Ministério das Cidades autoriza R$ 525 milhões para obras na Bahia


Nesta segunda-feira (6), o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, estará em Salvador, onde assinará autorizações para obras de saneamento e pavimentação em 10 municípios da Bahia, incluindo a capital. A solenidade de assinatura dos documentos acontecerá no auditório da Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinfra), no Centro Administrativo, às 15h, com a presença do governador Rui Costa e de prefeitos das cidades contempladas. Os investimentos somam R$ 525 milhões, em parceria com o governo estadual e prefeituras, e vão beneficiar cerca de 490 mil pessoas.

As obras de saneamento vão atender aos municípios de Camaçari, Dias D’Ávila, Irecê, Teixeira de Freitas e Salvador. Já as intervenções de pavimentação autorizadas são para as cidades de Remanso, Riacho de Santana, Santo Amaro, Capim Grosso e Bom Jesus da Lapa.

Secom Bahia.

Matemática é atividade criativa, diz Artur Ávila na Flip

Akemi Nitahara – Repórter da Agência Brasil Edição: Juliana Andrade

A matemática é uma atividade criativa assim como outras expressões artísticas como a música, a literatura e a dança. Quem afirma é o matemático brasileiro Artur Ávila, ganhador no ano passado da Medalha Fields, considerado o Prêmio Nobel da matemática. Ele participou hoje (4) da mesa Os Homens que Calculavam, da 13ª Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), ao lado do russo Edward Frenkel, autor de Amor e Matemática.

Em entrevista à Agência Brasil, Artur Ávila disse que não há relação direta entre literatura e matemática, mas a participação no evento é uma oportunidade para diminuir o medo que a matéria provoca no público em geral.

"É uma maneira de tentar passar a nossa maneira de pensar, com metáforas e coisas do gênero, para mostrar que certos tipos de raciocínios ou certo tipo de maneiras de enxergar os objetos com os quais que a gente trabalha não são tão distantes assim da maneira abstrata com que você pode ver artes ou outras coisas. Então a gente pode aproximar um pouco esse universo.”

Na mesa, Frenkel comparou o ensino da matemática ao que seria o ensino da arte sem mostrar os grandes mestres. “Apesar de a matemática ser cada vez mais central nas nossas vidas, com o uso das tecnologias, nós fugimos cada vez mais dela. Matemática tem a ver com números e cálculos, mas não é só isso. É como se você estivesse em uma aula de arte e só pintasse paredes e o professor nunca mostrasse Picasso.”

O russo destacou que toda a matemática estudada na escola atualmente foi escrita há mais de mil anos. “É um problema muito complicado e não vai ser resolvido de um dia para o outro. São séculos de ensino assim e o resultado é escandaloso. Quantos não se deram conta de que toda a matemática que estudamos na escola tem mais de mil anos, a geometria euclidiana tem 2,3 mil anos. Imagina que em literatura estivéssemos lendo apenas Homero. São livros bons, mas muitas coisas foram escritas depois disso. Em matemática é a mesma coisa”, comparou.

Os dois lembraram que matemática não se restringe a cálculos e números, mas muitas vezes acaba resumida a isso. Artur Ávila relatou que, em Paraty, um jornalista pediu para que ele calculasse o número de pedras no calçamento das ruas do centro histórico.

“Encontrar um matemático e pedir para ele calcular uma coisa dessa seria a mesma coisa que chegar a uma feira literária, encontrar um grande escritor e pedir para ele fazer palavras cruzadas com você, como um desafio literário. Não é a atividade do sujeito, é um desafio matemático, mas não tem nada a ver. É o primitivo, é o conhecimento dos números”, destacou Ávila. “É como chamar Picasso e pedir para ele pintar uma parede”, brincou Fenkel.


Dilma diz que confia em Obama e no compromisso de que espionagem acabou

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil Edição: Juliana Andrade

A Secretaria de Comunicação Social (Secom) da Presidência da República divulgou nota afirmando que a presidenta Dilma Rousseff confia no presidente americano, Barack Obama, e em seu compromisso de que não haverá mais espionagem contra o Brasil e empresas brasileiras.

Segundo informações do site WikiLeaks divulgadas hoje (4), teriam sido interceptadas ligações de 29 números de telefone do governo brasileiro, incluindo a Presidência da República, o Ministério da Fazenda, o Banco Central e o Ministério das Relações Exteriores.

Segundo a nota, a presidenta Dilma considera o assunto superado. "Em várias circunstâncias, a presidenta Dilma Rousseff ouviu do presidente Barack Obama o compromisso de que não haveria mais escutas sobre o governo e empresas brasileiras, uma vez que os EUA respeitam os 'países amigos'".

Na nota divulgada pela secretaria, a Presidência da República afirma ainda que a parceria estratégica entre o Brasil e os Estados Unidos se tornará cada vez mais forte e que a relação é baseada em respeito mútuo e no desenvolvimento de ambos os povos.

O ministro da Secom, Edinho Silva, já havia dito que o governo considera o episódio superado e que as escutas telefônicas reveladas são de 2011. "A presidenta acabou de chegar de uma viagem produtiva aos Estados Unidos e vários acordos foram fechados. O foco agora é a manutenção das boas relações com os Estados Unidos e os futuros investimentos", disse o ministro.

Segundo o WikiLeaks, a lista inclui o atual ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, que, na época das interceptações telefônicas, era secretário executivo do Ministério da Fazenda. Também foi monitorado o ex-chefe da Casa Civil de Dilma, Antonio Palocci, que foi ministro da Fazenda no governo Luiz Inácio Lula da Silva. Luiz Awazu Pereira da Silva, ex-diretor do Banco Central, também aparece na lista, assim como o ex-ministro das Relações Exteriores Luiz Alberto Figueiredo, que ocupou o cargo entre 2013 e o início de 2015.


Cartunista usa desenho como válvula de escape, diz ex-cronista do Charles Hebdo

Akemi Nitahara – Repórter da Agência Brasil Edição: José Romildo

Cartunista francês Riad Sattouf: "Acho que não há pessoas mais afastadas dessa expressão de liberdade do que os desenhistas" Tânia Rêgo/Agência Brasil
Ao contrário do que tem sido publicado na imprensa após o atentado ao jornal francês Charlie Hebdo em janeiro, que deixou 12 mortos, de que os cartunistas satíricos são “paladinos” da liberdade de expressão, "na verdade eles não passam de pessoas frustradas que usam o desenho como válvula de escape".

A opinião é do cartunista francês Riad Sattouf, cronista da vida francesa, que publicava a série sarcástica A Vida Secreta dos Jovens no Charlie. Ele rompeu o contrato com o jornal seis meses antes do atentado.

Para ele, depois dos assassinatos, foi atribuída aos desenhistas de humor uma importância que não tem relação direta com a vida política desses profissionais. "Acho que não há pessoas mais afastadas dessa expressão de liberdade do que os desenhistas". E brincou: "Eu mesmo sou um covarde, tenho medo de futebol, medo de que a bola venha para cima de mim”.

Sattouf deu entrevista coletiva hoje (4) na 13ª Festa Literária Internacional de Paraty (13ª Flip), onde veio divulgar seu livro O Árabe do Futuro, que narra sua infância vivida entre o mundo árabe e a França. Ele disse que não faz cartum com temas políticos. Prefere mostrar "os fatos da vida e deixar que o leitor tire suas conclusões”. Mas Sattouf diz entender que as sátiras com líderes da religião muçulmana publicadas pelo jornal possam ter ofendido alguns islâmicos.

“Eu compreendo perfeitamente que algumas pessoas possam ter se sentido ofendidas com aqueles desenhos, mas nunca existe um bom motivo para alguém matar alguém, qualquer que seja a razão, nada pode justificar”, finalizou.


Pesquisa estabelece relação entre demência e doença renal crônica

Daniel Mello – Repórter da Agência Brasil Edição: José Romildo

Experimentos feitos pelo Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo estabeleceram relação entre doença renal crônica e a demência. O estudo feito em ratos indicou que as complicações nos rins tendem a causar inflamações neurais que afetam o funcionamento do cérebro.

“Nos animais, a gente detectou que a neuroinflamação em dado momento leva a esse desajuste da proteína klotho, que tem uma relação no sistema nervoso”, explicou o coordenador da pesquisa, Cristóforo Scavone.

A proteína klotho regula o fosfato e a vitamina D no organismo. A redução dessa substância, causada pela inflamação crônica, é apontada no estudo como responsável pelos problemas cognitivos.

Os testes foram conduzidos em 40 ratos que tinham a insuficiência renal induzida pela retirada de um dos órgãos. Em seguida, a capacidade cognitiva dos animais era medida por testes comportamentais. De acordo com Scavone, após um determinado período, todos os ratos passaram a apresentar algum grau de deficiência cognitiva.

“No paciente, a história é mais ou menos parecida”, disse o professor. Ele pondera, no entanto, que existem algumas diferenças. A falta da proteína klotho tende a desregular a quantidade de fosfato, elemento que já é associado, em outros estudos, ao envelhecimento. “Na verdade, o que ela indica é que esse modelo de envelhecimento pela klotho está muito associada à concentração de fosfato”, enfatiza.

A pesquisa foi motivada pela observação do elevado percentual de casos de demência em pacientes renais. O professor defende que durante o acompanhamento dessas pessoas seja dada atenção aos níveis de fosfato e klotho. Para Scavone, uma das formas de reduzir a ocorrência desses problemas mentais é a prática de exercícios. “O exercício físico desafia [e torna possível a reação do] organismo”, ressalta.


Charlie Hebdo pagou preço alto por falar de religião, diz sobrevivente de ataque

Da Agência Brasil Edição: José Romildo

Pela primeira vez após o atentado de 7 de janeiro deste ano, o diretor da revista satírica francesa Charlie Hebdo, Laurent Sourisseau, conhecido como Riss, saiu do país para falar sobre a publicação, de tradição anticlerical e ateia. Ele foi o único sobrevivente no massacre que deixou 12 mortos.

“Podemos escrever o que queremos sobre política e políticos, mas, no momento em que se fala de religião, principalmente do Islã, o negócio fica mais sensível e o Charlie Hebdo pagou um preço alto por isso”, disse em palestra no 10º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo, na Universidade Anhembi Morumbi, em São Paulo.

Antes do início do debate, em vez de um minuto de silêncio pela morte dos 12 integrantes da revista, houve um minuto de aplausos. O aplauso ocorreu para “não perpetuar o silêncio da censura e celebrar a liberdade de expressão”, disse o diretor.

Riss disse que o atentado foi uma “surpresa”, já que naquele momento eles não tinham nenhum problema específico. “Não tínhamos consciência sobre a periculosidade daquele momento. Até a polícia foi surpreendida. É difícil agora prever qual o próximo golpe”, acrescentou.

Ele ainda disse que a ação dos extremistas se insere em um âmbito maior de criar um clima de terror nas democracias. “É preciso ter uma visão mais ampla, de uma agressão contra as nossas democracias”, avaliou.

Pelo tom crítico e satírico dos cartuns da revista, Charlie Hebdo é, frequentemente, alvo de ações judiciais. O diretor explicou que não é fácil lidar com as ações judiciais contra a publicação. “Muitas vezes estivemos diante da Corte de Cassação da Franca, mas esse tribunal sempre confirmou a tolerância às nossas publicações”, explicou.

Para ele, a censura foi privatizada. Enquanto antes quem se preocupava em cercear os trabalhos era o poder político, hoje são associações privadas. “Existem associações privadas que fazem ameaças judiciais para gerar uma forma de censura. A censura de origem política praticamente desapareceu”, concluiu.

Ministro das Finanças diz que Grécia é vítima de terrorismo

Da Agência Brasil* Edição: Juliana Andrade

O ministro das Finanças grego, Yanis Varoufakis, disse hoje (4) que "o que fazem com a Grécia tem um nome: terrorismo". Para Varufakis, se o sim vencer no referendo deste domingo (5), os credores internacionais terão um acordo "absolutamente nefasto". Se o não sair vitorioso, "não será fantástico, mas não será tão ruim", segundo o ministro.

Amanhã, os eleitores gregos vão decidir, em referendo, se aceitam as novas medidas de austeridade propostas pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), pela Comissão Europeia e pelo Banco Central Europeu.

Em entevista ao jornal espanhol El Mundo, Varoufakis insistiu que, se vencer o não, o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, viaja na segunda-feira (6) a Bruxelas e poderá conseguir um acordo melhor.

Independentemente do resultado do referendo, o ministro acredita que no dia seguinte haverá um acordo. Segundo ele, haverá perda de 1 bilhão de euros se a Grécia sucumbir, algo que a Europa não pode permitir porque "é muito dinheiro". O ministro também garantiu que, na terça-feira (7), os bancos do país reabrirão.

De acordo com analistas, se os cidadãos da Grécia votarem contra o acordo que estava em negociação no último sábado (27), as perspetivas apontam uma saída do país da zona euro. Já a vitória do sim pode reduzir as hipóteses de a Grécia sair do bloco, porque mostraria que a população está disposta a mais sacrifícios, mas isso poderá levar à demissão do governo grego.

O presidente do Fundo Europeu de Estabilização Financeira, Klaus Regling, disse também hoje esperar “um resultado positivo" no referendo de domingo na Grécia porque o país deve continuar com “reformas necessárias”.

“Há muita incerteza sobre o futuro da Grécia. Quero que a Grécia faça parte da zona euro e, por isso, espero um resultado positivo neste processo difícil”, disse Regling numa entrevista ao diário grego Ekathimerini. Para Regling, se o não vencer, “há dúvidas sobre a aplicação das reformas necessárias”, porque elas exigem um governo que esteja convencido delas, e, como tal, “não haverá resultados positivos para a Grécia”. Ele considerou que um novo programa de resgate “não será mais difícil que os do passado”.

O presidente do Partido Socialista Europeu, Sergei Stanishev, pediu aos gregos que “não virem costas à Europa” quando votarem no referendo de domingo sobre as exigências dos credores internacionais.

“As imagens que temos visto da Grécia nos últimos dias são dolorosas para todos os europeus. As pessoas que vemos em filas durante horas são pensionistas europeus, pais e mães europeus”, afirmou, assegurando que os “socialistas europeus" lutam "por eles e pela Grécia, cujo lugar é no coração da Europa”.

Segundo Stanishev, os partidos socialistas europeus têm combatido “as forças conservadoras que impõem uma dura austeridade” por uma mudança na Europa. “Juntos conseguimos muito, mas só o podemos fazer se estivermos unidos”, concluiu.

Os gastos públicos elevados e descontrole das contas, entre outros motivos, levaram a Grécia à atual situação. Em assistência financeira desde 2010, o país recebeu dois empréstimos dos parceiros europeus e do Fundo Monetário Internacional totalizando 240 bilhões de euros. Em troca, o governo grego comprometeu-se a cumprir duras medidas de austeridade.

Os aumentos de impostos, a redução de benefícios sociais e o corte de gastos públicos puseram a população em um grande aperto financeiro. No início do ano, Alexis Tsipras, líder da legenda radical de esquerda Syriza, venceu as eleições prometendo renegociar a dívida com os credores internacionais e rever a política de austeridade.

*Com informaçõs da Télam e da Agência Lusa


Grécia: professor diz que vitória do não é possibilidade “assustadora”

Cristina Índio do Brasil - Repórter da Agência Brasil Edição: José Romildo

Na véspera do referendo na Grécia, em que a população do país vai decidir se aceita as medidas de austeridade sugeridas pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), pela Comissão Europeia e pelo Banco Central Europeu, o professor da Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas da Fundação Getulio Vargas (FGV/Ebape) Istvan Kasznar disse que a condução das autoridades gregas em favor da rejeição da proposta – por meio da escolha do não no referendo – “é assustadora”.

Segundo ele, a possibilidade da rejeição das medidas “pode significar o isolamento muito radical do país”, em relação não só à Europa, mas a toda a comunidade internacional.

“A população grega tem excelente cultura e altíssimo nível de alfabetização”, lembrou o professor, ao observar que uma rejeição significaria uma mudança radical do perfil da tradição grega.

De acordo com Kasznar, as decisões do governo grego na busca de soluções têm de ser firmes. “O Banco Central Europeu tem os seus limites e vai estabelecer uma política mais disciplinada porque tem que servir de exemplo para o G27”, disse.

O professor esteve em junho na Grécia. Ele disse que passou uma semana analisando as condições do país. Kasznar concluiu que um dos grandes problemas na área econômica é que o sistema bancário funciona com a influência de instituições situadas fora do país. Essa situação, segundo ele, não dá segurança à população sobre o lastro que os bancos gregos têm para garantir o pagamento de retiradas solicitadas pelos correntistas.


Espionagem é episódio superado e foco é boa relação com os EUA, diz ministro

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil Edição: Juliana Andrade

Para Edinho Silva, o episódio da espionagem por parte dos EUA está superadoMarcelo Camargo/Arquivo/Agência Brasil
O governo brasileiro considera que as interceptações telefônicas por parte dos Estados Unidos são um "episódio superado", disse hoje (4) o ministro da Secretaria de Comunicação Social (Secom) da Presidência da República, Edinho Silva. O site WikiLeaks divulgou neste sábado uma lista com 29 números de telefones do governo brasileiro que teriam sido alvo de espionagem. A relação inclui telefones de integrantes da equipe econômica e da diplomacia, além da presidenta Dilma Rousseff.

"O governo brasileiro considera o episódio superado. Esses fatos são de 2011, e o governo norte-americano já havia reconhecido o erro em relação a isso. A presidenta acabou de chegar de uma viagem produtiva dos Estados Unidos e vários acordos foram fechados. O foco agora é a manutenção das boas relações com os Estados Unidos e os futuros investimentos", disse Edinho Silva, segundo informações divulgadas pela assessoria de imprensa da Secretaria de Comunicação Social.

Mais tarde, a Secom informou em nota que a presidenta Dilma ouviu do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, o compromisso de que não haveria mais escutas sobre o governo e empresas brasileiras. "A presidenta Dilma reitera que confia no presidente Obama e no compromisso por ele assumidos. Os EUA e o Brasil tornarão cada vez mais forte a sua parceria estratégica, que está baseada no respeito mútuo e no desenvolvimento de seus povos", diz o comunicado.

Segundo o WikiLeaks, a lista inclui o atual ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, que, na época das interceptações telefônicas, era secretário executivo do Ministério da Fazenda. Também foi monitorado o ex-chefe da Casa Civil de Dilma, Antonio Palocci, que foi ministro da Fazenda no governo Luiz Inácio Lula da Silva. Luiz Awazu Pereira da Silva, ex-diretor do Banco Central, também aparece na lista, assim como o ex-ministro das Relações Exteriores Luiz Alberto Figueiredo, que ocupou o cargo entre 2013 e o início de 2015.

*Matéria atualizada às 16h06


Bancos gregos poderão reabrir na terça-feira

Da Agência Brasil* Edição: Juliana Andrade

O Conselho de Governadores do Banco Central (BCE) grego reúne-se na segunda-feira (6) para decidir se oferecerá liquidez aos bancos gregos por meio do mecanismo de empréstimos de emergência, congelados na semana passada. A presidenta da União Grega de Bancos, Luka Katseli, disse hoje (4) que há uma "alta probabilidade" de os bancos reabrirem na terça-feira (7) ou o mais tardar na quarta-feira (8), ainda que seja sob controle de capitais.

A vigência do decreto-lei que, entre outras restrições, prevê saques máximos de 60 euros nos caixas eletrônicos termina na segunda-feira à noite. Em declarações ao canal de TV Mega, Luka Katseli acrescentou que o nível de restrição dependerá da liquidez existente na terça-feira. "A solvência dos bancos gregos está sendo controlada pelo BCE. Quanto mais cedo voltamos ao normal, mais depressa evitaremos situações desagradáveis no futuro", disse.

A presidenta negou categoricamente informações divulgadas pelo jornal britânico Financial Times, segundo o qual há planos para confiscar dinheiro em depósitos superiores a 8 mil euros.  O Ministério das Finanças classificou a publicação como uma provocação que prejudica o referendo de domingo e pediu ao jornal para retirar essas afirmações.

*Com informações da Agência Lusa


WikiLeaks divulga lista com 29 telefones espionados no Brasil pelos EUA

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil Edição: Juliana Andrade

O site WikiLeaks divulgou hoje (4) uma lista com 29 números de telefone de autoridades e assessores do governo brasileiro que teriam sido alvo de espionagem da Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (NSA, na sigla em inglês). A relação, classificada como ultrassecreta, inclui, além de números da sala da presidenta Dilma Rousseff no Palácio do Planalto e do avião dela, contatos de integrantes do alto escalão do governo. Também foram espionadas pessoas próximas a Dilma, como secretários e assessores.

Segundo o WikiLeaks, a lista inclui o atual ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, que, na época das interceptações telefônicas, era secretário executivo do Ministério da Fazenda. Também foi monitorado o ex-chefe da Casa Civil de Dilma, Antonio Palocci, que foi ministro da Fazenda no governo Luiz Inácio Lula da Silva. Luiz Awazu Pereira da Silva, ex-diretor do Banco Central, também aparece na lista.

O ex-ministro das Relações Exteriores do Brasil Luiz Alberto Figueiredo, que ocupou o cargo entre 2013 e o início de 2015, também teve o número de celular grampeado. Figueiredo é hoje o embaixador do Brasil nos Estados Unidos. Também foram espionadas as embaixadas brasileiras na França, na Alemanha, na União Europeia, na Suíça e nos Estados Unidos e o general José Elito Carvalho Siqueira, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional.

Para o editor-chefe do site, Julian Assange, "a divulgação mostra que os Estados Unidos terão que percorrer um longo caminho para provar que sua vigilância contra governos aliados acabou".

Em 2013, Edward Snowden, ex-consultor de informática da agência, já havia feito denúncias de que a NSA espionou autoridades brasileiras, além de empresas estatais. A questão gerou desconforto entre os países e fez com que Dilma adiasse visita aos Estados Unidos. A divulgação da nova lista foi feita logo após a viagem da presidenta ao país. Em entrevista à imprensa, ela avaliou que a ida aos Estados Unidos foi extremamente produtiva e que a relação do país com o Brasil está agora em um novo patamar de possibilidades.

Procurado pela Agência Brasil, o Palácio da Planalto, por meio de sua assessoria de imprensa, informou que não vai comentar o caso. O Ministério das Relações Exteriores está analisando as informações. A Embaixada dos Estados Unidos ainda não se pronunciou.


Eleitores da Grécia decidem amanhã se aceitam medidas propostas por credores

Da Agência Brasil* Edição: Juliana Andrade

Os eleitores gregos vão decidir, amanhã (5), em referendo, se aceitam as novas medidas de austeridade propostas pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), pela Comissão Europeia e pelo Banco Central Europeu.

As sondagens sobre o voto dos gregos dão uma pequena vantagem ao sim, 44,8%, contra o percentual de 43,3% que devem optar pelo não. Mas a porcentagem de indecisos, 11,3%, pode desequilibrar a balança em qualquer sentido.

Se os cidadãos da Grécia votarem contra o acordo que estava em negociação no último sábado (27), as perspetivas apontam uma saída do país da zona euro. Segundo analistas, a vitória do sim pode reduzir as hipóteses de a Grécia sair do bloco, porque mostraria que a população está disposta a mais sacrifícios, mas isso poderá levar à demissão do governo grego.

A situação se agrava com o não pagamento de cerca de 1,6 bilhão de euros ao FMI, cujo prazo terminou no dia 30. Sem ter quitado a parcela do resgate financeiro, o país entrou oficialmente em calote com os credores internacionais e, com isso, deixará de ter acesso aos empréstimos do FMI e perde o direito de voto no fundo.

Os gastos públicos elevados e o descontrole das contas públicas, entre outros motivos, levaram a Grécia à atual situação. Em assistência financeira desde 2010, o país recebeu dois empréstimos dos parceiros europeus e do Fundo Monetário Internacional, totalizando 240 bilhões de euros. Em troca, o governo grego comprometeu-se a cumprir duras medidas de austeridade.

Os aumentos de impostos, a redução de benefícios sociais e o corte de gastos públicos levaram a população a enfrentar um grande aperto financeiro. No início do ano, Alexis Tsipras, líder da legenda de esquerda Syriza, venceu as eleições prometendo renegociar a dívida com os credores internacionais e rever a política de austeridade.

Ontem (3), milhares de gregos se reuniram na Praça Syntagma, em Atenas, para defender o não no referendo de domingo. Tsipras chegou a pedir o voto no não, afirmando que o referendo é “uma celebração da democracia” e pedindo aos gregos que enviem à Europa uma mensagem de dignidade.

“No domingo, não decidimos apenas viver na Europa, decidimos viver com dignidade na Europa. Lutar e viver como iguais na Europa”, disse o primeiro-ministro em um breve discurso na praça.

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, defendeu que a União Europeia deve evitar “mensagens dramáticas” no caso da vitória do não. Segundo Tusk, uma vitória do sim permitira “abrir um novo capítulo nas negociações, talvez mais promissor do que antes”.

*Com informações da Agência Lusa


Novas regras do Fies para o segundo semestre entram em vigor

Yara Aquino - Repórter da Agência Brasil Edição: Marcos Chagas

As novas regras para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) foram publicadas hoje (3) no Diário Oficial da União. As medidas valem para adesões feitas a partir do segundo semestre de 2015. A portaria oficializa mudanças anunciadas pelo Ministério da Educação, que estabelecem prioridade na oferta de vagas para as regiões Norte, Nordeste e Cento-Oeste – excluído o Distrito Federal – e em cursos das áreas de engenharia, saúde e formação de professores.

Terão prioridade os cursos com nota 4 e 5 nas avaliações do Ministério da Educação (MEC). A nota máxima é 5. A Secretaria de Educação Superior do ministério poderá definir critérios adicionais para a distribuição de vagas, caso julgue necessário.

No dia 26 de junho, o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, anunciou 61,5 mil vagas para a edição do segundo semestre de 2015 do Fies. Na ocasião, o ministro informou que os juros passariam dos atuais 3,4% anuais para 6,5%. A portaria publicada do Ministério da Educação não detalha o número de vagas e condições do financiamento.

A partir de agora, passa a valer a mudança no limite de renda para contratar o financiamento que será a renda familiar mensal bruta de 2,5 salários mínimos por pessoa, já informada em nota conjunta divulgada pelos ministérios da Educação e do Planejamento, no dia 26 de junho. Antes, a renda familiar bruta era de até 20 salários mínimos.

Poderá se inscrever no processo seletivo o estudante que, cumulativamente, não tenha concluído curso superior, tenha feito a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a partir da edição de 2010, e obtido média superior a 450 pontos, sem tirar nota 0 na redação.

As mantenedoras de instituições de educação superior interessadas em participar desse processo seletivo do Fies deverão assinar o termo de participação entre 6 e 17 de julho, no qual constará proposta de oferta de vagas estabelecidas na portaria.



Pequim anuncia “melhoria significativa” da qualidade do ar na cidade

Da Agência Lusa

A qualidade do ar em Pequim foi considerada boa em 88 dias do primeiro semestre deste ano. De acordo com a imprensa oficial, houve "melhoria significativa" do ambiente na cidade, considerada uma das capitais mais poluídas do mundo.

A densidade de partículas PM2.5, as mais suscetíveis de se infiltrar nos pulmões e danificar o sistema respiratório, baixou 15,2% em relação ao mesmo período de 2014, para 77,7 microgramas por metro cúbico, informou o Gabinete Municipal de Proteção Ambiental.

O valor ainda é superior ao limite de 35 microgramas recomendado pelo governo chinês, mas muito aquém dos mais de 800 microgramas registrados em janeiro de 2013.

A densidade de partículas de dióxido de sulfúrio e de nitrogénio na atmosfera também diminuiu 41,3% e 14,5%, respectivamente. Comparando com o primeiro semestre do ano passado, houve mais nove dias com boa qualidade do ar, anunciou a imprensa.

Em relação ao primeiro semestre do ano passado, houve mais nove dias com boa qualidade do ar. Sede de um município com cerca de 21,5 milhões de habitantes e uma área equivalente à metade da Bélgica, Pequim faz fronteira com a província de Hebei, uma das mais poluídas da China, com indústrias pesadas.

No ano passado, o consumo de carvão em Pequim caiu 2,8 toneladas e, em março passado, duas centrais a carvão da cidade foram fechadas.

Mais de 300 fábricas poluentes deverão seguir o mesmo caminho até o fim do ano e cerca de 200 mil veículos sairão de circulação, disse a agência oficial de notícias chinesa.

Pequim é candidata à organização dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2002 e prometeu uma redução de 20% na densidade de PM2.5 até 2017.

MP apura racismo e injúria contra apresentadora do tempo da TV Globo

Michèlle Canes - Repórter da Agência Brasil Edição: Stênio Ribeiro

Os ministérios públicos (MP) dos estados do Rio de Janeiro e de São Paulo se pronunciaram nesta sexta-feira (3) a respeito das ofensas sofridas em rede social pela apresentadora da Rede Globo, Maria Júlia Coutinho. O MP de São Paulo, segundo publicação no site da instituição, anunciou que foi instaurado “procedimento investigatório criminal" para apurar prática de racismo e injúria, qualificada contra a apresentadora.

A medida foi instaurada pelo promotor de Justiça Criminal, Christiano Jorge Santos, segundo o texto, depois de tomar conhecimento dos comentários feitos pelos internautas. O MP paulista ressalta que “caso de racismo é crime imprescritível e inafiançável. Já a injúria racial prevê pena de reclusão de um a três anos”.

No Rio de Janeiro, o MP informou, também pelo site da instituição, que sua Coordenadoria de Direitos Humanos solicitou à Promotoria de Investigação Penal que acompanhe o caso, com rigor, junto à Delegacia de Repressão a Crimes de Informática. De acordo com o MP-RJ, ontem (02), a produção do Jornal Nacional publicou uma foto da apresentadora que faz a previsão do tempo. “Desde então, diversas mensagens ofensivas e de conteúdo racista têm sido direcionadas à repórter”, diz o texto.

Diante dos comentários, internautas postaram mensagens de apoio à apresentadora em diferentes redes sociais. “Destilar preconceito via internet é crime”, disse um usuário em rede social. “Por um Brasil com mais respeito e igualdade para todos”, disse outro.


Escritores discutem na Flip formas de democratizar a distribuição de livros

Akemi Nitahara – Repórter da Agência Brasil Edição: Stênio Ribeiro

Editar sozinho e utilizar plataformas digitais para publicação e distribuição de livros é uma forma acessível para autores que não conseguem editoras para divulgar suas obras. O tema foi debatido hoje (3) na Casa Off Flip das Letras, uma das programações alternativas da 13ª Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), que vai até domingo na cidade da costa verde fluminense.

De acordo com a pesquisadora do Programa Avançado de Cultura Contemporânea da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Cristiane Costa, o mecanismo oferece autonomia aos autores que estão à margem do mercado editorial, porém, exige muito mais dedicação – tendência que já acontece com todos os escritores atualmente.

Ela disse que há 20 anos não tinha uma Flip. O autor escrevia um livro, mandava para a editora, se conseguisse publicar esperava as críticas e o livro vendia ou não. Hoje em dia, ele tem que participar dos eventos literários, tem que estar num blog, nas redes sociais – tem que aparecer. Com a autopublicação, o autor ganha a possibilidade de ficar independente das editoras, usando plataformas digitais, e todo mundo pode consultar. Mas dá mais mão de obra, porque o autoprodutor tem que ser responsável pela capa, revisão e toda a estratégia de marketing.

A escritora Vanessa Bosso contou sua trajetória. Ela disse que começou a carreira de escritora pagando para editar seus livros e optou pela autopublicação digital depois de não alcançar vendas satisfatórias. No quinto livro lançado, que já era esperado pelo público dela, alcançou o topo do ranking da Amazon internacional em três dias. Para ela, a autopublicação é a principal porta de entrada do autor iniciante no mercado editorial.

Segundo ela, há muitos bons autores hoje, que seguem o gênero da literatura internacional, juvenil, e esses autores não têm como chegar às editoras. Então, optam pela autopublicação para chamar a atenção das editoras. O editor fica com medo de apostar, então a autopublicação serve para o autor mostrar número de vendas, de leitores, de reviews, e então conseguir bom contrato com uma editora.

Após o livro A Aposta ter atingido 10 mil downloads, sem contar os arquivos pirateados, e ficar dois anos entre os mais vendidos no gênero infantojuvenil, Vanessa foi procurada por uma editora e vai lançar a obra impressa. De acordo com ela, a estimativa é que cada download gere 20 vendas.

Após o debate, foi lançada a plataforma de autopublicação Bibliomundi, a primeira para autopublicação digital do Brasil. Um dos fundadores da plataforma, Raphael Secchin, explica que o mercado de livros digitais está em expansão e apresenta vantagens em relação ao impresso, a começar pelo custo, inexistente em algumas plataformas digitais, já que o autor é remunerado de acordo com as vendas, e não é cobrado nada para disponibilizar o livro na internet.

Secchin disse que a geração nova está toda no processo digital, diferente da geração dele, que só começou a entrar na internet na adolescência. Hoje em dia, porém, a criançada cresce em contato com o computador e acostumado com o backlight (retroiluminação no monitor) que para os mais velhos dá até dor de cabeça. Então, isso não é empecilho nenhum para as novas gerações que passam o dia no celular e nas mídias sociais, consomem música. "Nós só estamos entrando numa plataforma que já é muito usada”, acrescentou.

De acordo com ele, existem aproximadamente 40 mil títulos de livros digitais publicados no Brasil, e o faturamento do setor chega a R$ 1,6 milhões, o que não chega a 3% do total do mercado editorial brasileiro. Segundo Raphael, nos Estados Unidos, 30% do mercado editorial já é digital, e na França a proporção é 6%. Ele estima que com a autopublicação o autor receba até 40% do preço de venda, descontando o valor dos impostos, ainda cobrados de livros digitais. Na média, o autor recebe 10% do preço de venda dos livros impressos.


Marcha das Margaridas entrega pauta de reivindicações ao governo federal

Aline Leal - Repórter da Agência Brasil Edição: Jorge Wamburg

Representantes da Marcha das Margaridas 2015 entregam pauta de reivindicações ao governo Valter Campanato/Agência Brasil
Em meio a cantos de luta por melhorias e faltando pouco mais de um mês para a 5ª Marcha das Margaridas, o movimento entregou hoje (3) ao governo federal uma pauta de reivindicações das trabalhadoras, entre as quais a necessidade de políticas para apoiar grupos femininos que contribuem para a soberania alimentar, de acordo com a coordenadora do evento, Alessandra Lunas.

“É preciso fortalecer os olhares para os quintais produtivos, para outras formas de produção”, ressalta Alessandra. Reforma agrária, diminuição do uso de agrotóxicos e combate à violência contra as mulheres são outras demandas citadas pelo movimento, formado por trabalhadoras do campo, da floresta e das águas.

Com o lema “Margaridas seguem em Marcha por Desenvolvimento Sustentável com Democracia, Justiça, Autonomia, Igualdade e Liberdade”, as Margaridas marcharão em Brasília nos dias 11 e 12 de agosto.

Na solenidade de entrega da pauta, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rossetto, prometeu discuti-la com a presidenta Dilma Rousseff e que, durante os dias de marcha, levaria a resposta às trabalhadoras. “Nós reconhecemos na marcha das margaridas um grande movimento das mulheres agricultoras trabalhadoras rurais”, disse Rosseto.

A Marcha das Margaridas, que teve sua primeira edição em 2000, é uma ação estratégica das mulheres do campo, da floresta e das águas que integra a agenda permanente do Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais e de movimentos feministas do Brasil.O nome do movimento foi em homenagem à líder sindical paraibana Margarida Maria Alves (1943 –1983), trabalhadora rural que aos 40 anos foi assassinada por sua atuação política local.

De acordo com a organização da marcha, a última edição reuniu 70 mil mulheres e a expectativa para a edição de 2015 é mobilizar mais de 100 mil trabalhadoras.




ONU aprova resolução que condena violações dos direitos humanos na Síria

Ana Cristina Campos - Repórter da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso

O Brasil e mais 28 países votaram a favor da resolução que condena a grave situação dos direitos humanos e a crise humanitária na Síria. O projeto de resolução começou a ser analisado ontem (2) pelo Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) e foi concluído hoje (3). Houve 6 votos contrários e 12 abstenções.

O documento repudia as sistemáticas violações de direitos humanos pelo governo sírio e pelos vários grupos terroristas que combatem no país, entre eles o Estado Islâmico e o Al Nusra, filial da Al Qaeda na Síria.

A resolução também condena firmemente o emprego de violência sexual e de tortura nos centros de detenção e o uso contínuo de armas químicas, de armamento pesado e de bombardeios aéreos contra os civis pelas autoridades sírias.

Nas Nações Unidas, o peso de uma resolução é o de advertência e representa um dos principais instrumentos diplomáticos de pressão.

Em nota divulgada ontem (2), o Ministério das Relações Exteriores informou que o voto do Brasil a favor da resolução é porque o país vê com grande preocupação a persistência de graves violações de direitos humanos na Síria, "país ao qual está ligado por laços forjados pela numerosa comunidade de origem síria que faz parte de sua população".

De acordo com o Itamaraty, a delegação brasileira no Conselho de Direitos Humanos reiterou o compromisso do país em apoiar “todos os esforços direcionados à construção de solução política para o conflito sírio, por meio de negociações transparentes e inclusivas”.

A nota destacou ainda que a responsabilidade dos vários grupos armados de oposição por graves violações de direitos humanos não deve ser minimizada. “Todas as atrocidades e seus perpetradores devem ser condenados”, acrescentou o Itamaraty.

Segundo informações do Observatório Sírio dos Direitos Humanos, desde o início do ano, 2.926 civis morreram e 18 mil foram feridos na Síria em ataques aéreos do regime de Bashar Al Assad. Os dados indicam que, desde março de 2011, o conflito na Síria já causou mais de 230 mil mortos.


Dilma garante segurança para os Jogos Olímpicos 2016

Da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso

Brasil organizará os Jogos de 2016 com a segurança adequada, diz a presidenta  Marcelo Camargo/Agência Brasil
A presidenta Dilma Rousseff garantiu hoje (3) que o Brasil organizará os Jogos Olímpicos de 2016 com a segurança adequada. Ao discursar na cerimônia de lançamento da Tocha Olímpica, ela disse ter certeza de que o país será capaz de garantir a segurança na cidade.

De acordo com a presidenta, com a experiência da Copa do Mundo do ano passado, quando 12 cidades-sede tiveram uma perfeita integração com as Forças Armadas, a Polícia Federal e as secretarias de Segurança, será possível promover uma Olimpíada segura. "Se fomos capazes de garantir segurança em 12 cidades [na Copa do Mundo de 2014], somos capazes de garantir a segurança em uma cidade. Tenho certeza disso, porque temos hoje o aprendizado nos centros de comando e integrados. Integramos nossa segurança", afirmou.

"Quero dizer que todos aqueles que quiserem participar da Olimpíada que venham e participem com a certeza de que serão muito bem recebidos. Teremos condições de dar o atendimento adequado", acrescentou a presidenta.

Durante o lançamento da Tocha Olímpica, Dilma mencionou a questão da segurança, após lembrar que foi questionada sobre o tema na entrevista que concedeu a jornalistas em Washington, ao lado do presidente dos Estados, Unidos Barack Obama. Segundo ela, o combate a qualquer possível criminalidade será garantido com a parceria que o governo federal tem com o estado do Rio de Janeiro e também com as ações promovidas nos bairros e favelas da capital carioca.

Na entrevista, ela enfatizou a integração das forças policiais como fator importante para a garantia da segurança de grandes eventos.

Desenhada pela agência de design Chelles & Hayashi, a Tocha Olímpica lançada hoje chegará a Brasília em maio, iniciando o percurso de cerca de 28 mil quilômetros. Ela seguirá pelas regiões Centro-Oeste, Nordeste, Norte, Sul e Sudeste.

Segundo o Comitê Organizador Rio 2016, 12 mil pessoas participarão do revezamento da tocha por todo o país, em percursos de cerca de 200 metros. No total, a tocha será recebida em 300 cidades – 83 delas apresentadas hoje –, mas o comboio poderá ser visto passando por mais 200 municípios.

A tocha dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro é branca, com detalhes em cores que simbolizam a natureza do Brasil.




Ministros e ONU Mulheres repudiam ofensas sexistas a Dilma

Aline Leal - Repórter da Agência Brasil Edição: Stênio Ribeiro

A ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, recebe hoje (3) o diretor de Relações Governamentais do site de vendas Mercado Livre, Murilo Laranjeira. Ele pediu ontem (2) para falar com a ministra depois que adesivos com ofensas de cunho sexual à presidenta Dilma Rousseff foram expostos à venda no site.

Eleonora Menicucci informou que o material foi produzido em Recife e que foram vendidas cinco unidades, cada uma a R$ 38,90. “Eu vou ouvir, mas comunicarei a ele que, do ponto de vista civil e penal, ele também será responsabilizado”, disse a ministra, que fez representação ao Ministério Público Federal, à Advocacia-Geral da União e ao Ministério da Justiça pedindo investigação e punição para os responsáveis. O Mercado Livre é uma espécie de vitrine para vendedores independentes comercializarem seus produtos. Os adesivos foram retirados do site.

Ministros repudiam adesivos ofensivos à presidenta Dilma vendidos na internet  Valter Campanato/Agência Brasil
Durante a entrega da pauta de reivindicações da 5ª Marcha das Margaridas, Eleonora Menicucci, e os ministros Miguel Rossetto, da Secretaria-Geral da Presidência da República, e Tereza Campello, do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, repudiaram a ofensa e disseram que a consideram uma violência de caráter machista contra todas as mulheres.

A ONU Mulheres emitiu nota de repúdio aos “ataques sexistas” a Dilma e disse que se trata de violência política sem precedentes. A nota ressalta que “é ultrajante e extremamente agressiva a apologia de violência sexual" contra a presidenta, retratada em adesivos para automóveis, como "expressão de misoginia [ódio, desprezo ou repulsa ao gênero feminino e às características a ele associadas] e interpelação dos direitos humanos de mulheres e meninas”.

A entidade defende que nenhuma discordância política ou protesto pode abrir margem ou justificar a banalização da violência contra a mulher – prática patriarcal e sexista que invalida a dignidade humana.


Inema alerta sobre 19 praias impróprias para banho em Salvador e Lauro de Freitas


Das 37 praias avaliadas pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), vinculado à Secretaria do Meio Ambiente (Sema), em Salvador e Lauro de Freitas, 19 estão com um ou dois trechos impróprios para o banho.

Segundo o Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), a praia é considerada imprópria quando mais de 20% das amostras coletadas, em cinco semanas consecutivas, apresentarem resultado superior a 1.000 coliformes fecais ou 800 Escherichia coli, ou quando, na última coleta, o resultado for superior a 2.500 coliformes termotolerantes ou 2.000 Escherichia coli ou 400 enterococos por 100 ml de água.

No período em que o tempo estiver chuvoso, as praias podem ser contaminadas por arraste de detritos, carregados das ruas por meio das galerias pluviais, oferecendo risco de doenças. Além disso, é desaconselhável, ainda em dias de sol, o banho próximo à saída de esgotos, desembocadura dos rios urbanos, córregos e canais de drenagem.

Praias que devem ser evitadas

- São Tomé de Paripe (em frente à casa Vila Maria)
- Periperi (atrás da estação férrea)
- Penha (em frente à barraca do Valença)
- Bogari (em frente ao Colégio da PM, antigo Colégio João Florêncio Gomes)
- Pedra Furada (Rua Rio Negro, em frente à ladeira de acesso à praia)
- Canta Galo (atrás da antiga fábrica da Brahma, atual FIB)
- Marina Contorno (entre a Marina e o Restaurante do Amado),
- Santa Maria (em frente ao Hospital Espanhol)
- Farol da Barra (em frente à Rua Dias D’Ávila e em frente à Rua Alfredo Magalhães)
- Ondina (em frente à Rua Ademar de Barros e próximo ao Morro da Sereia, em frente ao Edifício Maria José)
- Rio Vermelho (em frente à Igreja Nossa Senhora de Santana e próximo à Companhia da Polícia Militar)
- Amaralina (em frente à Escola Cupertino de Lacerda e em frente à Rua do Balneário)
- Pituba (atrás da praça e em frente à escada de acesso à praia)
- Armação (em frente ao clube Inter Pass- Jardim de Alah)
- Boca do Rio (em frente ao posto salva-vidas)
- Corsário (atrás da antiga fábrica da Brahma e em frente ao posto salva-vidas de Patamares)
- Piatã (em frente ao posto salva-vidas)
- Itapuã (em frente à Sereia de Itapuã)
- Buraquinho (a cerca de 200 metros da foz do Rio Joanes)

Secom Bahia

Caso Cabula: Inquérito conclui que policiais militares agiram em legítima defesa


O inquérito policial referente à ação da Polícia Militar realizada no bairro do Cabula, em Salvador, no dia 6 de fevereiro deste ano, concluiu que os policiais militares agiram em legítima defesa. Na operação, ocorrida na localidade de Vila Moisés, 12 suspeitos de envolvimento com organizações criminosas foram mortos, sendo dois deles atingidos pelos próprios comparsas. O resultado do inquérito foi apresentado à imprensa na tarde desta sexta-feira (3), na sede da Secretaria da Segurança Pública.

De acordo com inquérito, produzido pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), os laudos cadavéricos não atestaram lesões típicas de tiro de encosto ou disparo à curta distância, o que não caracteriza lesões típicas de execução. Outro aspecto que reforça a conclusão de que não houve execução é a ação de socorro realizada pelos policiais militares aos feridos, que foram conduzidos para o Hospital Roberto Santos, a unidade de saúde mais próxima do local.

A perícia realizada pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT) constatou ainda que os policias utilizaram 16% da munição que dispunham, 143 disparos das 870 munições disponíveis. Também ficou constatado que foram efetuados 57 tiros das armas apreendidas em poder dos suspeitos.

Ao longo do processo de investigação, foram produzidos 59 laudos periciais e mais de 80 pessoas foram ouvidas, incluindo moradoras da localidade. Ao final, a Polícia Civil chegou à conclusão de que a ocorrência foi, de fato, um confronto, sem qualquer evidência de ação abusiva da PM.

Secom Bahia

Dois dias antes do referendo, manifestantes tomam ruas de Atenas

Da Agência Lusa

Manifestantes tomam ruas de Atenas, dois dias antes do referendo Agência Lusa / Armando Babani
Cerca de 25 mil pessoas fazem manifestação em Atenas em defesa do Não no referendo de domingo (5), enquanto 20 mil pedem o Sim, uma hora após o início das duas concentrações no centro da capital, segundo a polícia. No domingo, os gregos vão decidir, em referendo, se aceitam ou não as medidas de austeridade propostas pelos credores internacionais.

Na Praça Syntagma, em frente ao parlamento grego, os manifestantes pelo Não às medidas de austeridade exigidas pelos credores da Grécia – a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional – exibem cartazes onde se lê Não a um Passo Atrás e Não até ao Fim.

A menos de um quilômetro dali, em frente ao Estádio Panatenaico, importante local turístico da capital grega, onde foram disputados os primeiros jogos olímpicos modernos, em 1896, os que apoiam o Sim repetem palavras de ordem a favor da Europa.

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, disse que o referendo de domingo é “uma celebração da democracia” e pediu aos gregos que enviem à Europa uma mensagem de dignidade e de democracia.

“No domingo, não decidimos apenas viver na Europa, decidimos viver com dignidade na Europa. Lutar e viver como iguais na Europa”, disse Tsipras em discurso na Praça Syntagma, perante 25 mil pessoas favoráveis ao Não.


Mundo nunca esteve tão perto de acordo nuclear, diz chanceler iraniano

Da Agência Lusa

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Irã, Mohammad Javad Zarif, declarou hoje (3) que o Irã e as grandes potências do grupo 5+1 (os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) – Estados Unidos, Reino Unido, França, Rússia e China – mais a Alemanha) nunca estiveram “tão perto” de um acordo duradouro sobre o programa nuclear iraniano.

“Apesar de algumas divergências, nunca estivemos tão perto de um acordo duradouro”, disse Zarif. “No entanto, um acordo não é ainda certo”, acrescentou.

O chefe da diplomacia iraniana disse que o seu país está disposto a cooperar na luta contra desafios comuns, como o extremismo. “Estamos prontos a abrir novos horizontes para enfrentar os desafios importantes e conjuntos. Hoje, a ameaça comum é o rápido crescimento do extremismo violento e da barbárie sem limites”, ressaltou Zarif.

Após uma maratona de negociações, iniciada no fim de semana passado, na capital austríaca, para tentar obter um acordo até 30 de junho, o Irã e o grupo 5+1 decidiram prolongar o prazo até 7 de julho.

O objetivo é garantir, pelo maior período de tempo possível, que o programa nuclear iraniano tenha unicamente fins civis, em troca da suspensão de sanções que bloqueiam a economia da potência regional xiita de 78 milhões de habitantes.


Grécia: premiê quer corte de 30% da dívida e período de carência de 20 anos

Da Agência Lusa

O primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, afirmou hoje (3) que deseja "um corte de 30% da dívida" do país e um período de carência de 20 anos para assegurar a viabilidade do pagamento.

Tsipras reiterou que o Não no referendo do próximo domingo (5) "não é um Não à Europa", mas "à chantagem" para aceitar um acordo que não contenha uma solução sustentada para a dívida da Grécia.

O líder grego fez as declarações em pronunciamento transmitido por um canal de televisão na reta final da breve campanha para a consulta popular de domingo.

"Que todo mundo entenda: o que está em jogo não é a saída da Grécia da zona do euro, mas saber se – sob chantagem – estávamos dispostos a aceitar o acordo insustentável que nos ofereceram", afirmou o primeiro-ministro.

Nesse contexto, Tsipras fez alusão ao relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI) publicado quinta-feira (2), que considerou que a única solução para a Grécia é um corte da dívida. "Só que, isso, os credores nunca nos disseram [nas negociações]", acrescentou Tsipras.

Ele pediu ao povo grego para votar com calma e respeitar a opinião contrária durante o processo de referendo. "Votemos com calma e com argumentos, e não com censuras", acrescentou.

Esta noite está prevista outra intervenção de Tsipras no ato de campanha organizado por seu partido, o Syriza, na Praça Syntagma, a favor do Não, que irá coincidir com outro, em defesa do Sim, convocado por uma plataforma de partidos, empresas, sindicatos e municípios que ocorrerá no antigo estádio olímpico.

As últimas pesquisas dão uma margem estreita de vitória do Sim frente ao Não e uma percentagem de indecisos em torno de 11,8%.


Sérgio Moro diz que prisões da Lava Jato são "exceções"

Da Agência Brasil Edição: Marcos Chagas

O juiz federal do Paraná Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato, disse hoje (3) que as prisões decretadas no decorrer das investigações são “uma exceção”.

“Em geral, no mundo inteiro, a prisão no decorrer do processo é, e deve ser, uma exceção. Mas, na minha perspectiva, as prisões decretadas no Lava Jato são excepcionais", disse em palestra no 10º Congresso de Jornalismo Investigativo, na Universidade Anhembi Morumbi, em São Paulo.

Sérgio Moro evitou fazer mais comentários sobre o caso, ressaltando que, como juiz, tem de ter uma postura discreta. “Tudo que eu penso está no processo e está disponível na internet. Minhas decisões estão lá.”

Ele disse acreditar que o sistema jurídico brasileiro tem que ser reformulado para funcionar de forma eficiente. Sérgio Moro defendeu alterações, por exemplo, nas regras que tratam da prisão no decorrer do processo e do princípio de presunção de inocência, uma garantia dada ao acusado de somente sofrer uma sanção penal após a sentença final.

Para o juiz, isso impede ou dificulta prisões durante o processo. “A Justiça, quando tarda muito, não é uma Justiça completa. Isso tem que sofrer alterações."


Embasa esclarece vazamento em rede distribuidora na Paralela


A Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) divulgou nota, nesta sexta-feira (3), esclarecendo sobre o rompimento de uma rede distribuidora de água, com diâmetro de 400 mm, na Avenida Paralela, em Salvador, que atende a região, durante obras de construção da Avenida 29 de Março.

De acordo com a empresa, equipes já estão no local e o serviço de manutenção deverá ser concluído até logo mais, às 18h, e o abastecimento normalizado, gradativamente, em até 24 horas após a conclusão do serviço. Para realização do conserto, o fornecimento de água está temporariamente interrompido em 27 localidades da capital.

Localidades com fornecimento de água interrompido

Alphaville
Costa Verde
Jardim Vila Verde
Mussurunga
Narandiba
Orlando Gomes
Paralela
Patamares
Parque São Cristóvão
São Cristovão
Trobogy
Colinas da Ponte
Alto do Coqueirinho
Farol de Itapuã
Itapuã
Jardim Encantamento
Nova Brasília
Plakaford
Nova Conquista
Bairro da Paz
Alamedas da Praia
Praia do Flamengo
Stella Maris
Vila dos Sargentos
Jardim Piatã
Loteamento São Francisco
Mussurunga

Secom Bahia.

Conselho de Estado autoriza referendo de domingo na Grécia

Da Agência Lusa

O Conselho de Estado da Grécia, a mais alta instância do Tribunal Administrativo do país, rejeitou hoje (3) um recurso sobre a ilegalidade do referendo convocado pelo governo grego, autorizando sua realização no próximo domingo (5).

O pedido, apresentado quarta-feira (1º) por dois cidadãos, um deles ex-juiz do Conselho de Estado, tinha por objetivo anular o referendo. O argumento é que a consulta viola artigo da Constituição, segundo o qual um referendo não pode ser convocado quando as questões em causa estão relacionadas com “as finanças públicas”.

De acordo com o recurso, a pergunta da consulta – em que os votantes devem dizer se concordam com as condições do programa de resgate proposto à Grécia pelos credores internacionais em 25 de junho - estava colocada em linguagem técnica, o que poderia gerar confusão.

Os motivos da rejeição do recurso ainda não foram divulgados pelo Conselho de Estado.

Primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras pede para a população votar ‘Não’ no referendo e, dessa forma, rejeitar as medidas de austeridade exigidas pelos credores internacionais (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional).

Os partidos de oposição – os socialistas do Pasok, o To Potami (centro-esquerda) e a Nova Democracia (centro-direita) - fazem campanha pelo ‘Sim’, temendo que a Grécia saia do euro.


Fies vai considerar classificação de alunos no Enem

Yara Aquino – Repórter da Agência Brasil Edição: José Romildo

As novas regras do Fies passam a valer para  contratos firmados a partir deste segundo semestre.Elza Fiuza/Agência Brasil
O desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será considerado na classificação dos estudantes para obter novos contratos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Na última edição do Fies houve a exigência de nota mínima de 450 pontos no exame, mas as vagas eram preenchidas de acordo com a ordem de inscrição do estudante no curso. Para a classificação, será considerada a edição do Enem em que o estudante tenha obtido a maior média.

As informações estão em portaria publicada na edição de hoje (3) do Diário Oficial da União com as regras do Fies que passam a valer para novos contratos firmados a partir deste segundo semestre.

Uma das condições para obter o Fies é ter feito a prova do Enem, a partir da edição de 2010, obtido média superior a 450 pontos e não ter tirado nota 0 na redação.

A portaria, no entanto, reserva 10% das vagas selecionadas em cada curso para dois casos em que essa exigência será dispensada: para estudantes que tenham concluído o ensino médio antes de 2010 e não tenham participado do Enem após esse ano; para professores da rede pública que não fizeram a prova do Enem a partir da edição de 2010 e se inscrevam nos cursos de licenciatura, normal superior ou pedagogia. Nesses casos, a classificação será feita com base em critérios como renda familiar, raça e estudo em escola pública ou privada.

A partir de 2016 a exigência de nota no Enem passará a valer para todos os casos, de acordo com portaria publicada em maio pelo Ministério da Educação.

A portaria ainda oficializa mudanças anunciadas pelo Ministério da Educação, que estabelecem prioridade na oferta de vagas para as regiões Norte, Nordeste e Cento-Oeste – excluído o Distrito Federal – e em cursos das áreas de engenharia, saúde e formação de professores. Terão prioridade os cursos com nota 4 e 5 nas avaliações do ministério. Nas avaliações a nota máxima é 5. O edital do Fies com a data de início das inscrições deve ser publicada nos próximos dias pelo MEC.


ONU adota resolução sobre incompatibilidade entre democracia e racismo

Ana Cristina Campos – Repórter da Agência Brasil Edição: Denise Griesinger

O Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) adotou, por consenso, resolução de iniciativa do Brasil sobre a incompatibilidade entre democracia e racismo, informou hoje (3) o Ministério das Relações Exteriores.

“A resolução reafirma que o racismo, a discriminação racial, a xenofobia e intolerâncias correlatas violam os direitos humanos e são incompatíveis com a democracia, o Estado de Direito e uma governança transparente e confiável. A resolução também determina a realização, em março de 2016, de um painel sobre o tema para identificação dos desafios e das boas práticas existentes”, diz a em nota do Itamaraty.

De acordo com o ministério, a aprovação do texto insere-se no contexto da implementação do programa de atividades da Década Internacional dos Afrodescendentes (2015-2024) instituída pela ONU e dos esforços para garantir efetividade à Declaração e ao Plano de Ação de Durban, adotados durante a 3ª Conferência Mundial Contra o Racismo, a Discriminação Racial, a Xenofobia e as Intolerâncias Correlatas, em 2001.


Tocha Olímpica passará por 300 cidades até chegar ao Rio de Janeiro

Luana Lourenço - Repórter da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso

A presidenta Dilma Rousseff, entre o governador Luiz Fernando Pezão, o prefeito Eduardo Paes e representantes do  Comitê Organizador Rio 2016 na solenidade de divulgação da tocha olímpicaMarcelo Camargo/Agência Brasil
O Comitê Organizador Rio 2016 lançou hoje (3) a tocha dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro e a rota de revezamento por onde o Fogo Olímpico passará até chegar à cidade, no dia 5 de agosto do ano que vem, data da abertura dos jogos. A Tocha Olímpica, desenhada pela agência de design Chelles & Hayashi, é branca, com detalhes em cores que simbolizam a natureza do Brasil.

O Fogo Olímpico chegará a Brasília em maio, iniciando o percurso de cerca de 28 mil quilômetros, e seguirá pelas regiões Centro-Oeste, Nordeste, Norte, Sul e Sudeste. De acordo com o Comitê Organizador Rio 2016, 12 mil pessoas participarão do revezamento da tocha por todo o país, em percursos de cerca de 200 metros. No total, a tocha será recebida em 300 cidades – 83 delas apresentadas hoje –, mas o comboio poderá ser visto passando por mais 200 municípios.

A presidenta Dilma Rousseff destacou que faltam 399 dias para a abertura dos Jogos do Rio 2016. Segundo ela, as obras estão em dia e o país, preparado para receber o megaevento.

“Quando vemos a tocha, crescem para nós tanto a responsabilidade quanto a emoção. Está chegando o dia em que teremos a honra e o orgulho de ser o primeiro país da América do Sul a sediar o maior evento esportivo da Terra. Estamos confiantes de que responderemos o desafio que recebemos. Vamos fazer com grande competência e com hospitalidade uma Olimpíada histórica”, afirmou Dilma.

A presidenta, que voltou ontem (2) dos Estados Unidos, informou que, durante a viagem de trabalho, foi muito questionada sobre a segurança do Rio de Janeiro durante as Olimpíadas. “Temos certeza de que faremos uma Olimpíada segura porque fizemos uma Copa segura. Expliquei que, que se fomos capazes de garantir segurança em 12 cidades, somos capazes de garantir a segurança em uma cidade.”

De acordo com a presidenta, a articulação entre as Forças Armadas, Polícia Federal e Secretaria de Segurança Pública do Rio vai garantir o esquema de segurança dos jogos.

A escolha dos participantes do revezamento da tocha será organizada pelos patrocinadores do revezamento – Nissan, Coca Cola e Bradesco. Essas empresas farão campanhas para selecionar os brasileiros que irão conduzir a Tocha Olímpica pelo país.

O presidente do Comitê Organizador dos Jogos do Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, lembrou a passagem da tocha pela Inglaterra, antes dos Jogos de Londres em 2012, mobilizando 8 mil pessoas. Segundo Nuzman, o fogo é um dos maiores símbolos do espírito olímpico.

“Nada simboliza mais que essa tocha. É o momento da emoção, das lágrimas e da comemoração de todo o país. O que mais importa é que cada ser humano que participar do revezamento possa deixar para sua história, para a história da sua cidade, o que pode dar de exemplo, independentemente de onde venha, uma mensagem e uma imagem muito fortes.”

No discurso, Dilma brincou com o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, dizendo que, junto com Nuzman e o prefeito do Rio, Eduardo Paes, está tentando convencê-lo a praticar atividades físicas. “O Eduardo Paes e eu estamos nos esforçando para que ele [Pezão] compre uma bicicleta e pedale. O Nuzman forneceu um uniforme completo. Cada vez menos, ele tem cada vez mais razão para fazer esporte e não integrar os 47% de sedentários do país”, afirmou.


Animoteca passará a integrar ações da Fundação Pedro Calmom


Foto: Divulgação
A partir do mês de julho, a Fundação Pedro Calmon/Secretaria de Cultura do Estado da Bahia contará com mais um equipamento para ampliar ainda mais suas ações nos campos da leitura e da memória: a Animoteca. Trata-se de um ônibus equipado com amplo espaço para realização de atividades culturais e literárias e uma biblioteca de publicações espirituais, com um acervo de livros de várias religiões, projeto idealizado pela yalorixá e imortal da Academia de Letras da Bahia (ABL) Stella de Oxóssi. Ao final das celebrações do 2 de Julho na tarde desta quinta (2), foi assinado Protocolo de Intenções entre a Fundação e a Sociedade Cruz Santa do Ilê Axé Opô Afonjá para que a Animoteca passe a ser utilizada também pela Fundação em ações na cidade.

O Protocolo de Intenções foi assinado pelo diretor da Fundação Pedro Calmon, Zulu Araújo e o presidente da Sociedade Cruz Santa do Ilê Axé Opô Afonjá, José de Ribamar, em cerimônia que contou com a presença do secretário de Cultura, Jorge Portugal e o governador do Estado da Bahia, Rui Costa, no Palácio Rio Branco (Praça Municipal). O governador avaliou a necessidade de primar pela diversidade religiosa na Bahia, principalmente, através do livro e da leitura. “O Estado pode e deve abrir a possibilidade para que as pessoas conheçam as diversas religiões, o que prega cada religião e também quais conceitos praticam, pois a religiosidade constitui-se a história do povo da Bahia. Então, nada melhor do que difundir e facilitar o acesso para que essas raízes sejam reconhecidas, fortalecidas e eternizadas através desta parceria”, frisou o governador.

Diversidade – O secretário de Cultura, Jorge Portugal, disse que a Fundação e a Animoteca levarão mais conhecimento para a população. “Esse equipamento, que possui um acervo de livros e compêndios de religiões diversas, combaterá a intolerância religiosa. É o que procuramos colocar no nosso cotidiano em relação ao respeito e à tolerância a todas as religiões e para conhecimento público”, enfatizou Portugal.

Destacando a importância do convênio com Ilê Axé Opô Afonjá, o diretor da Fundação Pedro Calmon, Zulu Araújo, acrescentou que a parceria é de fundamental importância para que a população considere mais a diversidade religiosa. “A Animoteca tem um acervo que é muito singular e que trata da diversidade religiosa brasileira. Muitas pessoas precisam conhecer com mais profundidade esta diversidade, até para poder respeitá-la. A Constituição Brasileira assegura a liberdade de culto no país mas, lamentavelmente, a intolerância religiosa tem estado presente cotidianamente em nossas vidas. A informação, o conhecimento e a disponibilidade para um maior número de pessoas não é só uma obrigação do Estado, como um dever para que a gente possa ter o direito do que está assegurado na Constituição e que também seja assegurado no nosso dia a dia. Então, esta parceria propicia isso”, afirmou o diretor da Fundação.

O presidente da Sociedade Cruz Santa do Ilê Axé Opô Afonjá, José de Ribamar, ressaltou: “É uma satisfação muito grande para nós esta parceria porque poderemos divulgar ainda mais nosso trabalho, dando assim mais visibilidade à nossa religião”, enfatizou.

Animoteca - A partir deste dia, a Fundação passará a utilizar a Animoteca em suas atividades culturais, a começar com a Feira de Livros ao Dois de Julho, projeto da Diretoria do Livro e da Leitura (DLL) da Fundação, que será realizado na Praça do Campo Grande (Salvador), de 3 a 5 de julho. Confira aqui a programação da Feira.

A programação especial 2 de Julho da Fundação Pedro Calmon / Secretaria de Cultura do Estado da Bahia continua até o final deste mês com palestras, cursos e muito mais.

Programação variada de shows embala o Pelô neste final de semana


Atrações culturais diversificadas se apresentam no Pelourinho neste final de semana. Pop rock, reggae samba e rap estão entre os destaques da programação, promovida e apoiada pela Secretaria de Cultura do Estado (Secult), por meio do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI). A banda MoaAnbesa esquenta a noite desta sexta-feira (3), no Largo Tereza Batista, às 20h, com o show ‘Mais Reggae’, que apresenta também Ikenfron, Picó Roots e Vivi Akwaaba para completar a vibe de positividade (ingressos R$ 10).

A nova edição Conexão das Ruas acontece no sábado (4), no Largo Tereza Batista, às 21h, com entrada gratuita. Durate a festa, haverá o lançamento oficial do Cd ‘Brutality’, do grupo Nova Era. O show de abertura fica por conta do MC DaGanja e sua banda. Entre os convidados da noite estão Vandal, Galf, Mc Kiko, Fael 1º e Saca Só. A entrada é gratuita.

Quem gosta de samba tem como alternativa a festa Ensaios de Samba, que começa às 20h do sábado, no Largo Quincas Berro D’Água, com os shows de Kbelinho do Cavaco e Vem Que é Samba e ingressos R$10. No domingo (5), a banda Maglore faz show para lançar seu novo trabalho, o disco III. Será às 17h, no Largo Tereza Batista. Como participação especial a banda recebe o grupo gaúcho Dingo Bells (ingressos R$ 20 e R$ 10).

Gerônimo no Pedro Archanjo

A partir do próximo dia 7, as tradicionais apresentações de Gerônimo nas terças da benção passam a acontecer no Largo Pedro Archanjo. Durante o show - ‘O Pagador de Promessas’ -, o cantor apresenta alguns dos maiores sucessos de sua carreira (ingressos R$ 20 e R$ 10).

Secom Bahia

Inema investe em equipamento de proteção para banhistas da Lagoa do Abaeté


Com o objetivo de promover a proteção dos frequentadores e banhistas do Parque Metropolitano Lagoas e Dunas do Abaeté, o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), em parceria técnica com o Grupamento Marítimo do Corpo de Bombeiros (GMAR), instalou 153 boias de sinalização dentro da lagoa, em uma área de 450 metros de extensão. O novo equipamento delimita os espaços destinados aos banhistas, evitando o acesso a áreas profundas e que apresentam perigo de afogamento.

O gestor da Área de Proteção Ambiental Lagoas e Dunas do Abaeté (Apa), Tiago Marques, ressaltou a importância do investimento para a prevenção de afogamentos. “Abaeté é opção frequente de lazer para turistas e moradores de Salvador. Estamos no período chuvoso, o que aumenta consideravelmente o volume de água da lagoa, por isso é de extrema importância que todos os frequentadores conheçam e respeitem essas sinalizações e o limite de segurança demarcado pelas boias”.

Marques destaca ainda a presença constante, no Parque, de salva-vidas do Corpo de Bombeiros. “Contamos com a presença diária de dois profissionais do GMAR realizando trabalhos de prevenção e atendimento, principalmente aos sábados e domingos, quando aumenta consideravelmente o fluxo de banhistas”, destacou.

O Inema também realiza o monitoramento semanal da balneabilidade (qualidade das águas destinadas à recreação de contato primário) da lagoa, de acordo com as especificações da Resolução N.º274/2000 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). Os resultados das análises de qualidade da Lagoa do Abaeté são atualizados e divulgados semanalmente através do Boletim de Balneabilidade, disponibilizado no site do Inema.

Apa Lagoas e Dunas do Abaeté

Criada pelo Decreto N° 351 de 22 de setembro de 1987, ocupa uma área de aproximadamente 1.800 hectares e tem como objetivo proteger o remanescente de sistemas de lagoas de coloração escuras intercaladas por dunas de areia branca móveis, semimóveis ou fixas, recobertas por vegetação arbórea, arbustiva e herbácea no município de Salvador.

Secom Bahia.

Termina hoje prazo para inscrição no Sisutec

Yara Aquino – Repórter da Agência Brasil Edição: Denise Griesinger


Termina hoje (3) o prazo para inscrições no Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec). As inscrições são feitas exclusivamente pela internet. Podem se candidatar estudantes que participaram do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014 e obtiveram nota superior a 0 na redação. A edição de 2015 do Sisutec oferece 83.641 vagas em 515 municípios de todos os estados e no Distrito Federal.

Por meio do Sisutec, instituições públicas e privadas de ensino superior e de educação profissional e tecnológica oferecem vagas gratuitas em cursos técnicos para participantes do Enem. Terão prioridade no preenchimento das vagas os alunos de escolas públicas e os que estudaram na rede privada, na condição de bolsista integral.

Ao fazer a inscrição, o candidato deve escolher, por ordem de preferência, até duas opções de curso. Também deve definir se deseja concorrer às vagas de ampla concorrência – àquelas destinadas aos estudantes da rede pública ou bolsistas da rede privada – ou às vagas reservadas a negros, pardos e indígenas.

A divulgação dos resultados, em primeira chamada, está prevista para o dia 7 de julho. A segunda chamada sai no dia 14 de julho. As aulas dos cursos terão início entre os dias 3 e 31 de agosto de 2015.

As vagas remanescentes, não ocupadas após as chamadas regulares, poderão ser preenchidas mediante inscrição online por estudantes que concluíram o ensino médio nos últimos três anos, ou seja, entre 2012 e 2014, independentemente da data de emissão do certificado. O período de inscrição para essas vagas vai de 20 de julho a 2 de agosto.


Novas regras do Fies entram em vigor

Yara Aquino - Repórter da Agência Brasil Edição: Marcos Chagas

As novas regras para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) foram publicadas hoje (3) no Diário Oficial da União. As medidas valem para adesões feitas a partir do segundo semestre de 2015. A portaria oficializa mudanças anunciadas pelo Ministério da Educação, que estabelecem prioridade na oferta de vagas para as regiões Norte, Nordeste e Cento-Oeste – excluído o Distrito Federal – e em cursos das áreas de engenharia, saúde e formação de professores.

Terão prioridade os cursos com nota 4 e 5 nas avaliações do Ministério da Educação (MEC). A nota máxima é 5. A Secretaria de Educação Superior do ministério poderá definir critérios adicionais para a distribuição de vagas, caso julgue necessário.

No dia 26 de junho, o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, anunciou 61,5 mil vagas para a edição do segundo semestre de 2015 do Fies. Na ocasião, o ministro informou que os juros passariam dos atuais 3,4% anuais para 6,5%. A portaria publicada do Ministério da Educação não detalha o número de vagas e condições do financiamento.

A partir de agora, passa a valer a mudança no limite de renda para contratar o financiamento que será a renda familiar mensal bruta de 2,5 salários mínimos por pessoa, já informada em nota conjunta divulgada pelos ministérios da Educação e do Planejamento, no dia 26 de junho. Antes, a renda familiar bruta era de até 20 salários mínimos.

Poderá se inscrever no processo seletivo o estudante que, cumulativamente, não tenha concluído curso superior, tenha feito a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a partir da edição de 2010, e obtido média superior a 450 pontos, sem tirar nota 0 na redação.

As mantenedoras de instituições de educação superior interessadas em participar desse processo seletivo do Fies deverão assinar o termo de participação entre 6 e 17 de julho, no qual constará proposta de oferta de vagas estabelecidas na portaria.


França rejeita pedido de asilo para fundador do WikiLeaks

Da Agência Lusa Edição: Graça Adjuto

A França rejeitou hoje (3) um pedido de asilo apresentado pelo fundador do portal WikiLeaks, o australiano Julian Assange, refugiado há três anos na Embaixada do Equador em Londres, anunciou a Presidência francesa.

“Tendo em vista elementos jurídicos e a situação de Assange, a França não pode deferir seu pedido”, indicou o Eliseu num comunicado.

“A situação de Assange não representa perigo imediato”, destacou a Presidência, ao acrescentar que o fundador do WikiLeaks “é alvo de um mandado de detenção europeu.”

Julian Assange exprimiu o desejo de obter asilo na França numa carta dirigida na quinta-feira (2) ao presidente François Hollande e publicada hoje no diário francês Le Monde.

Na carta, Assange se identifica como “um jornalista perseguido e ameaçado de morte pelas autoridades” norte-americanas “devido a atividades profissionais”.

“Nunca fui formalmente acusado por um delito ou por um crime em qualquer lugar do mundo, incluindo na Suécia e no Reino Unido,” disse.

O fundador do WikiLeaks, que faz hoje 44 anos, vive em reclusão na Embaixada do Equador em Londres há três anos para escapar de um pedido de extradição para a Suécia, onde duas mulheres o acusam de agressão sexual e de violação, o que sempre desmentiu.

Assange teme que a extradição para a Suécia conduza a uma transferência para os Estados Unidos para ser julgado sobre a divulgação pelo WikiLeaks de documentos militares e diplomáticos norte-americanos classificados.

O seu pedido de asilo em França ocorre pouco depois da publicação por dois meios de comunicação franceses de documentos Wikileaks revelando que os Estados Unidos espiaram nos três últimos os presidentes franceses Jacques Chirac (1995-2007), Nicolas Sarkozy (2007-2012) e François Hollande (2012).

ONU pede reforço na segurança de fronteiras no Sudeste asiático

Da Agência Lusa

O Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (Acnur) destacou hoje (3) a necessidade de reforçar a segurança fronteiriça, no Sudeste asiático, para impedir o tráfico de pessoas. A posição do Acnur está em sintonia com as conclusões da reunião ministerial da Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean, da sigla em inglês), que ocorreu ontem (2) em Kuala Lumpur.

"A segurança fronteiriça deve ser reforçada e temos que garantir às vítimas uma assistência rápida, proteção e alternativas a pedidos de asilo, especialmente para as crianças", afirmou em comunicado o representanto do Acnur para o Sudeste Asiático, James Lynch.

Mais de 4,8 mil pessoas desembarcaram em Bangladesh, na Birmânia, Indonésia, Malásia e Tailândia, até ao momento, e o paradeiro de centenas de refugiados é desconhecido, de acordo com dados da ONU.

A reunião ministerial da Asean criou um fundo para dar assistência às vítimas e concordou em compartilhar informação, reforçar as respetivas legislações e aparelhar as tropas de segurança para perseguir redes de tráfico de pessoas, mas sem anunciar medidas concretas.

Esta reunião da organização sobre a deliquência transnacional relacionada com o movimento irregular de pessoas no Sudeste asiático é a última de uma série de encontros regionais para responder à crise de imigrantes, que começou em maio, com a chegada às costas indonésias, malaias e tailandesas de barcos com milhares de migrantes indocumentados.

A Asean é composta pela Birmânia, pelo Brunei, Camboja, pelas Filipinas, pela Indonésia, por Laos, pela Malásia, Singapura, Tailândia e pelo Vietnã.


A dois dias de referendo na Grécia, campanhas pelo sim e não se intensificam

Da Agência Lusa Edição: Talita Cavalcante

O vice-presidente da Comissão Europeia, Valdis Dombrovskis, considerou hoje (3) que um “não” no referendo grego de domingo não vai reforçar o poder de negociação de Atenas perante os credores e, ao contrário, pode enfraquecer o diálogo. “Seria errado supor que um ‘não’ reforçaria a posição de negociação grega. É o oposto”, declarou, em entrevista ao jornal alemão Die Welt.

Para Dombrovskis, a situação na Grécia está “significativamente pior do que na semana passada”, antes de o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, interromper as negociações e anunciar a realização de um referendo. Ele acredita que a questão do referendo não é fatucal nem juridicamente correta e que "os gregos vão enviar no domingo um sinal político ao resto da Europa”.

Por outro lado, a intervenção ontem (2) do antigo primeiro-ministro conservador Costas Karamanlis, que quebrou um silêncio público de cinco anos, foi o grande destaque dos jornais gregos de hoje que apoiam o "sim" no referendo de domingo.

"Karamanlis: Escolhemos o 'sim' por razões nacionais. Vibrante intervenção do antigo primeiro-ministro", cita a manchete do diário conservador Kathimerini, numa alusão à intervenção do ex-líder da Nova Democracia, afastado do poder em outubro de 2009 pelo Movimento Socialista Pan-Helénico – Pasok, então liderado por George Papandreou, no início da "crise da dívida" que se prolonga até hoje comprometendo a economia da Grécia.

"Nossa posição no núcleo duro da Europa é uma questão de segurança nacional. Não significa saída da União Europeia e aventureirismo", destaca o periódico de centro-esquerda Ethnos, próximo do Pasok.

Os gregos vão se pronunciar no domingo sobre a última versão de uma proposta de acordo dos credores da Grécia, que prevê uma série de reformas e de medidas orçamentárias em troca da continuação do apoio financeiro ao país.

Ainda na sua primeira página, os resultados de uma pesquisam mostram vantagem de 1,4 ponto percentual do "sim" sobre o "não" (44,8% contra 43,4%) e mostra ainda que para 61% dos entrevistados o voto "Não" a Grécia arrisca sua posição no bloco europeu.

As declarações consideradas chocantes do primeiro-ministro, Alexis Tsipras, sobre os bancos, quando disse que apenas serão reabertos após um acordo com os parceiros europeus, ou as reações ao discurso do ministro da Defesa, Panos Kammenos, de que "as Forças Armadas asseguram a estabilidade interna", foram destaque em outros jornais.

O diário de centro-esquerda Ta Nea optou antes pela manchete: "Caos, pobreza e drama – o voto não assusta", uma tendência manifestada por parte considerável do eleitorado e que o governo de Syriza tenta contrariar a todo o custo.

Assim, o diário de esquerda Efimerida ton Syntakton destaca o "Sim a um governo de tecnocratas" na Grécia, após a entrevista do presidente do parlamento Europeu, Martin Schulz, ao jornal alemão Handelsblatt, onde defendeu o "sim" no referendo, a demissão do governo de Alexis Tsipras e a formação de um Executivo de tecnocratas, que deverá assinar um novo plano de resgate com os credores após eleições.

O Avgi, jornal do partido Syriza, enfatiza os "Compromissos de Tsipras no dia seguinte à votação de domingo", insiste que não está em jogo a saída do euro e sugere um acordo que forneça uma saída, sem novos planos de resgate, para evitar que a Grécia se torne uma "colônia endividada". O relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI) que reconhece a insustentabilidade da dívida grega, abrindo as portas a uma eventual reestruturação, é outro tema destacado pelo jornal.

Já o diário oficial do Partido Comunista Grego (KKE) destaca uma foto do comício na Praça Syntagma, promovida na noite de ontem pelo partido, que ocupa parte considerável da primeira página do Rizospastis. "Governo-FMI-BCE: conflito na frente capitalista aprofunda-se, ataque ao povo intensifica-se", lê-se na primeira página, numa confirmação da sua atual estratégia política e que passa pelo apelo à abstenção no referendo de domingo. "Empobrecem o povo com a proposta da UE-BCE-FMI e com as propostas do governo", destaca ainda o diário do Partido Comunista grego.








Exército sírio diz ter matado mais de 100 combatentes

Da Agência Lusa

O Exército sírio anunciou hoje (3) que matou mais de uma centena "de terroristas" em várias operações em Alepo, a maior cidade do Norte do país, e arredores, informou a agência oficial Sana.

Uma fonte militar, citada pela agência, afirmou que as Forças Armadas atingiram os combatentes e destruíram 14 veículos nas áreas de Hleise, Al Yabul, Ain al Hanash, Deir Hafer, Maskane, Al Castelo, Tel Alam e Tel al Treks, na região de Alepo e arredores.

Nessa quinta-feira (2), 13 facções armadas, incluindo a Frente al Nusra – uma filial da rede terrorista Al Qaeda na Síria – anunciaram a criação de uma sala de operações conjunta para "libertar totalmente" a população.

Mais de 230 mil pessoas morreram na Síria desde o início do conflito há mais de quatro anos, de acordo com dados do Observatório Sírio dos Direitos Humanos.


Preço fixo do livro pode democratizar acesso e fortalecer cadeia produtiva

Akemi Nitahara – Enviada Especial Edição: Graça Adjuto

- Assuntos: 13ª Festa Literária Internacional de Paraty, Flip, livros, preço fixo, livrarias
A instituição, por lei, de preço fixo para os livros no Brasil pode levar ao fortalecimento da cadeia produtiva do setor, com a democratização do acesso. O assunto foi discutido nessa quinta-feira (2) na 13ª Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), na abertura da programação da FlipMais.

O presidente do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel), Marcos da Veiga Pereira, explicou que a proposta é que nos primeiros 12 meses após o lançamento de cada livro, a obra tenha o preço fixado pela editora responsável, com desconto máximo de 10%. De acordo com ele, atualmente ocorre uma depreciação do valor do livro por parte de grandes redes e lojas online, o que prejudica o pequeno e o médio livreiro.

“Se você encontra o varejo vendendo o livro com 40% de desconto, como ocorre hoje, você cria uma situação de competição predatória. O pequeno livreiro, o livreiro médio ou mesmo o grande livreiro, para competir com o varejo online, tem de abrir mão de uma margem que não tem. Ele precisa dessa margem para fazer face a todo o investimento que tem na loja, os funcionários, o acervo, os serviços que presta”, disse.

É o caso do livreiro Francisco Joaquim de Carvalho, conhecido na Universidade de Brasília como Chiquinho. Desde 1989, ele vende livros no local e sentiu a concorrência da internet e a chegada das grandes redes de livrarias.

“Há uma concorrência que não posso dizer que é desleal, mas é desigual nas grandes capitais do Brasil. Eles têm o livro com um desconto que a gente não pode dar, com uma diferença de valores, isso nos deixa com muita restrição em relação ao leitor, que quer saber do preço menor”, explicou.

Francisco Carvalho defende a proposta. “Esse preço fixo vai dar condições de igualdade. Eu sou pequeno, mas com atendimento, atenção, profissionalismo e respeito ao leitor, quero ter preço também, que é apenas um ingrediente do mercado”.

A senadora Fátima Bezerra (PT-RN), autora do projeto, disse que a experiência é bem-sucedida em países como a França e a Alemanha. Ela lembra que o Brasil tem cerca de 3 mil livrarias e que o leitor será beneficiado com o preço fixo, projeto que também deve incentivar a abertura de mais pontos de venda de livros.

“A gente espera que aconteça no Brasil o que ocorreu em vários países onde a lei é realidade, que foi contribuir para acabar com essa concorrência predatória, para que tenhamos um ambiente saudável do ponto de vista dessa concorrência, tudo isso pensando no consumidor", destacou. Para a senadora, em vez de ter livrarias fechando, é preciso ter mais e mais unidades sendo abertas. O leitor não pode ficar restrito só aos best-sellers ou aos livros técnicos. "Queremos maior variedade, à luz da riqueza que é a diversidade do país.”

Marcos Pereira disse que a venda de livros cresceu muito nos últimos dez anos, mas que o faturamento não cresceu na mesma proporção. “O consumo de livro, de 2004 para 2014, teve crescimento de 150 milhões para 280 milhões, número bastante expressivo e que reflete toda a inclusão da classe média brasileira no período. Por outro lado, houve uma queda no preço do livro de 40%. Um livro como O Código Da Vinci, que custava R$ 39,90 em 2004, hoje continua sendo vendido a R$ 39,90, e você tem toda a inflação do período que não foi repassada ao preço.”

O projeto de Lei do Senado (PLS) 49/2015 foi apresentada no início da legislatura e o tema foi discutido em um seminário terça-feira (30) no Senado. O texto está em análise na Comissão de Constituição e Justiça da Casa, de onde segue para as comissões de Assuntos Econômicos e de Educação, que analisam o mérito da proposta em caráter terminativo. Se não houver recurso, após aprovada pelas comissões, o projeto segue para a Câmara dos Deputados.


Escritora argentina diz que sucesso da América Latina depende do Brasil

Akemi Nitahara – Repórter da Agência Brasil Edição: Stênio Ribeiro

A professora Beatriz Sarlo, na sessão de abertura da Flip 2015 - Festa Literária Internacional de Paraty, com a mesa literária: As Margens de MárioTânia Rêgo/Agência Brasil
O Brasil é uma potência mundial e os países vizinhos torcem para o seu sucesso, pois dependem dele para também se desenvolver, disse a escritora argentina Beatriz Sarlo, uma das principais atrações da 13ª Festa Literária Internacional de Paraty (Flip).

Ela comparou ontem (2) as viagens que o escritor Mário de Andrade, o homenageado deste ano na Flip, fez no fim da década de 1920, relatadas em O Turista Aprendiz, e suas próprias viagens pela América Latina, na década de 1960, registradas no livro Viagens: da Amazônia às Malvinas.

Beatriz diz que, ao contrário do modernista, que era um etnógrafo e buscou retratar as manifestações culturais regionais, ela “era totalmente ignorante”. “Foi uma viagem de aprendizagem. Aprendi enquanto trabalhava. Eu não sabia nada de nada, imaginava que havia uma revolução na América Latina e que seríamos um povo unido e revolucionário.”

De acordo com ela, a revolução que se imaginava na época em que o continente estava tomado por ditaduras militares não ocorreu. Porém, muita coisa mudou e fez com que a América Latina se tornasse um continente viável atualmente.

Para Beatriz, a evolução do continente ocorre com uma grande potência no meio, que é o Brasil. "Todos rezam para que seja um país bem-sucedido, porque todos serão bem-sucedidos" junto com ele.

A escritora ressaltou que o Brasil é muito grande, é o "primo rico" do continente e se estabelece como potência mundial, apesar dos problemas. “Aqui há muita corrupção, mas no meu país também tem e não há ninguém preso por isso. Na Argentina, jamais um 'mão direita' do presidente vai para a cadeia. Houve mudanças muito importantes.”

Sobre literatura, Beatriz Sarlo afirmou que a crítica literária perdeu importância, que atualmente “não ajuda mais a vender livros”. Ela acrescentou que dificilmente a atual geração deixa algum clássico, tanto na literatura quanto na música.

“Para os jovens que estão entrando na escola hoje em dia, os clássicos são a cultura do passado, a ideia do que é clássico está em crise. Para os que são 15 anos mais jovens do que os que estão aqui, acho que nem temos clássicos da música pop. Na minha época, era muito claro que o clássico eram os Beatles", destacou.

Beatriz Sarlo participou da abertura da Flip na quarta-feira (1º), quando apresentou uma perspectiva das vanguardas latino-americanas das décadas de 1920 e 1930 . Neste sábado, a escritora volta à Tenda dos Autores, na mesa Turistas Aprendizes, para debater literatura de viagem com a portuguesa Alexandra Lucas Coelho, que cobriu, como correspondente do jornal Público, conflitos armados no México, Afeganistão, Iraque e Egito, além de ter passado um ano no Brasil, que resultou no livro Vai, Brasil, lançado no ano passado.