes íntimos da relação com a atriz Marieta Severo, o prazer da solidão, a alegria de encontrar os netos, a relação com seu pai e a descoberta de seu irmão alemão. Além disso, ele lembra de como passou pela ditadura, revela detalhes do processo de criação de suas obras e dá uma ideia de seus planos para o futuro, próximos discos e livros.

Depoimentos de nomes importantes da cultura brasileira fazem parte do longa, entre eles Miúcha, Ruy Guerra e Wilson das Neves. A trilha sonora é, claro, passa pela obra do cantor Chico, em releituras ao vivo cantadas por nomes como Ney Matogrosso, Milton Nascimento, Péricles, Martinália, Adriana Calcanhoto, entre outros.



Se você não sair do cinema com a sensação de que semana que vem você vai de novo na casa dele conversar, não vimos o mesmo filme.


Fonte: HuffPOst Brasil

Acidente em Mariana liberou metais tóxicos da margem e do fundo do rio, diz Vale

Vladimir Platonow - Repórter da Agência Brasil Edição: Nádia Franco


Metais como chumbo, arsênio, cromo e níquel foram encontrados em alguns pontos do Rio Doce, logo após a passagem da onda de rejeito de minério que desceu o curso d´água com o rompimento da barragem do Fundão, no último dia 5 no município mineiro de Mariana. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (27), em entrevista coletiva convocada pela empresa Vale. A barragem era operada pela Samarco, uma sociedade entre a Vale e a BHP Billiton.

A diretora de Recursos Humanos, Saúde e Segurança, Sustentabilidade e Energia da Vale, Vania Somavilla, sustentou que esses elementos químicos não estariam dentro da barragem, mas nas margens e no fundo do rio, e acabaram sendo misturados à água pela passagem do volume de lama.

“Quando ela [barragem] se rompe, e aquilo sai lavando as margens, ela pode ter recolhido algum tipo de material que estava presente nas margens, de origens as mais diversas. Além disso, pode ter revolvido o fundo e efetivamente, em alguns pontos, foram detectados chumbo e arsênio ao longo do rio”, disse Vania.

Ela citou laudos do Instituto Mineiro de Gestão das Águas, que também detectou cromo e níquel. “A ressuspensão do material de fundo, ocasionada pelo deslocamento da pluma do rejeito, pode ter disponibilizado para a água esse material depositado ao longo de centenas de anos no leito do rio”, disse Vania, citando relatório técnico. Ela ressaltou que esses materiais não se dissolvem na água, o que não teria gerado contaminação.

O diretor-presidente da Vale, Murilo Ferreira, que visitou o local da tragédia, classificou de doloroso o episódio. “É com a alma triste e consternada que estamos aqui, com nove mortos e dez desaparecidos confirmados oficialmente, e muito preocupados, porque existem 5.200 pessoas que não sabem a respeito de seu futuro: funcionários diretos e indiretos da Samarco. Para mim, é extremamente doloroso fazer parte de um momento em que, em vez de preservar a vida, que é o primeiro valor da Vale, acontece uma circunstância dessas”, disse Ferreira.

Durante a coletiva, foi anunciada a criação de um fundo voluntário e sem fins lucrativos, entre a Vale, a BHP e a Samarco, para recuperar o Rio Doce e seus afluentes. Entre os objetivos, estão a recomposição da mata ciliar e da qualidade da água e da fauna aquática.

As informações da matéria foram obtidas em um texto enviado pela assessoria da Vale e no vídeo da entrevista disponibilizado pela empresa na internet.

Dilma mantém viagem a Paris, mas cancela visitas ao Vietnã e Japão

Paulo Victor Chagas e Luana Lourenço - Repórteres da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso

Em meio à crise política, a presidenta Dilma Rousseff cancelou as visitas que faria na próxima semana ao Vietnã e ao Japão. A viagem que fará a Paris, para a 21º Conferência das Partes da Organização das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-21) está mantida.

Com o novo cronograma, a previsão é que a presidenta embarque para a França no fim do dia de hoje (27) e fique em Paris até segunda (30), quando retornará ao Brasil.

Com o novo cronograma, a previsão é que a presidenta embarque para a França no fim do dia de hoje (27) e fique em Paris até segunda (30)Arquivo/Antonio Cruz/ Agência Brasil
O roteiro inicial previa a saída da presidenta de Paris diretamente para cumprir agenda com empresários no Vietnã na terça (1º)  e quarta-feira (2). Depois, seguiria para o Japão, onde pretendia, entre outros temas, conversar sobre a retomada da venda de carne processada bovina brasileira, que está embargada pelos japoneses desde 2012.

É a segunda vez que Dilma Rousseff suspende uma visita ao Japão. Em 2013, a presidenta cancelou a viagem por conta das manifestações que tomaram as ruas do país no período.

A prisão do líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral (PT-MS), na quarta-feira (25), movimentou o governo e paralisou votações importantes para o Palácio do Planalto no Congresso, entre elas a do projeto que altera a meta fiscal para permitir que o governo feche o ano com déficit de quase R$120 bilhões.

Dilma também tem de definir o nome do novo líder do governo no Senado, função que, desde a prisão de Delcídio do Amaral, é desempenhada interinamente pelos quatro vice-líderes do governo na Casa.

Ao confirmar a informação, a Secretaria de Comunicação Social da Presidência (Secom) creditou o cancelamento das viagens às dificuldades financeiras da União.

De acordo com a Secom, a partir de 1º de dezembro o governo não poderá mais empenhar novas despesas discricionárias, com exceção das essenciais ao funcionamento do Estado e ao interesse público.

O impedimento ocorre porque a revisão da meta fiscal ainda não foi aprovada pelo Congresso Nacional. O Palácio do Planalto informou que, devido a este motivo, o Tribunal de Contas da União obriga o governo a contingenciar as verbas discricionárias.

* A matéria foi alterada às 18h15 para inclusão de novas informações.



Sexto suspeito de atentado em Paris é detido em Bruxelas para interrogatório

Da Agência Lusa Edição: Aécio Amado


O Ministério Público Federal belga acusou hoje (27) um sexto suspeito de “atentados terroristas” e de “participação em atividades de um grupo terrorista”, no âmbito da investigação dos ataques de 13 de novembro em Paris.

“Ontem [quinta-feira] uma pessoa foi detida em Bruxelas para interrogatório. O juiz de instrução manteve o suspeito sob custódia e acusou-o de atentados terroristas e de participação em atividades de um grupo terrorista”, indicaram as autoridades federais, em comunicado, sem darem detalhes sobre a identidade do suspeito ou a sua implicação no caso.

Dois outros indivíduos, detidos na quinta-feira em Verviers (Leste da Bélgica) durante buscas, foram libertados, informou a nota.

Desde o início da investigação dos atentados de 13 de novembro, cinco suspeitos já tinham sido acusados e colocados em detenção provisória pela Justiça belga, incluindo três homens suspeitos de terem ajudado Salah Abdeslam, suspeito ainda em fuga.

Os atentados do dia 13 de novembro em Paris, reivindicados pelo grupo extremista Estado Islâmico, provocaram 130 mortos e cerca de 350 feridos.


Comissão do governo tratará da redução de efeito estufa por desmatamento

Luana Lourenço – Repórter da Agência Brasil Edição: Beto Coura

Na véspera da 21ª Conferência da Organização das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, que começa na próxima segunda-feira (30), em Paris, o governo brasileiro instituiu hoje (27) uma comissão nacional para tratar da redução de gases de efeito estufa relacionada ao desmatamento.

As mudanças na terra, que incluem o desmatamento, são a principal fonte de emissões de gases de efeito estufa do Brasil, mas a imensa cobertura florestal representa também uma oportunidade para o país ter acesso a recursos para mitigação dos impactos das mudanças climáticas.

Isso é possível por meio de incentivos do mecanismo de Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação, que inclui também a conservação (REDD+), regulamentado pela ONU para compensar países que mantém suas florestas.

Na prática, o instrumento permite compensar financeiramente países em desenvolvimento pelas emissões evitadas com o combate ao desmatamento e à degradação e pela ampliação de suas florestas.

A comissão será a responsável por coordenar, acompanhar e monitorar a implementação da Estratégia Nacional para REDD+, que será estabelecida por ato da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira.

O documento norteará as medidas brasileiras para o assunto. O grupo vai definir as regras e critérios para o acesso a pagamentos por resultados de políticas e ações de REDD+ no Brasil, com instruções sobre quem poderá receber e como os recursos do mecanismo poderão ser aplicados.

A Comissão Nacional para Redução das Emissões de Gases de Efeito Estufa Provenientes do Desmatamento e da Degradação Florestal, Conservação dos Estoques de Carbono Florestal, Manejo Sustentável de Florestas e Aumento de Estoques de Carbono Florestal - REDD+, foi instituída por meio de decreto publicado nesta sexta-feira no Diário Oficial.

O colegiado será composto por representantes dos ministérios do Meio Ambiente, das Relações Exteriores, da Casa Civil, da Fazenda, da Agricultura, da Ciência e Tecnologia, do Desenvolvimento Agrário e da Secretaria do Governo, com um titular e um suplente de cada pasta. Farão parte também do grupo dois representantes dos estados, um dos municípios e dois membros da sociedade civil organizada.

De acordo com o decreto, a comissão se reunirá uma vez por semestre ou extraordinariamente sempre que a presidência, exercida pelo Ministério do Meio Ambiente, achar necessário.


Justiça nega pedido de indenização de jornalista contra Joaquim Barbosa

André Richter - Repórter da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso


A Justiça do Distrito Federal negou hoje (27) pedido de indenização por danos morais de um jornalista contra o ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa. Em 2013, após uma reunião do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Barbosa mandou o jornalista Felipe Recordo, na época do jornal O Estado de São Paulo, “chafurdar no lixo” e ainda o chamou de “palhaço”.

Na decisão, o juiz João Luis Zorzo, da 15ª Vara Cível de Brasília, classificou as declarações como “descortesias recíprocas entre as partes” e entendeu que não ficou caracterizado o dano moral na situação.

“Nessa esteira, no contexto exposto e razoavelmente demonstrado nos autos, é lícito compreender que a utilização das expressões "me deixe em paz, rapaz", precedendo o descortês "chafurdar no lixo", que marcou o episódio, decorreu da inobservância do dever de mitigar caracterizada pela persistência do autor [jornalista], no exercício de seu mister como entrevistador, em período de resguardo hospitalar do réu e momento de acirramento político”, decidiu o juiz.

No dia 5 de março de 2013, após sessão do CNJ, então presidido por Barbosa, o jornalista abordou o ex-ministro para entrevistá-lo, mas foi interrompido antes mesmo de completar a primeira pergunta.

"Presidente, como o senhor está vendo...". O repórter foi interrompido por Barbosa: "Não estou vendo nada. Me deixa em paz, rapaz. Vá chafurdar no lixo como você faz sempre". Após nova tentativa do repórter, o ministro respondeu: "Eu não tenho nada a lhe dizer. Não quero nem saber do que o senhor está tratando".

Após o episódio, a Secretaria de Comunicação Social do Supremo divulgou nota na qual pediu desculpas à imprensa por causa de uma declaração do presidente da Corte.


Chegada do vírus Zika ao Sudeste é inevitável, diz infectologista

Fernanda Cruz – Repórter da Agência Brasil Edição: Denise Griesinger


A chegada do vírus zika ao Sudeste é inevitável, segundo o infectologista Ralcyon Teixeira, supervisor do Pronto-Socorro do Hospital Emílio Ribas, em São Paulo. Ontem (27) foram anunciados dois casos de microcfalia, na capital, em gestantes que vieram de Pernambuco e da Paraíba.

“Há riscos, devido às chuvas, ao calor e à presença do Aedes aegypiti [mosquito transmissor do vírus]", disse. De acordo com o infectologista, como há Zika circulando pelo Nordeste, é inevitável que o vírus chegue à região Sudeste. “No final deste ano, é para vir dengue [também transmitida pelo Aedes] com muita força”, acrescentou.

Ralcyon explica que as duas mulheres com casos confirmados em São Paulo já passaram da fase de transmissão do vírus, que dura aproximadamente 11 dias. “Para essas mulheres não há mais riscos, pois ela não têm circulação do vírus no sangue. Assim, não passa para outras pessoas, mesmo com o mosquito as picando”, disse.

Recomendação às gestantes

As mulheres grávidas devem redobrar a atenção para evitar o contato com o Aedes aegypiti. Ralcyon disse que pouco se sabe sobre como a infecção chega ao feto durante a gestação. Ele lembra que a formação dos órgãos do bebê ocorre até o segundo trimestre da gravidez. “É o período mais importante. Provavelmente, as infecções mais precoces, no início da gestação, são as que mais comprometem”, disse.

A microcefalia é uma malformação congênita, em que o cérebro não se desenvolve de maneira adequada. Essa condição pode ter diversas causas, como agentes químicos e infecções (caso do Zika). Crianças com microcefalia desenvolvem, em 90% dos casos, algum nível de retardo mental.

Por isso, as gestantes devem ficar atentas aos sintomas do Zika: vermelhidão na pele, dor no corpo, febre, coceira e olhos vermelhos. Além disso, a população precisa ajudar na eliminação do mosquito vetor. “Nunca se tornou tão importante a ideia da prevenção ao mosquito. Não deixar água parada, verificar os focos em casa, usar telas e repelentes de ambiente ou tópicos. A maioria dos focos do Aedes está dentro de casa”, disse Ralcyon.

Ontem, o secretário municipal de Saúde, Alexandre Padilha, também reforçou a necessidade do combate ao mosquito, já que a dengue é potencialmente mais grave para uma gestante do que o vírus Zika. "O que tenho dito é que a dengue é potencialmente mais grave para uma gestante do que o vírus Zika. Temos relatos de óbitos de gestantes com dengue. Temos relatos de aborto no período de infecção por dengue e de comprometimento do feto", disse Padilha.


Papa Francisco chega a Uganda, segunda etapa da viagem à África

Da Agência Lusa


O papa Francisco chegou hoje (27) à tarde a Uganda, segunda etapa de sua primeira viagem ao continente africano, depois de ter visitado o Quênia. Ao som de tambores, o papa desembarcou no aeroporto de Entebbe, a cerca de 40 quilômetros da capital, Kampala, e foi foi recebido pelo presidente Yoweri Museveni, que está no poder há quase 30 anos.

Muitos ugandeses, de todas as idades, estiveram concentram-se ao longo do trajeto do aerporto ao palácio presidencial, local onde o pontífice terá um encontro com Museveni. Francisco fará, então, o primeiro discurso desta viagem, que durará um dia e meio no país, que tem um passado trágico de guerras, violência e ditaduras, mantendo ainda uma alta taxa de vítimas da aids.

O papa terminará o dia em Munyonyo, perto de Kampala, onde em 1886 o rei ugandês Mwanga condenou à morte jovens cristãos que se recusaram a renegar a sua fé e tornarem-se escravos sexuais.

Antes de deixar o Quênia, Francisco denunciou, numa das muitas favelas em Nairóbi, “a injustiça atroz” contra os moradores das favelas africanas e dirigiu-se ainda aos jovens quenianos em um grande estádio da cidade, pedindo-lhes para não ceder à corrupção, ao tribalismo e à radicalização.

As forças de segurança de Uganda estão presentes em vários pontos da rota do papa, em um país, como o Quênia, que fornece contingente militar para a força da União Africana na Somália e que recentemente frustraram vários ataques do grupo radical islâmico Shebab.

Cerca de 47% dos ugandeses (17 milhões) são católicos.

No domingo (29), o papa viaja para Bangui, capital da República Centro-Africana, país que desde 2013 vive um conflito entre milícias cristãs e muçulmanas. Está será a última etapa da viagem de Francisco, considerada a mais arriscada, ao continente africano.


Inca alerta para crescimento de tipos de câncer relacionados à obesidade

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso


A incidência de tipos de câncer relacionados à obesidade tem gerado preocupação ao Instituto Nacional de Câncer José de Alencar Gomes da Silva (Inca) fez hoje (27) um alerta durante a divulgação das estimativas de novos casos para os próximos dois anos no Brasil.

Apesar de não poder fazer uma comparação com os anos anteriores, por mudanças na metodologia e na base de dados, o vice-diretor-geral do Inca, Luiz Felipe Ribeiro, informou que há uma tendência de crescimento em casos como o câncer de próstata, que é associado à obesidade.

"Um exemplo é o tumor de corpo de útero, que também é associado à obesidade e não entrava nem entre os dez tumores mais incidentes do Brasil. Na última estimativa, estava em oitavo, e, nessa, apareceu em quinto", destacou Luiz Felipe. "Está nos preocupando o crescimento rápido dos tumores ligados à obesidade".

Segundo a estimativa, quase 14 mil casos de câncer de corpo de útero devem ser registrados no país nos próximos dois anos. Outros tipos de câncer, como o de ovário e o cólon-retal, também estão relacionados ao excesso de peso e têm subido posições entre os mais frequentes no país.

Técnica da Divisão de Informação do Inca, Marceli de Oliveira Santos afirmou que o estilo de vida urbano e sedentário, que contribui para a obesidade, principalmente no Sul e Sudeste, pode ser claramente associado ao câncer de cólon e reto. "Ele assume uma posição relevante quando trabalhamos em um ambiente em que o desenvolvimento e a urbanização são mais evidentes."

Se excluído o câncer de pele sem melanoma, a incidência de câncer de cólon e reto no Sudeste é a segunda maior entre homens, com 24,27 casos para cada 100 mil habitantes. No Norte do país, a incidência desse mesmo tipo de câncer é de 5,34 por 100 mil habitantes, e, no Nordeste, de 7,05.

Entre as mulheres, o câncer de cólon e reto é o segundo mais frequente no país, também desconsiderados os de pele não melanoma. Enquanto as regiões Sul e Sudeste têm uma incidência maior que 20 casos por 100 mil habitantes, no Norte são 5,89 casos.

Para o vice-diretor-geral do Inca, é preciso levar o tema para as escolas e impedir que os adolescentes adquiram hábitos alimentares pouco saudáveis e o sedentarismo. "Temos de trazer a temática câncer para capacitação dos professores de ensinos médio e fundamental. Os hábitos nocivos que se instalam na adolescência têm de ser combatidos desde cedo."

O consumo de carne vermelha e embutidos e os excessos no consumo de álcool são outros fatores que preocupam o instituto. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, o Brasil já se enquadra entre os países com consumo de álcool médio, com 8,4 litros de álcool puro por pessoa a cada ano. Junto com o tabagismo, o consumo excessivo de álcool tem um fator multiplicativo em casos de câncer, entre eles o de cavidade oral.

Ribeiro acrescentou que o crescimento dos casos de câncer exigirá cada vez mais recursos para os tratamentos, que custam muito mais caro que a prevenção. "Os custos do Ministério da Saúde com oncologia cresceram 45% em quatro anos, chegando a R$ 3,3 bilhões".

Uma tendência que o Inca considera positiva é a queda da mortalidade nos casos de câncer de pulmão, que está relacionada à redução do número de fumantes no país. Entre 1990 e 2013, a população masculina de fumantes caiu de quase 45% para menos de 20%. A feminina, reduziu de pouco mais de 25% para pouco mais de 10%.

"Isso não é fácil. Foi uma construção interministerial da sociedade em que diversos cenários tiveram de ser construídos. Tivemos de construir isso como sociedade. Seria impossível se não fosse uma luta de toda a sociedade. Temos esse programa como modelo para enfrentar os demais desafios."


Temer nega proximidade com Zelada

Paulo Victor Chagas – Repórter da Agência Brasil Edição: Maria Claudia


O vice-presidente da República, Michel Temer, divulgou uma nota em que repudia as declarações do senador Delcídio do Amaral (PT-MS), preso nessa quarta (25), e nega relações de proximidade com o ex-diretor da Área Internacional da Petrobras, Jorge Zelada. O ex-diretor continua preso, acusado de receber propina de empreiteiras que participavam do esquema de cartel de licitações na estatal.

O senador Delcídio do Amaral foi preso pela Polícia Federal nesta quarta-feira (25), acusado de estar atrapalhando as investigações da Operação Lava Jato. Em depoimento prestado à PF ontem (28), Delcídio teria dito que Temer e Zelada têm relações próximas, mas não detalhou que relações seriam essas.

De acordo com a assessoria de imprensa do vice-presidente, que é presidente nacional do PMDB, Temer não indicou Zelada, nem trabalhou por sua manutenção no cargo.

"Em 2007, o senhor Jorge Zelada foi levado à presidência do PMDB por estar sendo indicado para cargo na Petrobras, ocasião em que foi apresentado a Michel Temer. Portanto, o presidente do PMDB nega qualquer relação de proximidade com Zelada e repudia veementemente as declarações do senador Delcídio do Amaral", informa a nota.

As gravações feitas pelo filho de Nestor Cerveró, Bernardo Cerveró, serviram de embasamento para o pedido de prisão do parlamentar. As gravações foram feitas durante uma reunião com o advogado de Cerveró, Edson Ribeiro, de Delcídio, e de seu chefe de gabinete, Diogo Ferreira. No material, encaminhado à Procuradoria-Geral da República, o senador discute um plano para evitar que o ex-diretor da Área Internacional da Petrobras, Nestor Cerveró, pai de Bernardo, assinasse um acordo de delação premiada.





Terreiro de candomblé é incendiado no Distrito Federal

Da Agência Brasil Edição: Graça Adjuto

 Renato Aguiar/TV Brasil 
Um terreiro de candomblé foi incendiado na madrugada de hoje (27), no Núcleo Rural Córrego do Tamanduá, no Paranoá (DF). O fogo começou por volta das 5h30 e destruiu o barracão da casa. Cinco pessoas dormiam na casa, mas ninguém ficou ferido. O Corpo de Bombeiros foi acionado, apagou o fogo e está fazendo a perícia do local.

Mãe Baiana – coordenadora de Comunidades de Matriz Africana de Terreiros da Fundação Cultural Palmares – informou que levantou com os estralos e quando saiu o fogo já estava tomando todo o barracão.

“Eu levantei e o fogo já estava muito alto, tomando conta de tudo. Como estou arrumando tudo, lá dentro tinha muita louça, esteiras, as roupas dos santos, mas não tinha velas acesas porque eu coloquei em outro local”, disse ela.

Há suspeita de que o incêndio tenha sido motivado por intolerância religiosa. Segundo Mãe Baiana, nas últimas semanas foi visto um ômega azul rondando a casa, e na noite anterior o mesmo carro passou pelo local.

Este é o mais recente caso de ataque a terreiros na região do Distrito Federal e Entorno. Mais dois templos foram atacados, em setembro, um em Santo Antônio do Descoberto (GO), outro em Águas Lindas de Goiás. Ambos foram incendiados, sendo que o primeiro foi atacado duas vezes.

O presidente da Federação de Umbanda e Candomblé de Brasília e Entorno, Rafael Moreira, lembrou que este é o quinto ataque registrado nos últimos anos, o terceiro com uso de fogo. A federação está trabalhando para descobrir que tipo de ataque ocorreu. Acompanhada da Fundação Palmares, do Fórum de Defesa de Liberdade Religiosa e outras instituições, a federação promoverá campanha para mostrar à sociedade o que está acontecendo.


Unicef: 16 mil crianças foram recrutadas para a guerra no Sudão do Sul

Da Agência Lusa

Cerca de 16 mil crianças foram recrutadas à força em 2015 pelas diferentes partes em conflito no Sudão do Sul, revelou hoje (27) o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). “A situação das crianças continua grave. Apesar da assinatura de um acordo de paz em agosto, há poucos sinais de melhorias”, declarou um porta-voz do Unicef, Christopher Boulierac, em uma coletiva de imprensa em Genebra.

“Graves violações dos direitos das crianças, como assassinatos, raptos e violência sexual, continuam a ocorrer em todo o país”, lamentou.

Boulierac explicou que a situação das crianças no Sudão do Sul “piorou desde o início de 2015 com o recrutamento e utilização constantes de crianças, essencialmente meninos, mas também meninas, pelas forças e grupos armados”.

Desde janeiro, “cerca de 16 mil crianças foram recrutadas e continuam todos [servindo] nas forças armadas e nos grupos”, adiantou.

Embora vulgarmente sejam chamadas de “crianças soldados”, elas não atuam apenas como combatentes e fazem serviços como o de mensageiro – sendo enviadas para zonas perigosas – ou são usadas, especialmente as meninas, com fins sexuais.

O Sudão do Sul proclamou sua independência em julho de 2011, antes de voltar à guerra em dezembro de 2013 devido a divergências políticas e étnicas, alimentadas pela rivalidade entre o presidente Salva Kiir e o seu antigo vice-presidente Riek Machar, líder dos rebeldes.

O conflito, marcado por atrocidades atribuíveis aos dois lados, causou dezenas de milhares de mortos e obrigou mais de 2,2 milhões a abandonarem suas casas. Cerca de 1,5 mil crianças foram mortas, segundo o Unicef.


França faz homenagem a vítimas de atentados

Da Agência Lusa


O governo francês dez hoje (27) uma homenagem aos 130 mortos e 350 feridos dos atentados terrorristas do dia 13 de novembro em Paris. A cerimônia ocorreu no Palácio dos Inválidos, onde estão enterradas grandes nomes da história francesa, como Napoleão Bonaparte, com a presença das famílias das vítimas. A homenagem iniciou-se com a execução do Hino Nacional, a Marselhesa.

Durante a cerimônia, o presidente francês, François Hollande, prometeu fazer tudo para “destruir o exército de fanáticos” que cometeram os atentados e classificou os autores do massacre de “horda de assassinos”, acusando-os de agirem em nome de uma “causa insana e de traírem o seu Deus”.

“Os que morreram no dia 13 de novembro encarnavam os nossos valores e o nosso dever é mais do que nunca apoiá-los. Não cederemos nem ao medo, nem ao ódio. E se o ódio se apodera de nós, vamos colocá-lo a serviço da calma determinação de defender a liberdade”, disse.

O grupo radical Estado Islâmico atingiu “a juventude de um povo livre que preza a cultura, a sua, todas as culturas”, considerou.

“Foi esta música que foi insuportável para os terroristas. Foi esta harmonia que quiseram quebrar, foi esta alegria que quiseram enterrar com o barulho das suas bombas. Não as pararão”, afirmou Hollande.

Ao contrário, disse o presidente francês: “Para melhor lhes responder, multiplicaremos as canções, os concertos, os espetáculos, continuaremos a ir aos estádios e nomeadamente ao estádio tão bem designado, o Stade de France [Estádio de França], em Saint-Denis”.

“Apesar das lágrimas, esta geração é hoje a face de França”, declarou o chefe de Estado, destacando que as vítimas “tinham todas as idades”, mas que “a maioria tinha menos de 35 anos.


Mais de 110 mil migrantes chegaram à Grécia em novembro

Da Agência Lusa


Mais de 110 mil migrantes chegaram à Grécia pelo Mediterrâneo desde o início de novembro, informou hoje (27) a Organização Mundial das Migrações (OIM).

No fim de semana passado, foi registrada queda no número de entradas, com 155 pessoas no domingo (22) e 336 na segunda-feira, o que levou as autoridades a prever uma tendência de queda geral devido às más condições do mar.

A redução, no entanto, foi passageira, porque dias depois voltaram a chegar diariamente à costa grega milhares de pessoas. A terça e a quarta-feira registraram a entrada de 3.526 e 5.140 pessoas, respectivamente.

Dos cerca de 110 mil migrantes que chegaram à Grécia desde 1º de novembro, 105 mil atravessaram a fronteira com a Macedônia, segundo a OIM.

Apenas sírios, iraquianos e afegãos são autorizados a cruzar essa fronteira, havendo atualmente na fronteira “imigrantes iranianos em greve de fome como protesto”

Números divulgados há duas semanas pela organização indicavam que o número de refugiados e migrantes que cruzaram o Mediterrâneo e chegaram às costas da Itália e da Grécia em 2015 tinha atingido os 800 mil, quadruplicando o número registrado em 2014.


Inca: Brasil deve ter quase 1,2 milhão de novos casos de câncer em dois anos

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil Edição: Talita Cavalcante


Imagem de divulgação
Quase 600 mil brasileiros desenvolverão novos casos de câncer em 2016, estima o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca). Para o ano seguinte, a previsão é que esse número se repita, chegando a quase 1,2 milhão de casos em dois anos.

A estimativa para os anos de 2016 e 2017 foi divulgada hoje (27), como parte da campanha do Dia Nacional de Combate ao Câncer. De acordo com o instituto, 300.870 mulheres e 295.200 homens devem apresentar a doença por ano.

O câncer de pele não melanoma deve ser o de maior incidência no país para ambos os sexos, com 175.760 casos previstos por ano, número que corresponde a 29% dos casos estimados.

O segundo câncer mais incidente em mulheres deve ser o de mama, com 57.960 casos em cada ano. Em homens, o de próstata deve vir em seguida, com 61.200 casos.

As mulheres terão ainda entre os tipos mais incidentes o de cólon e reto, com 17.620, o de colo do útero, com 16.340, e pulmão, com 10.860.

Para os homens, o câncer de pulmão será o terceiro mais incidente, com 17.330, seguido do de cólon e reto, com 16.660, e do de estômago, com 12.920 novos casos estimados para cada ano.

Fatores relacionados

O envelhecimento da população é um dos fatores que contribuem para a incidência da doença no país, assim como a qualidade das informações e da assistência prestada, mas o instituto destaca que o excesso de gordura corporal está relacionado a casos como o de cólon e reto, mama, ovário e próstata. O tabagismo é outro fator relacionado a casos de câncer, como pulmão, laringe e esôfago.

Para o vice-diretor-geral do Inca, Luiz Felipe Ribeiro, a prevenção do câncer deve ser um tema que mobilize não apenas o governo, mas também toda a sociedade: "Esse desafio é da população brasileira como um todo. Cabe a cada cidadão fazer o seu papel para que a gente possa reverter esses quadros."

Comparativo

Segundo o Inca, não é possível comparar as estimativas para 2016 e 2017 com os anos anteriores, por mudanças na metodologia e na base de dados. As informações são usadas para o planejamento de políticas públicas de saúde. O instituto chama a atenção para o fato de que 60% dos casos de câncer no Brasil são diagnosticado em estágio avançado.

Atualmente, o câncer é a segunda maior causa de morte no Brasil, com 190 mil casos por ano, mas o Inca prevê que, em 2020, a doença ocupe a primeira posição.


Coreia do Sul diz que terá tolerância zero à violência em protestos antigoverno

Da Agência Lusa Edição: Graça Adjuto

O ministro da Justiça da Coreia do Sul voltou a dizer hoje (27) que haverá tolerância zero a atos violentos durante protestos nas vésperas de uma manifestação antigovernamental marcada para a próxima semana em Seul.

Em um discurso transmitido pela televisão nacional, Kim Hyun-Woong afirmou que o Governo está determinado em “erradicar” qualquer desordem pública, sublinhando que os infratores vão “pagar o preço”.

O ministro fez uma advertência idêntica antes de um protesto antigovernamental no último dia 14, na capital, que contou com a adesão de cerca de 60 mil pessoas e acabou em confrontos entre os manifestantes e a polícia, que usou gás pimenta e canhões de água para manter a ordem.

Uma manifestação similar foi convocada para o próximo dia 5. O foco dos protestos é abrangente, indo desde a oposição a reformas trabalhistas até a abertura do setor agrícola e os planos de imposição de livros de história, produzidos pelo governo, nas escolas.

A presidente sul-coreana, Park Geun-Hye, condenou o protesto de 14 de novembro, qualificando-o como um esforço para “negar o Estado de Direito” e defendeu medidas contra aqueles que foram identificados como incitadores à violência.

Ela também defendeu que o uso de máscaras pelos manifestantes deveria ser proibido, argumentando que esse é o tipo de prática adotada pelo grupo extremista Estado Islâmico.

O seu partido, o conservador Saenuri, apresentou na quarta-feira (25) uma proposta de lei ao Parlamento para banir as máscaras.

O protesto de 14 de novembro foi liderado pela Confederação de Sindicatos (KCTU) e pela federação de associações de agricultores, conhecida como Junnong.

O presidente da KCTU, Han Sang-Kyun, acusado pela polícia de incitar a violência durante o protesto, refugiou-se no interior de um grande templo budista em Seul, nas últimas duas semanas.

O ministro da Justiça da Coreia do Sul instou Han Sang-Kyun a entregar-se, advertindo que quem quer que o tenha ajudado a escapar da polícia também vai ser detido.


Mozart tinha uma irmã tão talentosa quanto ele

The Huffington Post  |  De Lauren Duca



A história é feita de histórias que contamos. Ou que deixamos de contar.

Essa é a tragédia de Maria Anna Mozart, apelidada de “Nannerl”.

Quando era pequena, Nannerl tinha tanto talento musical quanto Wolfgang Amadeus.

Crianças, os dois percorreram a Europa em turnê, sendo aclamados igualmente. Nannerl chegou a ser descrita como superior a seu irmão como instrumentista.

Mas, quando se tornou mulher adulta, apresentar-se em público deixou de ser visto como socialmente aceitável.

Enquanto o pai deles, Leopold, fomentava o talento de Wolfgang e o acompanhava em turnês pela Europa, Nannerl era deixada em casa para costurar e procurar um marido.

Dois séculos após a morte de seu irmão, Nannerl não passa de uma nota de rodapé na história de Mozart.

Como fato biográfico presente na infância e adolescência dele, ela é facilmente esquecida, vista apenas como uma irmã que ele tinha.

O monólogo The Other Mozart, que hoje percorre os Estados Unidos, dá voz a essa frustração, reimaginando a narrativa de Nannerl, que é encarnada com cabeleira enorme e personalidade que lembra uma Helena Bonham Carter excepcionalmente animada.

Usando a correspondência da família Mozart, a diretora e atriz Sylvia Milo criou uma versão das experiências de Nannerl imbuída de enorme compaixão pela artista que ela poderia ter sido.

The Huffington Post conversou com Sylvia sobre como foi produzir, escrever e protagonizar a peça, a força que existe no ato de contar histórias de mulheres e sobre negar-se a esquecer.



O que levou você a querer escrever The Other Mozart?

Cresci fazendo música, como violinista e pianista, e percebi que geralmente não ouvimos as histórias das mulheres, especialmente na área da música clássica.

The Other Mozart nasceu especificamente quando eu fui a Viena para um festival que festejava o 250º aniversário do nascimento de Mozart.

Fui para a casa de Mozart e vi o retrato familiar encomendado por Leopold Mozart. Foi a primeira vez que tomei conhecimento da existência de Nannerl.

O que me chamou a atenção foi que havia uma mulher sentada ao lado de Mozart e que parecia estar no mesmo patamar que ele.

Quando pesquisei como era Nannerl como instrumentista, descobri que os dois percorreram a Europa em turnês e que o nome dela apareceu em primeiro lugar em muitos dos concertos. No entanto, as composições dela não sobreviveram.

Achei que era uma história que precisava ser contada. Já que ninguém mais ia fazê-lo, resolvi cuidar disso eu mesma.

Muito pouco é sabido sobre Nannerl. Como você pesquisou a vida dela?

Foi difícil. Não existem biografias de Nannerl traduzidas ao inglês. Há duas em alemão, mas não falo alemão, infelizmente.

Então comecei minha pesquisa usando os materiais originais, as cartas. Havia também um livro intitulado Mozart's Women, muito bom, e de modo geral as biografias de Wolfgang, mas não havia nada especificamente sobre ela.

Então me concentrei nas cartas enviadas pela família. A imagem dela que é vista na peça vem dessas cartas.

Temos apenas algumas poucas cartas de Nannerl e sua mãe, mas temos a correspondência completa trocada entre Wolfgang e Leopold, porque as mulheres guardaram as cartas, embora os homens não as guardassem tanto.

A partir das cartas pude ter uma visão da família inteira, seus relacionamentos, suas esperanças, seus sonhos e todo o trabalho incrível envolvido em querer mudar-se de Salzburgo e viver uma vida melhor.

Como instrumentista, parece que Nannerl era melhor que Mozart. É o que dizem as críticas.

Como você captou o talento de Nannerl por meio desse processo?

Foram publicadas algumas resenhas sobre ela como instrumentista.

Uma dizia: “Imagine uma menina de 11 anos tocando as sonatas e os concertos mais difíceis dos maiores compositores, ao cravo ou ao piano, com precisão, leveza incrível e bom gosto impecável. Foi motivo de assombro para muitos.” Essa foi uma crítica real escrita, a respeito de Nannerl, não de Wolfgang.

Há outras também, de amigos e jornais. Há tanta coisa escrita sobre as duas crianças. E nas cartas, Leopold relatava a seus amigos tudo o que tinha acontecido. Ele transmitia a reação das pessoas a seus filhos e seu próprio assombro também. Temos tudo isso nos materiais de fonte.

Quando Nannerl foi deixada em casa [enquanto Wolfgang e Leopold viajavam em turnê], ela escreveu uma composição e a mandou a eles na estrada. Não temos a música, mas temos a reação de Wolfgang a ela. Quando a toca, na peça, ele diz:

“Não acredito que você componha tão bem. É belíssimo.”

Você acha que ela compôs outras obras que se perderam?

É muito provável que sim. Sabemos que ela estudou composição –temos cópias dos exercícios de composição que ela fazia. Então sabemos que ou ela estudou por conta própria, ou Leopold lhe falou sobre isso.

Mas não é algo que fosse incentivado em uma menina, porque não existia a profissão de compositora para uma mulher.

Há muitos elementos desconhecidos na história de Nannerl. Sabemos que ela compunha, mas não sabemos quanto.

Wolfgang parece ter se surpreendido ao receber a composição dela, indicando que não sabia que ela compunha, e a incentivou a compor mais.

Mas também temos as cartas do pai naquela época, em que ele nem sequer menciona o fato. Por isso parece que isso não era incentivado (em mulheres). Talvez fosse até desencorajado.

Outra coisa interessante é que Nannerl anotou algumas composições de Wolfgang quando ele era pequeno demais para colocá-las no papel.

Assim, é possível que algumas das composições de Wolfgang sejam dela. Também sabemos que quando ele estava em Londres, trabalhando sobre sua primeira sinfonia, ela escreveu tudo e fez os arranjos orquestrais para ele.

Não está claro qual era o âmbito da colaboração deles, mas Nannerl era uma música de grande talento.

Podemos dizer que Nannerl era tão talentosa quanto Mozart? Parece ser essa a visão mostrada na peça.

Como instrumentista, parece que Nannerl era melhor que Mozart. É o que dizem as críticas. Ela era mais velha que ele.

Os dois começaram a tocar na mesma época, mas Nannerl era um pouco mais velha que Wolfgang, então talvez ele tenha tido que se esforçar para alcançá-la. Mas quando estavam em turnê, ela era tão boa quanto ele ou melhor.

Em termos de composição, não sabemos. Acho que é justo considerar que Wolfgang não era alguém que pudesse mentir em uma carta à sua irmã.

Portanto, se ele elogiou a composição, tenho certeza que foi um elogio sincero. Mas, infelizmente, nunca teremos plena certeza. Essa é a tragédia.

Quando estudamos a história do ponto de vista da mulher, fica muito claro que não temos uma visão completa.

O que você acha que a levou a ser obrigada a deixar de fazer música? Por que ela foi tão esquecida?

Enquanto eu escrevia a peça, fiquei tentando decifrar de quem foi a culpa e o que foi que aconteceu. Não foi possível identificar uma só explicação. Foi uma combinação de muitos fatores.

Nas biografias de Wolfgang, as pessoas às vezes mencionam Nannerl. Na maioria dos casos, criticam o pai por fazer pouco caso de um filho e concentrar sua atenção sobre o outro. E eu entendo a razão disso: Wolfgang era menino.

Ele poderia exercer um papel remunerado na corte e cuidar da família e da irmã. Na realidade, esperava-se dele que cuidasse de sua irmã na idade adulta, se ela não se casasse.

As dificuldades econômicas da família Mozart contribuíram em muito para impedir Nannerl de fazer música.

Temos uma ideia equivocada sobre Mozart devido às roupas de época em que ele é retratado. Mas a família dele não era nobre ou rica.

Era uma família de classe média. A família contraiu grandes empréstimos para poder fazer aquelas turnês. Arriscou tudo para promover Mozart, para que ele pudesse melhorar a condição dela (da família).

As decisões tomadas por Leopold foram absolutamente lógicas.

Faziam sentido para a sobrevivência da família. Não o critico nada por isso.

Mesmo assim, devido à sociedade da época, havia compositoras mulheres, sim, mas apenas as que fossem da nobreza poderiam mostrar seu trabalho. As mulheres tinham que tocar de graça. Se ganhassem dinheiro fazendo música, seriam vistas como prostitutas. E não foi essa a situação de Nannerl Mozart. Ela não teve a oportunidade.

Parecia que havia um receio cultural profundo em relação à ideia de mulheres criativas.

As mulheres ainda eram vistas como pessoas que valiam menos que os homens. Considerava-se que elas deviam ficar em seu lugar, no lar, cuidando da família.

Chegava a se discutir se era possível uma mulher criar. Um crítico que li em minhas pesquisas disse que uma mulher não poderia ter filhos se criasse arte, porque gastaria toda sua criatividade. Havia ideias muito estranhas na época sobre as mulheres e a criação. Argumentava-se até que não é a mulher quem gera o filho, que é o homem quem o gera o filho e a mulher apenas o carrega no ventre. É assombroso.

Tendo feita esta pesquisa e escrito esta peça, como você hoje encara as mulheres na história? Há muita coisa que nos passou despercebida?

Acho que ignoramos metade da história. As mulheres não se limitavam a ficar em casa.

Mesmo apenas com minhas pesquisas, que foram muito voltadas à situação de Nannerl, vi indícios de muitas artistas mulheres que deixaram de ser citadas.

Por exemplo, depois da Revolução Francesa houve um período de tempo durante o qual se permitiu que mulheres apresentassem óperas nos teatros de ópera.

Houve muitas óperas de mulheres, mas então a novidade foi sufocada e proibida, e os homens voltaram. É revoltante. Quando estudamos a história do ponto de vista da mulher, fica muito claro que não temos uma visão completa.

Esta entrevista foi editada e resumida.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.


Fonte: HuffPost Brasil

Para diretora da ONU Mulheres, violência contra a mulher é a 'violação de direitos humanos mais tolerada no mundo'

HuffPost Brasil  |  De Andréa Martinelli



Para Phumzile Mlambo-Ngcuka, diretora executiva da ONU Mulheres, a violência contra a mulher é “a violação de direitos humanos mais tolerada no mundo” e é preciso enfrentar esse crime com urgência por todo o mundo.

A afirmação foi feita nesta quarta-feira (25), Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra a Mulher na ONU.

Segundo a ONU, Ngcuka destacou que a violência de gênero acontece por conta da desigualdade e discriminação contra a mulher, acrescentando que “sua contínua presença é uma das marcas mais claras do desequilíbrio das sociedades e mostramos determinação para mudar isso”.

Ela ainda ressaltou que estamos caminhando de forma positiva, citando que 125 países já adotaram leis contra o assédio sexual e 119 contra a violência doméstica. No entanto, segundo ela, apenas 52 países do mundo possuem leis contra o estupro conjugal.

“Sabemos que os líderes, sejam eles CEOs, primeiros-ministros ou professores – podem estabelecer o tom de zero tolerância para a violência. Apesar de não haver uma única solução para um problema tão complexo, há crescentes evidências de que certas ações podem impedir a violência antes que ela aconteça, especialmente se forem implementadas em paralelo. Além disso, investigações atualmente em curso vão gerar estratégias e intervenções mais definitivas de prevenção à violência”
Quem também se pronunciou sobre a situação da mulher no mundo foi o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon. Ele expressou preocupação em relação aos crimes cometidos contra mulheres e meninas em áreas de conflito, “que sofrem várias formas de violência, assédio sexual, escravidão sexual e tráfico. Extremistas violentos estão pervertendo os ensinamentos religiosos para justificar a subjugação e abuso de mulheres em massa”.

No Brasil

Em um ano, morreram assassinadas 66,7% mais mulheres negras do que brancas no Brasil. Essa é uma das conclusões do Mapa da Violência 2015, divulgado pela Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso), e que, nesta edição, foca na violência de gênero no País.

Quando foi divulgado, no começo de novembro, estudo foi considerado inovador pela representante da ONU Mulheres Brasil, Nadine Gasman, ao revelar a "combinação cruel" que se estabelece entre racismo e sexismo: em uma década (a pesquisa abarca o período de 2003 a 2013), os feminicídios contra negras aumentaram 54%, ao passo que o índice de mortes violentas de mulheres brancas diminuiu 9,8%.

No total, em 2013, 4.762 mulheres foram assassinadas no País, posicionando-o no quinto lugar no mundo - só está melhor que El Salvador, Colômbia, Guatemala e Federação Russa.

Foram 13 homicídios femininos por dia: uma mulher morta a cada 1h50min. É o equivalente a exterminar todas as mulheres em 12 municípios do porte de Borá (SP) ou Serra da Saudade (MG), que têm menos de 400 habitantes do sexo feminino.

"As mulheres negras estão expostas à violência direta, que lhes vitima fatalmente nas relações afetivas, e indireta, àquela que atinge seus filhos e pessoas próximas. É uma realidade diária, marcada por trajetórias e situações muito duras e que elas enfrentam, na maioria das vezes, sozinhas", diz Nadine.

16 dias de ativismo

No Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra a Mulher nesta quarta-feira (25) e começo da campanha dos 16 dias de ativismo contra a violência de gênero, a ONU estreia iniciativa que convida a iluminarem o mundo de laranja, cor escolhida para simbolizar a igualdade entre homens e mulheres.


A ONU Mulheres anunciou que durante os 16 dias de ativismo, a diretora-executiva da agência, Phumzile Mlambo-Ngcuka, fará visitas aos três continentes destacando a necessidade urgente de gerar esforços para se dirigir à violência pandêmica em todas as esferas e em todos os setores da sociedade, durante eventos de alto nível em diferentes países, incluindo o Brasil.



Fonte: HuffPost Brasil

COP21: países vulneráveis a alterações climáticas se aliam para negociações

Da Agência Lusa


Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe fazem parte dos 43 países do mundo mais vulneráveis às alterações climáticas e unidos em uma aliança de "pressão e negociações", disse o  especialista guineense sobre clima Viriato Cassamá.

Os três países lusófonos fazem parte da aliança dos Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento, que representam 28% dos países em desenvolvimento, um quinto do total de membros da ONU e 5% da população mundial.

Em comum, eles têm também o fato de serem todos "altamente vulneráveis às alterações do clima", como toda a África, assinalou Cassamá.

O continente sofre devido à "fraca capacidade técnica e financeira para enfrentar os efeitos devastadores das alterações climáticas", notou o especialista guineense que já está em Paris para participar da conferência da Organização das Nações Unidas sobre alterações climáticas (COP21) como assessor do secretário de Estado do Ambiente de Guiné, Seco Cassamá.

Os três países de língua portuguesa estarão do mesmo lado nas negociações, que começam na segunda-feira (30), com o objetivo de levar os países poluentes a assumirem um compromisso com metas para a redução de emissões de gases de efeito estufa.

Coordenador de projetos ligados à agricultura, recursos hídricos e mudanças climáticas na Guiné-Bissau, Viriato Cassamá diz que falta conhecimento a estes países sobre as causas e consequências dos fenômenos climáticos.

"É preciso fazer um estudo mais aprofundado das vulnerabilidades. É preciso usar modelos matemáticos, porque grande parte das comunicações que se fazem na África são sobre aquilo que se vê, os depoimentos históricos. Mas é preciso, na verdade, usar a ciência", defendeu.

A COP21, que ocorrerá entre 30 de novembro e 11 de dezembro, vai reunir em Paris pelo menos 147 chefes de Estado e de Governo, entre os representantes de 195 países, que tentarão alcançar um acordo vinculativo sobre a redução de emissões de gases com efeito de estufa que permita limitar o aquecimento da temperatura média global da atmosfera a 2 graus centígrados acima dos valores registrados antes da revolução industrial.


Ministro vê possibilidade de forças sírias atuarem contra Estado Islâmico

Da Agência Lusa

O ministro dos Negócios Estrangeiros e do Desenvolvimento Internacional da França, Laurent Fabius Marcelo Camargo/Agência Brasil
O ministro dos Negócios Estrangeiros da França, Laurent Fabius, considerou hoje (27), pela primeira vez, a possibilidade de as forças do regime sírio poderem se associar à luta contra o grupo extremista Estado Islâmico.

De modo a combater os radicais da organização, “há dois conjuntos de medidas: os bombardeios e as forças em terra, que não vão ser as nossas, mas que devem ser as do Exército sírio livre [oposição], as forças árabes sunitas e, porque não, as do regime e, claros, os curdos”, declarou o chefe da diplomacia francesa à Rádio RTL.

O presidente sírio, Bashar Al Assad, “não pode ser o futuro do seu povo”, reiterou.

Segundo laurent Fabius, o objetivo militar permanece sobre Raqa, reduto do grupo jihadista na Síria, alvo de intensos ataques da aviação russa e francesa há vários dias.

“É para nós um dos primeiros objetivos militares, mesmo o principal, porque se trata do centro nevrálgico do Daesh [nome árabe de Estado Islâmico], onde foram planejados os atentados contra a França”, disse.

Após a visita, nessa quinta-feira (26), do presidente francês, François Hollande, ao presidente russo, Vladimir Putin, os dois países concordaram em “coordenar” as suas ações contra o Estado Islâmico e reforçar a “troca de informações” para combate ao grupo, que reivindicou os atentados de 13 de novembro em Paris e o abate de uma avião de passageiros russo sobre o Monte Sinai, no Egito, provocando a morte dos seus 224 ocupantes, em 31 de outubro passado.


Estado Islâmico reivindica autoria de atentado em mesquita de Bangladesh

Da Agência Lusa


O grupo extremista Estado Islâmico reivindicou a autoria de um atentado ocorrido nessa quinta-feira (26) contra uma mesquita xiita em Bangladesh, que deixou um morto e três feridos, informou hoje o Site, com sede nos Estados Unidos, que monitora portais islâmicos.

O ataque ocorreu durante as orações do fim da tarde, um dia depois de a polícia ter matado a tiros um líder islamita acusado de lançar granadas contra o principal santuário xiita do país, na capital, Daca, no mês passado, deixando duas pessoas mortas.

Homens armados entraram na mesquita de Shibganj, a cerca de 125 quilômetros ao norte de Daca, abrindo fogo contra os fiéis.

Imagens de televisão mostram a mesquita sob forte aparato policial, com janelas quebradas e manchas de sangue no chão.

A polícia informou que o muezim (o responsável pelo chamamento dos fiéis à oração) foi morto e que três fiéis ficaram feridos no tiroteio, um raro ataque contra a minoria xiita em um país de maioria sunita.

Segundo o Site, a rede de vigilância dos movimentos jihadistas, o Estado Islâmico reivindicou a autoria do ataque em mensagem divulgada na rede social Twitter.

As autoridades de Bangladesh haviam informado não haver provas de que militantes da organização estavam ativos no país.

O movimento extremista, no entanto, reivindicou a autoria de uma série de ataques em Bangladesh, incluindo o da semana passada contra um padre italiano, que ficou gravemente ferido.


Diálogo entre religiões é 'essencial', diz papa na África

Reuters



O papa Francisco disse nesta quinta-feira (26) no Quênia, país onde têm ocorrido ataques de militantes islamistas, que o diálogo entre as religiões na África é essencial para ensinar os jovens que a violência em nome de Deus é injustificada.

Resolver as divisões entre muçulmanos e cristãos é o principal objetivo de sua primeira turnê no continente, a qual também inclui Uganda, país que, como o Quênia, tem sido alvo de uma série de ataques islamistas, e à República Centro-Africana, dilacerada por conflitos sectários.

Iniciando a viagem pela capital queniana, Francisco se encontrou com muçulmanos e outros líderes religiosos antes de celebrar uma missa ao ar livre para dezenas de milhares de pessoas encharcadas pela chuva, que cantaram, dançaram e ulularam quando ele chegou num papamóvel aberto.

"Muitas vezes os jovens estão se radicalizando em nome da religião para semear a discórdia e o medo, e para rasgar a estrutura das nossas sociedades", disse ele a cerca de 25 líderes religiosos.

O diálogo inter-religioso "não é um luxo. Não é algo extra ou opcional, mas essencial", disse o pontífice, sublinhando que o nome de Deus "nunca deve ser usado para justificar o ódio e a violência".
Ele se referiu aos ataques da Al Shabaab, grupo islamista da Somália, no centro comercial Westgate Nairobi e na universidade de Garissa, este ano. Centenas de pessoas foram mortas nos últimos dois ou três anos, e os cristãos às vezes são o alvo preferencial de homens armados.

O presidente do Conselho Supremo dos Muçulmanos do Quênia, Abdulghafur El-Busaidy, fez um apelo pela cooperação e tolerância. "Como pessoas de um só Deus e deste mundo, temos de nos posicionar, e em uníssono", disse o papa.

O giro africano de Francisco também busca a aproximação com a crescente população católica do continente, que deve chegar a meio bilhão de pessoas até 2050.

Um terço dos 45 milhões de habitantes do Quênia é católico.


Fonte: HuffPost Brasil

Ganhador da Mega-Sena doa bilhete premiado para menino que precisa de transplante

Claudia  |  De Redação CLAUDIA

Um caso em Belo Horizonte, Minas Gerais, é daqueles que restauram nossa fé na humanidade.

Um apostador da Mega-Sena doou um bilhete premiado de quadra para Matheus, uma criança que sofre de displasia neuronal no intestino:


Esse problema é sério, exige um transplante caríssimo - cerca de R$ 4 milhões - e que só pode ser realizado nos Estados Unidos.

Devido a falhas no funcionamento do órgão, o pequeno não pode se alimentar. Toda a nutrição a hidratação é feita via sonda, ligada permanentemente a ele.

O benfeitor não sabia como entregar o bilhete, então deixou o ticket, anexado a uma carta endereçada à família de Matheus, aos cuidados do jornalista Rodrigo Genta, da TV Bandeirantes de BH. A doação tem valor de R$ 719,92.


Fonte: HuffPost Brasil

Aumento de violência entre palestinos e israelenses preocupa Brasil, diz Dilma


Paulo Victor Chagas – Repórter da Agência Brasil Edição: Aécio Amado

Em mensagem enviada ao secretário-geral das Nações Unidas, Ban ki-moon, pelo Dia Internacional de Solidariedade com o Povo Palestino, celebrado no próximo domingo (29), a presidenta Dilma Rousseff disse que a falta de uma solução pacífica para o conflito entre Israel e a Palestina continua a ser uma ameaça à paz e à segurança internacional, e que o Brasil acompanha com preocupação o aumento da violência contra cidadãos da região. A presidenta reiterou o compromisso do governo brasileiro com o estabelecimento de um Estado Palestino soberano.

Dilma lembrou que em 2010 o Brasil reconheceu formalmente o Estado da Palestina e defendeu que haja viabilidade econômica e um território próximo, "com capital em Jerusalém Oriental, convivendo lado a lado, em paz e segurança, com Israel, com base nas fronteiras internacionalmente reconhecidas de 1967".

Na mensagem, a presidenta promete que o Brasil vai continuar apoiando "ativamente" os esforços para que se alcance "paz justa e duradoura" na Palestina, baseada na "concretização do direito inalienável à autodeterminação do povo palestino". Dilma afirmou que o aumento no número dos assentamentos ilegais e os ataques inspirados por ódio e extremismo religioso constituem "sérios obstáculos" para que seja alcançada uma paz duradoura na região.

"A falta de uma solução pacífica para a questão da Palestina continua a ser uma ameaça à paz e à segurança internacional. Passos concretos para alcançar prontamente a solução de dois Estados devem ser tomados, de forma a romper o círculo vicioso da violência. Ambas as partes devem retomar as negociações em boa fé, com base nos princípios e parâmetros estabelecidos pelo Direito Internacional e as resoluções pertinentes das Nações Unidas", disse ainda Dilma Rousseff.


Em visita ao Japão, Dilma vai tratar de embargo à carne brasileira

Ana Cristina Campos – Repórter da Agência Brasil Edição: Beto Coura

A presidenta Dilma Rousseff visitará o Japão na próxima semana e vai tratar da retomada da venda de carne processada bovina brasileira, embargada desde 2012. “A expectativa é que, por ocasião da visita, a carne termoprocessada do Brasil possa ter ingresso facilitado no mercado japonês”, disse o subsecretário-geral de Política II, do Ministério das Relações Exteriores, embaixador José Alfredo Graça Lima.

Pelo lado brasileiro, segundo o embaixador, foram concluídas as análises técnicas para a abertura do mercado nacional para a carne japonesa do tipo premium, como são conhecidos os produtos de qualidade superior.

“Tem havido uma negociação entre as partes brasileira e japonesa para que, no contexto da visita, se possa anunciar a reabertura de carne termoprocessada brasileira e a [abertura para a] carne in natura japonesa do tipo premium. Espera-se que até a visita possa ser concluída, de lado a lado, a liberação recíproca”, completou a ministra Cecília Ishitani, chefe da divisão de Japão e Península Coreana do ministério.

De acordo com o embaixador, a presidenta estará em Tóquio nos dias 3 e 4 de dezembro acompanhada de uma missão empresarial que contará com o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, Luciano Coutinho, e do presidente da Vale, Murilo Ferreira.

Em 2014, o fluxo comercial entre os países alcançou US$ 12,6 bilhões, com superavit de US$ 800 milhões para o Brasil. O Japão é o sexto parceiro comercial, quinto destino das exportações brasileiras e ocupa o quinto lugar como origem de investimentos estrangeiros diretos no Brasil.

A ideia da visita é tentar diversificar a pauta de exportações brasileiras para o mercado japonês muito concentrada em matérias-primas e incrementar o investimento do Japão no Brasil. “O governo brasileiro tem expectativa de investimentos em infraestrutura e logística e os japoneses mostraram interesse nos setores ferroviário e portuário no Centro-Oeste e na região do Matopiba [formado por terras do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia]”, disse o subsecretário-geral.


COP21 e Vietnã

Na segunda-feira (30), a presidenta vai participar da abertura da 21ª Conferência das Partes (COP21) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, em Paris. A COP 21 vai até o dia 11 de dezembro e tem como objetivo chegar a um novo acordo global climático.

Nos dias 1º e 2 de dezembro, ela fará visita ao Vietnã, membro da Associação de Nações do Sudeste Asiático, onde também estará acompanhada de empresários. O fluxo de comércio entre os países é US$ 3,17 bilhões. “O foco do Brasil no Vietnã é criar condições para aumentar exportações de maior valor agregado”, afirmou Graça Lima.


Gestantes devem reforçar cuidados com o Aedes aegypti, diz Alexandre Padilha

Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil Edição: Fábio Massalli

Dois casos de microcefalia registrados recentemente na cidade de São Paulo estão sendo investigados por poderem ter relação com o vírus Zika, mas, em ambos, as mulheres apresentaram sintomas da doença no início da gravidez, quando ainda moravam no Nordeste. O secretário municipal de Saúde, Alexandre Padilha, disse que a população precisa reforçar o combate ao mosquito Aedes aegypti, que transmite tanto o vírus Zika quanto a dengue, pois a dengue é potencialmente mais grave para uma gestante do que o vírus Zika.

O secretário disse que, para as gestantes ou mulheres que desejam engravidar,  é preciso reforçar os cuidados, principalmente dentro de casa, combatendo os criadouros do mosquito. “Mais de 80% dos focos de dengue na cidade de São Paulo está dentro da casa das pessoas”, disse. Também é importante que a gestante faça sempre o pré-natal adequado desde o início da gravidez.

"Em relação às mulheres, tanto as gestantes quanto quem pretende engravidar ou planejar a gravidez, o que tenho dito é que a dengue é potencialmente mais grave para uma gestante do que o vírus Zika. Temos relatos de óbitos de gestantes com dengue. Temos relatos de aborto no período de infecção por dengue e de comprometimento do feto. Uma gestante que pega dengue tem um risco maior de ter um caso grave de dengue. Quem é gestante ou planeja engravidar tem de saber que precisa ter cuidados redobrados em relação à dengue. Se tomar cuidados com relação à dengue, ela já estará tomando cuidados com relação ao vírus Zika e à chikungunya”.

Os dois casos de microcefalia registrados na capital paulista, segundo Padilha, são de gestantes vindas de Pernambuco e da Paraíba e que apresentaram sintomas de vírus Zika no início da gravidez, quando ainda moravam no Nordeste. Uma delas deu à luz na semana passada no Hospital Municipal Mário Degni, no Butantã, zona oeste da capital. A outra recebeu o diagnóstico de microcefalia em um exame de imagem.

“As duas têm história clínica sugestiva no início da gravidez, muito antes de virem para São Paulo e por isso há a suspeita”, disse o secretário. No entanto, ele alertou que não há risco de que elas possam transmitir a doença para outras pessoas em São Paulo. “Não existe ligação possível delas [as gestantes] serem transmissoras do vírus Zika para a cidade de São Paulo, porque o período de epidemia é muito curto”, disse.

Segundo o secretário, São Paulo não registrou aumento no número de casos de microcefalia na cidade em 2015. A cidade costuma registrar entre 10 e 15 casos a cada ano e, neste ano, foram notificados 12 casos, o que ele considera dentro da média.

Quanto aos casos de vírus Zika, Padilha disse que a cidade de São Paulo ainda não recebeu nenhuma notificação de transmissão. “Tivemos três casos confirmados de vírus Zika na cidade de São Paulo e foram de pessoas que adquiriram em outros estados do país, sobretudo na Região Nordeste. Temos sete casos que estavam em investigação e não houve confirmação”, disse.

O secretário alerta que, mesmo que ainda não tenha ocorrido a transmissão de vírus Zika na cidade, é importante sempre combater os criadouros do mosquito Aedes aegypti, que transmite tanto a dengue quanto o vírus Zika. “Toda cidade que tem o mosquito do Aedes aegypiti tem risco de ter transmissão do vírus Zika e do chikungunya. Por isso a importância de combate ao mosquito, que é a única forma de evitar casos de dengue, vírus Zika e chikungunya”, alertou.

Jogos de 2016 terão estrutura antiterror em todos locais de provas, diz general

Douglas Corrêa - Repórter da Agência Brasil Edição: Aécio Amado

O chefe do Comando de Operações Especiais do Exército, general Mauro Sinott, apresentou hoje (27), na Escola de Guerra Naval (EGN), no Rio, o planejamento de ações antiterror que será executado durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. O militar disse que em todos os locais de competições haverá uma estrutura especifica antiterror. Ele explicou que a distribuição de centros de enfrentamento ao terrorismo se dará a partir do Comando Conjunto de Prevenção e Combate ao Terrorismo, ligado ao Comando Militar do Leste, no Rio de Janeiro.

Nas cidades-sede onde ocorrerão as partidas de futebol e nas áreas de provas olímpicas no Rio de Janeiro, existirão os chamados Centros de Controle Tático Integrado (CCTI). De acordo com o general Sinott, “toda a estrutura de força do Ministério da Defesa estará fracionada em cada local de competição, com condições para agir junto das forças de segurança pública em caráter de pronta resposta, o que é fundamental”.

O militar disse ainda que a partir dessa estratégia todo o trabalho das Forças Armadas, especialmente no setor de Defesa Química, Bacteriológica, Radiológica e Nuclear, poderá ser aliada ao trabalho de segurança pública. O general Sinott ressaltou a importância do trabalho integrado que vem sendo desenvolvido pelos diversos órgãos de segurança.

“Conseguimos construir um ambiente de interação com todas as forças de segurança pública, num formato de integração total para podermos ter agilidade, não só nas ações de inteligência como também para o emprego da força, caso seja preciso”, afirmou.

O comandante de Operações Especiais do Exército falou também sobre o plano que será executado pelo Ministério da Defesa, em parceria com a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e o Ministério da Justiça, com a finalidade de capacitar pessoas envolvidas em diversas atividades durante os Jogos para que estejam alertas a situações suspeitas e denunciem.

“Nosso objetivo é atingir o máximo de pessoas para que elas estejam atentas ao papel preventivo de suma importância, que elas também terão nesse processo”. O general Sinott disse que nos próximos meses será iniciado o processo de sensibilização, que terá como foco pessoas que trabalharão nas Olimpíadas e que estarão em espaços com grande presença de público, como hotéis, bares, além daqueles que cuidam da parte de serviço, como taxistas e motoristas de ônibus.

As ações de enfrentamento ao terrorismo do Ministério da Defesa para os Jogos Rio 2016 foram apresentados durante um encontro internacional promovido pela Secretaria Extraordinária de Grandes Eventos do Ministério da Justiça, que reuniu durante três dias, na Escola de Guerra Naval, no Rio, representantes de mais de 70 países que participarão das competições no ano que vem.


Fogo na Chapada Diamantina afeta revitalização da bacia do Rio Paraguaçu

Edwirges Nogueira - Correspondente da Agência Brasil Edição: Jorge Wamburg

O Rio Paraguaçu, o maior rio do território baiano, está sendo prejudicado pelos incêndios na Chapada Diamantina, que ocorrem há pelo menos um mês. O fogo já consumiu a vegetação de várias nascentes e afeta um projeto de revitalização da bacia do Paraguaçu, coordenado pela Conservação Internacional (CI-Brasil).

Dos 70 hectares da área demonstrativa de restauração, onde foram plantadas mudas nativas para a recuperação de matas ciliares, oito hectares já foram devastados pelos incêndios. A informação é do geógrafo Rogério Mucugê, gerente de projetos da organização. Outro trabalho afetado é o de coleta de sementes para a produção de mudas, pois algumas das áreas onde essas sementes eram coletadas também foram queimadas.

“Teremos de fazer novamente o trabalho nessas áreas, do zero. Os incêndios afetam não só as ações do projeto como qualquer ação de recuperação ambiental das margens do Paraguaçu, além de provocarem prejuízos econômicos, culturais, sociais e ambientais para a Bahia, não só para a Chapada”, afirma Mucugê. O projeto é realizado em parceira com o governo do estado e patrocinado pela Petrobras. O rio Paraguaçu é responsável pelo abastecimento de 60% da população da Região Metropolitana de Salvador.

Incêndios na Chapada Diamantina são constantes e ocorrem todo ano entre agosto e fevereiro, período mais seco e com menos chuva no Nordeste. Esse cenário, conforme o geógrafo, tende a piorar devido ao aquecimento global e ao El Niño, fenômeno que afeta os regimes de chuva em regiões tropicais.

“O El Niño potencializa a seca nesta região. As matas ciliares, que protegem os rios, amenizam esses efeitos, mas elas estão sendo queimadas. Sem que haja um planejamento territorial integrado para combate e prevenção de incêndios, a perspectiva para futuro é essa situação piorar”, diz Mucugê. Esse planejamento, segundo o geógrafo, envolve governo, sociedade civil, empresas e demais usuários que utilizam e se beneficiam dos recursos naturais da Chapada Diamantina.

O Parque Nacional, gerenciado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), realiza fiscalizações, atividades educativas e monitoramento em mirantes naturais e em antenas de telecomunicações como meios de prevenir incêndios, inclusive os propositais. Já o combate é realizado com o uso de abafadores e bombas-costais de água e com a ação de brigadistas do parque e de voluntários.

Atualmente, mais de 200 pessoas estão envolvidas no combate aos incêndios na Chapada Diamantina.



ONG prepara educadores para ajudar jovens a lidar com questões ligadas ao HIV

Flávia Albuquerque – Repórter da Agência Brasil Edição: Nádia Franco

Rovena Rosa/Agência Brasil

A Fundação Poder Jovem lançou hoje (26) um projeto de capacitação de cerca de 200 líderes de educação de 75 escolas públicas para fazer palestras sobre HIV e temas importantes para os adolescentes. O projeto, em parceria com a Diretoria Regional de Ensino Centro-Oeste de São Paulo, deve durar dois anos.

O objetivo é criar ferramentas que os professores possam ajudar os adolescentes nos conflitos típicos desta faixa etária, incluindo questões ligadas ao virus HIV, causador da aids. Conforme dados do Ministério da Saúde, o índice da doença entre os jovens de 16 a 24 anos aumentou 40% de 2006 até este ano. Em São Paulo, a incidência aumentou 21,5%, segundo a Secretaria de Estado da Saúde.

“O seminário foi feito para aumentar o conhecimento, a sensibilização e a conscientização de líderes gestores de educação. Estão aqui os diretores e coordenadores pedagógicos para serem sensibilizados pela visão do paciente e da pessoa que convive com pacientes. Vamos falar dos conflitos que essas pessoas enfrentam”, disse a diretora da Fundação Poder Jovem, Glória Brunetti, médica do Instituto de Infectologia Emílio Ribas.

De acordo com a infectologista, posteriormente, os professores serão capacitados pela organização não governamental (ONG) e, por isso, é preciso analisar cada escola onde as informações serão passadas para que a orientação seja eficaz e as ações deem resultado. “Tentaremos personalizar essas ações. Temos que entender que as dificuldades variam de lugar para lugar – às vezes, vamos para as unidades com um discurso que não combina. Por isso, tentaremos alinhar essa fala para alcançar a sensibilização de que precisamos.”

Glória Brunetti disse que a terceira etapa é fazer o projeto chegar a todos os jovens das escolas municipais e estaduais de São Paulo e dos demais estados do país.

Em 2011, a ONG fez pesquisa com 16 jovens de 13 a 21 anos que participavam de seus projetos e tinham nascido com o vírus HIV. O levantamento constatou que  62% deles frequentavam a escola, 42% tinham relações afetivo-sexuais, mas só 37% faziam atividades físicas, e que 87% já haviam sido internados. “A pesquisa também detectou que alguns não tomavam o remédio porque não tinham disciplina, porque não queriam sentir os efeitos colaterais e porque tinham que esconder essa realidade dos outros”, disse a médica.

A assessora técnica de Coordenação e Prevenção e Articulação Social do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Alícia Kruger, ressaltou que, por causa das restrições nos planos Nacional e Estadual de Educação, ficou muito difícil entrar nas escolas para falar sobre doenças sexualmente transmissíveis, gênero e sexualidade. “As dificuldades para tratar desses assuntos na escola existem porque a maioria desses alunos é menor de idade e está sob a tutela dos pais, que não concordam com a temática nas escolas."

Alícia disse que outra questão é que vive-se atualmente um período de grande conservadorismo político o que impede de falar sobre os temas. "Por isso, projetos como o da Fundação Poder Jovem são maravilhosos, e nós queremos estar junto com essas iniciativas”, afirmou.

Aceitar realidade é difícil

Ingrid Caroline de Oliveira, que tem 20 anos, nasceu com o vírus HIV. Ela contou que começou a aceitar sua realidade há pouco tempo, quando passou a fazer parte da fundação. “Minha maior dificuldade sempre foi me aceitar e aderir ao tratamento, porque os efeitos colaterais são muito fortes. Infelizmente, ainda há o tabu de que uma pessoa com HIV não pode ter uma vida normal. Eu vivo normalmente, apenas tenho que ter mais cuidados com a saúde”, afirmou.

A família escondeu a doença de Ingrid até que ela completou 12 anos e, na escola, os professores de educação física a proibiram de participar das aulas, alegando que ela poderia se machucar e transmitir a doença para os colegas. “Tomar remédios se tornou sinônimo de doença e eu fiquei em depressão. Eu também não participava das aulas de biologia porque me afetava. Mas, quando completei 18 anos, minha família deixou por minha conta, eu conheci a Fundação e voltei a me cuidar.”

O conhecimento tardio da doença também foi uma realidade na vida de Josi Morais, de 31 anos, que também nasceu infectada. Para Josi, fazer o tratamento é o mais difícil, porque a criança tem de se acostumar a tomar o remédio todos os dias. “Chega uma hora que enjoa, dá vontade de largar e uma hora a gente sempre falha. Mas a cobrança é muito grande.”

Embora diga que nunca sofreu preconceito, ela ressaltou que é muito difícil falar do HIV, principalmente quando se cresce com o segredo. “Quando se cresce com o tabu, a gente se torna um adulto com dificuldade de falar do assunto. Hoje já não tenho tanto problema, porque estou com 31 anos e já passei por todas as fases. Eu tomava remédio sem saber para que, minha mãe faleceu com HIV e eu não sabia  de que ela tinha morrido. O HIV envolve toda a vida social, embora tenha tratamento”, destacou Josi.