Quênia promete resposta severa a ataque que matou 148 pessoas em universidade

Da Agência Lusa

O presidente do Quênia, Uhuru Kenyatta, prometeu hoje (4) responder “o mais severamente possível” ao ataque à Universidade de Garissa, onde 148 pessoas foram mortas por extremistas islâmicos. Ele assegurou que o seu país “não se curvará” perante a ameaça do grupo somali Al Shebab de "promover um banho de sangue no país".

“O meu governo responderá o mais severamente possível ao ataque e a qualquer ataque que nos tenha como alvo”, afirmou Kenyatta, na sua primeira declaração pública desde que terminou, na sexta-feira (3), a operação das forças de segurança relativa ao atentado. “Apesar da adversidade, nunca nos curvamos e não desistiremos nunca. Continuaremos a construir uma nação próspera e segura”, acrescentou o presidente queniano.

Kenyatta decretou hoje três dias de luto nacional, pelo ataque de quinta-feira (2), que vitimou principalmente estudantes da Universidade de Garissa. “O combate ao terrorismo tornou-se particularmente difícil, pois os que o organizam e financiam estão profundamente inseridos nas nossas comunidades”, disse o presidente. “A radicalização que alimenta o terrorismo ocorre em pleno dia, nas escolas corânicas, nas casas e nas mesquitas com imãs sem escrúpulos”, alertou.

O dirigente apelou para que “todos os quenianos, todas as igrejas e todos os dirigentes” falem “alto e forte a favor da unidade [do país]”, de modo que a sua “cólera, justificada, não leve à estigmatização de ninguém”.

Além dos estudantes, três agentes policiais e três militares morreram no ataque à Universidade de Garissa, localidade do Leste queniano, a cerca de 150 quilômetros da fronteira com a Somália. Os shebab reivindicaram o ataque, o que matou mais pessoas no Quênia desde o atentado à Embaixada dos Estados Unidos em Nairobi, em 1998, que teve 213 mortos. O ataque à universidade foi uma represália à presença militar queniana na Somália desde final de 2011 para combater o grupo fundamentalista.

- Assuntos: presidente do Quênia, ataque, Universidade de Garissa, extremistas islâmicos, al-shebab

Avião cai na Venezuela com 1 tonelada de cocaína

Da Agência Brasil* Edição: Armando Cardoso

Um avião de pequeno porte caiu em Cojedes, na Venezuela, com quase 1 tonelada de cocaína. O acidente aconteceu na última quinta-feira (2) e matou os três ocupantes da aeronave. O local do acidente fica a cerca de 250 quilômetros de Caracas, capital venezuelana.

De acordo com o Ministério Público da Venezuela, a polícia verificou que o veículo transportava “999,06 quilogramas de cocaína”. A droga estava dividida em 863 pacotes, cuja origem ainda não foi determinada. As vítimas não foram identificadas.

A Venezuela é considerada pela Organização das Nações Unidas (ONU) como um país de trânsito para traficantes de entorpecentes, principalmente os da vizinha Colômbia. Em 2013, a Guarda Bolivariana apreendeu 39 toneladas de vários tipos de droga.

*Com informações da Agência Lusa

- Assuntos: venezuela, avião, cocaína, queda

Comissão ouve na terça Temer e presidentes de partidos sobre reforma política

Iolando Lourenço - Repórter da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso

Michel Temer foi convidado para falar sobre sistemas eleitorais e financiamento de campanhaFabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O presidente do PMDB e vice-presidente da República, Michel Temer, participa na terça-feira (7), às 14h30, na Comissão Especial da Reforma Política da Câmara, de audiência pública sobre um novo sistema político a ser votado pelo Congresso. Temer foi convidado pela comissão e confirmou presença para falar de sistemas eleitorais e financiamento de campanhas.

Também na terça-feira pela manhã, os deputados da comissão debaterão o tema com os presidentes do PRB, Marcos Pereira; do PPS, Roberto Freire; do PSOL, Luiz Araújo; e do PHS, Eduardo Machado.

De acordo com o relator da reforma política na comissão, deputado Marcelo Castro (PMDB-PI), autor do requerimento para audiência, os debates têm como objetivo o fortalecimento dos partidos políticos.

Segundo ele, não seria razoável deliberar sobre um novo sistema político-partidário “sem ouvir os dirigentes nacionais dos partidos políticos com representação no Congresso Nacional”.

A comissão marcou para quinta-feira (9), às 9h, nova audiência pública com o cientista político Bruno Speck, que debaterá com os deputados a reforma política, com destaque para sistemas eleitorais e financiamento de campanhas.

Presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) adiantou que, ainda no primeiro semestre, pretende fazer uma semana de esforço concentrado para votar a reforma política.

Eduardo Cunha tem pressa para votar a reforma políticaFabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Para Cunha, as alterações no sistema devem valer para as eleições de prefeitos e vereadores de 2016. Segundo ele, para isso, as mudanças têm de ser aprovadas pela Câmara e Senado e sancionadas um ano antes do pleito de 2016. No caso de emenda à Constituição, ela tem de ser promulgada no mesmo prazo.

- Assuntos: Câmara, reforma política, Temer, Eduardo Cunha, esforço concentrado

Centenas de católicos celebram Paixão de Cristo em Jerusalém

Da Agência Lusa

Cristãos carregam cruz de madeira na Igreja do Santo Sepulcro, em Jerusalém, durante procissão da Via-Sacra na Sexta-Feira SantaJim Hollander/EPA/Agência Lusa

Centenas de católicos celebraram ontem (3) a Paixão de Cristo na cidade velha de Jerusalém. Eles repetiram os últimos passos de Jesus antes da crucificação. Alguns carregavam grandes cruzes nas costas.

Fiéis do mundo inteiro subiram pelas ruelas que formam a Via Dolorosa e foram parando para orar em cada uma das estações do chamado caminho do sofrimento, até a Igreja do Santo Sepulcro. É no interior dessa basílica que se encontra o local onde Jesus teria sido posto na cruz e depois enterrado. É lá também que teria ocorrido a Ressurreição, celebrada no domingo de Páscoa.

“Esta celebração da Páscoa foi muito bonita. Há anos e anos que Jesus esteve aqui, mas era como se estivesse de novo”, comentou Laura Samoa, vinda da Costa do Marfim. Ao mesmo tempo em que ocorre  a Páscoa cristã, os judeus celebram uma de suas festas mais importantes, a Pessach, ou Páscoa judaica. A data assinala a saída dos judeus do Egito, de acordo com a tradição bíblica.

- Assuntos: Paixão de Cristo, crucificação, Via Dolorosa

Acordo com Irã deve incluir reconhecimento de Israel, diz Netanyahu

Da Agência Lusa

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse que qualquer acordo final sobre o programa nuclear do Irã precisa incluir o reconhecimento do direito à existência de Israel. “Israel exige que qualquer acordo final com o Irã inclua um reconhecimento iraniano claro e inequívoco do direito à existência de Israel”, diz comunicado oficial divulgado pelo gabinete do primeiro-ministro.

O primeiro-ministro também defendeu a necessidade de aumentar a pressão sobre o Irã para obter compromisso melhor que o conseguido no acordo firmado na quinta-feira (2). “Israel não aceitará um acordo que permite a um país que promete destruir-nos desenvolver armas nucleares”, declarou.

Netanyahu se manifestou após ter consultado seus principais ministros em reunião do seu gabinete de segurança. Segundo o primeiro-ministro israelense, o acordo obtido em Lausanne, na Suiça, representa um “grave perigo” porque não obriga o Irã a fechar instalações ou a destruir centrifugadoras nem a parar a pesquisa sobre centrifugadoras avançadas.

O acordo com o Irã foi obtido pelo Grupo 5+1, formado pela Alemanha e os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, que são os Estados Unidos, a China, a França, a Rússia e o Reino Unido. O trato prevê que o Irã tenha um programa nuclear reduzido e sob controle, em troca de apoio econômico e político. Israel é atualmente considerada a única potência nuclear do Oriente Médio. O país não assinou o tratado sobre a não proliferação das armas nucleares.

- Assuntos: Irã, Israel, potência militar

União Europeia promete apoio ao Quênia na luta contra o terrorismo

Da Agência Lusa

A União Europeia (UE) prometeu apoio ao Quênia na luta contra o terrorismo, após o ataque nessa quinta-feira (2) dos radicais islâmicos somalis do grupo Shebab contra estudantes da Universidade de Garissa, que causou 147 mortes.

“A UE reitera o seu compromisso em apoiar o governo e o povo quenianos para vencer a ameaça terrorista”, indicou em comunicado a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, considerando “importante que cada um faça a sua parte”.

O Quênia pode contar com a “solidariedade da UE”, que vai “trabalhar para reforçar o apoio aos esforços do Quênia para lutar contra o terrorismo”, reforçou Federica Mogherini.

Segundo a chefe da diplomacia europeia, “os terroristas mostraram a sua determinação em combater a educação, em criar divisões entre as diferentes religiões, em privar o país de um futuro de crescimento econômico e cultural, de estabilidade e de dignidade para todos os seus cidadãos”.

Os shebab, que proclamaram lealdade ao Al Qaeda, atacaram na quinta-feira de madrugada o campus da Universidade de Garissa, a cerca de 150 quilômetros da fronteira com a Somália, surpreendendo centenas de estudantes.

Separando muçulmanos de não muçulmanos, deixaram partir os primeiros e mataram ou fizeram reféns os demais.

- Assuntos: União Europeia, Quênia, terrorismo, Radicais islâmicos

Instituto disponibiliza partituras de Ernesto Nazareth para download gratuito

Paulo Virgílio – Repórter da Agência Brasil Edição: Denise Griesinger

Guardião do acervo de Ernesto Nazareth (1863-1934), o Instituto Moreira Salles (IMS) disponibiliza pela primeira vez ao público, para download gratuito, as partituras editoradas de 18 obras do compositor, entre elas os clássicos Odeon e Apanhei-Te Cavaquinho. Os arranjos, para dois pianos, são de outro grande nome da música brasileira, o gaúcho Radamés Gnattali (1906-1988).

O IMS também é responsável pela criação e manutenção do site Ernesto Nazareth 150 anos, que busca difundir a obra do compositor, que Heitor Villa-Lobos definiu como “a verdadeira encarnação da alma musical brasileira”. Contemporâneo do surgimento da música popular urbana, do grande sucesso da polca e da formação dos primeiros conjuntos de choro, Nazareth ainda tem boa parte de suas mais de 200 obras pouco conhecida do público e dos próprios músicos.

De acordo com o coordenador do site, Alexandre Dias, as músicas de Ernesto Nazareth são “potencializadas e elevadas a novos patamares”, com os arranjos de Radamés. “São arranjos que representam o que há de melhor em termos de escrita pianística, equilibrando os pianos de maneira excepcional”, ressalta Dias.

Pianista virtuoso e compositor com uma obra que trafegava entre o popular e o erudito, Radamés Gnatalli integrou o elenco da Rádio Nacional do Rio de Janeiro, de 1936 até a década de 60. Depois, foi contratado pelas TVs Excelsior e Globo. Ao longo dessas décadas de intenso trabalho, chegava a fazer nove arranjos por semana, em geral para a orquestra regida por ele.

As partituras estão disponíveis para download no site Ernesto Nazareth 150 anos.


- Assuntos: Instituto Moreira Salles, IMS, Ernesto Nazareth, música brasileira, Radamés Gnattali, Alexandre Dias, Rádio Nacional do Rio de Janeiro

Rússia nega envolvimento de submarino em naufrágio de pesqueiro que matou 56

Danilo Macedo – Repórter da Agência Brasil* Edição: Denise Griesinger

Após o naufrágio de um navio pesqueiro dia 2 no Mar de Ojotsk, próximo à península de Kamchatka, uma das partes mais a Leste do território russo, acima do Japão, a Rússia negou que o desastre, que provocou a morte de pelo menos 56 pessoas, tenha sido causado pela colisão com um submarino.

“Todas as informações divulgadas por algumas agências e redes sociais acerca da suposta causa do naufrágio do pesqueiro são invenções”, disse o porta-voz da Marinha russa, general Igor Konashenkov, sobre a especulação a respeito do envolvimento de um submarino no acidente. Ele negou que qualquer submarino russo estivesse na região no momento.

O navio pesqueiro Dalniy Vostok transportava 132 pessoas, das quais 63 foram resgatadas com vida. Segundo as autoridades russas, aproximadamente dez sobreviventes estavam com sintomas graves de hipotermia e foram transportados ainda ontem para hospitais da península de Kamchatka.

Mais de 20 embarcações e um helicóptero continuam nas águas geladas do Mar de Ojotsk no trabalho de busca a 13 desaparecidos no desastre. Entre os tripulantes do navio, havia 78 trabalhadores russos e 54 estrangeiros, principalmente da Birmânia, Ucrânia, de Vanuatu e da Letônia.

*Com informações da Agência Lusa

- Assuntos: Rússia, submarino, acidente

Papa Francisco condena atentado que matou 147 no Quênia

Da Agência Lusa

O papa Francisco condenou o ataque, que definiu como brutal e sem sentido, do grupo jihadista somali Al Shabab à Universidade de Garissa, no Quênia. No total, a ação do grupo deixou 147 mortos.

"Sua Santidade condena este ato de brutalidade sem sentido e reza por uma mudança de atitude dos seus autores", diz o telegrama de pêsames que o secretário de Estado do Vaticano, Pietro Parolín, enviou em nome do pontífice ao arcebispo de Nairobi, John Njue.

O telegrama diz ainda que o papa está "profundamente entristecido pela imensa e trágica perda de vidas causada pelo ataque à Universidade de Garissa". Na mensagem, Francisco apelou, ainda, para que todas as autoridades "redobrem os seus esforços para trabalhar com todos os homens e mulheres do Quênia para pôr fim a essa violência e acelerar o amanhecer de uma nova era de fraternidade, justiça e paz".

Francisco exprimiu a sua proximidade espiritual às famílias das vítimas e a todos os quenianos neste momento doloroso e encomendou as almas dos mortos à misericórdia infinita de Deus.

Um comando de jihadistas entrou na universidade, fingindo tratar-se de fiéis que iam rezar na mesquita do campus, e detonou vários artefatos explosivos. O local habitualmente acolhe mais de 800 alunos. Os homens do Al Shabab mantiveram refém um grupo de estudantes e professores com o objetivo de matar todos os que não fossem muçulmanos.

- Assuntos: atentado, Quênia, papa Francisco, Universidade de Garissa, Al Shabab

Embalagens de cigarro terão mais um alerta para fumantes

Aline Leal – Repórter da Agência Brasil Edição: Denise Griesinger

As embalagens de cigarro terão mais um alerta sobre os riscos do vício para fumantes. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta semana resolução determinando que 30% da parte inferior frontal dos maços trarão os dizeres “Este produto causa câncer. Pare de fumar. Disque Saúde 136”.

“O 136 traz ao consumidor a informação de que ele tem um local para buscar outras informações, para buscar um auxílio em relação àqueles que querem parar de consumir esse tipo de produto”, destacou o diretor da Anvisa, Renato Porto, durante reunião colegiada no mês passado.

A medida está prevista no Decreto 8.262 de 2014, que regulamenta a Lei Antifumo (Lei 12.546 de 2011). Faltava apenas a determinação do modelo e da mensagem. O novo alerta vem se somar às normas que obrigam os fabricantes a colocar em toda a parte de trás da embalagem uma foto que ilustra os riscos do fumo e em uma das laterais uma advertência.

A Lei Antifumo entrou em vigor em dezembro do ano passado. O dispositivo proíbe, entre outros pontos, fumar em locais fechados, públicos e privados, em todo o país.

Ainda segundo a resolução da Anvisa, fica proibido o uso de qualquer dispositivo que impeça ou dificulte a visualização da advertência, inclusive no momento da abertura do maço de cigarros.

As novas embalagens com o número do Disque Saúde começam a ser vendidas no dia 1º de janeiro de 2016.

- Assuntos: cigarro, disque saúde, Lei Antifumo, embalagem

Primeiro-ministro de Israel diz que Irã tem como único objetivo a bomba atômica

Da Agência Lusa

O acordo de princípio alcançado nessa quinta-feira (2) sobre o programa nuclear iraniano é uma etapa "numa direção muito perigosa", disse hoje (3) o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, acusando Teerã de ter como único objetivo a bomba atômica.

"O acordo é um passo numa direção muito, muito perigosa", disse aos jornalistas o porta-voz do governo israelense, Mark Regev, acrescentando que o "único objetivo" do Irã é conseguir fabricar a bomba atômica.

"Não só deixa o Irã com uma infraestrutura nuclear dispendiosa como falha no fechamento de uma única instalação nuclear iraniana. Deixa o Irã com milhares de centrifugadoras para continuar a enriquecer urânio", acrescentou Regev.

Segundo Israel, o acordo permite ao Irã "investigar, desenvolver e construir novas e melhores centrifugadoras".

O Grupo 5+1 (que inclui os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU – Estados Unidos, China, França, Rússia, Reino Unido – e a Alemanha) e o Irã chegaram na quinta-feira a um acordo de princípio para resolver a questão do programa nuclear iraniano.

O acordo final com os aspetos técnicos e legais tem de ser concluído até 30 de junho. O pacto permite ao Irã manter um programa nuclear muito reduzido e sob estrito controle em troca de vários apoios econômicos e políticos.

Na sequência do acordo, o primeiro-ministro israelense convocou para hoje reunião com os responsáveis de segurança. Em uma reação ao acordo de princípio sobre o programa nuclear iraniano, Benjamin Netanyahu já tinha dito que este "ameaçava a sobrevivência de Israel".

O porta-voz do primeiro-ministro israelense adiantou que Benjamin Netanyahu transmitiu na noite de quinta-feira a sua posição ao presidente norte-americano, Barack Obama. "Esse acordo poderia legitimar o programa nuclear do Irã, reforçar a economia e aumentar a agressividade do Irã e o terror no Oriente Médio e mais além", disse Netanyahu na sua conversa com Obama.

O primeiro-ministro desafiou a Casa Branca em março ao falar perante o Congresso norte-americano, em Washington, condenando as conversações sobre o programa nuclear que então decorriam entre as grandes potências, incluindo os Estados Unidos e o Irã. O episódio contribuiu para aquela que é considerada pelos analistas a pior crise nas relações entre Israel e os Estados Unidos.

- Assuntos: Irã, Israel, bomba atômica, Conselho de Segurança da ONU, obama, Benjamin Netanyahu

Segunda caixa-preta confirma ação do copiloto para derrubar avião na França

Da Agência Lusa

A análise da segunda caixa-preta do Airbus A320 da companhia Germanwings, que na semana passada caiu nos Alpes franceses, confirma uma ação deliberada do copiloto, Andreas Lubitz, para fazer o avião descer, segundo os investigadores.

“Uma primeira leitura dá a entender que o copiloto usou o piloto automático para descer o avião para uma altitude de 100 pés e, depois, em várias ocasiões durante a descida, modificou as instruções do piloto automático para aumentar a velocidade do avião”, indicou em comunicado o gabinete francês do Escritório de Investigações e Análises (BEA).

A caixa-preta, encontrada dia 2, escurecida pelo fogo e enterrada na montanha, foi transportada para Paris. A análise começou imediatamente. “Os trabalhos para determinar a sequência precisa de acontecimentos durante o voo continua”, disse o BEA.

A investigação do acidente do avião Germanwings se baseava até agora na análise do áudio do cockpit registrado na primeira caixa-preta. Os investigadores concluíram que o copiloto provocou deliberadamente o acidente, que causou a morte a 150 pessoas, ao ficar sozinho no cockpit e bloquear a porta do compartimento para impedir a entrada do piloto. Cockpit é o termo em inglês para a cabine da qual os pilotos comandam a aeronave.

As investigações feitas na Alemanha indicam que Lubitz sofreu episódio depressivo grave em 2009 e recebeu tratamento para tendências suicidas.

A Procuradoria de Düsseldorf, onde o copiloto vivia, revelou ainda que Andreas Lubitz procurou na internet informação sobre métodos de suicídio e funcionamento das portas do cockpit até à véspera do acidente. A informação foi apurada pelos procuradores alemães a partir do conteúdo de um tablet apreendido em uma das residências de Lubitz.

O copiloto, de 27 anos, procurou na internet informação sobre formas de cometer suicídio, especialmente entre 16 e 23 de março, véspera do acidente. Pelo menos em um desses dias, Lubitz viu também, durante vários minutos, informação sobre portas de cockpit e disposições de segurança, segundo o comunicado da procuradoria.

O Airbus A320 da Germanwings, que fazia a ligação entre Barcelona (Espanha) e Düsseldorf (Alemanha), caiu no dia 24 de março nos Alpes franceses, matando todos os 144 passageiros e seis tripulantes.

- Assuntos: Germanwings, acidente aéreo, Alpes franceses

Consumo excessivo de açúcar pode afetar visão, alerta especialista

Flávia Villela - Repórter da Agência Brasil Edição: José Romildo

Com a chegada da Páscoa, os abusos com o chocolate podem gerar vários problemas de saúde, inclusive para os olhos. O conselheiro da Sociedade Brasileira de Oftalmologia e consultor do Instituto Varilux da Visão, Marcus Sáfady, explicou que as consequências do excesso de açúcar no organismo podem ser grave para a visão. Uma glicemia não estável pode levar a alterações dos vasos sanguíneos que provocam, em um estágio mais avançado, doenças oculares sérias, sobretudo para diabéticos.

“Quando o médico percebe pequenas dilatações nas extremidades dos pequenos vasos da retina, assim como presença de micro-hemorragias, confirma o diagnóstico de retinopatia diabética. Por isso, o exame oftalmológico é considerado muito importante no diagnóstico e controle do diabetes. Entre as complicações oculares mais graves da doença, em fases mais avançadas da retinopatia, estão a catarata e o glaucoma.” explicou Sáfady.

A retinopatia diabética é uma complicação do diabetes ocasionada pela deterioração dos vasos sanguíneos que alimentam a retina. Se atingirem a mácula - área responsável pela visão de cores e detalhes - a pessoa poderá notar o aparecimento de manchas, a redução ou embaçamento da visão.  Inicialmente, a doença não apresenta sintomas, mas quando os problemas pioram, os vasos sanguíneos podem romper-se e vazar, causando as micro-hemorragias da retina. “Por isso é necessário que diabéticos realizem exames oftalmológicos regulares e mantenham a doença sob controle”, orientou o médico.

Ainda segundo o oftalmologista, a doença pode se caracterizar também pelo aparecimento de vasos anormais, mais frágeis e mais propensos ao rompimento, podendo dar origem a grandes hemorragias, formar cicatrizes e, consequentemente, levar ao descolamento de retina e provocar ainda o aparecimento do glaucoma”.

Chocolates sem açúcar e comer com moderação são as opções para quem não abre mão das guloseimas na época mais doce do ano. O médico lembra os cuidados regulares que devem ser tomados durante todo o ano para evitar a diabetes e outras doenças.

- Assuntos: Páscoa, açúcar, visão

Fidel Castro reaparece em público após 14 meses de reclusão

Da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso

O ex-presidente de Cuba, Fidel Castro, 88, fez hoje (4) sua primeira aparição pública após apareceu pela primeira vez em público nos últimos 14 meses. Na segunda-feira (30), ele se encontrou com um grupo de 33 venezuelanos em uma escola de Havana. O grupo visitava a escola a convite do Instituto Cubano de Amizade com os Povos (Icap).

De acordo com o jornal Granma, órgão oficial do Partido Comunista de Cuba, o encontro durou uma hora e meia. “É preciso trabalhar rapidamente, reunir muitas assinaturas destinadas ao presidente (Barack) Obama, de modo que a Venezuela deixe de ser considerada uma ameaça para a segurança dos Estados Unidos”, declarou Fidel aos visitantes, segundo informações do Granma.

Fotos divulgadas pelo diário cubano mostram Fidel dentro de um veículo, acenando para os venezuelanos. “Fidel está cheio de vitalidade. Afirmam que esta é a definição mais recorrente dentro do grupo de amigos que o viram e puderam conversar com ele.”

Desde que, em 2006, abandonou o poder por razões de saúde, Fidel Castro tem aparecido em público raramente. A última vez tinha sido em 08 de janeiro de 2014, na inauguração de uma galeria de arte em Havana.

* com informações da Agência Lusa e do jornal Granma





- Assuntos: Cuba, Fidel Castro, venezuelanos, escola, fotos

Peritos encerram coleta de material em local de acidente com filho de Alckmin

Daniel Mello - Repórter da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso

Os peritos da Aeronáutica concluíram na madrugada de hoje (4) o trabalho de campo no local onde caiu o helicóptero em que estava o filho do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Desde a noite de quinta-feira (2), os técnicos recolhiam indícios que possam indicar as causas do acidente.

Todo o material recolhido, incluindo peças da aeronave e registros produzidos pelas equipes de resgate, está sob análise no Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa). O centro, que fica no Campo de Marte, zona norte paulistana, conduzirá a apuração do caso. Não há previsão de conclusão dos trabalhos.

O helicóptero em que estava Thomaz Alckmin caiu no fim da tarde de quinta-feira, em um condomínio residencial de Carapicuíba, zona oeste da Grande São Paulo. Além do filho do governador, morreram no acidente o piloto Carlos Haroldo Isquerdo Gonçalves e três mecânicos.

A empresa Seripatri, proprietária da aeronave, informou que o helicóptero Eurocopter, modelo EC 155, tinha cerca de quatro anos de uso e 600 horas de voo. De acordo com a empresa, a documentação do aparelho estava em ordem. No momento da queda, a aeronave fazia um voo de teste, após manutenção preventiva.

- Assuntos: helicóptero, Thomaz Alckmin, Aeronáutica, Seripa, acidente, investigação, peças

Sobrevivente de ataque no Quênia é encontrada escondida em armário

Da Agência Lusa

Uma sobrevivente do atentado à Universidade de Garissa, no Quênia, foi descoberta escondida dentro de um armário do prédio, 50 horas após o ataque, informou hoje (4) a Cruz Vermelha. O massacre, cuja autoria foi reivindicada pelo grupo radical islâmico Al Shebab, deixou 148 mortos na quinta-feira (2), a maioria estudantes.

Neste sábado, o presidente queniano, Uhuru Kenyatta, decretou três dias de luto nacional, com bandeiras a meio mastro.

“Uma sobrevivente foi encontrada dentro da universidade pelas forças de segurança que permanecem no campus universitário", disse Arnolda Shiundu, responsável pela comunicação da Cruz Vermelha no Quênia.

Segundo Arnolda Shiundu, a sobrevivente “foi levada para o hospital e está sendo examinada pelos médicos”.

De acordo com uma fonte policial em Garissa, a sobrevivente ficou dois dias escondida em um armário. Ela foi descoberta durante a manhã deste sábado.

Em comunicado divulgado pelos islâmicos, o grupo radical critica a presença do Exército queniano na Somália e explica que, durante o ataque à universidade, separaram os muçulmanos dos cristãos para matar apenas integrantes do segundo grupo.

- Assuntos: Quênia, ataque, sobrevivente, armário

Cinco suspeitos de participar de atentado no Quênia são preso

Da Agência Brasil* Edição: Juliana Andrade

Cinco pessoas foram detidas e interrogadas por suspeita de envolvimento no ataque do grupo radical islâmico Al Shebab a uma universidade no Quênia, que matou 148 pessoas. A informação foi confirmada hoje (4) pelo Ministério do Interior em Nairobi.

Um dos agressores foi preso enquanto fugia da cena do assassinato. O porta-voz do ministério, Mwenda Njoka, informou que, em seguida foram detidos os demais. Três deles tentavam atravessar a fronteira para a Somália, no momento da prisão.

“Eu não vou entrar em detalhes sobre como capturamos e suas conexões, porque é uma ameaça contínua”, disse Njoka, acrescentando que "uma operação desta magnitude [para prender os envolvidos no ataque à universidade] não envolve dois, três ou cinco pessoas, mas é muito mais complexa". “Suspeitamos que sejam cúmplices dos atacantes […]. Tentamos estabelecer ligações com o ataque", completou  Mwenda Njoka.

Entre os suspeitos está um tanzaniano suspeito de ter facilitado a entrada de integrantes do grupo no campus universitário, acrescentou o porta-voz.

Um comando islâmico entrou na quinta-feira (2), no início da manhã, na Universidade de Garissa, no Leste do Quênia, a cerca de 150 quilômetros da fronteira com a Somália. Os homens armados dispararam contra os alunos que se identificaram como cristãos. Eles faziam perguntas às vítimas sobre o Alcorão e mataram as que não responderam.

Os islâmicos somalianos do grupo jihadista Al Shebab reivindicaram a autoria do ataque, o que resultou em mais mortes no Quênia desde o atentado contra a Embaixada dos Estados Unidos em Nairobi, em 1998, que registrou 213 mortos. O ataque à universidade foi uma represália à presença militar queniana na Somália, onde um corpo expedicionário queniano combate esse movimento desde o final de 2011.

Após o atentado, o grupo islâmico ameaçou mais ataques no Quênia caso o governo não retire todas as tropas instaladas no país, de acordo com um comunicado divulgado pela organização terrorista, que acusa os militares de matar civis e bombardear populações.

“Enquanto o governo persistir em seguir o caminho da opressão, colocar em prática políticas repressivas e continuar a perseguição sistemática de muçulmanos inocentes, nosso ataques também continuarão”, disse o comunicado.

O grupo islâmico também se dirigiu ao governo queniano e advertiu que sua mensagem “não será escrita com palavras, mas com o sangue do povo". "Cavem seus túmulos e preparem seus caixões a partir de agora.”

O ataque à universidade deixou 142 estudantes, três agentes de segurança e dois funcionários mortos. O número de feridos chega a  enquanto havia também 104 feridos, de acordo com o Ministério do Interior. Dezenove feridos permanecem em estado crítico.

*Com informações da Agência Lusa e da Telam

- Assuntos: Quênia, ataque, terrorismo, suspeitos presos, grupo radical islâmico, univeridade

ONU debate proposta de pausas humanitárias em operação militar no Iêmen

Da Agência Lusa

O Conselho de Segurança da Organizações Unidas (ONU) reúne-se hoje (4) à tarde para debater uma proposta do governo da Rússia sobre pausas humanitárias na operação militar aérea da Arábia Saudita no Iêmen.

De acordo com diplomatas russos, o pedido da reunião foi motivado pela preocupação com o crescente número de vítimas civis do conflito no Iêmen.

Porta-voz da missão russa na ONU, Aleksey Zaytsev informou que as consultas, com portas fechadas e de caráter informal, serão sobre "possíveis pausas humanitárias nos ataques aéreos".

Segundo Zaytsev, é preocupante o aumento da violência no Iêmen, onde uma coligação liderada pela Arábia Saudita realiza ataques aéreos contra os rebeldes xiitas huthis, que, em setembro, tomaram várias regiões do país e forçaram o presidente Abd Rabbo Mansour Hadi a fugir para o território saudita. A ONU considera Mansour Hadi o presidente legítimo do Iêmen.

Os huthis conquistaram a capital Sana em fevereiro e, no mês passado, avançaram para a cidade portuária de Aden, refúgio de Hadi.

Na quinta-feira (1º), a chefe para ajuda humanitária da ONU, Valerie Amos, afirmou estar "extremamente preocupada" com a morte de civis no Iêmen, depois de várias fontes terem indicado que 519 pessoas morreram e quase 1,7 mil ficaram feridas em duas semanas de confrontos.

- Assuntos: ONU, Rússia, Iêmem, pausa humanitária, proposta

Diplomacia dos EUA confirma participação de Obama na Cúpula das Américas

Da Agência Lusa

Os presidentes Raul Raúl Castro e Barack Obama vão interagir, mas não devem se reunir para tratar da reabertura de embaixadas Arquivo Agência Brasil

O Departamento de Estado norte-americano confirmou hoje (4) a participação do presidente Barack Obama na reunião da Cúpula das Américas, marcada para os dias 10 e 11 de abril, na cidade do Panamá. De acordo com a diplomacia dos Estados Unidos, durante o encontro, Obama deve interagir com o presidente de Cuba, Raúl Castro, embora não esteja programada uma reunião bilateral.

"Ao decidir participar da reunião, o presidente Barack Obama sabia que Cuba tinha sido convidada e que haveria uma interação. Os dirigentes estarão juntos a maior parte do tempo. Haverá, portanto, um intercâmbio com Raúl Castro", declarou a secretária de Estado adjunta para a América Latina, Roberta Jacobson.

Segundo ela, além do encontro bilateral com o presidente do Panamá, Juan Carlos Varela, nenhuma outra reunião está programada. "Portanto, não sei exatamente que tipo de interação ocorrerá", acrescentou.

A Cúpula das Américas, com a presença de 34 chefes de Estado, assume um destaque particular por ocorrer após o anúncio histórico, em 17 de dezembro, da restauração das relações diplomáticas entre Washington e Havana, depois de meio século de tensões herdadas da Guerra Fria.

Em janeiro, fevereiro e março, representantes dos dois países participaram de encontros oficiais para o restabelecimento das relações diplomáticas e reabertura das embaixadas. A intenção do governo norte-americano era reabrir a chancelaria em Havana antes da Cúpula das Américas. Cuba faria o mesmo com a embaixada em Washington.

Entretanto, o Departamento de Estado indicou ser pouco provável que as embaixadas sejam reabertas até a reunião.

- Assuntos: Estados Unidos, Cuba, reunião, interação, Embaixadas

Avião da Germanwings faz pouso de emergência na Alemanha

Da Agência Lusa

Um avião da companhia aérea Germanwings fez hoje (4) um pouso de emergência no Aeroporto de Stuttgart, no Sul da Alemanha, devido a um problema técnico, segundos fontes do aeroporto.

A aeronave, com o número de voo 4U814, decolou da cidade alemã de Colônia, no Oeste do país, às 5h (horário de Brasília), com destino à cidade italiana de Veneza. Uma hora depois, teve de fazer uma aterrissagem de emergência em Stuttgart. Ainda não há informações sobre feridos.

O número de pessoas no voo ainda não foi divulgado. Por volta das 7h30 (horário de Brasília), os passageiros ainda se encontravam no aeroporto, onde ocorrem os trabalhos de reparo do avião.

Ainda não há certezas sobre a possibilidade de o voo ser retomado rumo a Veneza. Pode ser necessária a substituição da aeronave.

A Germanwings está dando a possibilidade aos passageiros de regressarem em um novo voo para Colônia ou aguardarem pela conclusão do voo inicial.

- Assuntos: Germanwings, pouso de emergência, Alemanha, avião

Paixão de Cristo 2015

Veja algumas imagens da Paixão de Cristo 2015 Nova Jerusalém 
Clique aqui para ver as fotos

Negociadores anunciam acordo sobre programa nuclear iraniano

Da Agência Lusa

O ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Mohamed Yavad Zarif, informou hoje (2), em mensagem na rede social Twitter, que foram encontradas soluções “em parâmetros-chave” nas negociações sobre o programa nuclear iraniano que ocorrem em Lausanne, na Suíça.

A informação foi confirmada, também no Twitter, pela chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, que se referiu a “boas notícias”, e pelo chefe da diplomacia alemã, Frank-Walter Steinmeier, que confirmou um acordo global em “pontos-chave” das conversações.

A cidade suíça de Lausanne sedia há dias as negociações sobre o contestado programa nuclear entre o Irã e o chamado Grupo 5+1, constituído pelos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (Estados Unidos, Rússia, China, França e Reino Unido) e a Alemanha.

- Assuntos: soluções, negociações, Programa nuclear iraniano, pontos-chave, conversações

Brasileiros da Missão Humanitária a Gaza são impedidos de entrar na Cisjordânia

Eliane Gonçalves – Enviada Especial da EBC Edição: Juliana Andrade

Dois brasileiros integrantes da Missão Humanitária a Gaza do Fórum Social Mundial foram barrados pelo serviço de imigração israelense. Soraya Misleh, jornalista brasileira de origem palestina, e Mohamad El Kadri, de origem libanesa, foram impedidos de entrar na Cisjordânia, território palestino ocupado por Israel, sob a alegação de que poderiam oferecer riscos à segurança israelense.

Perguntados sobre os motivos que levaram à suspeita, os funcionários da fronteira limitaram-se a dizer que não poderiam dar mais informações. Além de terem que assinar um documento em hebraico e inglês que informava a proibição, os brasileiros foram alertados pelos funcionários do serviço de imigração de que o impedimento vale por cinco anos.

A missão chegou a Allenby Bridge, fronteira entre a Jordânia e a Palestina, por volta das 16h30 de terça-feira (31). A saída da Jordânia ocorreu com tranquilidade. As dificuldades começaram no lado controlado por Israel. Depois de quase quatro horas de espera, o grupo que, até então era formado por 15 pessoas, recebeu a notícia de que o ingresso seria permitido apenas para parte da missão. A decisão gerou um clima de indignação. Soraya Misleh e Mohamad El Kadri eram os únicos com sobrenomes árabes.

"Entendemos que mais uma vez sofremos de discriminação e racismo. Eu tenho tios e primos lá e novamente estou sendo impedida de ver minha família", disse Soraya, que já havia sido impedida de entrar na Palestina em 2011.

A diferença é que desta vez a entrada da missão foi mediada pelo governo brasileiro, em conversas com o governo de Israel. "O que queremos agora é que o governo brasileiro tome as devidas providências e adote medidas de reciprocidade. As pessoas aqui presentes puderam testemunhar como funciona a arbitrariedade desse Estado [Israel]", disse El Kadri.

Nessa quarta-feira (1°), o embaixador do Brasil na Palestina, Paulo França, foi informado de que a missão vai pedir uma posição do governo brasileiro sobre o caso. O representante do governo na Palestina disse que vai levar o assunto ao embaixador do Brasil em Israel, Henrique Sardinha.

Antes mesmo da negativa, a espera no serviço de imigração israelense havia irritado o grupo, que cantava músicas de protesto enquanto estava com os passaportes retidos. No repertório, canções como Suíte do Pescador, de Dorival Caymmi, e Apesar de Você, de Chico Buarque.

A Missão Humanitária a Gaza começou a ser organizada em novembro de 2014 pelos integrantes brasileiros do Conselho Internacional do Fórum Social Mundial. O objetivo do grupo era levar apoio aos palestinos que vivem na Faixa de Gaza, região que teve cerca de 96 mil casas e edifícios destruídos e 2.272 mortos depois dos bombardeios de junho de 2014.

Apesar de terem entrado na Palestina, o grupo ainda não teve a autorização de Israel para acessoa a Gaza. A missão ainda procura meios de concretizar o objetivo.

A comitiva é formada por sindicalistas, ativistas e jornalistas, entre eles, dois profissionais da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) que acompanham a missão.

O ex-senador e atual secretário de Direitos Humanos da prefeitura de São Paulo, Eduardo Suplicy, chegou a confirmar a participação, mas cancelou a agenda alegando outros compromissos profissionais. Dias antes, o secretário ouviu as criticas da Federação Israelita de São Paulo, que, em nota, classificou a missão humanitária de ato em "solidariedade ao grupo terrorista Hamas".

- Assuntos: brasileiros, barrados, Palestina, Cisjordânia. Israel, Missão Humanitária a Gaza

Copiloto do avião pesquisou sobre suicídio na véspera do acidente nos Alpes

Da Agência Brasil* Edição: Nádia Franco

O copiloto do avião da Germanwings que caiu na semana passada, nos Alpes franceses, Andreas Lubitz, procurou na internet informação sobre métodos de suicídio e sobre o funcionamento das portas da cabine da aeronave dias antes do acidente. A informação foi divulgada hoje (2) pela Procuradoria de Düsseldorf, que teve acesso a um tablet de Lubitz, apreendido em uma de suas residências.

Em comunicado, os procuradores disseram que o copiloto, de 27 anos, procurou na internet informação sobre “formas de cometer suicídio”, “especialmente entre 16 e 23 de março", véspera do acidente.

Pelo menos em um desses dias, Lubitz viu também, “durante vários minutos”, informação sobre “portas de cockpit e disposições de segurança”. Cockpit é o termo em inglês para a cabine da qual os pilotos comandam a aeronave.

As investigações indicam que Lubitz provocou deliberadamente o acidente com o Airbus A320. Ele ficou sozinho na cabine e teria bloqueado a entrada do piloto. A conclusão é baseada sobretudo na análise dos sons da cabine registrados na primeira caixa-preta.

As investigações feitas na Alemanha indicam que Lubitz sofreu um “episódio depressivo grave” em 2009 e recebeu tratamento para “tendências suicidas”.

O Airbus A320 da Germanwings, que fazia a ligação entre Barcelona, na Espanha e Düsseldorf, na Alemanha, caiu no dia 24 de março nos Alpes franceses, matando todos os 144 passageiros e seis tripulantes.

*Com informações da Agência Lusa

- Assuntos: acidente aéreo, Alpes franceses

Governo lança segundo edital com locais para abertura de cursos de medicina

Aline Leal - Repórter da Agência Brasil Edição: Jorge Wamburg


O segundo edital de chamamento para municípios que poderão receber cursos particulares de medicina foi lançado hoje (2), como parte do Programa Mais Médicos. Foram escolhidos 22 municípios dentro da estratégia de equilibrar regionalmente o número de médicos por habitantes, levando faculdades para locais de difícil fixação desses profissionais.

O edital prevê a abertura de 1.887 vagas nas 22 cidades pré-selecionadas, em oito estados do Norte, do Nordeste e do Centro-Oeste. Todos os municípios apontados têm relação de vagas em cursos de medicina por 10 mil habitantes inferior a 1,34, e o índice de médicos por mil habitantes é menor que 2,7. A medida é uma parceria entre os ministérios da Saúde e da Educação.

As prefeituras pré-selecionadas que tiverem interesse em receber a faculdade devem confirmar participação entre os dias 13 e 24 deste mês pelo endereço eletrônico http://simec.mec.gov.br. Depois disso, o governo fará vistoria para saber se o local apresenta a infraestrutura necessária a um curso de medicina. O resultado será divulgado no dia 31 de julho e só então as instituições interessadas se candidatarão a abrir faculdade nos locais.

Antes de esse sistema ser adotado, a abertura de vagas privadas de medicina era proposta pelas instituições de ensino, que indicavam onde queriam abrir faculdade. Com o novo modelo, adotado pelo Programa Mais Médicos, é o governo quem indica onde tem interesse em abrir vagas. Em seguida, as faculdades se candidatam.

Os ministros da Educação, Luiz Cláudio Costa, e da Saúde, Arthur Chioro, apresentam edital para municípios interessados em receber curso de medicinaWilson Dias/Agência Brasil

“Em vez de perguntar para a instituição privada onde ela quer abrir escola de medicina, o governo, com base em estudos técnicos, avaliando as necessidades e com critérios objetivos, identifica quais cidades e regiões precisam de novas vagas de medicina e têm condições técnicas [de receber o curso]”. explicou o ministro da Saúde, Arthur Chioro.

Segundo o governo, estudos apontam que ter cursos de medicina e residência médica contribui para a fixação de médicos na região. Chioro ressaltou que a lógica anterior de abertura de faculdades de medicina ocasionou uma concentração de profissionais em capitais e nas regiões Sul e Sudeste.

 Chioro acrescentou que essa mudança é um eixo estruturante do Mais Médicos e a contratação de médicos estrangeiros, um eixo emergencial. Até 2017, o governo pretende abrir 11.447 vagas de medicina para que, em 2026, o Brasil possa ter 600 mil médicos. Hoje o país tem em média 400 mil profissionais.

Para conseguir a autorização para abrir a faculdade de medicina, a instituição de ensino deve se comprometer a beneficiar a rede de saúde, dizendo especificamente o que vai fazer no local e, ainda, programar a abertura de residência médica no município.

A seleção dos 22 municípios leva em conta critérios como não ser capital e ter mais de 50 mil habitantes, a inexistência de curso de medicina no município e na região próxima, e a cidade ficar a, no mínimo, 75 quilômetros de distância de outra que tenha o curso.

Chiroro informou que a infraestrutura da cidade para receber os novos cursos também foi considerada para a seleção. Além disso, o ministro ressaltou que as faculdades que fizerem propostas de abertura de cursos terão de apresentar os benefícios que o município terá como benefícios na infraestrutura dos postos que receberão alunos e formação complementar dos profissionais que já trabalham na rede pública.

Segundo o ministro interino da Educação, Luiz Cláudio Costa, para o primeiro edital, mais de 200 instituições apresentaram propostas de abertura de cursos nos 39 municípios indicados pelo governo.

Os municípios que poderão receber cursos de medicina são: São Miguel dos Campos, em Alagoas; Parintins, no Amazonas; Brumado, Irecê, Euclides da Cunha e Senhor do Bonfim, na Bahia; Crateús, Iguatu, Itapipoca, Quixeramobim e Russas, no Ceará; Itumbiara, em Goiás; Chapadinha, Codó e Santa Inês, no Maranhão; Bragança, Breves, Cametá e Castanhal, no Pará; Araripina, Arcoverde e Salgueiro, em Pernambuco.

- Assuntos: edital, municípios, cursos particulares, medicina, Programa Mais Médicos

Justiça aceita pedido de recuperação judicial do Grupo OAS

Flávia Albuquerque - Repórter da Agência Brasil Edição: José Romildo

A Justiça paulista deferiu ontem (1º), o processo de recuperação judicial de nove empresas que compõem o Grupo OAS, nomeando o administrador judicial e determinando a suspensão de todas as ações ou execuções contra os devedores, além de outros procedimentos necessários. O pedido foi apresentado pela OAS na última terça-feira.

Segundo informações do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, a recuperação possibilita que a empresa se reorganize em relação a dívidas e se recupere da crise financeira, preservando  atividades e empregos, além de gerar a expectativa de saldar débitos com credores, evitando a falência. O Grupo OAS deve apresentar o plano de recuperação judicial no prazo de 60 dias, sob pena de transformação da recuperação em falência. Os credores e fornecedores terão 120 dias para discutir e aprovar a proposta.

Para dar andamento à reestruturação, a OAS informou ter colocado à venda sua participação na Invepar (24,44%), no Estaleiro Enseada (17,5%), na OAS Empreendimentos (80%), na OAS Soluções Ambientais (100%), na OAS Óleo e Gás (61%) e na OAS Defesa (100%). A empresa vai negociar ainda a Arena Fonte Nova (50%) e a Arena das Dunas (100%).

“Vamos vender os nossos ativos num processo de recuperação judicial para dar segurança aos investidores de que não correrão risco de ter seu negócio contestado na Justiça pelos credores da OAS”, afirmou, em nota, o diretor de Desenvolvimento Corporativo da Construtora OAS, Diego Barreto.

Além disso, o grupo informou que vai priorizar os negócios relacionados à construção pesada, representado pela Construtora OAS.

A OAS é alvo da Operação Lava Jato, que investiga desvios e corrupção na Petrobras, o que resultou na interrupção das linhas de crédito à empresa. Seus clientes chegaram a suspender pagamentos e novas contratações e ainda as agências de risco rebaixaram a nota de crédito da empresa, levando ao vencimento antecipado de suas dívidas.

“O setor de infraestrutura depende de financiamento intenso de capital para o desenvolvimento dos projetos que dão suporte ao crescimento econômico do país. Desde o início das investigações na Petrobras, as instituições financeiras têm sistematicamente restringido o acesso das empresas aos recursos necessários para a manutenção das obras”, ressaltou, em nota, o presidente da OAS Investimentos, Fabio Yonamine.

- Assuntos: recuperação judicial, OAS, dívida, recuperação financeira

Semana Santa deverá movimentar R$ 3,68 bilhões em viagens internas

Mariana Tokarnia - Repórter da Agência Brasil Edição: Jorge Wamburg

As viagens dentro do país deverão movimentar R$ 3,68 bilhões durante a Semana Santa, com  as festas religiosas e as reuniões familiares que deverão impulsionar os gastos nestes dias, segundo o Ministério do Turismo, que estima a realização de 2,15 milhões de viagens internas, cada uma com um custo médio de R$ 1.712,87, incluindo deslocamento, alimentação e turismo.


"A Semana Santa é um feriado mais intenso que outros. As pessoas aproveitam para usufruir estruturas de lazer ou parentes e amigos para visitar, além da estrutura religiosa", explica o diretor do Departamento de Estudos e Pesquisas do Ministério do Turismo, José Francisco de Salles Lopes.


Pelas estimativas da pasta, São Paulo concentrará o maior número de viagens, com 407.346. Também será o estado com o maior gasto, R$ 570,1 milhões. O Rio Grande do Sul aparece em segundo lugar em relação ao valor movimentado, estimado em R$ 489,4 milhões para 136.482 viagens.


Em relação o número de viagens, o Rio de Janeiro segue São Paulo, com 174.277 e um gasto estimado de R$ 292 milhões.estados do Nordeste também têm um peso significativo: juntos serão os responsáveis por aproximadamente R$ 1 bilhão movimentado. Somente a Bahia movimentará R$ 310,2 milhões em 163.778 viagens.


O consultor Diogo Duarte D'Alessandro, 34 anos, é um dos que está de viagem marcada no período. Ele mora em São Paulo com a esposa. Juntos, vão a Brasília para a Páscoa. "Além de a própria Páscoa ser um data familiar, vamos comemorar o aniversário da minha esposa e do meu pai", conta. O principal gasto que se prepara para ter é com alimentação. "Vou sair, encontrar os amigos", diz.


A projeção do Ministério do Turismo é com base no gasto médio e frequência de viagens em feriados nacionais. Foram usados os últimos dados anuais, de 2011, somados à inflação no período, que foi de cerca de 27%. Lopes explica serem dados inerciais, ou seja, sem influência de nenhum fator específico, e que podem variar.
De acordo com a pasta, os feriados impulsionam a economia turística e geram impacto em diversos setores, como a indústria de automóveis, setor aéreo, bares e restaurantes, hotelaria e serviços.

- Assuntos: Semana Santa, Páscoa, viagens, Ministério do Turismo, gastos

Coleta de dados para o Censo Escolar começa em 27 de maio pela internet

Andreia Verdélio - Repórter da Agência Brasil Edição: Juliana Andrade

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou o calendário para as duas etapas de coleta e atividades de execução do Censo Escolar da Educação Básica de 2015, que será feito pela internet, por meio do sistema Educacenso. A portaria com as informações foi publicada hoje (2) no Diário Oficial da União.

O período de coleta, digitação e envio de dados começa no dia 27 de maio com a abertura do sistema Educacenso. Diretores, responsáveis pela escola ou pelo sistema informatizado deverão inserir as informações até o dia 31 de julho. Os dados preliminares devem ser enviados pelo Inep ao Ministério da Educação até 26 de agosto.

Após a publicação dos dados preliminares no Diário Oficial da União, os diretores das escolas terão até 30 dias para fazer a conferência e retificação, se for o caso, de erros de informações, diretamente no Educacenso. Essa etapa é apenas para correção de erros e não para inserção de novas informações caso o responsável pela escola não tenha preenchido os dados no período de coleta.

O envio do número de matrículas presenciais efetivas em cada estado, município e no Distrito Federal será feito pelo Inep até 30 de novembro, e a divulgação dos resultados finais está marcada para 29 de janeiro de 2016.

A segunda etapa do Censo Escolar começará em 1º de fevereiro de 2016, com a abertura do módulo Situação do Aluno no Educacenso, para entrada de dados de rendimento e movimento escolar dos alunos declarados ao Censo Escolar 2015. Diretores e responsáveis pela escola deverão inserir esses dados até 18 de março de 2016.

A disponibilização das taxas de rendimento e dos relatórios por escola para conferência será feita pelo Inep em 1º de abril de 2016. Os erros serão corrigidos pelos gestores até 15 de abril de 2016.

Os dados finais sobre o rendimento e movimento escolar de 2015 serão divulgados pelo Inep no dia 6 de maio de 2016.

- Assuntos: Censo Escolar da Educação Básica, Inep, MEC

Governo determina ressarcimento de bens danificados por rompimento de adutora


O Governo do Estado determinou que a concessionária CCR Metrô Bahia garanta o ressarcimento de todos os bens de imóveis localizados próximos à BR-324, na altura da Jaqueira do Carneiro, danificados em razão do rompimento da adutora de água localizada na região, na manhã desta quarta-feira (1).

Equipes da Superintendência de Proteção e Defesa Civil do governo, vinculada à Casa Civil, e do serviço social da Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur), estão realizando o levantamento dos bens danificados para que a CCR faça a aquisição e distribuição à comunidade afetada.

Segundo o secretário estadual Bruno Dauster (Casa Civil), o Governo da Bahia, desde o primeiro momento, já toma as providências cabíveis para amenizar os danos sofridos pela população. "Nossa prioridade, agora, é normalizar o abastecimento de água e cuidar das pessoas que foram atingidas. Estamos empenhados e assumimos o compromisso de devolver à população aquilo que foi perdido o mais breve possível".

Funcionários da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) estão no local para restabelecer o fornecimento de água o quanto antes. Nesse período, a Embasa priorizará o abastecimento de hospitais, creches e escolas. O serviço de atendimento ao cliente é feito pelo telefone 0800 0555 195.

Secom Bahia

Inema passa a utilizar nova ferramenta de gestão dos recursos hídricos


O Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), vinculado à Secretaria do Meio Ambiente (Sema), formalizou, junto à Agência Nacional de Águas (ANA), a adesão ao Cadastro Nacional de Usuários de Recursos Hídricos (CNARH). Com a medida, o Inema passa a utilizar como ferramenta de cadastro o CNARH40, modalidade de uso exclusivo do órgão ambiental, para a inclusão e gestão dos dados de usuários de recursos hídricos. Conforme a Política Estadual de Recursos Hídricos (Lei n° 11.1612/2009), o cadastro é um pré-requisito à solicitação de regularização de uso de recursos hídricos, a exemplo da Outorga de Direito de Uso e a Dispensa de Outorga.

O cadastro de usuários de recursos hídricos é uma ferramenta que favorece o monitoramento do uso, controle e fiscalização, e para fins de defesa da segurança, da saúde pública e da solução de conflitos de uso da água - tema bastante atual no cenário baiano, a exemplo do município de Lapão, que vivenciou em outubro de 2008 rachaduras em ruas e em propriedades rurais decorrente da exploração indiscriminada das águas subterrâneas.

Na época, o governo do Estado realizou o Cadastro de Usuários de Recursos Hídricos na sub-bacia hidrográfica do riacho do Juá, ação que identificou de forma mais clara o uso e a ocupação do solo da referida área e contribuiu para os estudos realizados sobre o aquífero cárstico da região do município. O resultado da atividade demonstrou o uso de volume de água declarado 2,65 vezes maior que a disponibilidade hídrica do aquífero.

Atualmente, existe uma demanda para a gestão de conflito dos usos da água do rio Paramirim, no trecho entre as cidades de Paramirim e Caturama, região centro-sul da Bahia. Para o reconhecimento mais detalhado dos usos e estimativa de vazão utilizada, o cadastro surge como a alternativa viável que vai fundamentar a análise e tomada de decisões futuras sobre a situação.

Secom Bahia

Dilma concede entrevista a jornal chinês

Paulo Victor Chagas – Repórter da Agência Brasil Edição: José Romildo

A presidenta Dilma Rousseff deve passar o dia de hoje (2) e o feriado da Semana Santa no Palácio da Alvorada, em Brasília. Nesta manhã, ela concedeu entrevista ao China Business News, impresso chinês voltado ao mercado financeiro. Logo depois, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, entrou na residência oficial da Presidência, para uma reunião com Dilma.

Os ministros da Casa Civil, Aloizio Mercadante, da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rossetto, e da Secretaria de Relações Institucionais, Pepe Vargas, permanecem hoje (2), em Brasília, em despachos internos no Palácio do Planalto. Eles não têm compromissos oficiais agendados para a sexta-feira nem para o fim de semana. O vice-presidente da República, Michel Temer, também não tem compromissos para sexta-feira nem para o fim de semana.

- Assuntos: entrevista, jornal chinês, Dilma Rousseff

Incêndio atinge tanques de combustível em Santos

Flávia Albuquerque - Repórter da Agência Brasil Edição: José Romildo

Tanques de combustível de uma empresa do bairro da Alemoa, em Santos, na Baixada Santista, estão pegando fogo desde as 10h da manhã, de acordo com informações do Corpo de Bombeiros. O local atingido pertence à empresa Ultracargo, que movimenta produtos químicos, combustíveis, óleos vegetais, etanol e corrosivos.

Encontram-se no local oito viaturas do Corpo de Bombeiros que tentam controlar o incêndio. Viaturas de outras cidades da região estão sendo enviadas para reforçar o trabalho, além do navio Governador Fleury, do próprio Corpo de Bombeiros. A embarcação retira água do canal do porto para combater o incêndio.

Equipes do Corpo de Bombeiros trabalham também para resfriar os tanques de outros terminais para evitar que sejam atingidos.

- Assuntos: incêndio, santos, São Paulo, Corpo de Bombekiros

Anvisa suspende venda de produtos de empresa sem registro

Aline Leal - Repórter da Agência Brasil Edição: José Romildo

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu hoje (2) a fabricação, a distribuição, a divulgação, a comercialização e o uso dos produtos Unaro Pecan com Sucupira, Leite Pecan – Fast One e Sucmax Sucupira, fabricados pela empresa L.B. Caps Produtos Naturais.

Segundo a Anvisa, a decisão foi tomada porque os produtos não têm registro, notificação ou cadastro na agência reguladora. A empresa também não tem autorização de funcionamento. As unidades dos produtos que forem encontradas no mercado devem ser apreendidas e inutilizadas.

- Assuntos: L.B. Caps Produtos Naturais, sucupira, Anvisa, proibição

Encontrada segunda caixa-preta de avião que caiu nos Alpes franceses

Da Agência Lusa Edição: Nádia Franco

A segunda caixa-preta com o registro dos instrumentos de voo do avião da companhia Germanwings, que caiu na semana passada na região dos Alpes franceses, foi encontrada hoje (2), anunciaram os investigadores.

Com a segunda caixa-preta, as autoridades esperam conseguir saber mais pormenores sobre a queda do avião. O gravador de voz já foi encontrado e sugere que o copiloto, Andreas Lubitz, agiu deliberadamente, provocando a queda do Airbus A320 que fazia o percurso Barcelona-Düsseldorf.

Estavam no avião da companhia Germanwings, uma filial da Lufthansa, 142 passageiros e seis tripulantes. Todos morreram no acidente, ocorrido no dia 24 de março.

- Assuntos: Caixa-Preta, Alpes franceses, Acidente com avião

Em entrevista, Dilma diz que confia na recuperação da Petrobras

Paulo Victor Chagas – Repórter da Agência Brasil Edição: Nádia Franco

Dilma:  não  haverá  redução  na  política  social

A presidenta Dilma Rousseff disse acreditar que a Petrobras voltará a receber maior volume de capitais, após superar o “processo de descoberta da corrupção”.

Em entrevista à agência norte-americana de notícias Bloomberg, divulgada pelo Palácio do Planalto, ela disse também que o “grande corte” a ser promovido pelo governo se dará fundamentalmente na máquina pública e prometeu fazer tudo para atingir o superávit primário de 1,2% do Produto Interno Bruto (PIB - soma das riquezas produzidas no país). Superávit primário é a economia que o governo faz para pagar os juros da dívida pública.

Na entrevista, concedida terça-feira (31), Dilma admitiu que ainda haverá dificuldades, mas reafirmou a solidez dos fundamentos macroeconômicos do país. “Não é só uma questão de crença, é de ação política. Nós sabíamos que os resultados de janeiro e fevereiro não seriam bons. Eu acho que inclusive o mercado já esperava um pouco isso. Acreditamos que ainda vamos ter um período de dificuldades, mas o Brasil tem uma situação de solidez bastante grande, nos seus fundamentos macroeconômicos.”

De acordo com a presidenta, depois que tiver novamente acesso ao mercado de capitais, a Petrobras poderá receber os investimentos de que precisa, já que tem uma “imensa capacidade”. “A Petrobras, inclusive, em alguns momentos, era empresa para a qual todo mundo queria emprestar. A Petrobras vai distribuir dividendos. Ela, neste processo de agora, de descoberta da corrupção, tem condições de passar por isso e superar”.

Dilma ressaltou que as “medidas drásticas” que a estatal terá de tomar foram também adotadas internacionalmente por outras empresas que enfrentaram situações similares. Segundo ela, a Petrobras terá, então, “uma gestão muito melhor”, “melhores práticas” e “capacidade de se alavancar novamente”.

A presidenta disse que não viu “sequer um sinal” dos atos de corrupção que ocorriam entre funcionários da empresa e de empreiteiras e políticos, e que os indícios foram descobertos por uma investigação da Polícia Federal e do Ministério Público. Quanto às construtoras citadas nas investigações como participantes de cartel e desvio de recursos públicos, Dilma afirmou que não são todas as empreiteiras brasileiras que estão envolvidas. “Algumas vão ter de fazer acordo de leniência. Agora, eu não acho que isso impeça o investimento.”

Quanto às medidas de ajuste fiscal, Dilma declarou que os cortes serão “fundamentalmente no custeio e no enxugamento da máquina”. Ela ressaltou que que o problema não será resolvido com cortes em pessoal e que será preciso racionalizar gastos, "defasar outros" e criar vários mecanismos.

"Essa é a parte com a qual o governo entra, porque todo mundo tem de entrar com um pedaço. O nosso pedaço, quero avisar, vai ser grande. Vamos fazer um grande corte, um grande contingenciamento orçamentário." Ela enfatizou que não haverá redução na política social. "[Isso] porque não é ela que é responsável pela grande maioria dos gastos. O que nós vamos fazer é um enxugamento em todas as atividades administrativas do governo, um grande enxugamento.”

Sobre o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, a presidenta disse que ele é “muito importante para o Brasil hoje” e que tem muita firmeza. Dilma voltou a comentar declarações de Levy sobre a atuação dela na condução do ajuste. “O que o ministro Joaquim Levy disse: 'você, não necessariamente, tem uma única forma de chegar a uma medida. Às vezes, eu até prefiro a mais rápida, eu prefiro pelo meu jeito de ser, mas nem sempre essa é a melhor medida, às vezes politicamente você tem de construir um outro caminho e, neste, tem necessidade de refazer o processo, de fazer o processo você tem várias passagens.'” Ela acrescentou que esse tipo de prática não deve ocorrer somente na aplicação do ajuste econômico.

Dilma afirmou também que, depois que o ajuste for aprovado, pretende fazer algumas medidas microeconômicas, e citou a estrutura tributária como “não eficiente” e “complexa”. “Um dos motivos pelos quais fazer bitributação, acordo de bitributação no Brasil é difícil é por causa dessa estrutura, que é uma estrutura muito burocratizada, cheia de detalhes. Nós queremos visitar por exemplo, a cumulatividade de impostos e mudar isso. Nós queremos racionalizar a estrutura tributária brasileira. Além disso, nós temos também uma série de ações na área da desburocratização.”

- Assuntos: Dilma Rousseff, Bloomberg, Petrobras, corrupção, máquina pública, ajuste, política social

Negociações sobre programa nuclear do Irã continuam hoje na Suíça

Da Agência Brasil* Edição: Denise Griesinger

As negociações em Lausanne, na Suíça, entre a comunidade internacional e o Irã sobre o programa nuclear de Teerã continuaram hoje (2). Segundo a Agência Lusa, o ministro dos Negócios Estrangeiros alemão, Frank-Walter Steinmeier, cancelou uma viagem que faria aos países bálticos, para tentar finalizar as discussões na Suíça.

Ontem (1º) o chefe da diplomacia da Rússia, Serguei Lavrov, assegurou que o grupo 5+1 – formado por Estados Unidos, Rússia, China, França, Reino Unido e Alemanha – chegou a um acordo nuclear, pelo menos nos temas chave, com o Irã. "Agora, pode-se anunciar com confiança suficiente que os ministros alcançaram um acordo nos principais temas”, disse Lavror aos jornalistas.

O prazo para a obtenção de um compromisso nas negociações sobre o desenvolvimento nuclear iraniano tinha sido fixado até a última terça-feira (31). O prazo expirou, mas várias delegações disseram que tinham feito progressos suficientes para continuar as discussões.

O receio da comunidade internacional é que o Irã possa desenvolver armas atômicas com o pretexto de um programa nuclear civil. O país, no entanto, nega que os fins sejam bélicos e insiste no direito de usar a energia nuclear para fins pacíficos.

Mesmo depois das declarações da Rússia referentes a um acordo, ao menos nos temas principais, o ministro da Defesa iraniano, Hossein Dehgan, classificou hoje de "velhas" e "repetidas" as “ameaças” dos Estados Unidos sobre a permanência da “opção militar”, no caso de não se chegar a um acordo definitivo sobre o programa nuclear do Irã.

Isso porque o secretário de Defesa americano, Ashton Carter, havia dito, em um programa de televisão, que “a opção militar vai continuar em cima da mesa”, se não se alcançar um acordo entre o Irã e os países do Grupo 5+1 para impor um limite ao desenvolvimento nuclear iraniano.

Para o ministro iraniano, tais afirmações têm como único objetivo "corromper a atmosfera racional" das negociações, em um "momento sensível e complicado".

*Com informações da Agência Lusa

- Assuntos: programa nuclear, 5+1, Irã, negociações, Suíça

LEIA O QUE TOCA

Clique Aqui
Califórnia enfrenta seca histórica com racionamento de água
O governador da Califórnia, nos Estado Unidos, Jerry Brown, anunciou racionamento do consumo de água, o primeiro no estado, para combater uma seca devastadora, que é a pior na história da estiagem da região. O objetivo é atingir uma reduçã...

Falta de água pode afetar mais | de 100 cidades nordestinas
Mesmo com as chuvas durante o verão, muitos reservatórios do país continuam em estado de alerta. Segundo o ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, 56 cidades do Nordeste estão em situação de “colapso” no abastecimento de água...


Receita investiga 100 contas de brasileiros no HSBC da Suíça
Dos 342 nomes de pessoas que teriam conta na Suíça, cerca de 100 já são preliminarmente investigadas pela Receita Federal.Nessa quarta-feira, o secretário da Receita, Jorge Rachid, afirmou à CPI do HSBC do Senado que identificou ao menos 100...

Saiba como escolher o peixe da Páscoa sem correr riscos
A Semana Santa para muitos brasileiros é sinônimo de peixe para a refeição. Mas é preciso que os consumidores tenha cuidado na hora de comprar o produto. A temperatura e as características do pescado devem ser observadas.E quem vai comprar o...

Clique aqui




Camex isenta de imposto a importação da vacina contra HPV

Mariana Jungmann – Repórter da Agência Brasil Edição: Nádia Franco

A Câmara de Comércio Exterior (Camex) aprovou resolução que iisenta de imposto a importação da vacina contra o HPV. A decisão atende a solicitação do Ministério da Saúde, que tem feito campanhas de vacinação contra o vírus entre meninas com idade entre 9 e 13 anos, em todo o país.

“A redução [da alíquota do Imposto de Importação] é necessária até que a vacina passe a ser produzida no Brasil pelo Instituto Butantan, que está inserido no programa Parceria para o Desenvolvimento Produtivo (PDP) do Ministério da Saúde”, explicou a assessoria do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, ao qual é vinculada a Camex.

O HPV é o principal responsável por casos de câncer de colo do útero, doença que representa hoje a segunda principal causa de morte por neoplasias entre mulheres no Brasil. Como ele é transmitido principalmente por via sexual, o objetivo do ministério é reduzir a incidência de casos nas próximas décadas com a vacinação das meninas antes do início da vida sexual.

Antes da redução  a zero, a alíquota do Imposto de Importação para a vacina era 2%. A resolução da Camex foi publicada hoje (1º) no Diário Oficial da União e já está valendo.

- Assuntos: HPV, vacina, imposto de importação, CAMEX, Câncer de colo do útero

Especialistas criticam admissibilidade de redução de maioridade penal

Marcelo Brandão - Repórter da Agência Brasil Edição: Fábio Massalli

A admissibilidade da redução da maioridade penal de 18 para 16 anos, decidida pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, encontra resistência entre juristas. Para eles, a maioridade penal é uma cláusula pétrea. Na opinião do professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV) Direito Rio, Thiago Bottino, apesar de não constar do Artigo 5º da Constituição Federal, a definição de maioridade é imutável.

“A questão a menoridade está no Artigo 228, mas eu entendo que isso não pode ser alterado. Temos na Constituição cláusulas pétreas, que são determinados direitos e garantias que não podem ser modificados. As cláusulas pétreas não estão apenas no Artigo 5º, existem outras com a mesma configuração. Entretanto, sei que isso é discutível, porque não é uma coisa expressa, é uma forma de ler a Constituição”, explicou.

A doutora em direito pela Universidade de Brasília (UnB) e professora de direito penal Soraia da Rosa Mendes segue o mesmo raciocínio. Além de frisar que existem cláusulas pétreas em outros artigos, Soraia lembra que o Brasil firmou compromissos com a comunidade internacional para proteger crianças e adolescentes. “O Brasil é signatário de tratados internacionais de proteção a crianças e adolescentes. O país não pode retroceder nesses tratados internacionais. Esse direito fundamental é a maioridade aos 18, levando em consideração todo o complexo de normas que constam no nosso ordenamento jurídico.”

Os dois especialistas também discordam da ideia de que reduzir a maioridade penal para 16 anos vá trazer benefícios à sociedade. Para Soraia, aumentar o número de leis que repreendam cada vez mais os infratores não tem dado resultado. “Não é porque o legislador definiu um novo comportamento como crime, que a pessoa vai pensar 'não vou mais cometê-lo'”. Na opinião dela, há um grande número de leis penais no Brasil e isso não tem garantido a redução da prática criminosa.

Bottino afirma que a Câmara dos Deputados tem adotado uma postura “populista” para responder às queixas da sociedade, sem observar se a medida terá efeitos práticos. “A população, de um modo geral, mostra-se mais favorável a essa redução sempre que é noticiado um crime envolvendo adolescentes. Essa medida é populista, no pior sentido da palavra, e não tem nenhuma relação direta com a finalidade que se busca”, diz o professor da FGV.

“Sou solidária à dor de qualquer família que perdeu entes queridos, mas não é possível fazer leis no clamor popular. Isso é populismo penal. Precisamos trabalhar de forma racional”, acrescenta Soraia.

A Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro  também criticou a decisão da CCJ. Em nota, a entidade diz que o caso “afronta as garantias constitucionais e o regramento jurídico previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente [ECA]”. A Defensoria Pública também diz que as crianças e adolescentes são mais vítimas do que infratores. Ela apresenta dados do Instituto de Segurança Pública (ISP) do Rio de Janeiro. Esses dados mostram que, no estado, em 2012, 26.689 crianças e adolescentes foram vítimas de violência, enquanto 3.466 foram autores de infrações.

Os dois juristas acreditam que levar infratores mais cedo ao sistema penitenciário brasileiro não resolve o problema. “Vamos jogar todos dentro desse sistema carcerário falido, que se reveste de características medievais?”, questionou Soraia. “Se você pegasse o dinheiro e colocasse essas pessoas em tempo integral na escola, sairia muito mais barato e teria resultados muito melhores. Não faz sentido gastar muito para chegar em um resultado pior”, opinou o professor da FGV.

A Defensoria Pública disse que vai atuar pela derrubada da proposta, que ainda precisa passar pelos plenários da Câmara e do Senado para ser aprovada. “Vamos intensificar a promoção de uma ampla campanha de esclarecimento da sociedade, como um todo, e do Congresso, em particular, sobre os graves riscos que esse retrocesso legal representa para o país.”

Matéria alterada às 20h17 do dia 01/04/2015 para correção de informação no sexto parágrafo.

- Assuntos: redução da maioridade penal, Fundação Getúlio Vargas, UnB, CCJ, Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, ECA

Associação de magistrados condena PEC que propõe redução da maioridade penal

André Richter - Repórter da Agência Brasil Edição: Fábio Massalli

A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) divulgou nota ontem (1º) para condenar a aprovação na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados do projeto de emenda à Constitução (PEC), que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos. Segundo a entidade, a proposta é inconstitucional e poderá aumentar os índices de criminalidade.

No entendimento do presidente da AMB, João Ricardo Costa, a redução é um retrocesso. Segundo ele, o Artigo 288 da Constituição Federal, que torna penalmente inimputáveis menores de 18 anos, não pode ser alterado, por tratar-se de cláusula pétrea.

"A redução da maioridade vai agravar o quadro de violência e de criminalidade no país, uma vez que o sistema carcerário brasileiro não ressocializa. Colocar adolescentes em presídios é devolver à sociedade jovens ainda mais violentos. É necessário que tenhamos políticas públicas para reduzir os crimes e garantir a segurança da população também por meio da ressocialização", avalia Costa.

Segundo a AMB, magistrados da entidade que atuam com crianças e adolescentes infratores também consideram um equívoco pensar que a redução da maioridade penal vai diminuir a criminalidade entre os adolescentes.

Ontem (31), a CCJ  aprovou a admissibilidade da proposta de Emenda à Constituição (PEC) 171/93 que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos. A partir de agora, uma comissão especial terá prazo de 40 sessões do plenário para dar seu parecer. Depois, a PEC será votada pelo plenário da Câmara em dois turnos. Para ser aprovada, a proposta precisa ter pelo menos 308 votos (três quintos dos deputados) em cada uma das votações.

Pela manhã, após participar de uma cerimônia em Brasília, o ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse que a redução não se trata de cláusula pétrea, no entanto, não deve ser vista como esperança para redução dos crimes, pois "cadeia não conserta ninguém".

- Assuntos: redução da maioridade penal, CCJ, AMB

Banco de fomento à infraestrutura da Ásia já conta com 49 países interessados

Da Agência Lusa

Mais de dez países da União Europeia aderiram ao novo banco internacional proposto pela China e encarado, inicialmente em Washington, como um desafio à ordem financeira mundial.

Segundo anunciou hoje (2) a Televisão Central da China (CCTV), 49 países já aderiram ou pediram a adesão ao Asian Infrastruture Investment Bank (AIIB), mas "contando com os pedidos de adesão de última hora, o número deverá exceder os 50", disse um diplomata europeu à agência Lusa.

Na quarta-feira (1°), um dia depois do prazo limite fixado pelos 21 primeiros proponentes do AIIB, a imprensa oficial chinesa contabilizou 46 países interessados.

Aquele número, contudo, não incluía os últimos pedidos que, devido ao fuso horário, não entraram na conta. Os pedidos de adesão de Portugal, Islândia e Israel, por exemplo, só foram anunciados hoje (2) na imprensa chinesa.

Com um capital inicial de US$ 50 bilhões de dólares e sede em Pequim, o AIIB – lançado em outubro passado na capital chinesa por 21 países asiáticos - deverá ser formalmente estabelecido até ao final deste ano.

A iniciativa foi vista, em Washington, como um desafio à ordem financeira instituída após a 2ª  Guerra Mundial sob a hegemonia dos Estados Unidos e da Europa ocidental, para tentar criar uma alternativa ao Banco Mundial e ao Fundo Monetário Internacional.

Mas em meados de março, o Reino Unido anunciou adesão ao AIIB e, a seguir, as maiores economias europeias, entre as quais Alemanha, França e Itália, fizeram o mesmo.

Austrália, Áustria, Brasil, Coreia do Sul, Dinamarca, Egito, Espanha, Finlândia, Holanda, Luxemburgo, Rússia, Suécia e Suíça também já aderiram.

A própria Noruega, país com o qual a China mantém relações frias desde a atribuição do Prêmio Nobel da Paz ao dissidente chinês preso Liu Xiaobo, em 2010, pediu igualmente para aderir.

Entre as maiores economias mundiais, apenas os Estados Unidos e o Japão continuam de fora, apesar de Washington já ter manifestado disponibilidade para acolher o novo banco.

"Os Estados Unidos estão prontos para receber novas contribuições para o desenvolvimento da arquitetura internacional, incluindo o AIIB, desde que essas instituições completem as instituições financeiras internacionais existentes, compartilhem o forte empenho da comunidade internacional para um processo genuíno de decisão multilateral e melhorem os padrões e garantias dos empréstimos", disse o secretário norte-americano do Tesouro, Jacob Lew, na quarta-feira, após uma visita de dois dias a Pequim.

Bangladesh, Birmânia, Brunei, Cambodja, Cazaquistão, China Filipinas, Índia, Indonésia, Kuwait, Laos, Malásia, Mongólia, Nepal, Omã, Paquistão, Qatar, Singapura, Sri Lanka, Tailândia, Uzbequistão e Vietname foram os primeiros 21 proponentes do AIIB.

O número de fundadores subiu para 31, incluindo a Alemanha, Indonésia e Nova Zelândia. Até ao próximo dia 15 de abril, será anunciado o número oficial de fundadores.


- Assuntos: Asian Infrastruture Investment Bank (AIIB), China, Washington

Grupo extremista mata pelo menos 15 e mantém reféns em universidade queniana

Da Agência Lusa Edição: Denise Griesinger

O grupo extremista islâmico somali Shebab reivindicou o ataque hoje (2) contra o Centro Universitário de Garissa, no Quênia, que fez pelo menos 15 mortos. “O Quênia está em guerra com a Somália (…). Os nossos homens estão ainda no interior e em combate. A sua missão e de matar aqueles que são contra os Shebab”, declarou por telefone um porta-voz do grupo islâmico, Cheikh Ali Mohamud Rage.

Um número indeterminado de estudantes continua retido no interior da Universidade de Garissa, no Leste do Quênia a cerca de 150 quilômetros da fronteira com a Somália, na sequência de um ataque de homens armados.

De acordo com a Cruz Vermelha queniana, os atacantes ocuparam e controlam os edifícios da residência universitária, onde moram centenas de estudantes. "Cinquenta estudantes foram libertados", acrescentou a organização em comunicado, sem explicar as circunstâncias da libertação.

As forças de segurança quenianas lançaram uma operação para capturar os atacantes.

O Centro de Operação de Desastres local informou, através de sua conta na rede social Twitter, que um grupo de homens armados atacou a universidade de Garissa, por volta das 05:30 locais (23h30 de ontem, no horário de Brasília), quando os atacantes entraram nas instalações universitárias e começaram a disparar indiscriminadamente e detonaram vários engenhos explosivos.


- Assuntos: Somália, Quênia, Universidade de Garissa, reféns, grupo Shebab

Crianças com deficiência visual têm acesso a clássicos da literatura infantil

Da Agência Brasil Edição: Denise Griesinger

Aos 8 anos, Luiz Eduardo já tem seu livro preferido, que leu sozinho: Robin Hood. Ele conta a história “de como o Robin se tornou um fora da lei” para a família, amigos e colegas na escola. Eduardo é cego, aprendeu a ler em braille há dois anos e agora tem acesso a clássicos da literatura infantil produzidos especialmente para crianças cegas ou com pouca visão.

No dia Dia Internacional do Livro Infantil, lembrado hoje (2), a mãe de Eduardo, Janaina Chaves, comemora a autonomia do filho. “Ele mesmo pega o livro, interpreta, cria suas fantasias. Não precisa de ajuda de ninguém. Pelo contrário, conta a história para nós”. O livro faz parte da coleção Clássicos Acessíveis, produzida pela Fundação Dorina Nowill.

Depois de ler Robin Hood, Luiz Eduardo já pegou emprestado o livro João e Maria em uma biblioteca de Brasília que recebeu exemplares da coleção. “Eu ouvia muitas história, que outras pessoas liam, mas gosto de ler sozinho. A professora pediu para todos o lerem um livro na sala e eu eu contei a história do Robin”. Ele estuda no 3º ano, em uma escola regular do Distrito Federal.

Pai de uma menina de 6 anos, Edson Pereira é cego desde os 12. Para ele, compatilhar a leitura com a filha, que não é deficiente visual, é o mais importante. “É uma forma de compartilhar as mesmas histórias, os mesmos assuntos com as crianças que enxergam, que estão na sala comum. Eu, como pai cego, posso mostrar a história para minha filha. É um momento único”.

Coordenadora na Fundação Dorina Nowill, Regina Oliveira explica que o objetivo da coleção é fazer com as crianças cegas leiam com a amigos, professores e com os pais. Lançados no final de março, os livros foram distribuídos gratuitamente em bibliotecas, escolas públicas e instituições que atuam com o público com deficiência visual em todo o Brasil.

“São dez títulos que todo mundo conhece, que lemos na infância, mas só agora adaptamos em formato acessível. A gente colocou ilustrações em relevo e audiodescrição, em um CD, como as informações das cores, dos personagens”, afirmou Regina. Chapeuzinho Vermelho, Branca de Neve, Bela Adormecida, Cinderela, João e o Pé de Feijão, Os Três Porquinhos, Peter Pan e Rapunzel também foram adaptados.

Ler com a família e amigos, na escola e em casa, é fundamental para a formação de jovens leitores, na opinião da escritora Alessandra Roscoe. Com 25 livros infantis publicados e mãe de  três filhos, ela acredita que uma relação prazerosa das crianças com a leitura é a principal forma de aproximar os pequenos dos livros.

“A criança tem que ter acesso, poder manusear. Tem que fazer do livro, às vezes, até um brinquedo. Isso cria na criança uma atitude amorosa com a leitura. Uma leitura partilhada, em voz alta, é fundamental, porque é um momento que o pai está se dedicando ao filho e a criança sente a importância do momento”, disse Alessandra.

- Assuntos: Dia Internacional do Livro Infantil

Segurança Pública é destaque em premiação de Carnaval

Foto: Raul Golinelli/GOVBA
Secretário de Segurança, Maurício Barbosa, recebe homenagem

Responsável por eleger os melhores artistas do Carnaval de Salvador há 22 edições, este ano, o Troféu Dodô e Osmar mudou o formato e incluiu a categoria Serviço Público Destaque. Foram avaliados itens como banheiros químicos, limpeza das ruas, transporte, organização geral da festa e segurança, que foi destaque na opinião dos entrevistados.

Coube ao cantor Reinaldo (Terra Samba) e aos vocalistas do É o Tchan!, Compadre Washington e Beto Jamaica, entregarem o troféu ao secretário de Segurança Pública do Estado, Maurício Barbosa, que agradeceu ao governador Rui Costa pela confiança depositada na equipe que teve mais de 85% de aprovação popular. "[Este prêmio] é um reconhecimento pelo esforço de quase 23 mil profissionais. [É resultado] do empenho, do aprimoramento que vem sendo feito há décadas. Não se faz um carnaval com dois milhões de pessoas sem segurança. Uma segurança pública qualificada e voltada para este evento [o carnaval]. Uma referência para outros países. Vamos continuar trabalhando para fazer um carnaval ainda melhor em 2016".

Na oportunidade, o secretário estadual do Turismo, Nelson Pelegrino representou o governador Rui Costa e ressaltou a importância da premiação. "A característica fundamental deste troféu é que o povo é quem fala. É quem está na rua no momento mais importante [para avaliar], sentindo o melhor do carnaval para opinar", comentou Nelson.

Grandes nomes da Axé Music abrilhantaram o evento que, por meio de músicas e vídeos, contou a história dos 30 anos do gênero. Daniela Mercury avalia como pertinente a possibilidade de premiar também os serviços públicos. "Sem a infraestrutura [disponibilizada pelo poder público] não poderíamos fazer um carnaval mais acolhedor, melhor para o turismo da Bahia, já que [o Carnaval] se tornou algo profissional".

Entre os artistas e entidades que foram destaques no Carnaval 2015 e receberam o troféu, está o bloco afro Ilê Aiyê. "Quero agradecer ao governo federal, através da Petrobras, e ao Governo do Estado pelo patrocínio que nos viabilizou sair no carnaval", afirmou o diretor do Ilê, Osvalrízio do Espírito Santo, ao receber o troféu.

Os demais prêmios foram de Cantor Destaque (Márcio Victor), Cantora Destaque (Ivete Sangalo), Banda Destaque (Psirico), Sucesso do Carnaval (Tem Xenhenhem), Bloco de Carnaval (Cerveja & Cia e As Muquiranas), Bloco de Samba (Alerta Geral), Camarote Destaque (Salvador) pelo júri popular.

Já o júri técnico elegeu os melhores figurinos (Claudia Leitte e Daniela Mercury), artista revelação feminino (Vina Calmon), artista revelação masculino (Igor Kannário), melhor fantasia de bloco afro (Cortejo Afro) e o momento do Carnaval 2015 (Igor Kannário no Campo Grande).

Secom Bahia

Investigadores franceses fazem apelo por imagens do acidente aéreo com Airbus

Da Agência Lusa Edição: Denise Griesinger

O procurador francês encarregado da investigação criminal sobre a queda do Airbus A320 da Germanwings pediu hoje (1°) para quem tiver vídeos relacionados com o desastre aéreo, que os envie aos investigadores. "Caso alguma pessoa tenha esse vídeo, ela deve entregá-lo sem demora aos investigadores”, disse Brice Robin em comunicado.

O procurador negou que "no estado atual das investigações figure no inquérito um ou mais vídeos sobre a queda do Airbus A320". A existência de um vídeo com os últimos momentos antes do embate do A320 da Germanwings filmados por um ‘smartphone’ foi mencionada pelos jornais Paris-Match e Bild na noite de terça-feira (31).

Segundo a publicação francesa, que teve acesso às imagens do vídeo, a cena “caótica” não permite reconhecer ninguém, mas é possível ouvir os gritos dos passageiros e as palavras “Meu Deus”, em várias línguas.

Na noite de terça-feira, o tenente-coronel Jean-Marc Menichini, da polícia francesa, disse que essas alegações são "completamente falsas", em declarações à emissora CNN. Ele disse também que os celulares recolhidos no local do acidente não foram "ainda explorados" pelos investigadores.

Os apareclhos celulares devem ser enviados para análise no Instituto de Investigação Criminal da Polícia Nacional em Rosny-sous-Bois, perto de Paris, disse o tenente-coronel Menichini.

O acidente aéreo ocorrido em 24 de março nos Alpes franceses causou 150 mortes. O copiloto do avião, Andreas Lubitz, é apontado como tendo provocado intencionalmente a queda do aparelho.

- Assuntos: Germanwings, aciente aéreo, investigação

A partir de hoje, empregador terá de pedir seguro-desemprego pela internet

Da Agência Brasil Edição: Denise Griesinger

PrevidênciaArquivo/Agência Brasil

A partir desta quarta-feira (1º), os empregadores só poderão preencher o requerimento do seguro-desemprego e de comunicação de dispensa de trabalhadores por meio da internet. A medida pretende tornar mais rápido o atendimento e dar maior segurança às informações sobre os empregados, segundo o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Antes, a documentação era preenchida pela empresa (em guias verde e marrom) e entregue pelo trabalhador na hora de requerer o benefício. Esses formulários impressos não serão mais aceitos.

Com a resolução do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador, as empresas deverão preencher os requerimentos apenas por meio do aplicativo Empregado Web, disponível no Portal Mais Emprego, do ministério. O dispositivo online já era utilizado, mas passou a ser obrigatório.

De acordo com o MTE, o sistema dará mais velocidade à entrega do pedido, além de garantir a autenticidade dos dados e possibilitar o cruzamento de informações sobre os trabalhadores em diversos órgãos, facilitando consultas necessárias para a liberação do benefício.

Segundo o ministro do Trabalho, Manoel Dias, todos os serviços prestados aos empregadores e trabalhadores já estão informatizados. “Estamos incluindo a biometria no recebimento do fundo de garantia, para garantir que não haja fraudes. São 12 programas que desenvolvemos, culminando até o final do ano com um cartão eletrônico. A carteira de trabalho passaria a ser, então, um cartão eletrônico”, adiantou o ministro.

Em uma agência de atendimento ao trabalhador em Brasília, a medida não era conhecida por todos e dividiu opiniões. Apesar de trabalhar no departamento de recursos humanos de uma empresa, Camila Moura ainda não sabia das mudanças. Ela acredita que a resolução vai acelerar o processo de requerimento do seguro-desemprego.

“Não tem nenhum cartaz com o aviso, nenhum atendente informou que iria ter essa mudança e as empresas não receberam um comunicado sobre isso. Mas eu acho positivo, porque tem gente passa muito tempo na fila e vai ficar mais rápido”, disse Camila.

O lavrador Evandro de Castro, que estava solicitando o seguro-desemprego, já sabia das mudanças. “É uma facilidade a mais para o trabalhador e para a empresa, mas não poderia ser obrigatoriamente pela internet, porque algumas pessoas não têm e não sabem usar”, afirmou.

No final de fevereiro, novas regras de concessão do seguro-desemprego entraram em vigor. A Medida Provisória (MP) 665 estabeleceu que tem direito ao seguro-desemprego o trabalhador dispensado que comprove ter recebido salário há pelo menos 18 meses nos últimos 24 meses imediatamente anteriores à data do desligamento, na primeira solicitação. Pela legislação anterior, esse prazo era seis meses. Na segunda solicitação, a exigência cai para um ano e a partir da terceira vez, não há alteração.

A MP 665 também alterou regras para o seguro-desemprego de pescador artesanal e do abono salarial. Já a MP 664 alterou regras sobre os benefícios de auxílio-doença e pensão por morte. As medidas ainda precisam ser votadas pelo Congresso Nacional.



- Assuntos: trabalhador, Ministério do Trabalho e Emprego, Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador

Anac recomenda que aviões tenham duas ou mais pessoas na cabine de comando

Marcelo Brandão - Repórter da Agência Brasil Edição: Aécio Amado

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) divulgou hoje (31) uma recomendação às empresas aéreas para que as cabines de comando dos aviões tenham, pelo menos, duas pessoas autorizadas. Uma delas, diz a Anac, deve ser sempre um piloto.

“A Agência Nacional de Aviação Civil recomendou aos operadores de empresas de transporte aéreo de passageiros, regidas pelo RBAC121, a implementar procedimentos que assegurem a permanência de pelo menos duas pessoas autorizadas na cabine de comando, em todos os momentos do voo, sendo que pelo menos uma delas seja sempre um piloto”, diz a nota.

A recomendação ocorre após o acidente com o avião da empresa Germanwings, que caiu nos Alpes franceses no dia 24 de março. As investigações têm apontado que o co-piloto estava sozinho na cabine no momento da queda. Outros dados apontam, ainda, que ele trancou a cabine e provocou, deliberadamente, a queda da aeronave.

“Essa recomendação está em consonância com a de outras autoridades reguladoras da aviação civil do mundo, com base nas informações atualmente disponíveis sobre o acidente com o voo 4U9525, da empresa Germanwings, ocorrido no último dia 24/03, e enquanto se aguarda o resultado final das investigações técnicas”, completou a Anac.

A agência ressaltou ainda que, dependendo dos resultados das investigações do acidente na França, a recomendação poderá ser revista.

- Assuntos: Anac, Empresas aéreas, recomendação