Chefes árabes defendem força militar conjunta de combate ao terrorismo

Da Agência Lusa

Os chefes dos Estados árabes defenderam hoje (28), no primeiro dia da Reunião de Cúpula da Liga Árabe, no Cairo, a criação de uma força militar conjunta para combater os grupos terroristas, considerando como um teste a operação militar no Iêmen.

Depois de várias semanas com a criação de uma força militar conjunta entre as prioridades do encontro, o presidente egípcio, Abdel Fattah Al Sissi, convidou os líderes a constituir força especial para lutar contra a organização extremista autointitulada Estado Islâmico).

A organização tem intensificado as atrocidades no Iraque e na Síria e conquistado terreno na Líbia e no Egito.

Para os chefes de Estado reunidos no Egito, mais do que o medo em relação aos rebeldes xiitas hutis no Iêmen, há grande apreensão quanto ao rival xiita Irã e à sua atitude expansionista e de controle da região.

A atual situação no Iêmen, onde ocorre uma operação militar que envolve a Arábia Saudita e vários países árabes, leva esses países a superar as suas diferenças e a avançar com a criação de uma força especializada para combater o terrorismo islamita.

Hoje, 14 corpos carbonizados foram retirados de um depósito de armas em Aden, o que eleva o número de mortos para mais de 75 em três dias nessa aldeia do sul do Iêmen.

"Potentes explosões ocorreram hoje à tarde em um depósito de armas", disse à agência AFP o diretor do Departamento de Saúde em Aden, Al Kheder Lassouar.

“Nós retiramos 14 corpos carbonizados e há outros cadáveres no interior do depósito a que ainda não tivemos acesso”, acrescentou.

- Assuntos: Cúpula do Cairo, força militar, terrorismo, combate

Boko Haram é suspeito de 23 decapitações no Nordeste da Nigéria

da Agência Lusa Edição: Graça Adjuto

O grupo extremista islâmico radical Boko Haram é suspeito da decapitação de 23 pessoas nessa sexta-feira (27), véspera das eleições, em Buratai, no Nordeste da Nigéria, assim como de incendiar casas na localidade, informou um deputado federal à AFP.

Os ataques teriam ocorrido no fim da tarde na região, no dia em que milhões de nigerianos foram chamados a votar nas eleições presidenciais e legislativas do país.

“Houve um ataque em Buratai, na noite de sexta-feira, feito por homens armados suspeitos de serem insurgentes. Decapitaram 23 pessoas e incendiaram casas”, declarou Mohammed Adamu, que representa a região.

Uma enfermeira do hospital mais próximo, em Biu, declarou que 32 feridos que receberam assistência médica também relataram decapitações durante o ataque.

Hoje, vários ataques foram feitos por grupos islamistas radicais em seções de voto no país, deixando pelo menos sete mortos, segundo números da AFP.

Os extremistas armados dispararam contra os locais de votação e as filas de eleitores que aguardavam a vez de votar.

Algumas seções reabriram depois dos ataques, mas outras permaneceram fechadas, segundo relatos de testemunhas. Muitas pessoas fugiram, assustadas e não regressaram.

Abubakar Shekau, o líder do grupo islamista Boko Haram, ameaçou no mês passado que tentaria impedir o processo eleitoral, que considera em desacordo com o Islã, em vídeo publicado na rede social Twitter.

“Essas eleições não vão ocorrer, mesmo que nos matem. Mesmo que já não estejamos vivos, Alá não o permitirá”, declarou na ocasião.

Em algumas localidades, a Comissão Eleitoral do país suspendeu a votação, na expectativa de poder ser retomada neste domingo (29), devido a problemas técnicos com o novo sistema de credenciamento de eleitores, que não permitia a leitura dos novos cartões com dados biométricos.

O próprio presidente do país, Goodluck Jonathan, candidato à reeleição, não conseguiu, de manhã, votar por dificuldades com o novo sistema.

Cerca de 68,8 milhões de nigerianos são chamados às urnas para eleger o novo presidente e o Parlamento, em um ambiente de tensão devido ao risco de violência política e à ameaça de atentados islamitas.

Os candidatos a chefe de Estado são 14, entre os quais se encontra pela primeira vez uma mulher. Participam da disputa, que se prevê acirrada, o atual presidente, Goodluck Jonathan, e o ex-general Muhammadu Buhari, que dirigiu a Nigéria, à frente de uma junta militar, de 1983 a 1985.

- Assuntos: Nigéria, Boko Haram, decapitações, eleições

Marcha de solidariedade à Palestina marca encerramento do Fórum Social

Ana Cristina Campos - Enviada Especial da Agência Brasil/EBC Edição: Graça Adjuto


Milhares de pessoas participaram hoje (28) à tarde de uma marcha em solidariedade à Palestina, que marcou o encerramento do Fórum Social Mundial (FSM) em Túnis, capital da Tunísia. Pessoas de todas as idades caminharam por uma hora até a embaixada palestina, na região central da cidade, onde fizeram um ato pedindo a suspensão do bloqueio à Faixa de Gaza e a criação do Estado palestino.

Com bandeiras e faixas pedindo justiça social, liberdade e paz, o público gritava palavras de ordem pela libertação da Palestina.

O embaixador palestino na Tunísia, Salman Herfi, se juntou aos participantes no final da caminhada e disse que a marcha representa uma mensagem muito importante para o povo palestino de que ele não está só em sua luta. “É também uma mensagem ao governo israelense para acabar com a ocupação [dos territórios palestinos]. Estamos vivendo em condições muito difíceis, em um estado de sítio, mas vamos conseguir a independência mais cedo ou mais tarde”.

Assim como na marcha de abertura na terça-feira (24), o esquema de segurança estava reforçado ao longo de toda a caminhada e em frente à embaixada, com policiais fortemente armados.

O cartunista Carlos Latuff ressaltou que a única solução para o conflito é o reconhecimento da Palestina como Estado independente. “Isso não pode esperar, as pessoas estão sendo mortas, existe o bloqueio a Gaza feito por Israel e pelo Egito. Os palestinos têm pressa e fome de terra e de liberdade”.

O antropólogo Alaa Talbi, membro do Fórum Tunisiano de Direitos Econômicos e Sociais e um dos organizadores do comitê local do FSM, destacou que a marcha de apoio à causa palestina também ocorreu ao final do fórum de 2013 e é um apelo à sua libertação.

Talbi informou que mais de 40 mil pessoas participaram desta edição do FSM, com forte presença de países do Magrebe (Noroeste da África) e da África Subsaariana. “O fórum teve um saldo positivo. Apesar dos desafios de segurança por causa do atentato ao Museu do Bardo, conseguimos reunir muitas delegações, o que é um sucesso”.

No dia 18 de março, 22 pessoas foram mortas em frente ao Museu do Bardo por dois homens armados. O ataque foi assumido pelo grupo extremista Estado Islâmico.

O Fórum Social Mundial ocorreu entre os dias 24 e 28 deste mês na Universidade El Manar, em Túnis. Mais de 4 mil organizações de 118 países se inscreveram para participar do evento, que teve como lema Dignidade e Direitos.

- Assuntos: Fórum Social Mundial, Tunísia, marcha, encerramento, Palestina, Solidariedade

Pai de copiloto está completamente abatido, diz autoridade francesa

Da Agência Lusa Edição: Graça Adjuto

O pai de Andreas Lubitz, o copiloto do avião da Germanwings que bateu contra uma montanha nos Alpes franceses com 150 pessoas a bordo, está completamente abatido, disse hoje (28) o presidente da Câmara da localidade próxima de Prads-Haute-Bléone, onde caiu o avião da Germanwings.

Bernard Bartolini, que preside a Câmara, declarou, em entrevista à televisão francesa, que o pai de Andreas Lubitz sente a responsabilidade do drama e passa por angústia extrema.

O conteúdo da caixa-preta encontrada indica que o copiloto foi o responsável pela colisão do avião contra as montanhas, depois de aproveitar a ausência do comandante da cabine.

Bartolini disse ainda que, na quinta-feira (26), o pai de Lubitz participou de cerimônia no povoado vizinho de Le Vernet com parentes dos tripulantes. Algumas pessoas procuravam, segundo Bartolini, levar com eles pedaços de terra ou pedras como sinal de luto.

- Assuntos: acidente, avião, queda, França, Alpes franceses, Germanwings, Airbus A320, copiloto

Projeto Cinemaneiro ensina jovens a produzir filmes socioambientais

Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil Edição: Graça Adjuto

Projeto Cinemaneiro já atendeu, em oficinas de produção, direção, câmera, captação de som e edição de filmes, a 1,8 mil alunosDivulgação projeto Cinemaneiro

O projeto Cinemaneiro chega este ano às comunidades de Gretisa, em Inhaúma, e do Morro da Família, em Água Santa, na zona norte do Rio de Janeiro, com o objetivo de sensibilizar os jovens para o aprendizado da linguagem audiovisual e, por meio de oficinas, incentivar a produção de filmes. O projeto é patrocinado pela Lamsa, concessionária que administra a Linha Amarela, por meio da Lei Municipal de Cultura.

As inscrições estão abertas até 10 de abril para os jovens de Inhaúma, e até o dia 30 para a comunidade de Água Santa. As aulas serão iniciadas nos dias 13 de abril e 11 de maio, respectivamente, e serão dadas às segundas, quartas e sextas-feiras, sempre no período da tarde. O professor será o diretor e roteirista Frederico Cardoso, presidente do Congresso Brasileiro de Cinema, instituição que reúne 63 entidades do setor audiovisual.

Iniciado em 2002, o projeto Cinemaneiro já atendeu, em oficinas de produção, direção, câmera, captação de som e edição de filmes, a 1,8 mil alunos de 14 localidades situadas no entorno da Linha Amarela, resultando em mais de 50 filmes de curta duração e videoclipes produzidos.

Este ano, Cardoso informou que será a primeira vez que as oficinas terão um foco específico, que é a produção de documentários. “Até o ano passado, a gente sempre deixava livre para a turma escolher se ia fazer documentário ou ficção”, disse. Ele acrescentou que este ano o foco na realização de documentários serve para experimentar o audiovisual como uma forma de melhoria das condições sociais ou ambientais do entorno das duas comunidades. “A ideia é que a gente aplique o trabalho socioambiental juntamente com a formação audiovisual para que eles [os alunos] captem essas imagens e possam fazer o documentário”.

Serão selecionados 30 alunos de cada comunidade para participar do projeto. A idade mínima para se inscrever é 13 anos porque, em função da dificuldade de manuseio de alguns equipamentos, eles não são adequados para crianças menores. Frederico Cardoso disse que não há idade máxima estabelecida. Pela experiência adquirida em anos anteriores, porém, a maioria dos alunos fica na faixa etária de 14 a 20 anos.

A moradora da comunidade Águia de Ouro, vizinha da Gretisa, Zélia Félix, atua como promotora do Cinemaneiro na região, convidando jovens para participar do projeto. Dois filhos de Zélia já frequentaram as oficinas em 2013 e pretendem se inscrever nesta nova edição. Para Zélia, o projeto é importante “porque os jovens aprendem como fazer um vídeo, um filme, a tirar fotos. E isso serve para o futuro”.

Cada turma de 30 alunos fará dois documentários, que serão exibidos, ao final do projeto, para a própria comunidade. Os melhores filmes são inscritos depois em festivais e mostras de cinema. “A gente também busca fazer sessões especiais”. O Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) e a Casa de Rui Barbosa já exibiram filmes feitos dentro do projeto. Há ainda um cineclube itinerante.

Ex-coordenador executivo do Programa CineMais Cultura e do Programadora Brasil, do Ministério da Cultura, Cardoso informou que está sendo montado, no âmbito do Cinemaneiro, um canal no You Tube que vai abrigar também esses filmes. “A vida desses filmes não acaba na oficina”, garantiu. Frederico Cardoso relatou que muitos dos jovens atendidos acabam se interessando em aprofundar os conhecimentos adquiridos e são direcionados pelo projeto a frequentar novos cursos e estágios em outras produtoras. “Isso dá a eles diferentes visões do processo de produção”, destacou.

Maiores informações sobre o projeto podem ser obtidas pelo e-mail talento@cinemaneiro.com.br no telefone 21-22212832, ou por meio da fun page Facebook.com/Cinemaneiro.

Frederico Cardoso pretende realizar no fim deste ano ou, no máximo, até o primeiro semestre de 2016, novo Congresso Nacional de Cinema reunindo representantes dos vários segmentos do audiovisual brasileiro para tentar rearticular o setor. “A gente está tentando se reorganizar para participar da formulação das políticas públicas para o audiovisual”, disse.

- Assuntos: inclusão audiovisual, Cinemaneiro, produção audiovisual, cinema, jovens, documentários, condições sociais e ambientais, formação, capacitação

Enviado especial da ONU e mais de 300 pessoas abandonam o Iêmen

Da Agência Lusa Edição: Graça Adjuto

O enviado especial da Organização das Nações Unidas (ONU) para o Iêmen, Yamal Benomar, e mais de 300 pessoas, entre funcionários da instituição, colaboradores, representantes de empresas internacionais e famílias, preparam-se para abandonar o país árabe.

Fonte da ONU confirmou à agência Efe que todos estão a bordo de três aviões na pista do Aeroporto Internacional de Sanaa e devem seguir viagem em algumas horas.

Benomar viajará primeiro para Adis Abeba, devendo deslocar-se imediatamente para o Egito a fim de participar da cúpula árabe, que começou hoje (28) na localidade de Sharm el Sheik.

Os outros dois aviões têm como destino o Djibuti, acrescentou a mesma fonte.

A saída dos estrangeiros do país ocorre no pico da escalada de violência no Iêmen, onde uma coligação árabe – liderada pela Arábia Saudita – começou na semana passada a bombardear posições dos rebeldes huties.

O próprio aeroporto de Sanaa foi alvo de bombardeiros na última noite e as autoridades tiveram de reparar danos provocados pelos ataques em uma das pistas.

Benomar mediou nos últimos meses a crise entre o presidente iemenita, Abdo Rabu Mansur Hadi, e o movimento xiita dos huties, que tomou o poder em fevereiro.

No dia 22 deste mês, o enviado especial advertiu para a grave deterioração da situação no Iêmen e disse que o conflito poderia resultar em algo similar ao que se vive no Iraque, na Síria e na Líbia.

- Assuntos: Iêmen, ONU, enviado especial

Festival comemora 20 anos apresentando 109 documentários de 31 países

Elaine Patricia Cruz - Repórter da Agência Brasil Edição: Graça Adjuto

Completando 20 anos, o Festival Internacional de Documentários É Tudo Verdade começa no dia 9 de abril, em São Paulo, e no dia 10 de abril, no Rio de Janeiro, apresentando 109 filmes de 31 países, 16 deles inéditos.

Segundo Amir Labaki, fundador e diretor do festival, serão feitas neste ano três homenagens. “Há, na verdade, três efemérides a celebrar: os 80 anos de um dos maiores cineastas brasileiros, Vladimir Carvalho, o centenário de nascimento de um de nossos inspiradores, Orson Welles (1915-1985), e as duas décadas do festival”, disse ele.

Os 80 anos de Carvalho serão celebrados com a apresentação de quatro de seus principais longas e dois retratos biográficos dedicados a ele, entre eles o filme Conterrâneos Velhos de Guerra (1991), que conta histórias dos trabalhadores, de todas as partes do Brasil, que participaram da construção da nova capital, Brasília.

O centenário de Welles, por sua vez, será comemorado com a exibição de It’s All True – Baseado em Um Filme Inacabado de Orson Welles (1993), de Bill Krohn, Myron Meisel e Richard Wilson, um filme sobre o documentário interrompido rodado por Welles no Brasil em 1942, além da versão restaurada de Verdades e Mentiras (F for Fake, 1973), um ensaio sobre o verdadeiro e o falso, a autoria e a arte, desenvolvido a partir de um perfil do falsificador de pinturas do século 20 Elmyr de Hory (1905-1976).

Os 20 anos do festival serão comemorados especialmente com duas mesas-redondas, que vão discutir a produção documental do período, e uma retrospectiva de filmes chamada 20! Vinte aos Pares.

A sessão de abertura vai apresentar o filme Últimas Conversas, o último documentário dirigido por Eduardo Coutinho (1933-2014). Com cerca de uma hora e meia de duração, Coutinho dialoga com jovens estudantes cariocas. "Últimas Conversas não carregava, de origem, as marcas de um filme de despedida, mas é um belíssimo fecho para uma das obras mais originais da história do documentário mundial e do cinema brasileiro”, disse o diretor.

O festival termina no dia 19 de abril em São Paulo e no Rio de Janeiro, mas depois seguirá para Belo Horizonte (29 de abril a 4 de maio), Santos (7 a 10 de maio) e Brasília (27 de maio a 1º junho). A entrada é gratuita.

- Assuntos: festival, documentários, É Tudo Verdade

Problemas com biometria suspendem eleições em localidades na Nigéria

Da Agência Lusa Edição: Graça Adjuto

A Comissão Eleitoral da Nigéria suspendeu hoje (28) as eleições presidenciais e legislativas em algumas localidades do país por problemas técnicos relacionados com o novo sistema de identificação de cartões. A votação deve ser retomada no domingo (29).

A Comissão Eleitoral Nacional Independente do país informou que houve dificuldades com a tecnologia dos novos cartões de eleitores biométricos em várias localidades, sem especificar um número. Os problemas levaram à suspensão do ato eleitoral nas seções afetadas.

“Em assembleias de voto, onde o credenciamento eleitoral foi suspenso, cumprindo as orientações existentes, serão tomadas medidas para que os eleitores possam votar no domingo”, disse o comissário Chris Yimoga a jornalistas em Abuja, capital da Nigéria.

Hoje de manhã, o presidente da Nigéria, Goodluck Jonathan, que disputa o cargo, tentou votar em companhia de sua mulher, Patience. No entanto, problemas com a nova tecnologia de votação o obrigaram a abandonar a seção.

O presidente, que pretende conquistar um segundo mandato, chegou à mesa de votação em sua cidade natal, Otuoke, no sul do estado de Bayelsa, por volta das 9h20 locais (6h20 em Brasília). Ele iniciou o processo de credenciamento, mas o sistema de leitura de dados biométricos dos cartões de identificação dos eleitores aparentemente não funcionou, obrigando Goodluck Jonathan a adiar seu voto.

Outro problema das eleições nigerianas são os ataques feitos por grupos islâmicos radicais a locais de votação, que deixaram sete mortos até agora. Os extremistas armados dispararam contra as seções eleitorais e as filas de eleitores que aguardavam a sua vez de votar.

Algumas seções eleitorais reabriram depois dos ataques, mas outras permaneceram fechadas, segundo relatos de testemunhas. Assustadas, muitas pessoas fugiram e não regressaram aos locais de votação.

Abubakar Shekau, o líder do grupo islamista Boko Haram, ameaçou no mês passado que tentaria impedir o processo eleitoral. Em vídeo publicado na rede social Twitter, ele diz considerar a eleição contrária ao Islã. “Essas eleições não vão ocorrer, mesmo que nos matem. Mesmo que já não estejamos vivos, Alá não o permitirá”, declarou na ocasião.

Cerca de 68,8 milhões de nigerianos devem comparecer às urnas para eleger o novo presidente e o Parlamento, em um ambiente de tensão devido ao risco de violência política e à ameaça de atentados islâmicos.

Ao todo, 14 candidatos concorrem à presidência do país, entre os quais, pela primeira vez, uma mulher. A disputa está acirrada entre o atual presidente, Goodluck Jonathan, e o ex-general Muhammadu Buhari, que comandou a Nigéria à frente de uma junta militar de 1983 a 1985.

- Assuntos: Nigéria, eleições, Biometria, Boko Haram

Novo ministro diz em rede social que sem educar não se avança

Marcelo Brandão - Repórter da Agência Brasil Edição: Graça Adjuto

Novo ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, toma posse no dia 6 de abrilAntonio Cruz/ Arquivo Agência Brasil

O novo ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, manifestou-se hoje (28), em rede social, sobre o convite que recebeu da presidenta Dilma Rousseff para substituir Cid Gomes no comando da pasta. Em um texto de agradecimento pelo apoio recebido de várias pessoas, Ribeiro se mostrou animado. “Incrível como há tanta gente acreditando que a educação é o caminho, ou um dos principais”.

Ele contou que o convite surgiu na quinta-feira (26), quando recebeu uma ligação do chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante. “Na quinta-feira recebi uma ligação do ministro Aloizio Mercadante, me convidando a ir a Brasilia para vermos a possibilidade de eu ocupar esse cargo. Aceitei”.

O professor e filósofo disse ainda que após conversar com Dilma e Mercadante, foi ao Ministério da Educação (MEC), onde se encontrou com o secretário executivo, Luiz Cláudio Costa, que ocupa interinamente o comando da pasta.

“Fui recebido por ele e pela presidenta, com quem tive longa conversa. Depois, fui ao MEC, onde o secretário executivo, que permanecerá, me fez um briefing inicial de um dos ministérios maiores, mais complexos e mais ricos da Esplanada. É bom lembrar que são 50 milhões de alunos e 2 milhões de professores”, disse. “E espero que a educação constitua um desses pontos que permitam unir o país, gente de um lado ou de outro, mas que sabe que sem educar não se avança”, completou.

Ribeiro lembrou que o ministério continua nas mãos de Costa até o dia 6 de abril, quando, só então, toma posse. “Tomarei posse no dia 6 de abril e depois disso terei o prazer e cumprirei o dever de dar todas as entrevistas que forem necessárias. Só peço compreensão para a necessidade de estudar os dossiês antes de entrar em detalhes sobre eles. Afinal, como pode alguém ir para a educação se não começar estudando"?

- Assuntos: Ministério da Educação, ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, MEC

Responsável francês por investigação não descarta falha mecânica no Airbus

Da Agência Lusa

O responsável pela investigação francesa sobre o acidente com o avião da Germanwings não descarta a possibilidade de uma falha do aparelho ou outras hipóteses, apesar de a investigação se concentrar no papel e na personalidade do copiloto.

“Embora seja necessário estabelecer prioridades em uma investigação, de forma a incluir o máximo de possibilidades, não temos o direito de excluir outros cenários, incluindo a mecânica, até porque não ficou demonstrado que o aparelho não apresentava alguma dificuldade”, disse o general Jean-Pierre Michel.

Michel mudou-se para Düsseldorf para liderar a missão conjunta com a polícia alemã. Ele disse que não tem ainda todos os elementos técnicos sobre o acidente, destacando que a análise da segunda caixa-preta, se ela chegar a ser encontrada, será particularmente esclarecedora.

A análise da gravação dos sons da cabine de comando do avião da Germanwings, que caiu nos Alpes franceses na terça-feira (24), concluiu que o piloto se ausentou da cabine, provavelmente para ir ao banheiro, e foi impedido de voltar a entrar pelo copiloto, que bloqueou a porta.

Nesse período, o copiloto acionou deliberadamente o processo de descida do avião, ignorando as pancadas na porta, as tentativas de comunicação da torre de controle e os alarmes do próprio aparelho.

O avião acabou por bater em uma montanha, matando os 144 passageiros e seis tripulantes a bordo. “O avião pertencia a uma companhia alemã e transportava certo número de vítimas alemãs, por isso a polícia alemã é diretamente afetada”, disse Michel. Ele assegurou que a França vai colaborar com os trabalhos com total transparência.

Toda a informação que a França reunir, acrescentou o general, será transmitida à Alemanha e vice-versa. Segundo ele, a cooperação permitirá ajustar a investigação conjunta, com base nas informações disponíveis.

“A dificuldade está principalmente em saber a razão pela qual o avião caiu, as condições em que isso ocorreu e dar uma resposta às famílias”, disse o general, que está em Düsseldorf com dois especialistas franceses. Ele informou que permanecerá na Alemanha o tempo necessário.

- Assuntos: acidente, avião, queda, França, Alpes franceses, Germanwings, Airbus A320, copiloto

Hora do Planeta apagará luzes por uma hora em todo o país

Marcelo Brandão - Repórter da Agência Brasil Edição: Graça Adjuto

Às 20h30 de hoje (28), vários pontos em todo o Brasil vão ficar às escuras por uma hora. Locais como a Praça dos Três Poderes, em Brasília, os Arcos da Lapa, no Rio de Janeiro, e a Igrejinha da Pampulha, em Belo Horizonte, apagarão as luzes como parte da Hora do Planeta, mobilização liderada pela organização não governamental (ONG) WWF.

A Hora do Planeta é um movimento simbólico, que ocorre uma vez por ano, no fim de março. A ideia existe desde 2007 e aqueles que participam firmam o compromisso com o planeta de criação de um mundo sustentável. A ideia é que vários pontos em todo o mundo apaguem as luzes entre as 20h30 e as 21h30, em seus horários locais. Todas as 27 capitais brasileiras se comprometeram com o movimento. De acordo com a entidade, já são 173 cidades brasileiras com participação confirmada.

Além dos pontos em Brasília, no Rio de Janeiro e em Belo Horizonte, outros locais de destaque no país aderiram, entre eles o Elevador Lacerda, em Salvador, o Theatro Municipal de São Paulo e o Memorial da República, em Maceió. Na capital federal, a Biblioteca Nacional, o Museu Nacional, a Catedral e o Palácio do Buriti, sede do governo local, também vão ficar às escuras.

Às 16h, no entanto, a data já começa a ser celebrada. É quando terá início um show, na Praia de Ipanema (posto 10), no Rio de Janeiro. Entre as atrações estão o músico Hamilton de Holanda e o coletivo internacional de artistas Playing For Change. Todo o evento será realizado com gerador de biocombustível.

Além de monumentos públicos, a ONG incentiva as pessoas a participar da mobilização em suas casas, apagando as luzes não essenciais, como as de teto, televisões e computadores. A WWF lembra que luzes de funcionamento essencial, como iluminação de segurança em espaços públicos, luzes de orientação da aviação e semáforos, devem permanecer ligadas.

Por se tratar de uma mobilização mundial, em alguns países a Hora do Planeta de 2015 já ocorreu. Em Sidney, na Austrália, a famosa Opera House ficou apagada. As cidades de Yokohama, Tóquio e Osaka, no Japão, também participaram, desligando as luzes de importantes monumentos.

Para a WWF, no entanto, isso é só um começo, uma demonstração de comprometimento com um mundo melhor para essa geração e para as futuras. “Nossa expectativa é que esses indivíduos, comunidades e empresas tomem medidas além da hora. Em 2012, lançamos a campanha 'I will if you will' (Eu Vou se Você For) para fornecer uma plataforma destinada a inspirar as pessoas a compartilhar o  compromisso com o planeta com os seus amigos, colegas, líderes e redes”, explica a organização no site oficial.

- Assuntos: WWF, Hora do Planeta, sustentabilidade

Rei saudita diz que intervenção no Iêmen continuará até retorno da segurança

Da Agência Lusa

O rei da Arábia Saudita, Salman bin Abdul Aziz, país que lidera uma ofensiva contra os rebeldes xiitas que controlam Sanaa, no Iêmen, garantiu hoje (28) que a intervenção vai continuar até a segurança voltar àquele país.

“A operação vai continuar até atingir os seus objetivos: que os iemenitas possam voltar a ter segurança”, disse o rei Salman, na abertura da reunião de cúpula dos chefes de Estado da Liga Árabe, que vai até amanhã (29) em Sharm el Sheik, no Egito. O encontro tem como objetivo aprovar a criação de uma força militar conjunta e discutir a crise no Iêmen.

A Arábia Saudita lidera uma coligação que também abriga nove países árabes: Bahrein, Egito, Emirados Árabes Unidos, Jordânia, Kuwait, Marrocos, Catar, Paquistão e Sudão.

Também na abertura da reunião, o presidente egípcio, Abdel Fattah Al Sissi, reiterou a necessidade de criar uma força multinacional árabe para enfrentar as ameaças “sem precedentes” que representam os grupos terroristas e os conflitos na região.

Há várias semanas, Sissi pede a criação da força árabe para combater em particular o movimento Estado Islâmico, que multiplica as atrocidades no Iraque e na Síria e ganha terreno na Líbia e no Egito.

O presidente do Iêmen, Abedrabbo Mansour Hadi, pediu apoio à continuação da intervenção militar no seu país, até que os rebeldes xiitas se rendam. “Apelo para que esta operação continue até que esse bando [de rebeldes] se renda e se retire de todas as localidades que tem ocupado em todas as províncias”, disse no encontro da Liga Árabe.

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, pediu a solução pacífica do conflito no Iêmen. “É minha esperança fervorosa que, no encontro da Liga Árabe, os líderes definam orientações claras para uma resolução pacífica da crise no Iêmen", disse Ban Ki-moon, que também participa da reunião.

Pelo menos 54 pessoas foram mortas e 187 ficaram feridas nos ataques que ocorrem há três dias contra os rebeldes em Áden, no sul do país, segundo o diretor do Departamento de Saúde do Iêmen.

- Assuntos: Iêmen, Arábia Saudita, conflito, intervenção militar, Liga Árabe

Rússia e Estados Unidos querem criar nova estação espacial

Da Agência Lusa

A Rússia e os Estados Unidos pretendem criar, em conjunto, uma nova estação espacial a partir de 2024, disse hoje (28) o chefe da Roscosmos, a agência espacial russa, Igor Komarov.

“A Roscosmos e a Nasa [agência espacial dos Estados Unidos] vão trabalhar em conjunto no programa da futura estação orbital, um projeto aberto a todos os países que pretendam juntar esforços”, disse Komarov em entrevista coletiva em Baikonur, no Cazaquistão.

As duas agências espaciais vão também prolongar até 2024 o serviço da atual Estação Espacial Internacional. A Rússia e os Estados Unidos também concordaram em unificar as normas técnicas dos sistemas de acoplagem das suas naves espaciais.

Na mesma entrevista coletiva, o administrador da Nasa, Charles Bolden, lembrou que a Rússia e os Estados Unidos pretendem criar um roteiro de programas de voo a Marte.

A atual Estação Espacial Internacional é um projeto de mais de US$ 100 bilhões, está em órbita a uma distância de 335 a 460 quilômetros da Terra e pesa mais de 450 toneladas.

A plataforma espacial desloca-se a 27 mil quilômetros por hora, conta com a participação de 16 países e tem residentes em permanência desde 2000.

- Assuntos: exploração espacial, Rússia, Estados Unidos, Estação Espacial Internacional, Nasa, Roscosmos

Pagamento de compras por meio de smartphones chega ao Brasil

Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil Edição: José Romildo

Chega ao Brasil tecnologia que permite o pagamento de compras em lojas físicas por meio de smartphonesMarcello Casal Jr/Agência Brasil

Depois de desbancar o cheque na preferência dos consumidores, o cartão de plástico começa a ser ameaçado. Chegou ao Brasil a tecnologia que permite o pagamento de compras em lojas físicas por meio de smartphones.

Em vez de inserir ou passar o cartão na máquina, o cliente aproxima o celular de um leitor com a tecnologia Near Field Communication (NFC). Inicialmente disponível apenas para telefones com o sistema Android, a novidade foi lançada nesta semana pelo Banco do Brasil e vale tanto para operações de crédito quanto de débito.

Diferentemente de outros países, onde os pagamentos por telefones móveis utilizam créditos de celulares, a solução adotada pelo Banco do Brasil (BB) usa cartões virtuais atrelados ao cartão físico. Por meio do aplicativo Ourocard-e, disponível no sistema Android, o correntista pode criar quantos cartões virtuais desejar, todos atrelados ao cartão de plástico do cliente e sem a cobrança de anualidade, que vale apenas para o cartão principal.

O vencimento da fatura, os benefícios e os atributos dos cartões virtuais seguem o cartão principal. “Essa é uma tecnologia pioneira em todo o mundo”, diz o vice-presidente de Negócios de Varejo do Banco do Brasil, Raul Moreira. Desde o ano passado, o banco oferece cartões virtuais para compras em sites eletrônicos. A ferramenta agora foi estendida às lojas físicas.

A compra por meio da tecnologia NFC funciona da seguinte forma: o lojista informa o valor da compra na máquina. Em vez de entregar o cartão com seus dados ao vendedor, o cliente abre o aplicativo, escolhe o cartão virtual que deseja usar e a forma de pagamento (crédito ou débito). Para concluir a transação, o comprador aproxima o celular do leitor, digita a senha do cartão e espera a emissão do comprovante. Compras abaixo de R$ 50 dispensam a senha.

Segundo Moreira, a tecnologia não oferece risco de clonagem. Ao fazer um pagamento, o sistema emite para a máquina uma chave de segurança que elimina qualquer possibilidade de captura do número do cartão do cliente. “A segurança é a mesma dos chips instalados nos cartões de plástico. Para o lojista, a tecnologia NFC reduz as filas nos caixas porque as transações são mais rápidas que no sistema tradicional”, explica.

Para evitar contratempos em caso de perda do celular, o usuário deve seguir os procedimentos padrões para o extravio de smartphones. Basta inserir uma senha segura para o aparelho, de modo que o ladrão não consiga desbloqueá-lo, ou programar a desativação remota do smartphone.

Na primeira etapa, a novidade está disponível apenas para clientes com cartões Ourocard Visa. Em maio, os clientes do Banco do Brasil com cartões Elo também poderão criar cartões virtuais. Apesar de a tecnologia estar em fase inicial, o vice-presidente do BB diz que 70% dos terminais nos pontos de venda estão preparados para a tecnologia NFC. “Nos Estados Unidos, apenas 15% das máquinas estão adaptadas ao NFC”, compara.

Raul Moreira diz que o banco pretende estender a tecnologia aos smartphones com os sistemas iOS (da Apple) e Windows Phone. No entanto, ainda não existe data para que a funcionalidade seja incorporada a esses aparelhos. “Decidimos dar prioridade ao Android, que responde por 80% do mercado brasileiro de smartphones. A utilização da ferramenta nos iPhones exige a definição de que solução a Apple pretende adotar para o NFC”, justifica.

Há uma semana usando o cartão virtual no smartphone, o engenheiro Guilherme Rodrigues, 31 anos, aprova a tecnologia. “Além de agilizar o pagamento, acho mais seguro que o cartão tradicional porque o risco de clonagem é menor”, diz. Segundo ele, a maior dificuldade, até agora, tem ocorrido com lojistas que não sabem operar o NFC: “É uma questão temporária, que vai ser resolvida quando os comerciantes se habituarem ao sistema”.

Para usar a tecnologia, é necessário ter um celular Android com função NFC. O telefone deve ter ainda sistema operacional mínimo Kit Kat 4.4.2 e acesso à internet móvel ou ao wi-fi.

- Assuntos: tecnologia, telefonia móvel, smartphone, compras, pagamento, banco do brasil

Instituto cria dispositivo que permite diagnóstico pré-diabetes tipo 2

Elaine Patricia Cruz - Repórter da Agência Brasil Edição: Graça Adjuto

Um sistema desenvolvido pelo Instituto de Física de São Carlos, da Universidade de São Paulo (IFSC/USP), vai possibilitar o diagnóstico pré-sintomático do diabetes mellitus tipo 2, doença que afeta o metabolismo da glicose, a principal fonte de energia do corpo. Segundo levantamento da Sociedade Brasileira de Diabetes, baseado em dados do Ministério da Saúde, há 14 milhões de diabéticos no Brasil, 90% deles com o tipo 2 da doença e o restante, o tipo 1.

O diabetes não insulinodependente ou do adulto - tipo 2 - ocorre geralmente em pessoas obesas com mais de 40 anos. Por ser pouco sintomáticp, o portador do diabetes tipo 2, na maioria das vezes, permanece por muitos anos sem diagnóstico e sem tratamento, o que pode provocar complicações no coração e no cérebro.

O dispositivo foi criado pelo Grupo de Nanomedicina e Nanotoxicologia do IFSC/USP com o objetivo de identificar alterações hormonais, de forma rápida e fácil, que possam indicar a possibilidade de surgimento do diabetes tipo 2 no futuro. A pesquisa foi feita pela aluna de doutorado Laís Canniatti Brazaca, com a orientação do professor Valtencir Zucolotto. “Não é um sistema para diagnóstico de diabetes tipo 2 e nem para diagnóstico precoce da doença. O que desenvolvemos é um sistema de detecção de um hormônio específico chamado adiponectina”, explicou Zucolotto, em entrevista à Agência Brasil.

“Quando o organismo começa a produzir menos esse hormônio, há uma relação com o aparecimento de diabetes tipo 2 lá na frente. Obviamente não são todos os casos em que a diminuição [do hormônio] leva ao diabetes, mas há uma correlação. Se existe uma maneira rápida e barata de detectar esses hormônios, pode-se pensar até em um diagnóstico preditivo. Sabendo que há uma disfunção [hormonal], a pessoa pode até pensar em uma mudança de hábitos alimentares e de vida, que podem evitar ou postergar o aparecimento da doença, acrescentou.

O sistema funciona por meio de um biossensor, descartável e de baixo custo, que detecta a baixa concentração do hormônio adiponectina, relacionado com a doença. Há diversas pesquisas que relacionam o aparecimento do diabetes mellitus tipo 2 à baixa produção de adiponectina, mas o método utilizado para detectá-lo, chamado de Enzyme-linked immunosorbent assay (ELISA), costuma ser muito caro e pouco realizado em laboratórios. “Já existem métodos padrões e convencionais para detectar esse hormônio, mas são mais caros e precisam de grandes equipamentos, além de serem feitos em laboratórios de análises clínicas. Nosso sistema é um biossensor, descartável, um eletrodo pequeno para que se possa tentar tornar mais fácil esse monitoramento da adiponectina”, explicou o professor.

Exames feitos em laboratório com o novo sistema, no Instituto do Coração do Hospital das Clínicas, da Faculdade de Medicina da USP, obtiveram resultados bastante semelhantes aos feitos com o método tradicional Elisa. Mas a ideia é que o novo dispositivo não substitua a análise feita convencionalmente com o Elisa, mas seja um exame complementar. Após o desenvolvimento dessa tecnologia, o grupo espera encontrar empresas interessadas em produzir o aparelho e comercializá-lo.

- Assuntos: diabetes tipo 2, diagnóstico, Instituto de Física, São Carlos, USP, pesquisa

Ataques a seções de votação na Nigéria matam dois

Da Agência Lusa

Pelo menos duas pessoas morreram hoje (28) em ataques a seções de votação no Nordeste da Nigéria, atribuídos ao grupo radical islâmico Boko Haram, de acordo com residentes e um funcionário eleitoral.

Os ataques ocorreram nas aldeias de Birin Bolawa e Birin Fulani. As duas localidades ficam no distrito de Nafada, no estado de Gombe, que tem sido repetidamente atacado pelos islamitas radicais.

Homens armados mascarados chegaram a Birin Bolawa em um carro pick-up por volta das 8h30 locais (5h30 em Brasília), pouco depois do início do credenciamento dos eleitores. Um eleitor foi morto a tiro e outros fugiram em pânico.

Segundo um funcionário eleitoral, homens armados gritavam que tinham avisado para a população manter-se longe da eleição. “Atearam fogo a todos os materiais ligados às eleições, que abandonamos quando fugimos”, acrescentou.

O segundo ataque, em Birin Fulani, ocorreu por volta das 9h15 locais (6h15 em Brasília). “Mal as pessoas viram os militantes, começaram a fugir, mas os homens armados abriram fogo à mesa de votação, matando um homem”, contou um morador. Segundo ele, a população não teria ido votar se soubesse do primeiro ataque.

De acordo com o morador, os homens armados queimaram os materiais ligados à eleição. “Acreditamos que são do Boko Haram, que avisaram as pessoas para que não participassem da eleição”, disse.

Em mensagem em vídeo divulgada no mês passado, o líder do Boko Haram, Abubakar Shekau, disse que os militantes perturbariam as eleições, que consideram anti-islâmica. “Esta eleição não vai ocorrer, mesmo que estejamos mortos. Mesmo que não estejamos vivos, Alá não vai permitir que a realizem”, disse na ocasião.

Cerca de 68,8 milhões de nigerianos elegerão hoje o novo presidente e o Parlamento, em um ambiente de tensão devido ao risco de violência política e à ameaça de atentados islamitas.

Ao todo, 14 candidatos disputam a eleição para presidente, entre os quais se encontra pela primeira vez uma mulher. A disputa está acirrada entre o atual presidente, Goodluck Jonathan, e o ex-general Muhammadu Buhari, que comandou a Nigéria à frente de uma junta militar de 1983 a 1985.

- Assuntos: Nigéria, Boko Haram, terrorismo, ataque, eleições

Fortaleza e Caucaia têm dia D de vacinação intensificada contra sarampo

Edwirges Nogueira - Correspondente da Agência Brasil/EBC Edição: José Romildo

Ceará intensifica vacinação contra sarampo(Marcelo Camargo/Agência Brasil

Hoje (28) é o dia D de intensificação de vacinação contra o sarampo nos municípios de Fortaleza e Caucaia, no Ceará. As duas cidades têm o maior número de casos da doença em investigação: 23 em Fortaleza e 9 em Caucaia. O Ceará registra surto de sarampo desde dezembro de 2013.

Até esta semana, segundo o boletim epidemiológico divulgado ontem (27) pela Secretaria da Saúde do estado, foram confirmados 788 casos e, atualmente, 49 estão em investigação em 12 municípios. Os casos confirmados já somam 90, notificados em dez municípios.

A meta da Secretaria da Saúde é vacinar cerca de 1,3 milhão de pessoas com a dupla viral, que também protege contra a rubéola. Mesmo quem já tomou a vacina deve se vacinar de novo. A campanha de intensificação de vacinação contra o sarampo é destinada a pessoas entre 5 e 29 anos, faixa etária que concentra quase metade dos casos confirmados (44 casos).

Os postos de saúde aplicam a vacina todos os dias úteis da semana, entre 7h 19h. Os postos também vão funcionar neste domingo (29) e nos sábados (4 e 11 de abril). A vacinação de rotina, destinada a crianças entre 6 meses e 1 ano e 3 meses, continua normalmente.

Para ser considerado livre do surto de sarampo, o município precisa passar 90 dias sem apresentar nenhum caso da doença.

- Assuntos: sarampo, saúde, vacinação, Ceará

Urnas são abertas na Nigéria para escolher presidente e Parlamento

Da Agência Lusa

As urnas foram abertas hoje (28) na Nigéria, anunciou a Comissão Eleitoral, e os eleitores dirigem-se aos locais de votação para eleger o novo presidente e o Parlamento.

“As urnas abriram", disse à agência France Press o porta-voz da Comissão Eleitoral Nacional Independente, Kayode Idowu, apesar de relatos de atrasos na abertura da votação.

Repórteres informaram que o processo não começou em algumas localidades em Kano, Lagos e Abuja, devido a atrasos na chegada de delegados da comissão e de material eleitoral.

Cerca de 68,8 milhões de nigerianos estão aptos a votar, em meio a um ambiente de tensão devido ao risco de violência política e à ameaça de atentados islamitas.

Os candidatos a chefe de Estado são 14 e incluem, pela primeira vez, uma mulher. Participam da disputa, que deve ser acirrada, o atual presidente Goodluck Jonathan e o ex-general Muhammadu Buhari, que dirigiu a Nigéria, à frente de uma junta militar, de 1983 a 1985.

Jonathan, de 57 anos, é cristão do Sul e tem sido muito criticado pela incapacidade de conter as ações do grupo radical islâmico Boko Haram, que em seis anos causou cerca de 13 mil mortes.

Buhari, de 72 anos, é muçulmano originário do Norte e construiu uma reputação de incorruptível.

A Nigéria está praticamente dividida entre o Norte, de maioria muçulmana, e o Sul, majoritariamente cristão, com Buhari e Jonathan buscando o apoio de suas regiões.

As eleições presidenciais e legislativas no mais populoso país africano foram adiadas seis semanas (estavam previstas para 14 de fevereiro), para combater a organização Boko Haram no Nordeste, durante operação regional.

Nas últimas semanas, o Boko Haram perdeu a maioria das localidades que ocupava mas, segundo especialistas, poderá recorrer a ataques suicidas e tentar repetir os massacres, sobretudo no Norte do país.

Há ainda um temor em relação à violência política pós-eleitoral. Nas eleições anteriores, em 2011, cerca de mil pessoas morreram em confrontos depois de ter sido anunciada a derrota de Buhari para Jonathan.

O chefe da Comissão Eleitoral, Attahiru Jega, disse que “tudo o que é humanamente possível” foi feito para garantir eleições credíveis, mas a oposição alertou que os resultados serão pouco credíveis se os milhões de deslocados do Norte não puderem votar.

As fronteiras marítimas e terrestres foram fechadas à meia-noite de quarta-feira (27) e os veículos estão impedidos de circular hoje entre as 8h e as 17h locais, exceto para “missões essenciais”.

A posse do novo presidente da Nigéria está marcada para 29 de maio.

- Assuntos: Nigéria, eleições, presidente, Parlamento, Boko Haram

Carta Mundial da Mídia Livre é lançada no Fórum Social na Tunísia

Ana Cristina Campos - Enviada Especial da Agência Brasil/EBC Edição: Graça Adjuto


A Carta Mundial da Mídia Livre, com princípios e ações estratégicas para promover uma comunicação democrática em todo mundo, foi lançada hoje (28) na Assembleia de Convergência pelo Direito à Comunicação, no último dia do Fórum Social Mundial, na Universidade El Manar, em Túnis, capital da Tunísia.

Entre as prioridades estabelecidas no documento estão o desenvolvimento de marcos democráticos de regulação da comunicação, por meio de órgãos independentes, o apoio aos meios de comunicação comunitários e a independência da mídia pública em relação ao governo e ao mercado.

A carta também defende a governança democrática da internet, incluindo a garantia de neutralidade da rede, o direito à vida privada e à liberdade de expressão, além da universalização do acesso aos meios de comunicação e à internet banda larga.

Após o lançamento da carta, os ativistas da comunicação pretendem construir parcerias com outros setores para a promoção dos princípios do documento e divulgar o documento em debates e fóruns de discussão sobre as mídias e a internet livres, entre outras iniciativas.

Comunicadores, blogueiros e representantes de movimentos sociais de diversos países debateram, desde o dia 22 de março, a liberdade de expressão e o direito à comunicação na quarta edição do Fórum Mundial de Mídia Livre (FMML) na Universidade El Manar. O FMML é um evento paralelo ao Fórum Social Mundial.

- Assuntos: Fórum Social Mundial, Tunísia, carta, mídia livre

Inca usa grafite como mensagem contra o tabagismo

Isabela Vieira - Repórter da Agência Brasil Edição: Beto Coura

História em quadrinhos do grafiteiro Tito alerta para os males do tabagismoTânia Rêgo/Agência Brasil

O Instituto Nacional do Câncer (Inca) aproveitou o Dia do Grafite, ontem (27), para lembrar os malefícios do cigarro. Na lateral do prédio do instituto, na zona portuária, no Rio de Janeiro, foi inaugurado um painel de 400 metros quadrados com uma cena do livro Zé Ninguém, do grafiteiro nova-iorquinho Tito. A cena é da primeira história em quadrinhos do mundo criada nas ruas.

“A história do Zé Pequeno não tem final feliz, mas essa é uma adaptação para falar às crianças. Achei um jeito leve e divertido de fazer o alerta sobre o cigarro”, disse Tito, que vive no Brasil há 11 anos e espalhou cenas de seu livro por todo o Rio. A saga de Zé Pequeno, personagem principal, começa na rodoviária, de onde parte em busca de seu grande amor, Ana.

O grafiteiro diz que procurou usar elementos da realidade infantil para mostrar como o cigarro é tóxico. “O vilão do livro tem um robô que usa como arma um maço de cigarro. Em uma hora, ele [sem querer] solta a fumaça de cigarro e prova do próprio veneno, que é o veneno do cigarro” conta Tito, alertando para letalidade do tabagismo.

O cigarro é responsável por cerca de 30% das mortes por câncer, sendo 200 mil só no Brasil. É considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte evitável no mundo e está relacionado a mais de 50 doenças, como a impotência sexual e a infertilidade masculina.

No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, o número de fumantes está em queda. O levantamento Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) 2013 mostra que o número de fumantes caiu para 11,3% da população. O percentual era três vezes maior no final da década de 1980. A meta do ministério é chegar a 9% até 2022.

- Assuntos: Inca, Dia do Grafite, Grafiteiro Tito, tabagismo, Combate ao fumo

Centro de referência LGBT é inaugurado em São Paulo

Flávia Albuquerque - Repórter da Agência Brasil Edição: Aécio Amado

O Centro de Cidadania LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros), no bairro do Arouche, na região central de São Paulo, foi inaugurado ontem (27) pelo prefeito Fernando Haddad e pela ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Ideli Salvatti. No local, vão trabalhar 20 profissionais, entre psicólogos, advogados e assistentes sociais, que prestarão atendimento às vítimas de homofobia. Elas receberão orientação jurídica e psicológica gratuitamente.

As pessoas também poderão assistir a palestras, debates e fazer testes de HIV. O centro substituirá o serviço da prefeitura que funcionava no Pátio do Colégio (local onde foi erguida a primeira construção que deu origem à cidade de São Paulo), também no centro. O espaço fica aberto de segunda-feira a sexta-feira, das 9h às 21h. Foi investido no centro um total de R$ 1,2 milhão, recursos da prefeitura e do governo federal.

De acordo com o coordenador de Políticas LGBT do município, Alessandro Melchior, o Largo do Arouche é um espaço bastante frequentado pela população LGBT. “Há registros de que a população LGBT frequenta o Largo do Arouche desde 1930. Uma das questões centrais da prefeitura foi a necessidade de que os serviços públicos cheguem aonde população está. A equipe é muito grande e este talvez seja o maior centro de referência LGBT do Brasil.”

A ministra Ideli Salvatti destacou a situação de vulnerabilidade da população LGBT. Por isso, esse grupo é um dos alvos das políticas públicas da secretaria. De acordo com Ideli, é necessário enfrentar o preconceito, a violência e o não reconhecimento do direito de a pessoa ser o que é.

“É um trabalho cotidiano que só pode ser feito com estrutura física e trabalho permanente de mudança da cultura. Toda forma de violência e de preconceito tem sua origem na afirmação 'eu tenho direito, ele não tem'. Há uma concepção de poder”, disse. A ministra ressaltou que essa população, muitas vezes, não sabe os direitos que tem, e a existência de um centro de referência é fundamental para acolher, orientar e encaminhar.

A coordenadora do Fórum Paulista LGBT, Fernanda de Moraes, avaliou que o centro representa um avanço e será um grande instrumento no combate à homofobia. “Este se tornará um polo e um ponto positivo para a população LGBT, porque reunirá serviços como o de psicologia, jurídico e assistência social. Isso será importante para agregar essa população que precisa desse atendimento para ter seus direitos garantidos.”

Segundo a Coordenadoria de Políticas LGBT do município, entre 2012 e 2013, a capital paulista registrou 450 casos de violação de direitos humanos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais.

- Assuntos: Centro LGBT

Mantega deixa o Conselho de Administração da Petrobras

Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil Edição: Aécio Amado

O ex-ministro da Fazenda Guido Mantega renunciou hoje (26) à presidência do Conselho de Administração da Petrobras e a uma cadeira como membro do colegiado. Para o lugar de Mantega , foi aprovado pelos conselheiros o nome do presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho. A informação é da assessoria de imprensa da Petrobras.

Coutinho é membro do Conselho de Administração da estatal desde abril de 2008. Ele faz parte também do Conselho de Administração da Petrobras Distribuidora (BR Distribuidora). Conforme estabelece a Lei das Sociedades Anônimas e o estatuto social da Petrobras, a eleição de Luciano Coutinho tem validade até a próxima assembleia geral de acionistas, cuja data não foi divulgada.

- Assuntos: Petrobras, conselho, mantega, renúncia, Luciano Coutinho, assembleia

Conselho da ONU cria relatoria especial sobre direito à privacidade

Da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso

O Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) adotou hoje (26) uma resolução proposta pelo Brasil e Alemanha, em parceria com Áustria, Liechtenstein, México, Noruega e Suíça, criando a relatoria especial sobre o direito à privacidade na era digital. A resolução foi aprovada por consenso pelo conselho.

De acordo com Ministério das Relações Exteriores, a relatoria terá mandato inicial de três anos e deverá reunir informações relevantes sobre o direito à privacidade, com a identificação de obstáculos à proteção do direito.

Também poderá tomar medidas para promover a defesa do direito à privacidade, além de relatar violações e submeter ao conselho casos mais graves. O relator especial deverá apresentar relatórios anuais ao conselho e à Assembleia Geral da ONU.

Em nota, o governo brasileiro elogiou a adoção da resolução pelo conselho da ONU e lembrou que a iniciativa dá seguimento à resolução sobre direito à privacidade na era digital, aprovada em dezembro de 2014 pela assembleia geral da organização.

“Por meio desta resolução, a Assembleia Geral instou o Conselho de Direitos Humanos a considerar a possibilidade de estabelecer um mandato para promoção e proteção do direito à privacidade. O Brasil, juntamente com os demais membros que apresentaram a resolução, conduziu as negociações que culminaram com a instituição do novo relator especial do Conselho de Direitos Humanos”, diz a nota divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores.

- Assuntos: ONU, resolução, relatoria, direito, privacidade

Morre no Rio o ator e comediante Jorge Loredo, o Zé Bonitinho

Paulo Virgílio - Repórter da Agência Brasil * Edição: Armando Cardoso

Personagem Zé Bonitinho, criado por Loredo, surgiu na década de 60, no programa Noites CariocasBT/Divulgação

Mais conhecido pelo personagem que criou, Zé Bonitinho, o ator e humorista Jorge Loredo morreu hoje (26) aos 89 anos, no Hospital São Lucas, em Copacabana, zona sul do Rio. Ele estava internado desde o último dia 12, na unidade cardiointensiva do hospital.

De acordo com nota divulgada pelo São Lucas, Loredo lutava há anos contra uma doença pulmonar obstrutiva crônica grave e um enfisema pulmonar e morreu de falência múltipla de órgãos.

Carioca criado no bairro de Campo Grande, zona oeste da cidade, Loredo teve a infância e a juventude marcadas pela doença. Aos 12 anos, foi diagnosticado com osteomielite na perna esquerda. Aos 20 anos, teve uma tuberculose e foi internado em um sanatório. Após receber alta, decidiu cursar uma escola de teatro, com a intenção de ser ator dramático. Em sua primeira audição, foi aprovado ao interpretar um monólogo cômico.

O personagem Zé Bonitinho surgiu na década de 60, no programa Noites Cariocas, da extinta TV Rio. Loredo buscou inspiração em um amigo com fama de conquistador e deu vida ao tipo que usava topete, bigodinho, gravata borboleta, grandes óculos, fazia trejeitos exagerados e se anunciava em bordões como irresistível e o “gostosão das mulheres”.

Com o personagem, Loredo passou por diversos programas humorísticos de televisão, entre eles a Escolinha do Professor Raimundo, comandada por Chico Anysio, e A Praça é Nossa, de Carlos Alberto da Nóbrega. Loredo também atuou no cinema. Sua filmografia soma 12 títulos, de 1959 a 2011.

Para o também comediante Castrinho, que conheceu o colega ainda nos tempos da TV Rio, Loredo era uma figura maravilhosa. “Guardadas as devidas proporções, ele conseguiu fazer de Zé Bonitinho o que Chaplin fez com Carlitos. Ninguém no mundo vai fazer o Carlitos e ninguém vai fazer o Zé Bontinho. Era uma coisa dele, criada por ele e para o público.

”Fora da vida artística, o comediante era advogado, especialista em direito previdenciário e do trabalho. O corpo de Jorge Loredo será velado a partir das 9h de amanhã (27), no Memorial do Carmo, no Caju, zona norte do Rio. A cerimônia de cremação está prevista para às 15h.

*Colaborou Glaucus Arruda, repórter do radiojornalismo da EBC no Rio de Janeiro

- Assuntos: Jorge Loredo, Zé Bonitinho, televisão, humor, comediante, cinema

Papa Francisco visitará a Casa Branca em setembro

Leandra Felipe - Correspondente da Agência Brasil/EBC Edição: Aécio Amado

O papa Francisco visitará o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, no próximo dia 23 de setembro. O encontro fará parte da agenda oficial do chefe da Igreja Católica durante visita aos Estados Unidos. A informação foi divulgada hoje (26) pela Casa Banca, em comunicado oficial.

Durante a visita, o papa deverá continuar os diálogos iniciados com Obama no ano passado, quando o presidente norte-americano esteve com o pontífice no Vaticano.

Em Washington, os dois continuarão a conversa sobre temas como a proteção dos pobres e excluídos, questões ambientais, integração de minorias religiosas e políticas para integração de imigrantes e refugiados.

Obama já demonstrou admiração pelo papa Francisco em várias ocasiões, por exemplo, quando agradeceu ao religioso pela mediação na reaproximação entre os Estados Unidos e Cuba, anunciada em dezembro.

De acordo com o cronograma do Vaticano, o papa estará nos Estados Unidos entre os dias 22 e 27 de setembro. Além da visita à Casa Branca, Francisco deve dirigir o Encontro Mundial de Famílias, na Filadélfia, e visitar a sede da Organização das Nações Unidas (ONU) em Nova York. Também está prevista uma palestra no Congresso norte-americano, o que poderia ocorrer no dia 24 de setembro.

- Assuntos: papa Francisco, Estados Unidos, Barack Obama

Coaf confirma recebimento de lista com 342 nomes relacionados ao HSBC na Suíça

Karine Melo - Repórter da Agência Brasil* Edição: Stênio Ribeiro

O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) confirma que recebeu, em outubro do ano passado, uma lista do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (CIJI) com o nome de 342 pessoas que tiveram ou mantinham relacionamento financeiro com o banco HSBC na Suíça.

Segundo o Coaf – unidade de inteligência financeira do Brasil – o cruzamento da lista com a base de dados do órgão identificou, em princípio, 60 nomes. “A maioria dos registros [70%] refere-se a comunicações automáticas provenientes do mercado segurador, comunicadas com base no enquadramento de contratação de seguros de danos por pessoas físicas com importância segurada cujo somatório, num mesmo ramo, seja igual ou superior a R$ 1 milhão”, informou hoje (26) a assessoria de imprensa do Ministério da Fazenda à Agência Brasil.

O Coaf explicou ainda que 15 das pessoas identificadas  constaram de relatórios de inteligência financeira, encaminhados anteriormente às autoridades competentes “para apurar, principalmente, indícios dos crimes de corrupção, tráfico de drogas e crimes fiscais”.

Já a Receita Federal, reafirma o conteúdo publicado em seu site, em 25 de fevereiro. A nota diz que prosseguem os procedimentos de pesquisa e investigação para a identificação de eventuais indícios da prática de ilícitos tributários por parte dos correntistas do banco, tanto os constantes da lista inicialmente obtida, em fevereiro, quanto os nomes divulgados hoje pela imprensa.

“A Receita Federal busca, entretanto, a obtenção de mais elementos que comprovem integralmente a autenticidade das informações”, destacou o órgão no comunicado oficial de fevereiro.

Em depoimento hoje (26) na CPI do HSBC, no Senado, o jornalista Fernando Rodrigues, do portal UOL acusou o Coaf e a Receita Federal de omissão em relação a nomes compartilhados pelo CIJI. Segundo o  grupo de jornalistas, mais de 8 mil correntistas brasileiros do banco na Suíça podem ter cometido crime de evasão fiscal de 2005 a 2007, ao abastecer as contas com recursos não declarados.

*Colaborou Daniel Lima

- Assuntos: Coaf, recebimento, lista, 342 nomes, relacionamento, HSBC, Suíça

Dilma sanciona lei que estende licença-maternidade de seis meses às militares

Luana Lourenço - Repórter da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso

A presidenta Dilma Rousseff sancionou a lei que estende às militares da Forças Armadas o direito à licença-maternidade de até seis meses. A lei já vigora para servidoras públicas civis e também beneficia algumas trabalhadoras de empresas privadas.

Publicada na edição de hoje (26) do Diário Oficial da União, a Lei 13.109 também garante o direito à licença-maternidade a mães que adotem crianças e licença-paternidade aos militares pais.

De acordo com o Ministério da Defesa, a lei beneficiará 23 mil mulheres das Forças Armadas. As mães poderão ter licença de até 180 dias, contados a partir do dia do parto ou do nono mês de gestação, mediante requerimento da interessada.

Para as adotantes, a licença-maternidade será de três meses, quando a criança for menor de 1 ano, e de 30 dias, quando a criança adotada tiver mais de 1 ano de idade. Nos dois casos, a lei prevê a possibilidade de prorrogação da licença à adotante por 45 e 15 dias, respectivamente.

Para os pais, a lei garante licença de cinco dias corridos a partir do nascimento ou adoção do filho.

O texto prevê ainda a possibilidade de mudança de função das militares grávidas, desde que atestada pela Junta de Inspeção de Saúde das Forças Armadas, e o direito de retornar ao cargo após o fim da licença.

- Assuntos: Dilma, diário oficial, militares, licença-maternidade

Projeto da Apae forma servidores para que identifiquem portadores de deficiência

Flávia Albuquerque - Repórter da Agência Brasil Edição: Marcos Chagas

Representantes de 37 cidades de São Paulo que participam do projeto Todos pelos Direitos: Deficiência Intelectual, Cidadania e Combate à Violência, da  Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), participaram hoje (26) de um encontro na capital paulista para articular, fortalecer e sensibilizar pessoas que atuam nas áreas da de assistência social, educação, saúde e justiça e segurança pública para os temas da deficiência, violência e da violação de direitos de crianças e adolescentes.

Segundo o psicólogo Marco Aurélio Teixeira de Queiroz, um dos coordenadores do projeto, o programa começou em 2011 e pretende unir os serviços para garantir os direitos das crianças e dos adolescentes com deficiência intelectual. “Queremos que esses atores [da sociedade] tenham uma formação e possam reconhecer os tipos de deficiência e como encaminhar os casos nos quais identificam algum tipo de violação de direitos”.

De acordo com dados do Disque 100, de fevereiro de 2011 a junho de 2013, foram registradas 1.209 denúncias, entre elas, 702 no estado de São Paulo. Esse número refere-se apenas a adultos, já que denúncias envolvendo crianças e adolescentes são encaminhadas ao Conselho Tutelar, como prevê o Estatuto das Crianças e Adolescentes (ECA), de 1990. O tipo mais frequente de violência foi a negligência (32%), seguido pela violência psicológica (29%), a violência física (20%) e a financeira (12%).

Em 72% dos casos, o agressor pertence à família da vítima. Os dados mostram que 14% das denúncias de violência aconteceram em atendimento público, empresas e entidades privadas. Apenas 11% das agressões são praticadas por desconhecidos, incluindo casos de bullying. Já 3% dos casos têm vizinhos como agressor.

Ele explicou que a Apae levanta as principais necessidades dos municípios interessados e organiza encontros com os setores envolvidos para avaliar as demandas. “O critério de escolha é populacional avaliando o coeficiente de crianças e adolescentes com deficiência e deficiência intelectual no município. Selecionamos as cidades que contemplavam faixa territorial maior em São Paulo”.

A proposta é de que cada cidade conheça profundamente o fluxo de denúncias e queixas de violência e violação dos direitos contra a pessoa com deficiência. “Propomos que a rede se articule para que o atendimento seja mais rápido e funcional. Com isso se economiza dinheiro público e evita-se o sofrimento da vítima”. Para Queiroz, o resultado mais importante do projeto é a retirada da invisibilidade dessa situação para a sociedade.

Segundo a psicóloga do Centro Integrado de Educação e Reabilitação (Cier), da Secretaria de Educação de Hortolândia, Cristina Maria Jundurian Fernandes, o projeto é importante porque apesar de ter um serviço implantado faltava a articulação de outros setores em rede. “O projeto veio a calhar porque estamos unindo todos os serviços e trabalhando integralmente. Já tínhamos um núcleo que trabalhava com violência, mas não estava incluída a violência contra a pessoa com deficiência. Isso foi importante porque tínhamos queixas de violação do direito, o que foi o mais importante para qualificar nossos serviços”.

O presidente do Conselho Municipal de Direitos da Criança e Adolescente, Dirceu Brás Pano, de Américo Brasiliense, contou que no município os funcionários dos serviços públicos não sabiam como identificar os portadores de deficiência intelectual. Acrescentou que o projeto sensibilizou os servidores para que pudessem aprender como identificá-los. “E o trabalho em rede colocado no projeto é espetacular porque identifica e encaminha a criança ou o adolescente para a área certa. Facilita muito e ajudou a expandirmos o projeto para crianças e adolescentes carentes e com problemas com drogas e álcool”, explicou.

- Assuntos: projeto, São Paulo, Apae, municípios, deficientes intelectuais, combate à violência, crianças, adolescentes

Acidente nos Alpes não é o primeiro com causa proposital, diz órgão de segurança

Giselle Garcia - Correspondente Agência Brasil/EBC Edição: Valéria Aguiar

A Fundação Internacional de Segurança do Voo (FSF, na sigla em inglês) divulgou hoje (26), por meio da Rede de Segurança da Aviação, uma lista com 13 casos em que pilotos ou copilotos provocaram (ou suspeita-se que tenham provocado) desastres aéreos intencionalmente. A lista foi divulgada após a confirmação de que o copiloto do avião da companhia alemã Germanwings, Andreas Lubitz, um jovem alemão de 28 anos, foi o responsável pela tragédia nos Alpes franceses.

O acidente mais grave registrado pela Rede de Segurança da Aviação ocorreu no dia 31 de outubro de 1999, quando um Boeing da Egypt Air, que decolou de Nova York, com destino ao Cairo mergulhou no oceano a 100 quilômetros ao sul de Nantucket, estado de Massachusetts, nos Estados Unidos. Morreram no acidente 217 pessoas.

Investigações do Conselho Nacional de Segurança em Transporte (NTSB, na sigla em inglês), concluíram que o acidente foi provocado pelo copiloto substituto, Gameel Al Batouti, por “razão indeterminada”. Gravações do interior da cabine mostraram que, segundos depois que o capitão deixou o cockpit para usar o lavatório, Batouti desligou o piloto automático enquanto repetia “Tawkalt ala Allah”, frase em árabe que significa “Eu confio em Deus”.

Em 19 de dezembro de 1997, um Boeing da SilkAir, em rota de Jacarta, na Indonésia, para Singapura, mergulhou no Rio Musi, no Sul da Sumatra, levando 104 pessoas à morte. Investigações da NTSB concluíram que o capitão, que tinha um histórico de problemas no trabalho, conduziu o avião à queda no momento em que o copiloto deixou a cabine.

No caso da Germanwings, o procurador francês Brice Robin afirmou hoje (26) que o copiloto estava sozinho no comando do avião no momento da queda e se recusou a abrir a porta da cabine para o piloto, que tinha deixado o cockpit para ir ao lavatório. Na gravação extraída de uma das caixas-pretas do avião, é possível ouvir o piloto gritando do exterior da cabine, pedindo para entrar, além de chamadas do controle de tráfego aéreo, que não foram respondidas.

De acordo com o procurador, a respiração de Andreas Lubitz também é audível nas gravações, o que prova que ele não perdeu a consciência durante a queda. Momentos antes da colisão, gritos de passageiros foram registrados.

Investigadores conduziram, nesta tarde, uma busca na casa de Lubitz, na cidade alemã de Montabaur, para levantar pistas que indiquem a motivação do copiloto em provocar a tragédia. Segundo informações da página de Lubitz no Facebook, que foi deletada, ele parecia ter uma vida normal, com interesses semelhantes aos de qualquer outro jovem de sua idade.

- Assuntos: desastre, alpes, copilotos, pilotos, Germanwings, Andreas Lubitz, segurança.

Renan Calheiros diz que criação do PL distorce o quadro partidário

Karine Melo - Repórter da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso

Para Renan Calheiros, o governo patrocina a redução do PMDBAntonio Cruz/Agência Brasil

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), criticou hoje (26) a possibilidade de criação do Partido Liberal (PL).

"Isto distorce o quadro partidário, que saiu das urnas. Os partidos têm o tamanho que têm porque conquistaram nas urnas. Como pode o governo patrocinar uma iniciativa que objetiva diminuir o tamanho do aliado? Isto é um péssimo exemplo da reforma política. Temos de acabar com a farra da criação de partidos. Do ponto de vista da articulação política do governo nos últimos meses, esta foi a pior criação", ressaltou.

O pedido de registro da  legenda foi protocolado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na terça-feira (24), véspera da sanção da lei que trata da criação e fusão de partidos. Aprovada pelo Congresso no dia 3 de março, a Lei 13.107 determina novas regras para fusão de partidos políticos.

Dois pontos da proposta foram vetados pela presidenta Dilma Rousseff. Um deles exigia o mínimo de cinco anos para fusão de partidos políticos. O outro garantia prazo de 30 dias e manutenção do mandato aos parlamentares que migrassem para partidos decorrentes de fusão.

Sobre o indexador das dívidas dos estados, que depende de regulamentação do governo, o presidente do Senado reiterou que a regulamentação é consequência. "Se o governo não a regulamenta, desfaz a eficácia da lei. Por isso, o prazo para que o governo regulamente. O Congresso será o Congresso. O Executivo tem de ser Executivo. E todos temos de conviver com harmonia", acrescentou.

Ontem (25), o Senado aprovou requerimento para tramitação com urgência de projeto obrigando a União a colocar em prática o novo indexador das dívidas dos estados e municípios. A expectativa é que o projeto PLC 15/15 seja votado na próxima terça-feira (31).



- Assuntos: Congresso, Renan Calheiros, PL, criação, crítica

Ipen normaliza fornecimento de substâncias usadas na medicina nuclear

Flávia Villela - Repórter da Agência Brasil Edição: Beto Coura

A paralisação do Instituto de Pesquisas Energéticas Nucleares (Ipen), em São Paulo, iniciada no dia 9 de março, chegou ao fim. Os funcionários reivindicavam a manutenção de uma gratificação que havia sido retirada no mês passado. Por meio de decreto publicado no Diário Oficial da União no dia 20, ficou garantida a concessão da gratificação específica de produção de radioisótopos e radiofármacos.

A produção e o fornecimento de produtos para a medicina nuclear, como o Flúor-14, estão normalizados desde terça-feira. A substância é utilizada no exame PET-CT, que ajuda a diagnosticar doenças como o câncer de pulmão, câncer colorretal e linfomas de Hodgkin e Não-Hodgkin. A greve colocou em alerta as entidades de medicina nuclear e laboratórios, porque o Ipen é o fornecedor de material radioativo médico do país.



- Assuntos: Instituto de Pesquisas Energéticas Nucleares, Ipen, Greve no Ipen, exame PET-CT, Flúor-14

SwissLeaks: lista de correntistas do HSBC inclui políticos de cinco partidos

Da Agência Brasil Edição: Lana Cristina e Juliana Andrade

Na lista dos 8.667 brasileiros que, em 2006 e 2007, tinham contas numeradas (sigilosas) no banco HSBC da Suíça estão políticos de cinco partidos. Segundo reportagem publicada na edição de hoje (26) do jornal O Globo, quatro são do estado do Rio de Janeiro: o primeiro vice-presidente do PSDB-RJ, Márcio Fortes; o ex-prefeito de Niterói Jorge Roberto Silveira (PDT); o secretário de Obras na gestão de Silveira, José Roberto Mocarzel; e o vereador Marcelo Arar (PT). Todos negaram o envolvimento em irregularidades.

A investigação jornalística sobre o caso, conhecida como SwissLeaks, é comandada pelo ICIJ, sigla em inglês para Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos. As investigações dão conta, até o momento, de que houve sonegação e evasão fiscal por parte do banco e de alguns correntistas.

Ter uma conta numerada no exterior não pressupõe crime. Isso só ocorre quando o contribuinte não declara à Receita Federal e ao Banco Central que mantém valores fora do país. Nesse caso, o cidadão pode ser processado por evasão de divisas e sonegação fiscal.

Também constam do levantamento, feito pelo O Globo em parceria com o portal UOL, os nomes de Lirio Parisotto, que é suplente de senador pelo PMDB-AM, e do presidente nacional do PTC, Daniel Tourinho. Estão na lista ainda duas irmãs do deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) e três filhos do prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda (PSB-MG). Os três, no entanto, apresentaram comprovantes de que as contas foram declaradas à Receita e ao Banco Central.

Das três contas relacionadas a Márcio Fortes, duas foram abertas em 1991. Na época, ele era presidente do Banco do Estado do Rio de Janeiro (Banerj). Essas contas foram fechadas em 2003 e 2004. Nesse período, Márcio Fortes foi eleito deputado federal. Na declaração de bens enviada em 1998 ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ), Fortes não informou que tinha as contas no HSBC suíço.

Ele abriu a terceira conta em dezembro de 2003, ano em que assumiu o terceiro mandato. O saldo era US$ 2,4 milhões em 2006/2007. No ano de 2006, ele não conseguiu ser eleito deputado. Segundo a apuração do jornal O Globo, na declaração apresentada ao TRE-RJ, também não foi informado que tinha conta na Suíça. À reportagem do jornal, Fortes reconheceu a existência de duas contas, que, segundo ele, eram regulares. Em relação à terceira conta, o tucano disse desconhecê-la.

O texto informa que Jorge Roberto Silveira e José Roberto Mocarzel começaram a fazer depósitos, respectivamente, em julho de 1993 e janeiro de 1991. Ambos encerraram suas contas em abril de 2003. Em 2006/2007, as contas estavam zeradas. A reportagem do jornal não conseguiu localizar Silveira. O advogado dele, Murilo Heusi, não quis comentar o assunto. Mocarzel, por meio de seu advogado, Guilherme Mathias, disse desconhecer a existência de contas em seu nome no HSBC.

Marcelo Arar aparece como dono de duas contas numeradas abertas conjuntamente com duas pessoas de mesmo sobrenome. Uma foi criada em 1990 e encerrada oito anos depois. A segunda foi aberta em março de 1998 e permanecia ativa até 2006/2007, com saldo de US$ 247.812. Em 2008, ele concorreu ao cargo de vereador no Rio pelo PSDB, foi eleito suplente e, na declaração de bens à Justiça Eleitoral, não informou a conta na Suíça. Em 2012, foi eleito vereador e também não declarou os valores ao TRE-RJ. O vereador negou, por e-mail enviado ao O Globo, ter dinheiro fora do país.

De acordo com a publicação, o nome de Lirio Parisotto está relacionado a cinco contas ativas no HSBC suíço em 2006/2007, com saldos que variam de US$ 1 mil a US$ 45 milhões. Dono de uma fábrica de materiais plásticos, Parisotto foi eleito segundo suplente do senador Eduardo Braga (PMDB-AM), em 2010, e também não declarou as contas na Suíça à Justiça Eleitoral. Procurado pela reportagem, informou que todos os seus bens e valores foram declarados à Receita Federal e ao Banco Central.

Daniel Tourinho teve duas contas relacionadas a seu nome no período de 2 de março a 6 de novembro de 1992. Ambas estavas zeradas em 2006/2007. Tourinho não respondeu ao contato feito pelo jornal até o fechamento da reportagem.

As duas irmãs do deputado Paulo Maluf aparecem com quatro contas no HSBC suíço. Therezinha Maluf Chamma, de 86 anos, tinha saldos que variavam de US$ 20 mil e US$ 1,7 milhão no período analisado. Therezinha disse que nunca teve dinheiro no banco e negou qualquer relação financeira com o irmão. Nelly Maluf, que morreu em 2014 aos 89 anos, estava com saldo zerado.

- Assuntos: Swissleaks, HSBC, contas, Suíça, políticos, partidos políticos, lista, brasileiros

Jornalista diz que Receita e Coaf se omitiram sobre depósitos no HSBC na Suiça

Karine Melo - Repórter da Agência Brasil Edição: Marcos Chagas

Na CPI do HSBC do Senado, Rodrigues detalha possíveis esquemas de evasão de divisas e sonegação fiscal de correntistas brasileiros do HSBCAntonio Cruz/Agência Brasil

O jornalista Fernando Rodrigues, do Portal UOL, disse hoje (26), que o Conselho de Controle das Atividades Financeiras (Coaf) e a Receita Federal do Brasil se omitiram no caso que analisa dados vazados sobre correntistas do banco HSBC, em Genebra, incluindo 8.677 brasileiros. Ele prestou depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do HSBC do Senado, nesta quinta-feira (26).

Rodrigues, que participa do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos, teve acesso à lista de correntistas copiada por um funcionário do HSBC. Ele disse aos senadores que em setembro de 2014, o grupo de jornalistas que trabalha nessa apuração compartilhou com o Conselho de Controle das Atividades Financeiras (Coaf) uma amostra de 342 nomes – 3% do total- que, segundo ele, foram os primeiros que estavam tabulados .

"O Coaf não fez nada. A ideia era, evidentemente, que pudesse haver uma colaboração entre a investigação jornalística e o interesse do Estado brasileiro nesse episódio. Não se requeria, evidentemente, do Coaf e nem do Estado brasileiro, que se quebrassem sigilos porque seria um crime”. O jornalista acrescentou que “seria importante que o Coaf pudesse pelo menos dizer, com a colaboração de outras agências de controle no Brasil, como a Receita Federal, o Banco Central, se naquela lista, naqueles 3%, havia alguém que não tinha declarado ao Imposto de Renda, não havia declarado ao Banco Central. Sem dizer quem era, poderia dizer: olha, de 300 e poucos nomes, temos 10% que, de fato, declararam".

Ele afirmou que a Receita Federal “não fez nada, mas vazou os dados de maneira indiscriminada”, cometendo um crime, portanto, ao divulgar nomes sem ter investigado os trezentos e poucos nomes e sem dizer se haviam declarado Imposto de Renda ou relatado ao Banco Central a existência de contas no HSBC na Suíça, nos anos de 2007 e 2008.

Fernando Rodrigues pediu aos senadores cuidado na revelação dos nomes de brasileiros que constam na lista. Segundo ele, apesar de a maioria das pessoas que integram a lista não terem “expressão pública”, podem estar entre os que não pagaram impostos. “Podem ser pessoas que cometeram crimes e são anônimas, podem ser pessoas que praticaram evasão de divisas e podem ser, também, pessoas que têm contas legais lá fora. Pode ser tudo, o que só vai ser possível responder depois que cada um for devidamente escrutinado, tiver os seus dados checados junto aos registros da Receita Federal do Brasil e do Banco Central do Brasil", alertou o jornalista.

O jornalista Chico Otávio, de O Globo, também participou da audiência pública da CPI do HSBC, nesta quinta-feira. Ele destacou que de todas as pessoas citadas até agora, cerca de 140, apenas quatro efetivamente apresentaram documentos. "Outras disseram que declararam, outras disseram que não havia nenhuma irregularidade com as contas e outras simplesmente disseram desconhecer a existência dessas contas, embora em algumas delas nós tivéssemos encontrado, com relação aos anos de 2006 e 2007, algum depósito, algum valor depositado".

Na reunião, o vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), criticou a omissão das autoridades brasileiras em relação aos investimentos feitos por brasileiros no exterior e a demora na investigação do fluxo desses recursos. Para ele, o Brasil segue caminho diferente do adotado pela França, que desde 2008 intensificou a atuação nessa área e teve uma expressiva recuperação de valores.

O ex-secretário da Receita Federal, Everardo Maciel, que também era esperado para a audiência pública da comissão, não compareceu. Ele alegou limitações na agenda e pediu que seja marcada uma nova data para sua participação na CPI. Os próximos depoentes na CPI do HSBC serão o secretário da Receita, Jorge Rachid e o presidente do Coaf, Antônio Gustavo Rodrigues. Eles serão ouvidos na quarta-feira (1º), às 9h.

- Assuntos: CPI do HSBC, Senado, jornalista, Fernando Rodrigues, lista, Receita Federal, Coaf, omissão

Atuação do Banco Central foi tempestiva e independente, afirma diretor

Mariana Branco - Repórter da Agência Brasil Edição: José Romildo

O diretor de Política Econômica e Assuntos Internacionais, Luiz Awazu Pereira da Silva, disse hoje (26), ao comentar o Relatório Trimestral de Inflação do Banco Central (BC), que a autoridade monetária atuou de forma "tempestiva e tecnicamente independente" para cumprir seu papel de controle da inflação e estabilização da economia.

Awazu deu a declaração ao responder a questionamento sobre a efetividade da atuação do BC, já que a projeção de inflação da própria autarquia para este ano, de 7,9%, extrapola o teto da meta estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), que é 6,5%. O centro da meta é 4,5%, com tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo.

"O BC atuou de maneira determinada desde abril de 2013 na frente do combate à inflação, da manutenção da estabilidade. Desse ponto de vista, nossa atuação foi tempestiva, tecnicamente independente e se endereçou em momentos complexos aos problemas que se colocavam para o Brasil", disse o diretor, em entrevista para detalhar as previsões do relatório.

Além da projeção para 2015, o documento estima inflação de 4,9% no fim de 2016 e de 4,7% no primeiro trimestre de 2017. No cenário de mercado, que incorpora dados de pesquisa  do BC junto a investidores, as projeções indicam inflação de 7,9% em 2015, 5,1% em 2016 e 4,9% no primeiro trimestre de 2017. As estimativas são para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). O Banco Central também espera retração de 0,5% do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e riquezas produzidos por um país) para este ano. Para Awazu, a previsão relativa ao PIB é "realista". Ele ressaltou que foi levada em conta a perspectiva de redução dos investimentos da Petrobras, afetada pelas investigações da Operação Lava Jato.

Awazu reafirmou que a expectativa do BC para 2016 é retomada de um cenário mais favorável para a inflação. A autoridade monetária vem divulgando, há algum tempo, a avaliação de que a pressão inflacionária é resultado de dois movimentos de ajustes de preços. Um é o dos preços externos, impactados principalmente pelo fortalecimento do dólar. O outro é o dos preços administrados, como o da energia e da gasolina. Segundo o diretor do BC, o objetivo é que os efeitos desses fenômenos fiquem circunscritos à inflação de 2015.

Na avaliação dele, as previsões do cenário de mercado indicam que os efeitos da atuação da autoridade monetária já se fazem sentir.“Os efeitos se fazem sentir, sim, em 2015, através dessa redução das expectativas [para a inflação] no médio e longo prazo”, declarou. O diretor do BC citou fatores positivos que, na visão da autoridade monetária, tornam “factível” alcançar o centro da meta de inflação estabelecido pelo CMN ao longo do ano que vem.

Awazu ressaltou que ajustes macroeconômicos - como o pacote fiscal do governo - potencializam os efeitos da política monetária. Destacou, ainda, que o aumento dos preços administrados se concentrará no primeiro trimestre e que o mercado de trabalho está menos tensionado. Por fim, segundo o diretor, movimentos como a queda de preços das commodities (produtos básicos com cotação internacional) atenuam os efeitos do repasse da alta dólar para os preços da economia doméstica. Apesar de positivos, o BC considera que esses sinais ainda não são suficientes e por isso, destacou Awazu, a política monetária precisa continuar “vigilante”.


- Assuntos: economia, PIB, crescimento, inflação, banco central, política monetária

CCJ adia análise de proposta que reduz maioridade penal

Yara Aquino - Repórter da Agência Brasil Edição: Graça Adjuto

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), da Câmara dos Deputados, adiou a análise da admissibilidade da emenda à Constituição que reduz a maioridade penal dos atuais 18 para 16 anos, prevista para hoje (26). Após encerrar a reunião sem colocar a proposta em votação, o presidente da CCJ, deputado Arthur Lira (PP-AL), informou que pautará o tema como item único das sessões extraordinárias até que o colegiado delibere sobre a admissibilidade do texto.

A reunião foi encerrada em função da ordem do dia no plenário da Câmara. Pelo regimento, as comissões não podem deliberar quando houver votação em plenário. A próxima sessão extraordinária ficou marcada para segunda-feira (30). Lira disse que convocará sempre uma reunião ordinária e uma extraordinária. Segundo ele, o tema está atrapalhando o andamento dos demais processos da CCJ.

A emenda à Constituição era o segundo item da pauta, mas deputados discordaram da ata da última reunião e não foi possível avançar na discussão da Proposta de Emenda à Constituição 171/93. Alguns deputados disseram que havia manobra de colegas para atrasar a discussão até começar a ordem do dia, para que a reunião fosse encerrada sem a votação da matéria.

O deputado Alessandro Molon (PT-RJ) disse que o assunto é complexo e não deve ser tratado com pressa pela comissão. Ele defendeu que seja realizada nova audiência pública em substituição à que foi interrompida na última terça-feira (24), após tumulto. “Esse não é um debate simples. Fiz pedido para que respeitássemos a audiência pública aprovada nessa comissão e que não foi realizada. Não entendo como os membros dessa comissão não querem ouvir promotores, defensores públicos, advogados que atuam com essa questão. Quem imagina que votar uma PEC dessa importância com pressa valoriza a CCJ, não sabe o que está falando”, disse.

O presidente Arthur Lira argumentou que haverá tempo suficiente para o debate após a votação na CCJ. “Essa matéria, por importante que seja, vai ter tempo na comissão especial – se por acaso for aprovada – de discutir, de debater, mais duas votações na Câmara, mais uma comissão especial no Senado, mais duas votações no Senado. Acho que isso vai dar dois, três, quatro anos de discussão. E esse tema está atrapalhando o andamento dos processos da CCJ”, avaliou.

Integrantes de movimentos sociais que são contra a redução da maioridade penal acompanharam a sessão com faixas. Após o fim da reunião, gritaram palavras de ordem contra a redução e houve um princípio de discussão. Um pequeno grupo a favor da redução também marcou presença com uma faixa.

- Assuntos: CCJ, maioridade penal, redução

MEC prorroga prazos para envio dos dados do Censo da Educação Superior

Da Agência Brasil Edição: Marcos Chagas

O Ministério da Educação prorrogou os prazos para as universidades federais enviarem os dados relativos ao Censo da Educação Superior 2014. Agora, as informações consolidadas que refletem a situação das universidades federais em todo o país devem ser apresentadas até 29 de maio. A alteração foi publicada no Diário Oficial da União de hoje (26).

Da coleta até a autenticação, quando passa a valer como estatística oficial, o trabalho é divido em cinco etapas: abertura do Sistema do Censo da Educação Superior na internet; período de coleta de dados, feita pela digitação nos questionários online; verificação da consistência das informações; conferência, ajustes e a validação dos dados pelas universidades federais e o período de homologação das informações como estatística oficial.

A fase de abertura está em vigor desde 9 de fevereiro. A etapa de coleta se estende até o dia 10 de abril. A verificação de consistência dos dados passa a valer do dia 13 de abril ao dia 17 do mesmo mês. Para a conferência dos dados, os dias vão de 20 de abril a 15 de maio. Os dados consolidados devem ser homologados até 29 de maio.

As instituições podem acessar o sistema pela página do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

- Assuntos: Ministério da Educação, censo da educação superior 2014, dados, prorrogação, universidades federais

Graça Foster diz que Petrobras foi surpreendida pela Operação Lava Jato

Luciano Nascimento - Repórter da Agência Brasil Edição: Marcos Chagas

A ex-presidenta da Petrobras Graça Foster depõe na CPI da Câmara que investiga a estatalMarcelo Camargo/Agência Brasil

Em depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, a ex-presidenta da empresa Graça Foster disse que apesar dos mecanismos de controle de órgãos como o Tribunal de Contas da União (TCU) terem melhorado a gestão da companhia, a corrupção foi descoberta pela polícia.

"Eu defendo os órgãos de controle da Petrobras, mas o grande descobridor [da corrupção na empresa] foi a Polícia Federal. Não posso negar que tanto o TCU [Tribunal de Contas da União], quanto a CGU [Controladoria-Geral da União] colaboram com a nossa gestão”, destacou Foster. Acrescentou que não foi a transparência da estatal ou um auditor independente o responsável pela descoberta dos problemas. Ela frisou que a corrupção na Petrobras foi apurada “pelas investigações da polícia".

De acordo com Graça Foster, a Operação Lava Jato trará "muitos aprendizados" para a empresa mas, mesmo assim, a Petrobras tem superado as barreiras e a estatal ficou surpresa com a deflagração da Lava Jato.

"Essa operação atrasa nosso balanço e isso dificulta o acesso ao mercado financeiro. Mas, em 2014, com toda dificuldade, batemos os recordes da Petrobras", ressaltou a ex-presidenta. Ela disse que o atual presidente, Aldenir Bendine, está trabalhando para que a empresa apresente o balanço e "vire a página".

Foster, que se aposentou da Petrobras, falou sobre as denúncias envolvendo a formação de cartel nas licitações para a realização de obras da empresa, investigadas na Lava Jato. Segundo ela, "mesmo a distância", a preocupação maior é com a manutenção dos empregos. “A Operação Lava Jato levou a Petrobras a determinadas situações preventivas a respeito de diversas empresas apontadas como parte de um cartel. Só isso já impede, atualmente, a Petrobras de continuar contratando-as”.

A ex-presidenta acrescentou que o governo já está agindo para harmonizar esse quadro. “Acredito em uma situação em que o governo possa se harmonizar, para a manutenção de empregos no Brasil. Sou defensora do emprego dentro da racionalidade. Temos condições de manter dentro da racionalidade, dentro da competitividade", afirmou.

Ao ser perguntada a respeito da taxa de extração nas bacias do pré-sal, Foster disse que ficam em torno de 85%, chegando a 100% em algumas bacias. "É a oportunidade real, devemos estar de olho na economia para poder fazer o melhor aproveitamento das reservas". Ela defendeu as descobertas do pré-sal como "grande oportunidade" para o país.

- Assuntos: CPI da Petrobras, Graça Foster, Operação Lava Jato, Polícia Federal

CPI do HSBC aprova convite para ouvir ministro da Justiça

Karine Melo — Repórter da Agência Brasil Edição: Denise Griesinger

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do HSBC aprovou nesta quinta-feira (25) um convite para que o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, compareça à comissão para falar sobre as providências tomadas pelo governo brasileiro em relação às denúncias de que mais de 8 mil correntistas brasileiros do banco na Suíça podem ter cometido crime de evasão fiscal.

Além do ministro da Justiça, também foram aprovados convites para o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, e para o presidente do Conselho de Controle das Atividades Financeiras (Coaf), Antônio Gustavo Rodrigues. A ideia da comissão é ouvir os três e o ex-secretário da Receita, Everado Maciel, que não pôde comparecer à comissão hoje, na mesma data que ainda será marcada.

Entre os requerimentos aprovados, há ainda os convites para o diretor de Fiscalização do Banco Central, Anthero Moraes Meirelles, para o diretor do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional do Ministério da Justiça, Ricardo Andrade Saadi, e para o presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Murilo Portugal Filho. As datas ainda serão acertadas com as autoridades convidadas.

Na próxima terça-feira (31), os integrantes da CPI vão se reunir às 16h com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e com o secretário de Relações Internacionais da Procuradoria-Geral da República, Vladimir Aras, para ter informações do procedimento do Ministério Público Federal em relação a esse caso e discutir o compartilhamento de informações.

- Assuntos: CPI do HSBC, ministro da justiça