Priscilla Presley revela última conversa com Elvis Presley, dias antes da morte dele

The Huffington Post UK  |  De Caroline Frost




Priscilla Presley revelou detalhes da última conversa que teve com o ex-marido Elvis Presley, dias antes da morte do cantor, em 1977

Priscilla, casada com Elvis por seis anos até o casal se divorciar amistosamente, em 1973, disse em entrevista ao apresentador de TV britânico Jonathan Ross que estava preocupada com o bem estar do ex-marido, mas que era incapaz de ajudar.

“Conversamos alguns dias antes de ele falecer, o que foi muito difícil, [eu estava] perguntando se ele estava bem e se estava empolgado para sair em turnê, e ele estava”, lembra ela.
“Ele amava o trabalho, mas estava lidando com várias questões... decisões que tinha de tomar... então não era fácil.”

Elvis e Priscilla se casaram em Las Vegas, em 1967

Admitindo estar preocupada com o ex-marido, ela diz: “Eu estava [preocupada], mas Elvis, ele achava que estava bem.
Ele não era o tipo de pessoa para quem você pudesse simplesmente dizer: ‘Você tem de se cuidar...’ Era difícil para todo mundo fazer alguma coisa, porque no final das contas a decisão era dele, e ele achava que estava bem.”
Falando sobre Elvis ao longo dos anos, depois da separação, Priscilla diz: “Era duro, Elvis ficava meio perdido e basicamente achava que estava envelhecendo. Ele estava lidando com várias questões, se isolando, e era difícil, sim.”

Priscilla conheceu Elvis quando era adolescente. O cantor estava na Alemanha, como o Exército americano. Surpreendentemente, houve poucas reações quando ele levou a jovem amante de volta para sua casa, em Memphis.

Priscilla morou em Graceland até o casamento, em Las Vegas, no ano de 1967.

Ela falou a Jonathan Ross sobre essa época da vida, admitindo que perdeu muito da adolescência à sombra do marido superstar:

“Você começa a ser perder, e as pessoas sempre queriam, e ainda querem, saber dele, e entendo isso agora melhor do que quando era mais nova.

Estava meio perdida em relação a quem eu era, não tive adolescência, aprendi muito sobre ele e passei tanto tempo com ele que pensava como ele, sabia do que ele gostava, do que ele não gostava, sabia o que ele estava pensando, sabia tudo o que se pode saber quando você vive com alguém sendo tão jovem...

Hoje em dia estou muito mais à vontade em relação a isso, porque agora sei quem sou e sou capaz de falar sobre o assunto.”


Elvis e Priscilla – ainda amigos, imediatamente depois de assinar o divórcio, em 1973

Priscilla também revela que Elvis era “germofóbico”: “Uma das coisas que ele fazia – principalmente quando era mais novo – ele não gostava de ir à casa das pessoas porque não gostava de comer com os talheres dos outros”.

“Então ele levava os próprios talheres. Ele não gostava de beber da xícara copo dos outros, até mesmo em restaurantes ou na casa de outras pessoas. Ele sempre bebia do lado da asa da xícara, sabendo que ninguém faria a mesma coisa.”

“Ele era meio germofóbico, então?”, pergunta Jonathan.

“Sim, um pouco”, responde Priscilla. “Ele não gostava de ficar perto de coisas que eram muito manipuladas por outras pessoas... Ele era assim quando pequeno, quando era criança...

Acho que ele não gostava de colocar a boca onde outras pessoas colocavam a boca, talheres, esse tipo de coisa que você leva à boca.”

Falando sobre o momento em que soube da morte de Elvis, Priscilla admite que ficou “absolutamente devastada, até hoje é difícil acreditar”.


Fonte: HuffPost Brasil

Marina Silva: 'É o atraso na política que está produzindo os problemas que temos no Brasil'

Estadão Conteúdo



A ex-candidata à presidência, Marina Silva (Rede), criticou nesta sexta-feira (20), durante evento em Nova York, a forma como a política é feita no País e disse que é preciso acabar com o que chamou de "dualidade opositiva", fazendo referência tanto aos partidos de oposição quanto aos de situação no Brasil.

"Há uma insatisfação muito grande com a quantidade e qualidade da participação e representação política. Não se faz aquilo que é necessário, mas o que é conveniente. Estamos sacrificando os recursos de milhares de anos pelo lucro de algumas décadas", disse Marina, diante de uma plateia formada majoritariamente por acadêmicos brasileiros e estrangeiros na Universidade Columbia.

"Não há como uma mudança dessa magnitude ser feita por apenas uma pessoa, um partido, um setor. É uma luta de todos ao mesmo tempo agora.”

Primeira palestrante desta sexta-feira no Lemann Dialogues 2015, evento promovido em parceria entre a Fundação Lemann e Columbia Global Centers Rio de Janeiro que este ano discute inovações em políticas públicas brasileiras, Marina Silva falou sobre sustentabilidade, crise, ajuste fiscal e reforma política no Brasil.

"É o atraso na política que está produzindo os problemas que temos no Brasil. O que está acontecendo é responsabilidade de todos nós", disse Marina, que também comentou as denúncias contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). "É no Conselho de Ética que ele terá a oportunidade de refutar as provas contundentes que ali estão apresentadas contra ele", avaliou.

A ex-candidata à presidência também aproveitou sua fala para abordar a criação de seu novo partido, a Rede Sustentabilidade. "A Rede não tem a pretensão de ser a resposta. Espero que possamos ser o partido da transição para novos processos", disse.

Após a sua palestra, Marina falou com a reportagem e disse que apenas o ajuste fiscal não resolverá o problema do País. "Tenho insistido na ideia de um 'ajuste Brasil' para que os cortes não prejudiquem as pessoas e que mude a ideia de governabilidade baseada na distribuição de cargos do Estado", disse. "Não faz sentido fazer sacrifícios para emprestar dinheiro a juros baixos a meia dúzia de escolhidos do governo.”

Mariana

A ex-candidata também comentou o desabamento das barragens da Samarco, em Mariana. "Não foi um acidente natural, mas um crime ambiental. Havia avaliações técnicas que já haviam notificado a empresa, que poderia ter tomado medidas, como barreiras de contenção, criando um sistema de alerta eficiente, treinando a população local, por exemplo", disse Marina.

Marina Silva iniciou sua carreira política em 1984 na CUT e já foi vereadora, deputada, senadora e ministra do Meio Ambiente em 2003, durante o governo Lula. Em 2014, concorreu à presidência da Brasil em aliança com o PSB, ficando em terceiro lugar na disputa. O Lemann Dialogues é promovido em parceria entre a Fundação Lemann e Columbia Global Centers Rio de Janeiro.


Fonte: HuffPost Brasil

Bélgica aumenta alerta de terrorismo para nível máximo

Da Agência Lusa


A Bélgica aumentou para o nível máximo o alerta de terrorismo, que significa “ameaça iminente”, anunciaram hoje (20) as autoridades belgas.

“Após a última avaliação, o gabinete de crise aumentou o alerta para o nível 4, o que significa uma séria ameaça na região de Bruxelas”, diz o comunicado divulgado uma semana após os ataques do Estado Islâmico em Paris, que fez 130 mortos.

“A análise que foi efetuada demonstra uma ameaça séria que requer medidas específicas de segurança assim como a divulgação de recomendações especiais junto da população”, acrescenta o gabinete de crise que depende do Ministério do Interior.


Conselho de Segurança da ONU autoriza "todas as medidas" contra Estado Islâmico

Da Agência Lusa


O Conselho de Segurança das Nações Unidas adotou hoje (20) uma resolução que autoriza todos os países com capacidade a utilizarem “todas as medidas necessárias” para atuar contra o grupo extremista Estado Islâmico na Síria e no Iraque. A resolução, aprovada por unanimidade, foi apresentada pela França em resposta aos atentados do  dia 13 em Paris, que provocaram pelo menos 130 mortos.

O texto propõe “aumentar e coordenar” a luta antiterrorista e manifesta a intenção de reforçar as sanções contra cidadãos e entidades relacionados com o grupo extremista Estado Islâmico. O documento pede ainda para que seja feito um maior esforço para deter o fluxo de combatentes estrangeiros que viajam para o Oriente Médio.


Economia é o maior desafio do próximo presidente da Argentina, diz especialista

Monica Yanakiew – Correspondente da Agência Brasil Edição: Aécio Amado


Os dois candidatos à Presidência da Argentina encerraram a campanha nessa quinta-feira (19) pedindo aos 32 milhões de eleitores que, no domingo (22), escolham entre a continuidade, do governista Daniel Scioli, ou a mudança, do oposicionista Mauricio Macri. “Mas não importa quem seja o vencedor, o sucessor da presidenta Cristina Kirchner vai ter que fazer ajustes na economia, para corrigir os desequilíbrios”, disse em entrevista à Agência Brasil, o economista Fausto Spotorno. “O que está em discussão não é que medidas serão tomadas, mas sim com que rapidez”, acrescentou.

Segundo Spotorno, o principal desafio vai ser reativar a economia argentina, que há quatro anos deixou de crescer, e aumentar as exportações. “Mas para isso, a Argentina vai ter que desvalorizar o peso, como o Brasil e a Venezuela, para ganhar competitividade”, afirmou. Desde outubro de 2011, quando Cristina impôs controles cambiais para impedir a fuga de divisas, surgiu um mercado ilegal. O dólar oficial vale hoje 9,6 pesos e o blue (paralelo), 15 pesos.

Tanto Scioli, quanto Macri prometeram eliminar as medidas que hoje limitam o número de dólares (ou de qualquer outra moeda estrangeira) que os argentinos podem comprar no mercado oficial. Mas, enquanto o candidato oposicionista promete fazer isso tão logo assuma, o governista fala numa mudança gradual.

“Acabar com o cerco de vez é arriscado, porque o Banco Central tem poucas reservas: dos US$ 26 bilhões existentes, apenas US$ 4 bilhões estão disponíveis para serem usados e pode haver uma corrida e uma desvalorização brusca”, disse Spotorno. “Por outro lado, esperar para fazer o inevitável também é arriscado porque, com o cerco, não podemos atrair investimentos, nem conseguir os dólares que precisamos para manter o câmbio estável”.

O empresário Mauricio Macri – fundador do partido conservador Proposta Republicana (PRO) e ex-presidente do clube de futebol Boca Juniors  – disputa a Presidência pela aliança Cambiemos (Mudemos, em português). Ele diz ser o candidato da “mudança” - depois de 14 anos de governos do Partido Justicialista (Peronista), sendo que 12 de Nestor Kirchner (2003-2007) e de sua viúva e sucessora Cristina Kirchner.

O peronista Daniel Scioli - ex-campeão de motonáutica e ex-vice de Nestor Kirchner – e candidato da Frente para a Vitoria, promete governar com um estilo diferente dos kirchneristas, mais conciliador e aberto ao diálogo. Mas diz que vai manter os subsídios aos serviços públicos, planos sociais e fazer uma política econômica independente do Fundo Monetário Internacional (FMI).

“Mas, a verdade é que, no fundo, os dois têm propostas parecidas”, disse em entrevista à Agência Brasil o analista político Roberto Bacman. Segundo ele, Macri, na reta final da campanha, adotou um discurso mais “peronista”, prometendo manter as conquistas sociais do atual governo, enquanto Scioli afirmou que corrigirá os desequilíbrios herdados do atual governo, como a inflação anual de dois dígitos e reformar o Indec – o instituto que mede custo de vida e a pobreza na Argentina e que perdeu credibilidade, depois que o governo fez uma intervenção e modificou sua forma de calcular os índices.

Segundo Spotorno, o problema é que o governo não tem dinheiro para continuar gastando em subsídios e planos sociais. “Se emitir moeda, a inflação, que supera os 25% anuais, continuará crescendo”, diz o economista. “As únicas fontes de financiamento externo hoje são as exportações, que caíram por causa do câmbio pouco competitivo”. Para ter acesso a empréstimos do exterior (inclusive para financiar as exportações), a Argentina precisa antes negociar com a minoria de credores (7%), que não aceitou renegociar a dívida externa, depois do calote de 2001, e que tem mantido o país, até hoje, em default (falta).

Na reta final da campanha, Scioli apostou na polarização: diante do avanço do adversário nas pesquisas de intenção de voto, que consideram Macri o favorito, ele não perde oportunidade para alertar os indecisos (cerca de 11% dos eleitores) sobre os “perigos” da mudança. E Macri continuou pregando a mudança, sem explicar bem o que fará. Segundo ele, se conseguir estabelecer regras claras para o mercado, atrairá os dólares argentinos que hoje estão no exterior ou escondidos nos colchões.

“Os argentinos têm o equivalente a um Produto Interno Bruto (PIB) fora do sistema financeiro nacional”, disse Spotorno. “Mas ninguém pode garantir quanto e em que tempo esse dinheiro vai voltar”, acrescentou. Até porque, Macri – se for presidente – vai governar com minoria no Congresso: a Frente para a Vitoria tem maioria própria no Senado e é a primeira minoria na Câmara dos Deputados.


Dilma: Dia da Consciência Negra é oportunidade de afirmar luta contra o racismo

Da Agência Brasil Edição: Aécio Amado


O Dia da Consciência Negra é uma oportunidade de afirmar a luta contra o racismo, escreveu hoje (20) em sua conta no Twitter a presidenta Dilma Rousseff. “É importante ter consciência sobre nossa rica diversidade e avançar contra racismo. É necessário esforço e determinação. O lugar do negro é onde ele deseja estar”, disse.

 Missa afro em frente à Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos em comemoração ao Dia da Consciência Negra, em São PauloRovena Rosa/Agência Brasil

Segundo a presidenta, a Lei de Cotas, sancionada em 2012, o Programa Universidade para Todos (ProUni), e Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) deixam as universidades “com a cor do Brasil”. Dilma afirmou ainda que a Lei de Cotas no serviço público federal, sancionada em 2014, também produziu resultados. “Entre setembro de 2014 e abril de 2015, mais de 600 pessoas negras entraram por cotas na administração federal”.

O Dia da Consciência Negra é comemorado nesta sexta-feira em mais de mil cidades brasileiras. A data foi instituída em 2003 no calendário nacional e marca a morte de Zumbi dos Palmares, o último líder do maior quilombo do período colonial, o Quilombo dos Palmares.



Excesso de passageiros pode ter causado naufrágio de catamarã em São Luís

Marieta Cazarré - Repórter da Agência Brasil Edição: Fábio Massalli


Um catamarã que partiu na manhã de hoje (20) de Alcântara com destino a São Luís, afundou a aproximadamente 300 metros da praia de Ponta D'areia. Não houve vítimas fatais. Autoridades ainda não confirmaram a causa do acidente, mas sustentam a hipótese de excesso de passageiros.

Segundo o capitão dos Portos, Marcos Tadashi, ainda não se sabe exatamente o número de passageiros que estavam embarcados, mas relatos informam que havia aproximadamente 45 pessoas. A capacidade do catamarã é 33 passageiros. Foi aberto inquérito administrativo para investigar a causa do naufrágio. O prazo para conclusão é 90 dias.

Segundo o coordenador de Operações do Corpo de Bombeiros de São Luís, major Abner Carvalho, três pessoas se sentiram mal e foram encaminhadas para hospitais públicos da região, mas todas estão fora de perigo.

A operação foi coordenada entre Marinha, Corpo de Bombeiros e o Grupo Tático Aéreo da Secretaria de Segurança Pública, que deu suporte, sobrevoando a área para garantir que nenhuma pessoa fosse arrastada para longe, pela maré. Segundo informações da Capitania dos Portos, no momento do naufrágio, havia um navio rebocador próximo ao local e esta embarcação colaborou no resgate das pessoas.


Bombeiros controlam fogo na Chapada Diamantina

Da Agência Brasil Edição: Maria Claudia

Bombeiros e brigadistas conseguem controlar o incêndio na Chapada Diamantin. Eles vão permenecer na área até a chegada do período chuvosoMateus Pereira/GOVBA
Os focos de incêndio no Parque Nacional da Chapada Diamantina, que tiveram início na quinta-feira (12) da semana passada, na área de Morro Branco, foram controlados hoje (20) pelas equipes de bombeiros militares e brigadistas voluntários que trabalham na região. Segundo a Secretaria de Meio Ambiente, as equipes vão permanecer no parque até o início do período chuvoso a fim de prevenir novos focos.

A Secretaria de Meio Ambiente da Bahia estima que cerca de 15 a 30 mil hectares do parque tenham sido atingidos pelas chamas. Dez técnicos do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (IcmBio) fazem pesquisas de campo para verificar a situação do parque após o incêndio. Nesta sexta-feira (20), mais um avião air tractor (tipo trator) chegou para ajudar no combate ao fogo. Amanhã (21), uma equipe de 40 bombeiros militares deve chegar ao parque para ajudar no controle dos focos, caso continuem a ocorrer.

O Parque Nacional da Chapada Diamantina foi criado em 1985 por decreto e conta com uma área de 152 000 hectares que abrange os municípios de Andaraí, Ibicoara, Itaetê, Lençóis, Mucugê e Palmeiras.

Os primeiros focos de incêndio na área começaram no final de agosto e início de setembro, mas foram rapidamente controlados. Segundo o secretário de Meio Ambiente da Bahia, Eugênio Spengler, o fogo surge diariamente na região. “Percebemos que surgem de dois a três focos de incêndio, distantes cerca de 500 metros um do outro, sempre no final da tarde”, disse.

O secretário afirmou há forte indício de que os focos podem ter origem criminosa, como o que  ocorreu na BR-242, na semana passada. Policiais da Bahia estão investigando o surgimento dos incêndios, que podem ser intencionais ou não.

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militares da Bahia, Francisco Luiz Telles, que coordena as ações na região, disse que as equipes trabalham diariamente para controlar a situação. “Quatro aviões air tractor fazem uma média de 18 lançamentos de cerca de 180 a 200 mil litros para controlar os focos e não deixar que eles se alastrem. Além disso, bombeiros e brigadistas trabalham por terra com cinco caminhões de combate à incêndios e 10 carros pipas”

A Secretaria de Meio Ambiente da Bahia estima que cerca de 15 a 30 mil hectares do parque tenham sido atingidos pelas chamas. Dez técnicos do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (IcmBio) realizam pesquisas de campo para verificar a situação do parque após os focos. Nesta sexta-feira (20), mais um avião air tractor chegou para ajudar no combate ao fogo. Amanhã (21), uma equipe de 40 bombeiros militares deve chegar ao parque para ajudar no controle dos focos


Coldplay anuncia dois shows no Brasil em abril de 2016

HuffPost Brasil




O Coldplay anunciou nesta sexta-feira (20), as datas da turnê A Head Full Of Dreams Tourna América Latina e na Europa.

No Brasil, o grupo se apresenta em São Paulo, no Allianz Parque, no dia 7 de abril. O segundo show confirmado pelo Coldplay será no Rio de Janeiro, no dia 10 de abril. Na capital fluminense, a banda vai tocar no Maracanã.


De acordo com informações do G1, a venda de ingressos começa no dia 10 de dezembro, no site Tickets for Fun. Também será possível comprar os ingressos sem a taxa de conveniência nas bilheterias oficiais de cada cidade: Citibank Hall em São Paulo, e Metropolitan no Rio.

A banda britânica se apresentou pela última vez no Brasil em 2011, no Rock in Rio.


Fonte: HuffPost Brasil



Senado da França aprova prorrogação do estado de emergência no país

Da Agência Lusa


O Senado francês aprovou hoje (20), quase por unanimidade, o projeto de lei que prorroga, por um período de três meses, o estado de emergência no país. O estado de emergência foi decretado pelas autoridades francesas após os ataques da sexta-feira passada em Paris, que deixaram 130 mortos.

Com 348 senadores presentes, o projeto de lei foi aprovado por 336 votos favoráveis. Houve 12 abstenções.

Na quinta-feira, o texto tinha sido aprovado pela Assembleia Nacional (câmara baixa), com 551 votos a favor, seis contrários e uma abstenção.

O projeto propõe a prorrogação, por três meses, do estado de emergência, a partir de 26 de novembro.

O grupo extremista Estado Islâmico reivindicou no sábado (14), em comunicado, a autoria dos atentados. Cerca de 350 pessoas ficaram feridas nos ataques.

Os ataques – que tiveram a participação de pelo menos oito terroristas, sete dos quais morreram, – ocorreram em vários locais de Paris, entre eles uma sala de espetáculos e o Estádio de França, onde ocorria um jogo de futebol entre as seleções da casa e da Alemanha.

A França decretou o estado de emergência e restabeleceu o controle de fronteiras após os atentados, classificados pelo presidente François Hollande como "ataques terroristas sem precedentes no país".

Em uma operação policial no bairro de Saint Denis, ao norte de Paris, as autoridades mataram Abdelhamid Abaaoud, apontado como o mentor dos ataques.


Sequestro em hotel no Mali acaba com 27 reféns e dois jihadistas mortos

Da Agência Brasil* Edição: Fábio Massalli


Fontes da Organização das Nações Unidas (ONU) disseram que o sequestro do Hotel Radisson em Bamako, capital do Mali, terminou com 27 reféns e dois jihadistas mortos. O hotel foi retomado hoje (20) por forças de segurança especiais francesas após ser invadido pela manhã por homens armados que mantinham 125 clientes e 13 funcionários reféns.

Os grupos terroristas Al Qaeda, no Magrebe Islâmico, e Al Murabitun assumiram a autoria do "ataque conjunto" de hoje.

A autoria do ataque foi informada por telefone à agência de notícias privada da Mauritânia, Al Ajbar, que mantém contato com grupos jihadistas da região do Sahel. Esta é a primeira vez que as duas organizações jihadistas declaram ter operações conjuntas. O Al Murabitun, liderado pelo argelino Mokhtar Belmokhtar, é um dos grupos mais ativos na região do Sahel.

* Com informações das agências Lusa e Ansa


Anvisa dá sinal verde para venda de testes de HIV em farmácias

HuffPost Brasil  |  De Ione Aguiar



A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) acaba de dar sinal verde às farmacêuticas para o registro de kits de diagnóstico de HIV vendidos em farmácia.

A agência reguladora aprovou nesta sexta (20) a regulamentação para a comercialização dos kits com base em testes de saliva. Agora, o Brasil é o quarto país do mundo a permitir a venda de kits de diagnóstico de HIV em farmácia.

Ela determina que as caixinhas dos produtos informem sobre a possibilidade de erro no diagnóstico, que pode ser falso positivo (indicar a presença de HIV sem que o usuário seja portador do vírus), ou falso negativo.

Além disso, as fabricantes são obrigadas a manterem um serviço de atendimento ao cliente por telefone de forma ininterrupta, para orientar o usuário em caso de necessidade.

O chamado teste rápido leva cerca de 20 minutos para ficar pronto. Como o nível de anticorpos na saliva é mais baixo que no sangue, esse tipo de teste não detecta infecções imediatamente depois da exposição ao HIV. Por isso, cerca de 1 a cada 12 testes podem dar resultado falso negativo.


Fonte: HuffPost Brasil

OAB vai exigir que Conselho de Ética não proteja Cunha, julgue e casse o mandato

Estadão Conteúdo




O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Marcus Vinicius Furtado Coêlho, informou nesta sexta-feira, 20, em Teresina, que a Ordem vai acionar a Comissão de Ética da Câmara dos Deputados exigindo celeridade no julgamento do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

"A OAB vai entrar firme e forte exigindo que a Comissão de Ética se reúna, sem protecionismo e sem rinhas, para julgar e cassar o mandato de Eduardo Cunha, porque a população não pode ser presidida por alguém com tantos problemas legais", afirmou Marcus Vinicius.

Segundo ele, o atual sistema eleitoral estimula a corrupção.

"A cada ano os gastos aumentam e entramos no Supremo Tribunal Federal porque a corrupção administrativa começa na corrupção eleitoral. O sistema eleitoral brasileiro hoje estimula a corrupção. É caixa dois, sobra de campanha. O que justifica, por exemplo, um candidato pagar R$ 70 milhões a um marqueteiro? Isso, com certeza, vai diminuir a corrupção. E essa é a função da OAB. Acabar com as causas", pontuou o presidente.
O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, adotou manobra para impedir que o parecer pela admissibilidade da ação contra ele no Conselho de Ética fosse lido no colegiado nessa quinta (19).

O peemedebista também se movimentou para postergar a tramitação dos requerimentos por suposto envolvimento em corrupção apresentados à Corregedoria da Câmara. Haverá análise prévia da aptidão do pedido de abertura de processo por quebra de decoro, mas não foi determinado um prazo para a elaboração do texto e sua votação na Mesa Diretora. Só depois disso os pedidos de cassação podem ser encaminhadas à Corregedoria da Câmara para o início das investigações.

"Eu não vou dar admissibilidade num processo contra mim mesmo. Não posso praticar ato a meu favor nem contra mim. Deleguei. Foi uma coisa bem transparente. Foi normal. Eu não tenho que protelar nada. Tem um processo contra mim no Conselho de Ética ao mesmo tempo", disse o parlamentar designando o 1º secretário da Câmara, deputado Beto Mansur (PRB-SP), para analisar o requerimento encaminhado à Corregedoria.

A decisão de Cunha de delegar a análise do requerimento a outro deputado e submeter os pareceres à Mesa Diretora diverge da prática adotada na tramitação de pedidos de cassação de mandato.

Em nota, a OAB argumentou que "Eduardo Cunha não pode ter qualquer tratamento diferenciado em relação aos demais deputados submetidos a processo perante o Conselho de Ética da Câmara. A lei vale para todos e ela deve ser aplicada com respeito ao princípio da igualdade. Assegurado o direito de defesa, deve o Conselho de Ética da Câmara dos Deputados fazer justiça o quanto antes, implementando a necessária celeridade para o julgamento do processo de cassação do presidente da Câmara”.


Fonte: HuffPost Brasil

Forças de segurança francesas retomam hotel no Mali; 18 mortos são encontrados

Da Agência Brasil* Edição: Maria Claudia

Homem ferido é retirado do Hotel Radisson, em Bamaco, capital do Mali. O hotel foi invadido por homens armados que fizeram refénsAgência Lusa/EPA//Direitos Reservados
Forças de segurança especiais francesas retomaram hoje (20) o Hotel Radisson, em Bamaco, capital do Mali, invadido pela manhã por homens armados que mantinham 125 clientes e 13 funcionários reféns. Dentro do edifício, já não havia mais reféns, mas foram encontrados 18 mortos.

As forças especiais enviadas de Ouagadougou, no vizinho Burkina Faso, estão no interior do hotel e “participam nas operações ao lado dos malianos”. Estas informações foram divulgadas depois de o ministro da Segurança maliano, coronel Salif Traoré, ter anunciado que o grupo armado já não mantinha mais reféns. As forças de segurança do Mali haviam cercado o local após o ataque, do qual participaram “dois ou três homens”, segundo um porta-voz.

“Eles já não têm neste momento nenhum refém nas mãos e as forças estão a persegui-los”, disse o ministro em uma entrevista à imprensa.

Os grupos terroristas Al Qaeda, no Magrebe Islâmico, e Al Murabitun assumiram a autoria do "ataque conjunto" de hoje contra o hotel, que provocou 18 mortes e deixou vários feridos.

A autoria do ataque foi informada por telefone à agência de notícias privada da Mauritânia, Al Ajbar, que mantém contato com grupos jihadistas da região do Sahel. Esta é a primeira vez que as duas organizações jihadistas declaram ter operações conjuntas.

O Al Murabitun, liderado pelo argelino Mokhtar Belmokhtar, é um dos grupos mais ativos na região do Sahel.

Fontes da segurança disseram que os homens armados são ‘jihadistas’ que chegaram ao hotel por volta das 7h, hora local, em um carro com placa diplomática, entraram e começaram a disparar armas automáticas.

* Com informações da Agência Lusa


Lula pede à juventude do PT que apoie governo Dilma

Da Agência Brasil Edição: Carolina Pimentel


Em discurso no 3º Congresso Nacional da Juventude do PT, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que é hora de os jovens lutarem e pediu que apoiem o governo da presidenta Dilma Rousseff.  “Um congresso como esse tem que sair propondo alguma coisa mais forte para o interesse da juventude. Apenas escrever fora Levy [em referência ao ministro da Fazenda, Joaquim Levy], fora PMDB, é muito pouco”, disse a aproximadamente 600 jovens de todo o país, reunidos hoje (20) em Brasília.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participa do 3º Congresso Nacional da Juventude do PT Antonio Cruz/ Agência Brasil

Antes da chegada de Lula ao evento, os jovens gritavam pedindo a saída do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e de Joaquim Levy. Eles exibiam cartazes também com os dizeres “Nem Meirelles [em alusão ao ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles], nem Levy”, em que defendiam a saída do atual do ministro. Meirelles foi citado em reportagens publicadas na imprensa como nome cotado para substituir Levy no comando da Fazenda.

Ao falar de apoio a Dilma, o ex-presidente disse que a presidenta precisa do apoio para conseguir “sair desta encalacrada que a oposição colocou a gente”. Lula ressaltou que torce para que a presidenta consiga aprovar todas as medidas no Congresso até o final deste ano para que se possa “virar a página do ajuste [fiscal]”.

O ex-presidente lembrou que, antes de ser eleita presidenta, Dilma foi duramente criticada por não ter exercido cargos eletivos, como deputada e senadora. “Falavam que a Dilma era um poste. O poste iluminou este país.”

Eleições 2018

Em relação às eleições presidenciais de 2018, Lula disse aos jovens que, antes de pensar no futuro pleito, é preciso se preocupar com as eleições de 2016, quando serão escolhidos prefeitos e vereadores. “Não tem 2018 se a gente não tiver 2016. Precisamos construir 2016, precisamos ter candidatos fortes”. O ex-presidente defendeu a participação dos jovens para o fortalecimento do PT e que é preciso ter coragem para debater os temas complicados.


Duplo ataque a mesquita em Bagdá deixa pelo menos cinco mortos e 22 feridos

Da Agência Lusa


Pelo menos cinco pessoas morreram e 22 ficaram feridas, entre elas vários integrantes das forças de segurança iraquianas, em um duplo ataque a uma mesquita xiita no sul de Bagdá (Iraque), indicaram fontes oficiais citadas pela EFE.

Segundo fontes das forças de segurança, o primeiro ataque à bomba ocorreu em um templo xiita na região de Al Yousefyia, 20 quilômetros ao sul de Bagdá.

O segundo ocorreu pouco depois da chegada de integrantes das forças de segurança ao local, quando um homem se aproximou da multidão e explodir granadas presas à sua cintura.

Ambas as explosões provocaram também danos materiais na mesquita e em vários e edifícios nas proximidades.

Os xiitas representam 60% da população iraquiana. Desde 2003, os xiitas são alvo de atentados organizados por sunitas radicais, sobretudo durante as festividades religiosas.

Os ataques de hoje ocorreram quando esta comunidade religiosa se preparava para comemorar os primeiros 40 dias do aniversário da morte do imã Al Hussein (assassinado no Iraque no ano 680), neto do profeta Mohamed.


França fará todo o possível para libertar reféns em Mali, diz Hollande

Da Agência Lusa


O presidente francês, François Hollande, afirmou hoje (20) que a França “fará todo o possível” para conseguir a libertação das pessoas feitas reféns durante ataque armado contra um hotel de luxo em Bamako, capital do Mali.

Em declaração feita antes de um discurso dedicado à 2ª Cúpula do Clima da ONU (COP21), agendada para o fim deste mês em Paris, Hollande pediu aos cidadãos franceses que estão “em países sensíveis” que “tomem todas as precauções”, em particular os franceses que se encontram no Mali, que devem fazer contato com a representação diplomática francesa.

“No contexto que todos conhecemos, pedimos aos nossos cidadãos que tenham cautela extrema. A vida não para, nem tampouco a atividade econômica, em todos os países que precisam de nós, mas é muito importante que pensem também na segurança”, afirmou o chefe de Estado francês.

Em declarações à agência espanhola EFE, um porta-voz da polícia militarizada francesa (gendarmerie) disse que 40 agentes das forças especiais de intervenção e uma dezena de integrantes da polícia científica estão  viajando para o Mali.

A Air France informou que os 12 funcionários da companhia aérea francesa que estavam no Radisson Blu em Bamako, o hotel que foi alvo do ataque, conseguiram sair do local e “encontram-se em lugar seguro”.

Em nota, a transportadora francesa afirmou que os funcionários eram dois pilotos e dez integrantes da tripulação de cabine.

A Air France anunciou o cancelamento dos voos de hoje de e para Bamako, bem como um reforço da segurança em vários locais onde os aparelhos da companhia fazem escala.

Homens armados atacaram de manhã o hotel de luxo Radisson Blu em Bamako, fazendo 170 reféns, entre hóspedes e funcionários e matando pelo menos três pessoas.

Cerca de 80 reféns foram, no entanto, libertados. Entre eles encontram-se turistas e empresários de várias nacionalidades.

Fontes da segurança disseram que os homens armados são jihadistas, que eles chegaram ao hotel bem cedo, em um automóvel com matrícula diplomática, entraram e começaram a disparar armas automáticas.


Cade abre processo para apurar conduta anticompetitiva de taxistas contra Uber

Da Agência Brasil Edição: José Romildo


O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) abriu processo administrativo para investigar denúncias sobre condutas anticompetitivas praticadas por taxistas contra a entrada do aplicativo Uber no mercado de transporte de passageiros. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (20).

As denúncias foram apresentadas pela empresa Uber do Brasil Tecnologia, pelo Diretório Central dos Estudantes da Universidade de Brasília e pelo Diretório Central dos Estudantes do Centro Universitário de Brasília. Depois de aberto o processo administrativo, representantes dos taxistas e da empresa Uber terão 30 dias para apresentar os argumentos.

Taxistas fazem manifestação contra o Uber na Esplanada dos MinistériosMarcello Casal Jr/Arquivo/Agência Brasil

Segundo as denúncias, os taxistas teriam utilizado meios abusivos para excluir e barrar a entrada do aplicativo Uber no mercado de transporte individual remunerado.

Para o Cade, enquanto a atual controvérsia jurídica acerca da legalidade do Uber não for esclarecida pelos Três Poderes, a empresa deve ser considerada uma concorrente como qualquer outra e não pode ser alvo de condutas anticompetitivas previstas na Lei de Defesa da Concorrência.

Em instrução preliminar, o Cade verificou a existência de um suposto abuso de direito de petição em três ações judiciais movidas por representantes dos taxistas – conduta internacionalmente conhecida como sham litigation. Essas ações apresentaram o mesmo objeto e foram ajuizadas em diferentes foros. Há indícios de que as ações teriam como objetivo burlar as regras de distribuição dos processos e julgamento para dificultar a defesa da Uber e, assim, alcançar decisão contra a empresa. De acordo com o Cade, as demais ações judiciais analisadas foram ajuizadas pelos taxistas de maneira legítima e não abusiva.

O Cade identificou ainda, em fase preliminar, indícios de que alguns taxistas teriam usado de violência e grave ameaça contra motoristas do Uber e passageiros do aplicativo. Essas ações teriam gerado um clima real de ameaça à atuação de rivais, o que poderia causar efeitos anticoncorrenciais para entrada e o desenvolvimento da empresa no mercado, além de limitar a escolha dos consumidores.

Para o presidente do Sindicato dos Permissionários de Táxi e Motoristas Auxiliares do Distrito Federal (Sinpetaxi-DF), Sérgio Aureliano e Silva, a decisão do Cade pode abrir precedentes para funcionamento de qualquer transporte clandestino. ”Se o Cade decidiu isso [abrir o processo administrativo], qualquer um pode pegar seu carro e fazer transporte pirata. Só cobramos do governo a legalidade do Uber. Eles não têm autorização e regras para serem seguidas”, disse. O Sinpetaxi-DF é um dos citados no processo administrativo. A Agência Brasil não conseguiu contato com representante do Uber até a publicação do texto.

O Rio de Janeiro foi a primeira cidade do país a ter o serviço do Uber, em 2014. O aplicativo funciona também em São Paulo, Belo Horizonte, Brasília e Porto Alegre. Taxistas já promoveram protestos em várias cidades contra a atuação do aplicativo.


Percentual de jovens negros no ensino médio dobra em 13 anos

Da Agência Brasil Edição: Lílian Beraldo


Mais da metade dos brasileiros de 15 a 17 anos que se autodeclaram pretos ou pardos estavam no ensino médio (51%) em 2014, segundo levantamento feito pelo Instituto Unibanco com base nos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) divulgada na semana passada. Em 2001, esse percentual era de 25%. No mesmo período, a proporção de jovens brancos no ensino médio cresceu 14 pontos percentuais – chegando a 65%.

Em 2001, mais da metade (53%) dos alunos negros de 15 a 17 anos ainda estava estudando na primeira etapa da educação básica, ou seja, estavam atrasados em relação ao que era esperado para a sua faixa etária. Na última Pnad, o percentual caiu 21 pontos e hoje a proporção de jovens negros ainda atrasados no fundamental é de um terço (32%) - entre os brancos, esse percentual é de 22%.

No total da população de 15 a 17 anos sem estudar, 19% já completaram o ensino médio. Na população branca, esse percentual é de 28%, superior ao verificado entre os negros (15%).

Ainda de acordo com o levantamento, 57% dos negros que estão fora da escola não completaram o ensino fundamental. Entre os brancos, o percentual de jovens de 15 a 17 anos fora da escola é de 43%.


União Europeia decide reforçar controle de fronteiras Schengen

Da Agência Lusa


Os países europeus decidiram hoje (20) reforçar imediatamente o controle de todos os viajantes, incluindo os da União Europeia (UE), nas fronteiras externas da área de livre circulação Schengen, na sequência dos atentados de Paris, segundo fontes europeias citadas por agências internacionais.

Os ministros do Interior da UE apoiaram a proposta apresentada pela França de fazer uma revisão fundamental do Tratado de Schengen, para permitir o controle sistemático dos cidadãos europeus nas fronteiras.

“Os Estados-Membros se comprometem a aplicar imediatamente controles necessariamente sistemáticos e coordenados nas fronteiras externas, incluindo o de indivíduos com direito à livre circulação”, informa proposta de declaração da reunião, citada pela agência France Presse.

Representantes europeus disseram à agência que os cidadãos europeus não vão ter os passaportes controlados, mas a sua informação pessoal será verificada em bases de dados.

Os atentados ocorridos há uma semana em Paris, que deixaram 129 mortos, voltaram a suscitar questões sobre a segurança das fronteiras externas de Schengen, uma vez que alguns dos autores dos ataques viajaram da Bélgica para Paris e o suposto “mentor” do plano, Abdelhamid Abaaoud, pode ter regressado da Síria, onde combateu no grupo extremista Estado Islâmico, transitando pela Europa sem ser detectado.

O acordo de Schengen, que aboliu as fronteiras entre 26 países europeus, foi dotado de instrumentos de controle nas fronteiras externas, pensados para os estrangeiros, mas não para os europeus que, à luz das regras vigentes não podem ficar sujeitos a um controle sistemático.

O Conselho de Justiça e Assuntos Internos, reunido hoje em Bruxelas foi convocado pela França para discutir respostas operacionais imediatas ao terrorismo como um registro de nomes dos passageiros (PNR) europeu, o reforço do controle das fronteiras externas da UE, novos regulamentos para as armas de fogo e combate ao financiamento de terroristas, entre outras.


Tornado atinge Marechal Cândido Rondon, a oeste do Paraná

Da Agência Brasil Edição: Maria Claudia


Um tornado atingiu na tarde desta quinta-feira (18) parte da cidade de Marechal Cândido Rondon, a oeste do Paraná, interditando estradas, derrubando centenas de árvores e postes de luz. Conforme levantamento das autoridades locais, cerca de 1.500 casas foram atingidas, além de 200 empresas e áreas públicas. A Companhia Paranaense de Energia (Copel) informou que 14 mil imóveis ficaram sem energia por causa de danos na rede elétrica. De acordo com o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar), o tornado provocou ventos de 115Km/h a 125 Km/h.

Logo após o ocorrido, por volta das 16h, equipes da prefeitura e do Corpo de Bombeiros começaram a desobstruir as estradas e ajudar as pessoas que tiveram suas residências afetadas. O helicóptero do Samu também esteve na cidade para auxiliar no socorro às vítimas. Segundo a prefeitura, até o momento 20 pessoas passaram pela Unidade de Saúde 24 Horas, sendo que apenas uma teve ferimentos mais grave e foi transferida para um hospital do município, mas passa bem.

No início da noite de ontem, o prefeito da cidade, Moacir Froehlich, convocou uma reunião emergencial com representantes das secretarias municipais, associação comercial, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Copel (companhia de energia do estado). Eles fizeram uma avaliação dos estragos e começaram a traçar estratégias de trabalho para colaborar com as pessoas que foram atingidas, e dar condições de melhor tráfego na cidade.

O Corpo de Bombeiros, além de fornecer lona e outros materiais, pediu mais reforço de efetivo e também mais uma ambulância, segundo a prefeitura. O parque de exposições da cidade foi colocado à disposição para receber pessoas desabrigadas.A prefeitura se comprometeu a fornecer alojamento e alimentação, caso necessário.

As ruas foram todas desobstruídas, sendo que as árvores foram empurradas paras as laterais. As equipes pararam com as atividades tendo em vista que a chuva voltou a cair. Logo no início da manhã, os trabalhos foram retomados.

O Batalhão de Polícia de Fronteira e a Polícia Militar redirecionaram todas as equipes para Marechal Cândido Rondon, colocando todo o seu efetivo durante a noite para evitar possíveis furtos, tendo em vista que parte do município está sem energia elétrica.


Cerca de 80 reféns são libertados no Mali

Da Agência Lusa

Cerca de 80 das 170 pessoas feitas reféns durante um ataque armado hoje ao hotel de luxo Radisson Blu, em Bamako, no Mali, foram libertadas.

O ministro da Segurança, coronel Salif Traoré, disse que a polícia libertou três dezenas de reféns e que outros conseguiram fugir sozinhos.

Homens armados atacaram hoje o hotel de luxo Radisson Blu, na capital do Mali, fazendo 170 reféns entre hóspedes e funcionários e matando pelo menos três pessoas.

Fontes da segurança disseram que os homens são jihadistas que chegaram ao hotel num automóvel com matrícula diplomática, entraram e começaram a disparar armas automáticas.

A França anunciou que vai enviar cerca de 40 policiais de uma unidade de elite.

Homens armados fazem reféns em hotel do MaliDivulgação/Agência Lusa



Cidades brasileiras comemoram Dia da Consciência Negra

Da Agência Brasil Edição: Graça Adjuto


O Dia da Consciência Negra será comemorado hoje (20) em mais de mil cidades brasileiras. A data foi instituída em 2003 no calendário nacional e marca a morte de Zumbi dos Palmares, o último líder do maior quilombo do período colonial, o Quilombo dos Palmares.

Na cidade de União dos Palmares, em Alagoas, as comemorações do Dia da Consciência Negra serão realizadas no Parque Memorial Quilombo dos Palmares, na Serra da Barriga, com a posse dos membros do Conselho Curador da Fundação Cultural Palmares, a coroação do busto de Zumbi, a reverência à ancestralidade de matriz africana, o cortejo das Yabás e o lançamento da campanha Filhos do Brasil, em defesa e garantia da liberdade religiosa e contra a intolerância, com a participação de artistas, personalidades públicas e lideranças de várias denominações religiosas.

No Maranhão, para marcar a data, o governo encaminha à Assembleia Legislativa projeto de lei que destina 20% das vagas dos concursos públicos estaduais para negros. Ainda em São Luís, será realizado, às 17h30, ato público na Praça Nauro Machado, na Praia Grande. Em seguida, haverá edição especial do Programa Mais Cultura e Turismo, com apresentação de roda de capoeira, blocos afros e bumba-meu-boi.

Em Salvador, será realizada às 16h a 15ª Caminhada da Liberdade. A passeata deve reunir mais de 20 mil pessoas e sairá da Senzala do Barro Preto, sede do Ilê Aiyê.

O governo do Distrito Federal (GDF) lança campanha nas redes sociais que visa a conscientizar a população a repensar o uso de termos de cunho racista. Alguns exemplos são “a coisa tá preta”, “lista negra”, “não sou tuas negas”, “beleza exótica”, “humor negro” e “cabelo ruim”. Segundo a Secretaria de Segurança Pública e Paz Social, entre janeiro e outubro houve 289 registros de injúria racial em todo o DF.

Para lembrar o Dia da Consciência Negra, a TV Brasil exibe hoje (20) programação especial, a partir das 16h. Na Hora da Criança, a emissora apresenta o programa infantil Brincando no Baobá, que vai mostrar as raízes africanas nas manifestações culturais brasileiras de modo lúdico e interativo. Mais tarde, às 23h, o destaque é o show Músicas para Churrasco, de Seu Jorge. O artista escolheu convidados envolvidos com a causa dos negros, como Alexandre Pires, Zeca Pagodinho, Caetano Veloso, Racionais MC's e Sandra de Sá. Após o espetáculo, à 1h30 a TV Brasil exibe o documentário Cem anos Sem Chibata. Dirigido por Marcos Manhães Marins, o filme mostra a Revolta da Chibata, que teve o marinheiro João Cândido como um dos líderes.




Paris se queixa de falta de coordenação europeia contra o terrorismo

Da Agência Lusa


O porta-voz do governo francês, Stéphane Le Foll, queixou-se hoje (20) de que a “Europa funciona sem coordenação” na luta contra o terrorismo, destacando que a França está “muito determinada em alcançar objetivos” no Conselho de Ministros da Justiça e Interior.

“É necessário que, em nível europeu, se mude a forma como trabalhamos juntos”, disse Le Foll em entrevista ao canal France 2.

O porta-voz lembrou os pedidos franceses aos parceiros europeus no Conselho de Ministros de hoje em Bruxelas: a adoção do dispositivo de registo dos passageiros aéreos, a partilha de fichários judiciais e “uma política mais coerente” contra o tráfico de armas.

Paris reclama também o reforço do controle das fronteiras e a partilha das informações dos serviços secretos.

Questionado se vai prolongar o controle das fronteiras francesas, incluindo os países da área Schengen, decretado duas horas depois dos ataques terroristas em Paris na sexta-feira passada (13), o porta-voz disse que será feito “o que for necessário”.


Supostos jihadistas fazem tiroteio em hotel no Mali

Da Agência Lusa


Um tiroteio hoje (20) de manhã, no Hotel Radisson em Bamako, centro da capital do Mali, supostamente feito por jihadistas, levou à definição de um perímetro de segurança no local, informou um jornalista da France Press que se encontra no local.

De acordo com o testemunho, o fogo disparado por armas automáticas foi ouvido fora do hotel, mas ainda não há relatos sobre vítimas.

“Tudo aconteceu no sétimo andar, os jihadistas estão disparando no corredor”, disse uma fonte de segurança à France Presse.

Segundo a mesma fonte, as forças policiais já estabeleceram um cordão de segurança.


Estado Islâmico ameaça atacar Casa Branca, Roma e novamente Paris

Da Agência Lusa

O grupo extremista Estado Islâmico divulgou nessa quinta-feira (19) um vídeo em que ameaça fazer novos atentados na Casa Branca, em Roma e novamente em Paris, após os ataques da última sexta-feira (13) na capital francesa.

No vídeo de seis minutos, supostos integrantes da organização ameaçam fazer ataques suicidas na residência do presidente dos Estados Unidos, ao mesmo tempo em que se congratulam com os atentados em Paris, em que morreram 129 pessoas.

Os terroristas também ameaçam com mais atentados na capital francesa e mencionam “a conquista de Roma”, depois de a Praça de São Pedro, no Vaticano, ter sido capa da revista online do grupo.

O novo vídeo foi divulgado depois de, na quarta-feira (18), o presidente da Câmara de Nova York, Bill de Blasio, ter dito que “não existe qualquer ameaça credível e específica” contra a cidade.

“Quero encorajar todos os nova-iorquinos a manterem as suas rotinas habituais e quero que saibam que não existe qualquer ameaça credível e específica contra a cidade”, afirmou de Blasio, em entrevista na Times Square, acompanhado do chefe da polícia, William Bratton.


Polícia chinesa mata 28 supostos terroristas em Xinjiang

Da Agência Lusa

A polícia da região autônoma chinesa de Xinjiang desarticulou um suposto grupo terrorista, matando 28 dos seus integrantes em uma operação que durou 56 dias, anunciaram as autoridades locais, citadas hoje (20) pela agência oficial Xinhua.

Na última quarta-feira (18), um grupo armado atacou uma mina de carvão no condado de Baicheng, na prefeitura de Aksu, matando 11 civis, três policiais e mais dois integrantes da força, além de ferir 18 pessoas, de acordo com comunicado do Departamento de Propaganda de Xinjiang, informou a Xinhua.

Segundo a agência, um dos supostos terroristas rendeu-se e 28 foram mortos numa operação policial.

A China considera os separatistas de Xinjiang responsáveis pelos conflitos na região, entre eles a minoria muçulmana uigur e a maioria han, predominante em cargos de poder político e empresarial regional.

Peritos e grupos de defesa dos direitos humanos consideram, no entanto, que a política repressiva de Pequim, em relação à cultura e religião dos uigures, aumenta a tensão em Xinjiang.

Após os atentados em Paris, a China elevou o nível de alerta terrorista e pediu que os "separatistas uigures" sejam incluídos na luta mundial contra o terrorismo.

No ano passado, 712 pessoas foram condenadas na China por terrorismo e atividades separatistas, segundo dados oficiais apresentados durante a Assembleia Nacional Popular chinesa, realizada anualmente em março.

A maioria dos casos ocorreu em Xinjiang, mas houve também um atentado na Praça Tiananmen, em Pequim, e outro na Estação Ferroviária de Kunming, no Sudoeste da China.


EUA dizem que Estado Islâmico pode ser eliminado mais depressa do que Al Qaeda

Da Agência Lusa

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, disse estar convencido de que os Estados Unidos têm capacidade para “neutralizar” o grupo Estado Islâmico em menos tempo do que precisaram para eliminar a Al Qaeda.

“Começamos a nossa luta contra a Al Qaeda em 2001 e demoramos vários anos até que pudéssemos eliminar Osama bin Laden e os seus líderes, neutralizando-os como força efetiva. Espero fazê-lo com o Estado Islâmico muito mais rapidamente. Acredito que temos capacidade de fazer isso”, afirmou.

O responsável pela diplomacia norte-americana fez as declarações aos jornalistas em Washington, depois de comparecer ao Comitê de Inteligência do Senado, onde defendeu a estratégia de administração do presidente Barack Obama na Síria.

“Vamos derrotar o Estado Islâmico”, disse Kerry, acrescentando que a participação dos Estados Unidos no conflito resultará no desmantelamento do regime terrorista no Iraque e na Síria e levará a uma transição política para substituir o presidente sírio, Bashar Al Assad.


Jogador da seleção belga é confundido com terrorista em Bruxelas

Estadão Conteúdo



Nesta quinta-feira, uma situação no mínimo embaraçosa aconteceu em Bruxelas, local que sediaria o amistoso entre Bélgica e Espanha, que acabou sendo cancelado para prevenir prováveis atos terroristas.

Após retornar de uma tarde livre com os familiares, o jogador da seleção Radja Nainggolan encontrou seu quarto sendo revistado por três policiais no hotel em que a Bélgica está concentrada. Ele teria sido denunciado por um hóspede como possível terrorista. Porém, o jogador, de origem indonésia, foi rapidamente reconhecido pelas autoridades e ainda posou para uma foto.


"Obviamente, eu tenho um visual assustador. Porém, felizmente, a polícia me reconheceu imediatamente", afirmou Nainggolan, que atua na Roma, ao jornal local DH. Um amigo do atleta postou uma foto nas redes sociais tirando sarro da situação: "As pessoas chamaram a polícia porque Radja estava agindo de forma suspeita (risos)".

O medo do terrorismo tem tomado conta da Europa desde a última sexta-feira, quando pelo menos 129 pessoas foram mortas e 221 ficaram feridas em meio a uma série de ataques em Paris. Justamente pelo temor por novos ataques, o amistoso entre Bélgica e Espanha acabou cancelado.

Fonte: HuffPost Brasil

Mara Gabrilli peita Eduardo Cunha: 'O senhor está com medo?'

HuffPost Brasil  |  De Grasielle Castro



Os deputados de oposição ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) reagiram a manobra do peemdebista para protelar a reunião do Conselho de Ética. O colegiado analisa representação do PSol e da Rede contra Cunha por quebra de decoro.

Após Cunha anular a reunião do conselho e impedir que ela continuasse, a deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP) fez um aparte caloroso no plenário, no qual perguntou ao presidente se ele estava com medo.

Cunha ouviu tudo calado.

“Eu gosto do senhor e gostar do senhor me fez perceber que o senhor nos chama de imbecis muitas vezes, O senhor tem que dar exemplo, o senhor está perdendo a cada dia legitimidade de presidir esta Casa. Convido os deputados a sair da sessão. O senhor tem que revogar esse ato e valorizar nossa comissão de ética. O senhor está com medo? (…) Chega senhor presidente, o senhor não consegue mais presidir. Levanta dessa cadeira."
Após a fala da deputada, os deputados saíram em peso do plenário entoando gritos como “fora Cunha”e “ô Cunha, seu ditador, sua hora já chegou”.

Manobra

Marcada para a manhã desta quinta-feira (19), a reunião para apresentar o relatório de Fausto Pinato (PRB-SP) sobre a representação por quebra de decoro contra Cunha foi suspensa. Embora petistas e aliados do peemdebista tenham se faltado a sessão, houve quórum suficiente para que ela se iniciasse.

Uma manobra do presidente da Casa, porém, fez com que a reunião fosse cancelada. Cunha abriu uma sessão deliberativa no plenário, que automaticamente impede o funcionamento das demais comissões da Casa.

Os deputados protestaram no plenário e a reunião do conselho foi iniciada novamente. Para evitar atentar contra o regimento da Casa, o presidente do Conselho, José Carlos Araújo (PSD-BA), abriu uma sessão de debates e o parecer de Pinato ficou para ser votado na próxima semana.

Cunha negou que tenha feito qualquer manobra.


Fonte: HuffPost Brasil

Projeto de Lei quer barrar candidatura de políticos condenados pela Lei Maria da Penha

HuffPost Brasil  |  De Andréa Martinelli



Foi protocolado na última quarta-feira (18), na Câmara dos Deputados, um projeto de lei que pretende colocar corruptos e homens que cometem violência contra a mulher no mesmo patamar. A ideia é que políticos condenados por violência doméstica não participem de disputas eleitorais.

Segundo a proposta dos deputados João Derly (RS) e Aliel Machado (PR), ambos da Rede, políticos enquadrados pela Lei Maria da Penha passariam a ser barrados pela Lei da Ficha Limpa. As informações são da coluna do Lauro Jardim no jornal O Globo.

O projeto visa alterar a Lei de Inelegibilidade (1990), que foi modificada em 2010 pela Lei da Ficha Limpa, que, desde então, já torna inelegível os políticos que tenham cometido alguma infração grave.

Crimes contra a administração pública, compra de votos, lavagem de dinheiro e tráfico de drogas são alguns exemplos de atos que impedem a candidatura, tornando o candidato um "ficha suja".

Mas a proposta ainda precisa passar pela da Câmara, pelo Senado e, se aprovada, aguardar sanção da presidente Dilma Rousseff (PT). Caso o PL seja aprovado, os agressores só poderão participar de eleições oitos anos após o cumprimento da pena estipulada pela justiça em caso de condenação.

“Tendo no entanto incorporado um padrão de relacionamento em que o homem exerce poder sobre a mulher e acredita ter o direito de repreendê-la ou castigá-la, cremos não poder ser detentor de um mandato eletivo aquele que comete agressão contra a mulher, sobretudo quando a ele emocionalmente ligada”, disse o deputado João Derly ao justificar a proposta.

O Projeto de Lei é uma resposta às denúncias e declarações do secretário de governo da prefeitura do Rio de Janeiro, Pedro Paulo Teixeira (PMDB-RJ), que admitiu ter agredido, mais de uma vez, sua ex-mulher, Alexandra Marcondes. Na última quinta-feira (12), o secretário participou de uma coletiva de imprensa em que o pré-candidato à prefeitura do Rio assumiu que havia espancado a ex-mulher durante o Natal de 2008.

"Quem é que não tem uma briga dentro de casa? Quem é que não tem um descontrole? Quem é que não exagera numa discussão? Nós somos um casal como qualquer outro. Às vezes exagera, fala coisas que não deve. Agora, não achar que isso possa ser uma coisa normal na nossa vida?", disse durante a coletiva.

A coletiva foi convocada após duas denúncias contra ele feitas pela revista Veja e pela Época. Foi revelado que Alexandra havia sido arremessada no chão e levado chutes e pontapés em 2010. Depois, mostrou que aquela não havia sido a primeira agressão.

Nesta quinta-feira (19), a revista Época revelou que, em novo boletim de ocorrência, Pedro Paulo ameaçava sumir com a filha do casal, de apenas quatro anos de idade. “Diariamente liga para a declarante (Alexandra) e para a mãe da mesma, dizendo que vai tirar a guarda da criança e que vai sumir com ela”, diz o documento apurado pela revista. Procurados pela publicação, Pedro Paulo e Alexandra não se pronunciaram sobre o assunto.


Fonte: HuffPost Brasil

Câmara dos EUA suspende acolhimento de refugiados sírios e iraquianos

Da Agência Lusa


A Câmara dos Estados Unidos, de maioria republicana, aprovou hoje (19) um projeto de lei que suspende o acolhimento de refugiados sírios e iraquianos, apesar dos apelos em contrário e da ameaça de veto do presidente Barack Obama.

O texto foi aprovado com o apoio da maioria republicana e de uma parte dos democratas, por 289 votos contra 137, e deverá ser ainda examinado pelo Senado, também controlado pelos republicanos.

A Casa Branca assegurou que o Presidente vai vetar o novo texto, na sequência de uma votação que mostra a súbita e recente rejeição dos refugiados provenientes da Síria após os atentados de Paris.

Barack Obama tem insistido na determinação em acolher 10 mil refugiados sírios em 2016. Eles fogem dos conflitos em seu país.


França vai "intensificar" luta contra Estado Islâmico na Síria e no Iraque

Da Agência Brasil* Edição: Fábio Massalli


O presidente francês, François Hollande, ordenou a "intensificação" dos ataques contra o grupo extremista Estado Islâmico na Síria e no Iraque, numa decisão que surge seis dias após os atentados da organização jihadista ter morto 129 pessoas em Paris.

Em um comunicado da Presidência, o chefe de Estado "deu as instruções necessárias à intensificação das operações militares em curso para lutar contra o Daesh [acrónimo árabe que designa o grupo Estado Islâmico] na Síria e no Iraque".

Hoje (19), a França propôs ao Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) uma resolução com "todas as medidas necessárias" para combater o Estado Islâmico.

O texto apela à comunidade internacional para que "redobre os seus esforços e a coordenação dos mesmos" no sentido de prevenir e impedir os atos terroristas cometidos pelo Estado Islâmico e por outras organizações terroristas associadas à Al Qaeda.

A resolução refere-se a medidas tomadas "no território sob o controle do Estado Islâmico na Síria e no Iraque" e em conformidade com as leis internacionais.

*Com informações da Agência Lusa


França propõe à ONU "todas as medidas necessárias" contra o Estado Islâmico

Da Agência Lusa


A França propôs hoje (19) ao Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) uma resolução com "todas as medidas necessárias" para combater o grupo jihadista Estado Islâmico, que reivindicou a autoria dos atentados que causaram 129 mortes na sexta-feira (13) em Paris.

O texto apela à comunidade internacional para que "redobre os seus esforços e a coordenação dos mesmos" no sentido de prevenir e impedir os atos terroristas cometidos pelo Estado Islâmico e por outras organizações terroristas associadas à Al Qaeda.

A resolução refere-se a medidas tomadas "no território sob o controle do Estado Islâmico na Síria e no Iraque" e em conformidade com as leis internacionais.

No projeto, a França reitera que condena não apenas os ataques em Paris, mas as ações do Estado Islâmico em outubro e novembro em Sousse (Tunísia), em Ancara, em Beirute e contra um avião russo abatido sobre o Sinai egípcio.

O documento pede que os países intensifiquem esforços para evitar que os seus cidadãos se juntem a integrantes do grupo jihadista na Síria e no Iraque e para secar as fontes de financiamento dos grupos extremistas.

"Conforme anunciado pelo presidente da República, François Hollande, a França propôs um projeto de resolução forte e centrado numa prioridade: a luta contra o inimigo comum, o Estado Islâmico", disse o embaixador francês François Delattre, para quem "a ameaça sem precedentes que este grupo representa para toda a comunidade internacional exige uma resposta forte, unida e inequívoca do Conselho de Segurança".

Paris espera adotar o texto nos próximos dias, o mais tardar no início da próxima semana.


Papa afirma que festividades do Natal soam falsas em um mundo em guerra

Da Agência Lusa Edição: Juliana Andrade


O papa Francisco afirmou hoje (19), em uma homilia no Vaticano, que as festividades de Natal soam falsas em um mundo que escolheu “a guerra e o ódio”.

“Estamos perto do Natal: haverá luzes, festas, árvores iluminadas, presépios, (…) mas é tudo falso. O mundo continua em guerra, fazendo guerras, não compreendeu o caminho da paz”, lamentou o pontífice, na homilia da missa matinal, no dia em que foi instalado na Praça de São Pedro um grande pinheiro para as festividades natalinas.

“Existem hoje guerras em toda a parte e ódio. (…) E o que resta? Ruínas, milhares de crianças sem educação, tantos mortos inocentes. E tanto dinheiro nos bolsos dos traficantes de armas”, completou o papa. Para Francisco, a guerra é a escolha de quem prefere as “riquezas” ao ser humano.

“Os que lançam a guerra, que fazem as guerras, são malditos, são delinquentes”, disse o pontífice, para quem não há argumentos que justifiquem a atual situação do mundo.

“Devemos pedir a graça de chorar por este mundo, que não reconhece o caminho para a paz. Para chorar por aqueles que vivem para a guerra e que têm o cinismo de o negar”, acrescentou.

O pinheiro com 25 metros de altura instalado na Praça de São Pedro é oriundo da terra natal do antecessor do papa Francisco e atual papa emérito, Bento XVI, o estado da Baviera, no Sul da Alemanha.

A árvore será enfeitada com ornamentos feitos por crianças com câncer que estão internadas em vários hospitais italianos. Este ano, o presépio do Vaticano será composto por 24 figuras em tamanho natural, esculpidas em madeira e pintadas à mão.

Ao lado das figuras habituais da história do nascimento de Jesus, a composição terá também esculturas de pessoas comuns, como um homem ajudando uma idosa.


Dilma sanciona lei que institui o Programa de Proteção ao Emprego

Ana Cristina Campos - Repórter da Agência Brasil Edição: Aécio Amado

A presidenta Dilma Rousseff sancionou hoje (19), sem vetos, a lei que institui o Programa de Proteção ao Emprego (PPE). O programa prevê a redução temporária da jornada de trabalho, com diminuição de até 30% do salário. Para isso, o governo arcará com 15% da redução salarial, usando recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

A presidenta Dilma Rousseff sanciona a lei que institui o Programa de Proteção ao Emprego (PPE), em solenidade no Palácio do Planalto Valter Campanato/Agência Brasil

No início de julho, Dilma editou a medida provisória que criou o programa e o Senado aprovou o texto no final de outubro.

Segundo a presidenta, nos quatro meses de vigência da medida provisória foram aprovadas 33 adesões ao PPE, beneficiando 30.368 trabalhadores. Outras 42 solicitações estão em análise envolvendo o emprego de 12.264 trabalhadores. “Agora, a sanção da lei vai permitir que a gente afaste qualquer preocupação com a segurança jurídica do processo, e, portanto, vai permitir que mais empresas possam acessar o programa”.

Dilma ressaltou que o PPE é vantajoso para diversos setores. “Para as empresas, porque, além de rápido [o processo de adesão], podem ajustar sua produção sem abrir mão dos seus trabalhadores; para os trabalhadores porque preserva emprego e a maior parte de rendimentos; para o governo federal, porque, diante da crise, essa é uma medida de proteção ao emprego, e, além disso, é possível que o gasto com o PPE seja menor do que com o seguro-desemprego e ainda preserva a arrecadação das contribuições sociais”, disse.

Segundo a presidenta, o governo está trabalhando “de forma obstinada” para reorganizar a situação fiscal do país a fim de reduzir a inflação, restaurar o crescimento econômico e a confiança na economia brasileira. “O Brasil vive hoje um momento de transição, na qual as escolhas que fizermos vão condicionar o futuro, principalmente a retomada [da economia]. Uma crise é um momento muito doloroso e nós devemos impedir que seja desperdiçada”, completou.

Pela proposta, para que o regime diferenciado seja aplicado, é necessário que ele seja acertado em acordo coletivo de trabalho específico com a entidade sindical. Para participar do programa, a empresa deve comprovar que passa por dificuldade econômico-financeira, demonstrar regularidade fiscal, previdenciária e conformidade com o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

De acordo com o ministro do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto, das 75 empresas que solicitaram adesão ao PPE, 27 são do setor automotivo, 17 do metalúrgico, 16 do fabril, cinco de serviços e quatro do comércio. São Paulo é o estado que com mais empresas que pediram adesão ao programa com 54 solicitações. A adesão ao PPE pode ser feita até o fim de dezembro do ano que vem e a vigência vai até dezembro de 2017.

“A garantia do emprego é o objetivo fundamental desse programa numa situação de dificuldades econômicas. A partir da sanção presidencial, estamos seguros da expansão do programa, que está disponível para todos os setores, todos os tamanhos de empresa”, disse o ministro.

O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos automotores (Anfavea), Luiz Moan, informou que várias empresas já estão conversando com os sindicatos e que a situação das vendas é crítica. “Nós estamos com uma crise muito forte, uma queda de praticamente 30% nas nossas vendas este ano em relação ao ano passado, na área de caminhões, queda de 45%”.

Para o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Rafael Marques, a redução de salários é vantajosa em um momento de crise. “Ninguém gosta [de redução salarial], mas nas assembleias que já fizemos, em todas elas foi aprovada por unanimidade os acordos do PPE. Num momento como esse, o esforço é coletivo e os trabalhadores têm entendido por causa da ameaça de demissões”.


Rompimento da barragem é a maior catástrofe ambiental do Brasil, diz ministra

Da Agência Brasil Edição: Fábio Massalli


A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, disse hoje (19) que o rompimento da barragem de rejeitos de mineração da Samarco, em Mariana (MG), há duas semanas, é a maior tragédia ambiental da história do Brasil.

“É a maior catástrofe ambiental do país, isso é inegável. Eu vi o acidente. É impressionante o impacto na flora e nas atividades econômicas”, disse a ministra. "No trecho do Rio Doce em Minas, a ictiofauna [espécies de peixe em uma região] na calha do rio principal acabou".

Segundo Izabella, o governo está trabalhando para reduzir os impactos no Rio Doce e no oceano. “Nós estamos desde sábado trabalhando em parceira com o Espírito Santo e com a prefeitura de Linhares. Abrimos um canal na foz do rio, que está assoreado, para facilitar a dispersão da lama”, informou. "Os peixes de superfície conseguiram migrar para alguns rios tributários, mas estão morrendo, e a fauna ribeirinha também foi impactada".

A ministra informou que a onda de lama deve se espalhar por uma extensão de 9 quilômetros (km) quando chegar ao mar, após desaguar na costa do Espírito Santo, na cidade de Linhares. “Os dados de dispersão disponíveis indicam que a dispersão máxima para o sul é 6 km e a dispersão máxima para o norte é 3 km, porque as correntes marinhas ali seguem para o sul”, disse a ministra.

O rompimento da barragem de Fundão destruiu o distrito de Bento Rodrigues e deixou mais de 900 pessoas desabrigadas. A onda de lama que se formou chegou ao Rio Doce, provocando a mortandade de peixes e impedindo o abastecimento de água em cidades de Minas Gerais e do Espírito Santo. Sete mortos durante a tragédia foram identificados, cinco corpos aguardam identificação e 11 pessoas permanecem desaparecidas.

Filho de imigrantes brasileiros se candidata a presidente dos Estados Unidos

Da Agência Lusa Edição: José Romildo


Rod Silva, de 43 anos, filho de imigrantes brasileiros e fundador da cadeia de comida saudável Muscle Maker Grill, anunciou a sua candidatura como independente a presidente dos Estados Unidos da América.

"Acredito realmente que a América precisa tornar-se saudável de novo e serei eu quem vai trazer essa mudança", disse Silva aos jornalistas.

Rod Silva é um de cinco filhos de imigrantes brasileiros e nasceu no bairro do Ironbound, na cidade de Newark, onde existe uma grande comunidade portuguesa e brasileira.

Nas próximas semanas, viajará pelo país para tentar conseguir voluntários e assinaturas para se conseguir inscrever nos 50 estados norte-americanos. No Colorado, garante já estar perto de ter os números necessários.

Silva é um empresário de sucesso, que transformou um pequeno restaurante, que fundou em 1995 na cidade de Colônia, em cadeia com cerca de 60 filiais em 13 estados.

Segundo contou, começou o Muscle Maker Grill com apenas seis mil dólares e o encorajamento do pai.

"O meu pai deu-me umas pancadinhas nas costas e disse: 'É a América, podes ser o que quiseres, vai em frente'", lembrou.

Silva, que é adepto de desporto e de alimentação equilibrada, criou um conceito de comida saudável, que não era popular na época.

"Quando comecei, não era popular neste ramo falar sobre alimentação e estilo de vida saudáveis. Com perseverança, tornamo-nos líderes e quero levar esta mensagem ao povo americano: só é preciso uma faísca para iniciar um fogo", explicou.

Alguns críticos dizem que a candidatura de Silva é apenas uma estratégia para promover o seu negócio.

"Campanhas e partidos como este não fazem muito pela verdadeira nutrição. São especialmente inúteis quando são pouco mais do que uma estratégia para promover um franchise de restaurantes do que uma causa legitima", defendeu Rick Polito no blog New Hope.

Silva garantiu, no entanto, que as suas intenções são claras e os motivos pessoais: o pai tinha problemas de colesterol e morreu devido a um ataque de coração, dentro do carro, em frente à casa da família, quando tinha 62 anos.

Foi o filho, que tinha aberto o seu primeiro restaurante sete anos antes, que o encontrou sem vida.

"Encontrei o meu pai morto dentro de um carro devido a um ataque do coração fulminante. Um homem que viveu o sonho americano, o meu herói, morrer dessa forma... Isso mostrou-me que tinha de haver outro caminho. Foi aí que comecei a minha jornada", contou.

Silva disse que através de programas de reeducação alimentar e de estilo de vida, o estado pode poupar dinheiro e melhorar a saúde dos norte-americanos.

"A melhor forma de tornar as pessoas saudáveis é a prevenção e não esperar que fiquem doentes e depois tratar", garantiu.

Rod disse ainda que o governo federal deveria ser a "referência e não o dono ou patrão" quando o assunto são os cuidados com a saúde.

Outro argumento do aspirante a candidato presidencial a favor das suas pretensões é não fazer parte do mundo político de Washington, acreditando que o seu perfil de empresário, de homem independente dos interesses de Washington, vai mobilizar os eleitores.

"Comecei do nada. Ninguém me deu uma esmola. Acredito muito no povo americano. Quando entenderem a minha mensagem, ninguém nos irá parar", disse.

Silva vive atualmente em Piscataway, no estado de Nova Jersey, com a esposa de há 14 anos e os dois filhos do casal, de 8 e 13 anos.


Emissão de gases de efeito estufa está estável, diz Observatório do Clima

Ana Cristina Campos – Repórter da Agência Brasil Edição: José Romildo


As emissões de gases de efeito estufa do Brasil em 2014 ficaram estáveis em relação ao ano anterior, apesar da queda de 18% na taxa de desmatamento da Amazônia. A nova projeção do Sistema de Estimativa de Emissões de Gases de Efeito Estufa (Seeg), do Observatório do Clima, rede que reúne 37 entidades da sociedade civil para discutir as mudanças climáticas no Brasil, foi divulgada hoje (19).

De acordo com os dados do Seeg 2015, o Brasil emitiu no ano passado 1,558 bilhão de toneladas de gás carbônico equivalente, redução de 0,9% em relação ao patamar de 1,571 bilhão de toneladas emitidas em 2013.

Segundo o observatório, em 2013, um aumento de 28% na taxa de desmatamento na Amazônia fez as emissões totais do país crescerem 8,2% em relação ao ano anterior. Com a desaceleração do desmatamento em 2014, era esperado que as emissões também caíssem, mas não foi o que se verificou. Alta de 6% na quantidade de carbono lançada ao ar pelo setor de energia impediu que a queda de 9,7% das emissões pelo desmatamento fizesse diferença na contribuição do Brasil para o aquecimento global no ano passado.

“Os novos dados consolidam o fim da fase de queda de emissões verificada entre 2004 e 2009. Desde então, as emissões têm flutuado em torno de 1,5 bilhão de toneladas de CO2”, afirmou, em nota, o coordenador do Seeg, Tasso Azevedo.

O setor de energia emitiu, em 2014, 479,1 milhões de toneladas (mt) de CO2e, e hoje está lado a lado do desmatamento (486,1 mt CO2e) como principal fonte de gases estufa da economia brasileira.

Segundo o observatório, o crescimento foi puxado pelos setores de transportes, que está emitindo 3% mais do que em 2013; de geração de eletricidade, que teve um aumento de 23%, devido ao acionamento de usinas termelétricas fósseis por causa seca que esgotou os reservatórios das hidrelétricas no Nordeste, no Centro-Oeste e no Sudeste; e de produção de combustíveis, que teve aumento de 6,8% nas suas emissões em razão da produção e do refino de óleo e gás, que inclui a exploração do pré-sal.

“A participação das usinas termelétricas na geração de energia para compensar a crise hídrica que afetou as hidrelétricas foi protagonista nesse resultado”, disse o coordenador-geral do Observatório do Clima, André Ferretti. “É preciso diversificar nossa matriz energética, investindo em fontes limpas como a eólica e o etanol de segunda geração.”


Cunha suspende decisão que anulou atos do Conselho de Ética

Da Agência Brasil* Edição: Carolina Pimentel

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), suspende decisão que anulou atos  do Conselho de ÉticaAntonio Cruz/Agência Brasil
O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), decidiu suspender a decisão do deputado Felipe Bornier (PSD-RJ) que anulou a reunião do Conselho de Ética de hoje (19). A reunião foi marcada para a leitura do relatório do deputado Fausto Pinato (PRB-SP) sobre a continuidade do processo contra Cunha. A reunião foi cancelada pelo deputado Felipe Bornier, que é um dos secretários da Mesa Diretora, enquanto estava como presidente da Câmara.

Em protesto, vários deputados deixaram o plenário após a decisão de Bornier. A reunião havia sido aberta pela manhã, mas foi suspensa após discussão entre os membros do conselho.

Ao suspender a decisão de Bornier, Cunha disse que não quer contaminar a Casa com algo que diga respeito a ele. “A questão de ordem será acatada e respondida a posteriore pelo 1º vice, de forma a evitar qualquer tipo de decisão que possa afetar o plenário”, disse.

O presidente afirmou que não tomou a decisão durante os protestos dos deputados para “não passar a impressão de que o grito vai prevalecer em plenário”.

Em relação à coincidência do horário da sessão do plenário e da reunião do Conselho de Ética, Eduardo Cunha declarou que sempre houve sessão na quinta-feira pela manhã, a partir das 9 horas, a pedido dos próprios líderes, para que não ocorra à tarde. "A sessão do plenário já estava decidida antes de a reunião do conselho ser combinada”, disse. De acordo com Cunha,  as decisões da Presidência sobre interpretações regimentais têm como base o regimento interno e disse que não vai se pronunciar sobre a decisão do  Conselho de Ética. “Questão de ordem que tem implicação em matérias que ora podem ser de interesse da oposição e ora de interesse do governo não pode ser decidida pelo clima politico do momento. O recurso à CCJ foi admitido”, disse, sendo interrompido várias vezes pelo protesto de deputados contra a anulação da reunião do conselho.

Para o deputado Roberto Freire (PPS-SP), a suspensão deveria ter ocorrido antes dos protestos dos deputados. “Se fosse adotada antes dos eventos que ocorreram com a retirada [dos deputados], poderíamos ter retomado o diálogo. Agora o fato já ocorreu". Já o deputado Hugo Motta (PMDB-PB) elogiou a decisão de Cunha. “Está mostrando imparcialidade”, disse, acrescentando que Cunha tem “plena condição de presidir a Casa”.

* Com informações da Agência Câmara


Senegal proíbe uso de burca para prevenir ataques terroristas

Veja.com



O Senegal proibiu que as mulheres de seu país usem a burca, típica vestimenta islâmica que deixa somente os olhos visíveis, para prevenir ataques terroristas.

A medida é uma questão de segurança nacional e foi criada para impedir que terroristas utilizem a burca como um disfarce, afirmou o Ministro do Interior senegalês, Abdoulaye Daouda.

Aproximadamente 92% da população do Senegal é muçulmana. Apesar do país não ter sido alvo de ataques terroristas recentemente, as autoridades locais temem ataques dos jihadistas do Boko Haram, grupo da Nigéria que já atua nos países vizinhos. No mês de novembro, a polícia prendeu cinco suspeitos por ligações com o grupo.

O Senegal não é o primeiro da África Ocidental a proibir a burca. Este ano, Camarões e Chade, países que também possuem maioria muçulmana, emitiram ordens similares, citando razões de segurança. A proibição, contudo, não é uma solução infalível.

Dois dias depois que o Chade instituiu o veto, dois homens-bomba escondidos sob burcas se explodiram na capital N'Djamena, matando pelo menos 27 pessoas, incluindo vários policiais.

A nova decisão também tem causado uma série de discussões internas a respeito dos limites da intervenção que visa a segurança nacional na liberdade religiosa. Mbaye Niang, um líder muçulmano e membro do parlamento, disse que a nova lei foi criada para proteger o Islã.

"Nós não devemos permitir que alguém cubra todo o seu corpo como os terroristas fazem. Esta é uma tradição de alguns países, mas não tem nada a ver com o Islã", disse ele ao jornal local Le Quotidien.

Segundo o muçulmano, os terroristas usam este método para atacar a religião.


Fonte: HuffPost Brasil

Voto impresso passa a valer em 2018 para checagem de eleitor e auditoria em caso de denúncias

Agência Brasil com HuffPost Brasil



O veto da presidente Dilma Rousseff ao voto impresso para o caso de conferência, previsto no projeto de lei da minirreforma eleitoral (PL 5.735/13), foi derrubado pelos deputados em sessão do Congresso Nacional. Foram 368 deputados contra e 50 a favor do veto.

Os senadores mantiveram a decisão dos deputados. Com a derrubada do veto, o texto vetado pelo governo será reinserido na Lei 13.165/15, da reforma política.

A matéria prevê o uso do voto impresso nas urnas eleitorais para conferência pelo eleitor, sem contato manual, assim como para posterior auditoria, em caso de suspeita de fraude. A regra entrará em vigor nas próximas eleições gerais, em 2018.

Segundo a Folha de S.Paulo, o Tribunal Superior Eleitoral informou que nova regra demandará um gasto de cerca de R$ 1,8 bilhão nas próximas eleições. Isso porque, a no novo formato serão impressos cerca de 220 milhões de comprovantes.

O Congresso Nacional aprovou ainda quatro projetos de lei com créditos orçamentários. Entre eles o que libera R$ 368,2 milhões para garantir o pagamento de benefícios aos aposentados e pensionistas do Instituto Aerus de Seguridade Social fundo de pensão dos ex-empregados das empresas Varig e Transbrasil; e o projeto que permite o uso, para emendas individuais dos deputados, dos restos a pagar de anos anteriores a 2014.

Antes do encerramento da sessão, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), programou para a próxima terça-feira (24), às 19 horas, nova sessão do Congresso Nacional para votar outros três vetos do governo, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2015 e o projeto de lei 5/15, que autoriza o governo a fechar o ano de 2015 com déficit primário de até R$ 119,9 bilhões.

(Com Agência Câmara)

Brasil não está preparado para evitar ataque terrorista na Olimpíada, dizem especialistas

Reuters  |  De Reuters


O Brasil ainda não tem o conhecimento e o preparo necessários para impedir que a Olimpíada de 2016 no Rio de Janeiro seja alvo de ataques como os que ocorreram em Paris, e dependerá da ajuda de países estrangeiros para garantir a proteção do evento, avaliaram especialistas em segurança.

As preocupações com a possibilidade de um ataque nos Jogos do Rio cresceram desde que militantes do Estado Islâmico reivindicaram a autoria de ações coordenadas que deixaram 129 mortos em Paris na semana passada e tiveram como um dos alvos a área do estádio onde a seleção francesa disputava um amistoso com a Alemanha.

A facilidade de se conseguir armas no Rio, onde várias favelas são dominadas por traficantes de drogas fortemente armados, a falta de uma rede de inteligência no país capaz de interceptar planos de ataques de militantes e o despreparo dos estádios para a eventualidade de uma bomba são os principais problemas enfrentados pelas autoridades, segundo especialistas ouvidos pela Reuters.

“O Brasil mais que engatinha nessa área de prevenção ao terrorismo, na verdade se arrasta", disse o professor e especialista em segurança da Fundação Getúlio Vargas (FGV) Fernando Brancoli.

"O Brasil não tem condições de rastrear no campo internacional ou saber se dinheiro está vindo para cá para financiar atentados. Terá que contar com ajuda de quem sabe fazer. Não tem jeito."

A segurança sempre foi uma das maiores preocupações do Comitê Olímpico Internacional em relação aos Jogos do Rio, mas não relacionada diretamente ao terrorismo.

A cidade foi escolhida em 2009 como sede dos Jogos em parte por ter convencido os dirigente do COI da eficácia do programa de ocupação de favelas pela polícia, as chamadas Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), que reduziram os índices de criminalidade.

Representantes de governos estrangeiros demonstraram preocupação com a segurança durante os Jogos, uma vez que não veem as autoridades do país levando a sério a ameaça de um ataque terrorista.

Diplomatas em Brasília ficaram surpresos na segunda-feira (16) quando, três dias depois dos ataques a Paris, a presidente Dilma Rousseff minimizou a possibilidade de um ataque no Brasil em entrevista durante o G20, na Turquia, ao dizer que o país está "muito longe dos locais onde esse processo está se dando".

"O Brasil está colocando a cabeça no buraco como um avestruz", disse um diplomata europeu ligado a questões de segurança.

As autoridades públicas e os organizadores dos Jogos sempre exaltaram o fato de o Brasil não ter enfrentado nenhum caso de violência em grandes eventos, inclusive na Copa do Mundo do ano passado, mas a nova ameaça representada pelo Estado Islâmico deve levar a uma revisão do planejamento de segurança.

"Há um aumento natural e justificável da preocupação e esse assunto entrou na prioridade", disse uma fonte próxima à organização da Olimpíada do Rio. "Desde os lamentáveis ataques, o governo (federal) começou a revisitar os planos de segurança com muita força."

Há ainda a expectativa para que o Congresso aprove um projeto de lei que tipifica o crime de terrorismo e estabelece pena de até 24 anos de prisão em regime fechado.

O projeto, no entanto, é alvo de polêmica devido a um dispositivo aprovado pela Câmara para garantir que movimentos sociais não possam ser enquadrados na nova lei, mas que foi retirado da proposta aprovada no Senado.

Cooperação internacional

Os Jogos Olímpicos já foram alvo de ataques no passado.

Em 1972, 11 membros da delegação israelense e um policial alemão foram mortos por integrantes do grupo palestino Setembro Negro na Olimpíada de Munique.

Nos Jogos de 1996 em Atlanta (EUA), uma pessoa morreu e outra sofreu um ataque cardíaco fatal devido à explosão de uma bomba no Parque Olímpico Centennial. Mais de 100 pessoas ficaram feridas.

O governo brasileiro, que vem trabalhando em colaboração com outros países na área de segurança desde a preparação para o Mundial de 2014, deve intensificar essa coordenação.

Autoridades brasileiras e internacionais vão se reunir na próxima semana em Brasília para discutir o enfrentamento ao terrorismo.

O professor Brancoli, da FGV, diz:

“O Brasil se vê obrigado depois do que aconteceu em Paris a aumentar a cooperação com agências internacionais. Sozinho não tem como dar conta, e países como Estados Unidos, Rússia e Israel já têm tradição de mandar agentes a grandes eventos para garantir a integridade de seus atletas, e isso vai aumentar ainda mais".
Segundo Brancoli, as grandes potências não vão deixar a segurança dos Jogos a cargo apenas do Brasil. "Seria uma temeridade para os dois lados”, avaliou.

O esquema de segurança dos Jogos de 2016 contará com um Centro Integrado Antiterrorismo, que irá funcionar em Brasília e terá a participação de profissionais de outros países especializados na prevenção e combate a ações de terror.

No total serão empregados cerca de 85 mil homens na proteção dos Jogos, mais que o dobro dos 40 mil estimados em Londres-2012.

O valor total de investimento ainda não foi apresentado. Até o momento, o custo divulgado é de 930 milhões de reais, sendo 350 milhões de reais do Ministério da Justiça e 580 milhões de reais por parte do Ministério da Defesa. Há ainda recursos investidos em equipamentos para a Copa de 2014 que também serão utilizados nos Jogos.

Um dos problemas apontados por estudiosos no caso de um atentado na Olimpíada é a falta de planejamento dos estádios para a eventualidade de uma bomba.

Apesar de obras recentes, o Estádio Olímpico e o Maracanã não têm saídas e escapes considerados ideais para casos de atentados, além de carecerem de mais câmeras de segurança, detectores de metal e até mesmo de proteção antiaérea nos arredores.

"A arquitetura dos nossos estádios em muitos casos não ajuda, porque não tem um número de saídas radialmente distribuídas para se fazer uma evasão rápida em caso de uma ameaça terrorista", disse o professor Moacyr Duarte, especialista em gerenciamento de riscos e planejamento de emergências da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Como exemplo, Duarte cita as escadas em espiral de ambos os estádios, que obrigam os torcedores a andarem ao menos 150 metros sem conseguirem se afastar do local da ameaça. "Nunca houve uma preocupação com a taxa de afastamento, o número de metros que você anda no terreno para se afastar do perigo. Isso sem dúvida é um problema."

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, cujo ministério está encarregado da segurança dos Jogos por meio da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos, garantiu nesta semana que o "êxito da segurança pública" da Copa se repetirá na Olimpíada.

Oficialmente, a secretaria não confirma que o esquema de segurança para os Jogos será reforçado após os atentados em Paris, mas uma fonte do órgão disse que "ajustes" em grandes eventos como uma Olimpíada são normais.

"Depois do que aconteceu, é óbvio que ajustes serão feitos, só que ainda estão em discussão”, afirmou.


Fonte: HuffPost Brasil