A Cabriola Cia de Teatro está entre os melhores do Brasil

Melhores do Ano de 2014 no Teatro para a Infância e Juventude no Brasil

Importantes espetáculos e ótimas iniciativas ocorridas no Brasil são o destaque da lista do ALMANAQUE VIRTUAL - Cultura em Movimento (por Ricardo Schopke)

O Espetáculo "A História Que a Manhã Contou ao Tempo" da Cabriola Cia de Teatro, recebeu mensão honrosa pela boa concepção cênica e seriedade no segmento para a infância e juventude.

Leia sobre o espetáculo Clicando AQUI

Fonte: Almanaque Virtual

Hollande elogia ação da polícia e convoca população para marcha de domingo

Danilo Macedo - Repórter da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso


Presidente François Hollande ressaltou a necessidade dos franceses serem cautelosos neste momento Yoan Valat/EPA/Agência Lusa

O presidente da França, François Hollande, elogiou a ação das forças de segurança que resultaram na morte de três terroristas, pouco depois das 17h de hoje (14h no horário de Brasília). Dois deles atacaram o semanário satírico francês Charlie Hebdo e um fez cinco reféns em um supermercado judeu. Os dois atentados acabaram com 19 mortos e 20 feridos.

O líder francês pediu “vigilância” à população, ressaltando a necessidade dos franceses serem “cautelosos” neste momento, mesmo com a segurança reforçada no país. Após três dias do atentado ao jornal, Hollande disse que o país “enfrentou”, mas “ainda não pôs fim, às ameaças de que é alvo”.

“A França, apesar de estar consciente de as ter enfrentado, apesar de saber que pode contar com as forças de segurança, com homens e mulheres capazes de atos de coragem e bravura, ainda não acabou com as ameaças”.

Como fez logo após o ataque à sede do semanário Charlie Hebdo, Hollande pediu unidade à nação. “Venho apelar para a vigilância, unidade e mobilização”, disse. O presidente ressaltou que a França deve rejeitar o racismo e o anti-semitismo. Acrescentou que os responsáveis pelo atentado são “fanáticos” e que “não têm nada a ver” com a religião muçulmana.

O líder francês agradeceu os gestos de solidariedade dos vários chefes de Estado e populações de diferentes países e chamou os franceses a participarem da marcha marcada para a tarde de domingo (11), em Paris. A manifestação havia sido convocada imediatamente depois do atentado contra o jornal Charlie Hebdo.

- Assuntos: França, presidente, Charlie Hebdo, terroristas, pronunciamento

Em meio a críticas à prisão, comissão de defensores de farmacêutica é dissolvida

Helena Martins - Repórter da Agência Brasil Edição: Fábio Massalli

A comissão de defensores públicos que defendia a farmacêutica e pesquisadora Mirian França, suspeita de matar a italiana Gaia Molinari, em Jericoacoara, no Ceará, foi dissolvida ontem (9) pela Defensoria Pública Geral do Ceará. Com a mudança, o defensor público Emerson Castelo Branco, crítico à prisão de Mirian, foi afastado do caso. Segundo a Defensoria Geral do Estado, a dissolução ocorreu porque a comissão foi formada provisoriamente durante o recesso forense, que terminou na terça-feira (6). Com a normalização dos trabalhos, um novo grupo de defesa foi formado.

O órgão manteve a defensora Gina Moura no caso por ela ser integrante do Núcleo de Atendimento ao Preso Provisório e às Vítimas da Violência (Nuapp) e por ter competência de atuar nos presídios femininos, conforme nota da defensoria e incluiu o defensor Martônio Brandão, que atua na comarca de Acaraú, cidade localizadas nas proximidades de Jijoca de Jericoacoara, para ter “o pronto acompanhamento in loco da persecução penal”. Para Jijoca, foi encaminhado o pedido de habeas corpus, também na terça-feira, o qual segue sem resposta oficial.

A mudança ocorre em meio a discussões sobre o processo, as quais têm gerado polêmicas entre as forças policiais e a defesa de Mirian. Na segunda-feira (5), o defensor Emerson Castelo Branco afirmou, em coletiva, que a prisão de Mirian era ilegal. Na ocasião, ele destacou que a farmacêutica tem colaborado ativamente com as investigações, prestado depoimentos e participado de acareações, inclusive quando ainda não tinha defesa constituída. Emerson também contestou a versão da polícia, segundo a qual Mirian teria “mentido”. Ele afirmou que as contradições no depoimento da jovem foram mínimas e que isso não justificaria a prisão preventiva.

Em resposta às declarações, a Associação dos Delegados de Polícia Civil do Estado do Ceará (Adepol) veio a público, ontem (9), e criticou a atuação da defensoria, sobretudo de Castelo Branco, citado nominalmente na nota da associação. No texto, as críticas feitas por ele são tomadas como “subjetivas e até pessoais”. “Em atitude precipitada e, sobretudo, sensacionalista em que, claramente, buscou atrair para si os efeitos midiáticos decorrentes da morte da estrangeira, esqueceu o nobre defensor que o sistema criminal pátrio não é composto, tão somente, do organismo policial, mas também do Ministério Público e do Poder Judiciário e da própria advocacia”, diz a nota.

Em entrevista à Agência Brasil, Castelo Branco classificou a situação como “lamentável”. “A polícia interferiu na minha independência funcional”, disse. O defensor também rebateu as afirmações de que a atuação seria midiática. A atuação do defensor foi defendida pela Associação dos Defensores Públicos do Estado do Ceará (ADPEC) e pela Associação Nacional dos Defensores Públicos (Anadep), que afirmaram, em nota, que ele foi injustamente ofendido “por conta do desempenho de sua conduta funcional”.

Procurado pela Agência Brasil, o presidente da Adepol, Milton Castelo, evitou falar sobre o assunto para não comprometer as investigações sobre o assassinato de Gaia Molinari. Por meio da assessoria de imprensa da entidade, ele disse que as manifestações do defensor mostram repúdio à atuação do organismo policial e acrescentou que a nota da Adepol não pedia a saída de Castelo Branco do caso, embora tenha manifestado discordância em relação aos posicionamentos dele. Quanto à autonomia dos defensores, ele disse que os defensores são advogados como outros quaisquer e que não têm autonomia funcional distinta dos demais profissionais.

A advogada de Mirian, Gina Moura, disse que a defesa tem agido conforme as regras. "O objetivo não é criar um problema institucional, até porque todas as considerações que foram postas são de ordem técnica”, disse. Segundo a defensora, que discorda da necessidade da prisão preventiva de Mirian, não existe nada de excepcional em se criticar tecnicamente e juridicamente uma prisão. "Os argumentos que foram levantados pela defensoria não tinham o objetivo de atingir pessoas ou instituições, mas sim algumas questões jurídicas relativas à coleta dos dados”.

- Assuntos: Mirian França, Gaia Molinari, Defensoria Pública, Adepol, Jericoacoara

Distribuidoras propõem reajuste de energia elétrica para aliviar caixa

Pedro Peduzzi - Repórter da Agência Brasil Edição: José Romildo

O presidente da Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee), Nelson Leite, defendeu hoje (9), como possível solução para os problemas de caixa das distribuidoras de energia elétrica, a aplicação de um reajuste tarifário extraordinário. Leite fez a proposta após participar de encontro com o ministro das Minas e Energia, Eduardo Braga, e representantes de associações ligadas ao setor de energia.

Após a reunião, que ocorreu na sede do Ministério das Minas e Energia, o ministro Eduardo Braga disse que ouviu as propostas das distribuidoras e que o governo está trabalhando na busca de uma “solução estrutural” para os problemas do setor.

A sugestão, segundo ele, objetiva encontrar formas de compensar o valor gasto a mais pelas distribuidoras na compra de energia, em razão do baixo volume dos reservatórios das usinas hidrelétricas e da necessidade de acionamento de usinas termelétricas. Para liquidar débitos referentes a novembro do ano passado, as distribuidoras terão de desembolsar R$ 1,6 bilhão. Em relação a dezembro, são necessários mais R$ 900 milhões.

Na opinião de Leite, a medida deveria vir acompanhada também da disponibilização de mais empréstimos de bancos públicos.

“Para a Abradee, o empréstimo é [uma alternativa para lidar com uma situação] emergencial. A revisão tarifária extraordinária é [opção] estrutural e começaria a ser [aplicada] a partir de fevereiro, de acordo com o calendário [de reajustes] de cada distribuidora”, disse Leite.

Em reunião ontem entre Braga e a presidenta Dilma Rousseff, ficou definido o adiamento do prazo para pagamento da dívida das distribuidoras, do próximo dia 13 para 30 de janeiro. Em geral, as liquidações são feitas dois meses após o mês de referência. “A exposição referente a janeiro será paga em março. Temos portanto de desenhar até março a solução. Na terça-feira (13) deveremos avançar na busca por definir essas soluções”, acrescentou o presidente da Abradee.

- Assuntos: distribuidoras, Caixa, reajustes, empréstimos, Minas e Energia

Termina hoje prazo para gestores cadastrarem dados de saúde do Bolsa Família

Paula Laboissière - Repórter da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso

Termina hoje (9) o prazo para que gestores municipais registrem os resultados do acompanhamento das condicionalidades de saúde no sistema de gestão do Programa Bolsa Família (dados relacionados à segunda vigência de 2014). As informações devem ser incluídas no sistema DataSUS, do Ministério da Saúde.

O registro mostra a situação do acesso de famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza à rede de atenção básica e fornece informações relevantes para o aprimoramento da gestão municipal.

Dados do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome indicam que, das 14 milhões de famílias inscritas no programa, 11,6 milhões têm o perfil de acompanhamento da condicionalidade de saúde.

- Assuntos: bolsa família, MDS, saúde, Gestores, cadastro, prazo

Paris: dois suspeitos do atentado ao Charlie Hebdo são mortos

Da Agência Lusa

Os irmãos Said e Cherif Kouachi, suspeitos do atentado de quarta-feira (7) ao jornal satírico Charlie Hebdo, foram mortos pela polícia francesa após intensa perseguição e cerco policial.

Várias explosões e tiros foram ouvidos nas proximidades da empresa gráfica na localidade de Dammartin-en-Goële, a noroeste da capital, Paris, onde os irmãos se refugiaram nesta manhã, depois de uma troca de tiros com a polícia francesa, fazendo pelo menos um refém.

Segundo a agência de notícias France Presse, os suspeitos saíram atirando contra os policiais que cercavam o prédio. A polícia conseguiu libertar um refém que os suspeitos mantiveram em cativeiro durante várias horas.

*O texto foi ampliado às 14h47




- Assuntos: suspeitos, mortos, Charlie Hebdo, polícia, Paris

Polícia invade supermercado e liberta reféns em Paris

Da Agência Lusa Edição: Armando de Araújo Cardoso

A polícia francesa invadiu hoje (9), pouco depois das 17 h, horário local (14 em Brasília), o supermercado judaico Cacher, no leste de Paris, onde um homem armado fez vários reféns, conforme noticiou a agência France Presse. Vários reféns foram libertados.

A polícia invadiu o supermercado logo após serem ouvidas várias explosões. De acordo com a imprensa francesa, o sequestrador foi morto. A operação policial ocorreu simultaneamente à da localidade de Dammartin-en-Goële, a Noroeste de Paris, onde morreram os irmãos Said e Cherif Kouachi, suspeitos do atentado contra o semanário satírico francês Charlie Hebdo.

Segundo fontes das forças de segurança citadas pela agência France Presse, pelo menos quatro dos reféns também foram mortos.

- Assuntos: Paris, supermercado, reféns

Levy pede para reforçar crença de que governo não pode gastar mais que arrecada

Daniel Lima – Repórter da Agência Brasil Edição: Nádia Franco

Em bate-papo mantido hoje (9) com internautas no portal do governo no Facebook, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, sugeriu a um deles, Reinaldo Demétrio Silva, que uma forma de o cidadão comum ajudar o país neste momento de ajustes é trabalhar e fazer tudo com o máximo de qualidade.

Levy disse ao internauta que, quando alguém bem atende ao cliente, está valorizando seu próprio trabalho e melhorando a economia. "Quando fazemos algo bem, melhoramos aquilo que os economistas chamam de produtividade. É como diz o ditado: 'Só o trabalho pode criar riqueza'”, explicou o ministro.

Para Levy, além disso, é preciso fortalecer a conviccção de que o governo não pode gastar mais do que arrecada. “[Fortalecer a convicção de] que, se as despesas crescerem e a gente se endividar, ou ficar aumentando imposto, vai ser mais difícil a economia melhorar. Se você conversar [sobre] isso com seu colega de trabalho e, em alguma hora, também com seus amigos, vai ajudar a gente a fazer as mudanças juntos.”

Em resposta a uma pergunta do repórter Caiã Messina, da Rede Bandeirante, a última do bate-papo, o ministro disse que a equipe econômica está tendo oportunidade de "consertar o telhado em dia de sol". O repórter queria saber se há necessidade de aumentar impostos para ajustar a economia brasileira e equilibrar os gastos públicos.

“Opa, o tempo está acabando, mas tenho que responder a essa pergunta", disse Joaquim Levy. Ele explicou que, provavelmente, será preciso "rebalancear" alguns impostos, até porque alguns foram reduzidos há algum tempo. "E essa receita está fazendo falta, mas, se houver alguma mudança, vai ser com cuidado e depois de se esgotarem outras possibilidades. Estamos no caminho certo e, desta vez,  tentando acertar as coisas bem antes de estar em uma crise. Como diz um amigo meu: 'estamos podendo consertar o telhado em dia de sol'.”

Ao internauta Gustavo Taouil, que queria saber se as viagens ao exterior ficarão mais caras com a alta do dólar, o ministro lembrou que o preço delas depende do câmbio. “O valor das moedas estrangeiras, o câmbio, tem flutuado bastante. O dólar está mais forte em relação à maioria das moedas, inclusive o euro e as moedas da Ásia. Então, o preço da viagem, inclusive em reais, depende do país para onde você vai. Boa viagem”, desejou Levy.

- Assuntos: facebook, bate-papo, Joaquim Levy, Internautas, impostos

Confusão de nomes pode ter provocado boatos sobre morte de Fidel Castro

Alex Rodrigues - Repórter da Agência Brasil Edição: Denise Griesinger

Morreu no último domingo (4), Fidel Odinga, de 41 anos, filho do ex-primeiro-ministro do Quênia, Raila Odinga. O enterro será amanhã (10), na cidade de Bondo. O corpo de Odinga chegou de manhã à cidade de Kisumu, a bordo de um helicóptero da Força Aérea queniana. Segundo a imprensa local, muitas pessoas compareceram ao aeroporto para recepcionar a comitiva, da qual participam políticos quenianos.

As circunstâncias da morte ainda não foram esclarecidas pelas autoridades quenianas. O pai de Fidel Odinga, Raila, é um dos principais líderes de oposição ao presidente Uhuru Kenyatta, eleito em 2013.

Raila Odinga é um admirador do líder cubano Fidel Castro, a quem decidiu homenagear ao escolher o nome do filho. A imprensa queniana se refere a ele ora como Fidel Castro Odinga, ora como Fidel Raila Odinga. No entanto, segundo fontes ouvidas pela Agência Brasil, o sobrenome Castro não é oficial.

Conforme as notícias a respeito dos preparativos para o enterro de Fidel Odinga foram sendo publicadas, uma onda de comentários a respeito da possível morte do líder cubano Fidel Castro tomou conta das redes sociais em todo o mundo, chegando inclusive a ser noticiada por alguns sites jornalísticos. Com a saúde frágil, Castro não aparece em eventos públicos há quase um ano.

Procurada, a Embaixada de Cuba em Brasília disse que não tinha informações sobre os boatos,, dos quais tomou conhecimento por intermédio da imprensa brasileira.

Até o momento, o governo cubano não emitiu comunicado a respeito do estado de saúde de Fidel Castro, mas negou ter convocado entrevista coletiva, em Havana, conforme rumores na internet.

*Colaborou Mayra Borges

- Assuntos: Fidel Odinga, Fidel Castro, Cuba, Quênia

Aposentadorias não serão afetadas por medidas de contenção, garante ministro

Daniel Lima – Repórter da Agência Brasil Edição: Nádia Franco

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, garantiu hoje (9) ao internauta Pedro Mendes que os benefícios da Previdência Social continuarão sendo corrigidos pela inflação. Mendes foi um dos participantes de um bate-papo com o ministro no Facebook, no perfil do governo Portal Brasil.

O internauta disse que o pai dele aposentou-se no ano retrasado por invalidez, após décadas de trabalho duro, e recebe o teto do benefício. Ele queria saber se as medidas de contenção de gastos anunciadas pelo governo podem atingir as aposentadorias.

Joaquim Levy respondeu que é “muito especial ter um pai que trabalhou a vida inteira” e disse que seu pai também foi assim. “Ele continuou atendendo no SUS [Serviço Único de Saúde] até bem depois dos 70 anos, e tenho orgulho dele. E é muito justo e importante que as pessoas tenham esse seguro da aposentadoria por invalidez, se alguma doença acontece. Esse direito não vai ser mexido”, afirmou.

Segundo o ministro, o valor da aposentadoria continuará sendo corrigido pela inflação e, dessa maneira, o benefício ficará protegida por todo o tempo que o pai do internauta tiver o direito. “As medidas de contenção ocorrerão em outras áreas, exatamente para que o trabalhador e sua família tenham tranquilidade”, reforçou.

No bate-papo, que durou cerca de uma hora, Joaquim Levy respondeu a perguntas dos internautas sobre o futuro da economia do país e como isso vai afetar a vida do cidadão no dia a dia. Com a hashtag #‎LevyResponde, o internauta pode conferir como foi a conversa do ministro com os internautas no endereço https://www.facebook.com/portalbrasil?fref=ts

- Assuntos: Fabebook, bate-papo, internaturas, aposentadorias, medidas de contenção

Banco Central fará "o que for necessário" para queda da inflação, diz Tombini

Mariana Branco - Repórter da Agência Brasil Edição: Juliana Andrade

Para Tombin, a inflação “tende a mostrar resistência no curto prazo"Arquivo/Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini, disse que a autoridade monetária fará “o que for necessário” para a queda da inflação em 2015 e levá-la ao centro da meta, de 4,5%, em 2016. Segundo o presidente do BC, a inflação “tende a mostrar resistência no curto prazo”. Tombini se manifestou hoje (9) por meio de nota para comentar a inflação fechada do ano.

Mais cedo, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que a inflação oficial do país, medida pela variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), encerrou 2014 em 6,41%. Em 2013, havia ficado em 5,91%. Já em dezembro, produtos e serviços subiram em média 0,78%. De acordo com Tombini, o patamar do IPCA reflete dois processos de ajuste de preços na economia brasileira: o dos preços domésticos em relação aos internacionais e o dos preços administrados em relação aos livres.

Desde outubro de 2014, o BC vem elevando a Selic (taxa básica de juros na economia) para segurar a pressão inflacionária. Para este ano, o mercado espera mais ajustes. Na última reunião do ano, o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC elevou a taxa em 0,5 ponto percentual, para 11,75% ao ano. Com isso, a Selic atingiu o maior patamar desde 2011.

- Assuntos: inflação oficial, queda, IPCA, banco central, Alexandre Tombini

Inema alerta para praias impróprias para banho em Salvador e Lauro de Freitas



O Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) informa que das 37 praias avaliadas pelo órgão, nas cidades de Salvador e Lauro de Freitas, sete estão em estado impróprio para o banho.

O Inema chama atenção para que os banhistas evitem a praia de Periperi (atrás da estação Férrea), Bogari (em frente ao Colégio João Florêncio Gomes), Pedra Furada (atrás do Hospital Sagrada Família), Ondina (próxima ao Morro da Sereia em frente ao Ed. Maria José), Armação (em frente ao Clube Inter. Pass), Boca do Rio (em frente ao Posto Salva Vidas), e Corsário (em frente ao Posto Salva Vidas Patamares).

De acordo com a resolução Conama, a praia é considerada imprópria quando mais de 20% das amostras coletadas em cinco semanas consecutivas apresentar resultado superior a mil coliformes fecais ou 800 Escherichia coli, ou quando, na última coleta, o resultado for superior a 2500 coliformes termotolerantes ou 2000 Escherichia coli ou 400 enterococos, por 100 mL de água.

No período em que o tempo estiver chuvoso, as praias podem ser contaminadas por arraste de detritos diversos, carregados das ruas através das galerias pluviais, podendo causar doenças. Além disso, é desaconselhável, ainda em dias de sol, o banho próximo à saída de esgotos, desembocadura dos rios urbanos, córregos e canais de drenagem.

Secom Bahia

Pelo menos duas pessoas morrem em sequestro em loja no leste de Paris

Da Agência Lusa Edição: Graça Adjuto

Pelo menos duas pessoas foram mortas em uma loja kosher (judaica) no leste de Paris onde, horas antes, um homem sequestrou pelo menos cinco pessoas, segundo fonte citada pela Agência France Presse.

"É o atirador de Montrouge", disse a fonte policial à agência de notícias, referindo-se ao assassinato de uma policial nessa quinta-feira (8), em Montrouge, na periferia sul de Paris.

As autoridades ordenaram às escolas da região do sequestro que os alunos sejam mantidos dentro das instalações até nova ordem.

- Assuntos: atirador, tiroteio, Paris, reféns, mortos

Levy: medidas para reequilibrar a economia já foram iniciadas

Daniel Lima - Repórter da Agência Brasil Edição: José Romildo

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse hoje (9) - ao responder a pergunta do internauta Igor Calado - durante bate-papo no Facebook, que o governo já adotou medidas para gastar menos e reequilibrar a economia. Ele citou as mudanças recentes nos benefícios da Previdência. Levy disse que essas medida foram tomadas a fim de evitar algumas distorções. E deu, como exemplo: "alguém que começa a receber pensão de viúvo ou viúva aos 25 anos de idade e vai continuar recebendo esse dinheiro do governo talvez por mais de 50 anos”.

O ministro acrescentou que não faz sentido esse desperdício com o dinheiro do povo. "O governo diminuiu o volume de empréstimos com juros baratos para algumas empresas. Empréstimo barato também é pago pelo contribuinte e tem de ser dado só em situações muito especiais. O governo também mostrou, ontem (8), que está cortando nas suas próprias despesas”, postou Levy. Ele se referiu aos cortes no custeio, recursos do orçamento para pagar principalmente a máquina do governo.

“O corte nessas despesas, que [chegou] a um terço [do previsto], é essencial neste momento. O objetivo é limitar esse tipo de despesa para, com essa economia, ter dinheiro para pagar a Previdência Social e os benefícios certos, que o governo tem obrigação de pagar, e sempre em dia”, respondeu. Ontem, o Diário Oficial da União publicou medidas estabelecendo bloqueio mensal de R$ 1,9 bilhão no orçamento até que a programação orçamentária seja aprovada pelo Congresso Nacional.


                                               

- Assuntos: orçamento, economia, Levy, facebook

Estados Unidos e Cuba iniciam diálogo em 21 de janeiro

Da Agência Lusa Edição: Graça Adjuto

A primeira rodada de conversas para a normalização das relações diplomáticas entre os Estados Unidos e Cuba começa no dia 21 de janeiro em Havana, anunciou nessa quinta-feira (8) o Departamento de Estado norte-americano.

Jennifer Psaki, porta-voz da diplomacia dos Estados Unidos, informou que a secretária de Estado adjunta para a América Latina, Roberta Jacobson, estará na capital cubana nos dias 21 e 22 de janeiro para discussões com as autoridades locais.

Como parte do plano de reaproximação diplomática com os Estados Unidos, anunciado em dezembro, pelo menos 35 prisioneiros políticos foram libertados em Cuba em um período de 48 horas.

- Assuntos: Cuba, Estados Unidos, diálogo, reaproximação

Homem faz vários reféns em loja do leste de Paris

Da Agência Lusa

Um homem fez hoje (9) vários reféns em uma loja da Porta de Vincennes, no leste de Paris, noticiou a emissora de televisão BFMTV, que afirmou que o autor pode ser o suspeito do assassinato de uma agente da polícia nessa quinta-feira (8). Pelo menos uma pessoa foi ferida no tiroteio no estabelecimento, uma loja kosher (judaica).

A policial que ficou ferida em um tiroteio em Montrouge, na periferia sul da capital francesa, morreu e o outro ferido, um funcionário municipal, está em estado grave, disseram fontes policiais.

"É o atirador de Montrouge", disse uma fonte policial.

Fonte da Procuradoria de Paris informou que pelo menos cinco pessoas são mantidas reféns dentro da loja Hyper Cacher. Segundo a BFMTV, há mulheres e crianças entre os reféns.

As autoridades determinaram às escolas, na região do sequestro, que os alunos sejam mantidos dentro das instalações até nova ordem.

A televisão noticiou também que o homem se dirigiu aos policiais afirmando: "Vocês sabem quem eu sou", em aparente alusão ao incidente de quinta-feira em Montrouge.

Antes, fonte policial informou que os investigadores conseguiram estabelecer "uma conexão" entre o suspeito do assassinato da agente e os dois irmãos que, na quarta-feira (7), atacaram a redação do jornal satírico Charlie Hebdo.

A tomada de reféns ocorre quando prossegue em Dammartin-en-Goële, nos arredores do nordeste de Paris, uma operação das forças de elite francesas para prender os dois irmãos que estão em uma empresa com um refém.

- Assuntos: reféns, tiroteio, Paris, Charlie Hebdo

Levy diz que desemprego e crescimento têm de ser pensados também em longo prazo

Daniel Lima - Repórter da Agência Brasil Edição: José Romildo

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, diz que o Brasil será mais competitivo, com presença maior no mundo e empregos melhores Wilson Dias/Agência Brasil

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse, durante bate-papo no Facebook  – no Portal Brasil (perfil do governo federal) – ao responder pergunta do internauta Alessandro Araujo, que questões como o desemprego e o crescimento da economia têm de ser pensadas em longo prazo e não apenas em curto prazo. Durante o bate-papo, o ministro respondeu “Alô, Alessandro, tua pergunta é muito importante e ela tem algo que a gente tem mesmo que pensar, ou seja, olhar o que esperar daqui a alguns anos, e não apenas o que vai acontecer no mês que vem”.

O ministro disse ainda, em relação à preocupação do internauta, que o Brasil será mais competitivo, com presença maior no mundo e empregos melhores.

O ministro explicou que existem vários ingredientes a serem levados em conta. “Começando com as contas do governo arrumadas. A gente tem que estimular a concorrência. A concorrência é importante porque - quanto mais firmas estão disputando um mercado - [há]  mais opções na hora de comprar e as firmas têm de ser mais eficientes, mais capazes. Aí, você vai poder comprar mais barato. Toda a economia fica mais eficiente, mais competitiva e dá para, inclusive, conquistar mercados lá fora. O Brasil batalhador é o que a gente pode esperar para crescer e ter mais emprego de qualidade”, disse.

O bate-papo ocorre desde as 10h30, por meio do Facebook. Joaquim Levy responde a perguntas dos internautas sobre o futuro da economia do país e sobre como as políticas afetarão a vida do cidadão no dia a dia. Com a hashtag #‎LevyResponde, o internauta pode acompanhar a transmissão ao vivo.

- Assuntos: Levy, crescimento, longo prazo, emprego, desemprego, curto prazo

Seca foi um dos vilões da inflação em 2014

Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil Edição: José Romildo

A seca provocada pelo menor índice de chuvas no final de 2013 e ao longo do ano passado foi um dos grandes vilões da inflação oficial em 2014. Segundo a coordenadora de Índices de Preços do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Eulina Nunes dos Santos, “a seca prejudicou tanto o abastecimento de energia quanto as lavouras”.

Com o clima mais seco, a produtividade das lavouras cai e, consequentemente, há uma redução da oferta de alimentos no país e no mundo. Em 2014, por exemplo, os alimentos tiveram aumento de preços de 8,03%.

O custo da seca também acaba tendo influência indireta em alguns produtos. As carnes, por exemplo, foram o item que mais influenciou a inflação, com alta de preços de 22,21%. Com menos chuva, o pasto é prejudicado e isso aumenta o custo para alimentar o rebanho.

A seca também causou impacto no custo da energia elétrica. A falta de chuva esvaziou os reservatórios das usinas. Com menor potencial hidráulico, foi necessário produzir eletricidade a partir de usinas termelétricas, que é mais cara do que a energia produzida a partir da força da água.

Segundo Eulina Nunes dos Santos, as alterações climáticas vêm prejudicando a oferta de alimentos nos últimos anos. Em dez anos, a alta acumulada dos alimentos é 99,73%, enquanto a inflação acumulada no período foi 69,34%. “ A seca e, às vezes, a chuva em excesso têm prejudicado as lavouras não só no Brasil, como no mundo todo”, disse.

Há, no entanto, outros fatores que têm contribuído para a inflação, como a alta do dólar e o aumento da exportação de produtos como a própria carne. O aumento da demanda gerado pelo crescimento do emprego e da renda também tem seu impacto nos preços.

Os alimentos fora de casa, por exemplo, ficaram 136,14% mais caros em dez anos. “As pessoas procuram mais a refeição fora de casa. Há ainda o aumento do custo dos estabelecimentos, com elevação dos alimentos, do aluguel e dos salários. Os custos fazem com que esses preços aumentem”, disse.

Outros itens com alta de preços acima da média, nos últimos dez anos, foram o aluguel residencial (100,49%) e o empregado doméstico (181,89%).



- Assuntos: seca, inflação, vilão

Diário Oficial publica Censo Escolar de 2014


Yara Aquino - Repórter da Agência Brasil Edição: José Romildo

O Ministério da Educação publicou na edição de hoje (9) do Diário Oficial da União o resultado final do Censo Escolar de 2014. O censo detalha o número de matrículas na educação básica das redes pública municipal e estadual de ensino.

As matrículas referem-se à creche, pré-escola, aos ensinos fundamental e médio, à educação de jovens e adultos e educação especial. Abrange as áreas urbanas e rurais e a educação em tempo parcial e integral.

Contabilizar o  número das matrículas é fundamental para o repasse de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) e a execução de programas na área da educação.

Em outubro, foram divulgados os dados preliminares do censo, e estados e municípios tiveram 30 dias para retificar possíveis incorreções.

- Assuntos: censo escolar, matrículas, Educação básica, rede pública

Carnes e refeição fora de casa foram itens que mais pesaram na inflação

Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil Edição: José Romildo

Os aumentos de preços das carnes e das refeições fora de casa foram, individualmente, foram os itens que tiveram maior impacto na inflação oficial de 6,41%, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2014. No ano, as carnes tiveram aumento de preços de 22,21%, bem acima da inflação registrada pelo produto em 2013 (4,57%), segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“Os pecuaristas alegam que nos anos anteriores tiveram prejuízo e tiveram que abater matrizes. Então, a gente chegou num período de oferta menor de gado. A isso se juntou o dólar e a pressão que isso tem sobre o custo da produção. Tivemos também a seca, que prejudica as lavouras e aumento custos de produção, além do aumento da exportação das carnes por conta do embargo que foi feito à Rússia”, disse a coordenadora de Índices de Preços do IBGE, Eulina Nunes dos Santos.

Já a refeição fora de casa ficou 9,96% mais cara, uma taxa parecida (9,49%) com a registrada em 2013. Os produtos alimentícios, no entanto, não foram os únicos que pesaram no bolso do consumidor brasileiro em 2014. Depois das carnes e da refeição, a energia elétrica foi o item que mais impactou a inflação oficial, com alta de preços de 17,06% em 2014. No ano anterior, o item havia contribuído para frear a taxa, já que havia apresentado uma deflação de 15,66% na ocasião.

Outros itens que tiveram impacto importante na taxa de inflação em 2014 foram os empregados domésticos (10,54%), os aluguéis residenciais (9,35%), os planos de saúde (9,44%) e os cursos regulares (8,87%).

- Assuntos: carnes, IPCA, pecuaristas, inflação

Anvisa suspende venda e uso de lote trocado de dipirona sódica

Paula Laboissière - Repórter da Agência Brasil Edição: Denise Griesinger

Resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicada hoje (9) no Diário Oficial da União suspende a distribuição, a comercialização e o uso, em todo o território nacional, do Lote 140763B (val. 06/16) do medicamento Dipirona Sódica, 500 mg/ml, genérico, solução oral, fabricado por Mariol Industrial Ltda.

De acordo com o texto, o próprio fabricante enviou um comunicado de recolhimento voluntário depois de ter verificado, por meio de reclamação, que algumas caixas continham descrição e lote referente ao produto mas, ao abri-las, foi detectada a presença de produto rotulado como cloridrato de metoclopramida.

Dessa forma, a Anvisa também suspendeu o medicamento rotulado como cloridrato de metoclopramida, 4 mg/ml, genérico, solução oral, que tenha o mesmo número de lote da dipirona sódica.

A agência determinou ainda que a empresa promova o recolhimento do estoque existente no mercado.

Em nota, a Mariol Industrial Ltda. solicitou aos consumidores dos medicamentos citados que suspendam o uso e entrem em contato imediato com o laboratório por meio do telefone 0800 7748582 (de segunda a sexta, das 8h às 17h) ou por meio do e-mail sac@mariol.com.br.

Se existirem relatos de eventos adversos, a empresa informou que os consumidores podem buscar atendimento também por meio do e-mail farmacovigilancia@mariol.com.br.

- Assuntos: saúde, Anvisa, medicamentos, Mariol Industrial

Publicada a nomeação de Rachid para a Receita Federal

Da Agência Brasil Edição: José Romildo

O Diário Oficial da União publica hoje (9) a nomeação de Jorge Rachid para o cargo de secretário da Receita Federal. Será a segunda vez que ele dirige a Receita. Rachid ocupou o cargo durante o governo Lula e deixou a função em julho de 2008, quando foi substituído por Lina Maria Vieira.

Na mesma portaria, a presidenta Dilma Rousseff e o novo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, exoneram o secretário Carlos Alberto Barreto, que dirigia a Receita desde 2011. Barreto passa a exercer o cargo de presidente do Conselho de Administração de Recursos Fiscais do Ministério da Fazenda.

O Diário Oficial da União publica também a exoneração de Carlos Márcio Cozenpey da Secretaria de Assuntos Internacionais. Ele é substituído por Luis Antonio Balduino Carneiro. A publicação traz ainda a nomeação de Marcelo Barbosa Saintive para o cargo de secretário do Tesouro Nacional no lugar de Arno Augustin.

- Assuntos: Rachid, Receita Federal, nomeação, Diário Oficial da União

Inflação para famílias com renda até cinco salários fica em 6,23% em 2014

Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil Edição: José Romildo

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a inflação para famílias com renda até cinco salários mínimos, ficou em 6,23% em 2014. A taxa é superior à observada pelo INPC em 2013 (5,56%), mas inferior à taxa de inflação oficial de 2014, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que ficou em 6,41%.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os alimentos tiveram o maior impacto no INPC, com inflação de 7,8%, seguidos pelo grupo habitação, com alta de preços de 8,82%.

Entre as capitais, as maiores inflações foram observadas no Rio de Janeiro (7,62%) e em Goiânia (7,47%). A menor taxa do INPC ficou com São Paulo (5,48%).

Considerando-se apenas o mês de dezembro, a variação do INPC foi 0,62%, acima do resultado de novembro de 2014 (0,53%), mas abaixo da taxa de dezembro de 2013 (0,72%).



- Assuntos: INPC, inflação, famílias

AirAsia: sons emitidos pelas caixas-pretas são detectados

Da Agência Lusa

As equipes de resgate do avião da AirAsia, que se desapareceu no Mar de Java em 28 de dezembro, detectaram hoje (9) sons emitidos pelas caixas-pretas, que contêm os registros do voo."Um barco detectou os sons. Os mergulhadores estão tentando chegar a elas", disse o responsável pelas operações, S.B. Supriyadi, referindo-se às caixas-pretas. "A localização dos sons estaria próxima do local onde a cauda do avião foi encontrada", acrescentou.

O voo QZ8501 decolou da cidade indonésia de Surabaia, na Ilha de Java, e a previsão era que pousasse cerca de duas horas depois em Cingapura, mas caiu no Mar de Java cerca de 40 minutos depois do início do voo.

A bordo seguiam 155 indonésios, três sul-coreanos, um britânico, um francês, um malaio e um natural de Cingapura.

O piloto solicitou à torre de controle na Indonésia autorização para virar à esquerda e subir dos 32 mil para os 38 mil pés para evitar uma tempestade. A torre de controle autorizou o desvio à esquerda, mas quando tentou o contato de autorização de subida até os 34 mil pés já não obteve resposta do avião.

- Assuntos: AirAsia, avião, caixas-pretas, Indonésia

Ministro do Interior confirma operação no noroeste da capital francesa

Da Agência Lusa Edição: Graça Adjuto

O ministro do Interior francês, Bernard Cazeneuve, confirmou hoje (9) estar em curso operação em Dammartin-en-Goele, no noroeste de Paris, para deter os dois suspeitos do atentado ao jornal satírico Charlie Hebdo.

“Atualmente ocorre uma operação em Dammartin-en-Goele para a qual se mobilizaram todos os meios para o local de forma a neutralizar os autores do atentado perpetrado há dois dias”, anunciou o ministro em declaração à imprensa.

A unidade especial de intervenção da Guarda Nacional está no local e será responsável pela operação nos próximos minutos, acrescentou o ministro.

O presidente francês, François Hollande, interrompeu a sua terceira reunião do gabinete de crise com integrantes do governo quando começou a operação na zona industrial de Dammartin-en-Goele, informaram fontes do Palácio do Eliseu.

De acordo com o canal de televisão RTL, os dois irmãos Kouachi, suspeitos da autoria do atentado em Paris, entraram em uma empresa localizada em Dammartin-en-Goele e fizeram reféns, embora esta informação não tenha sido confirmada pelo ministro do Interior francês.

Os dois homens roubaram um Peugeot 206  de uma mulher na localidade Montagny-Sainte-Félicité, no departamento de Oise, que os identificou como os irmãos Kouachi.

Minutos mais tarde, já em Dammartin-en-Goele, houve um tiroteio com a polícia.

Testemunha ouvida pela RTL explicou que ouviu disparos e que, pouco depois, chegaram vários helicópteros e forças de segurança, que ordenaram que os vizinhos não saíssem de suas casas e mantivessem as janelas fechadas.

- Assuntos: atentado terrorista, Paris, Charlie Hebdo, perseguição policial, ministro do Interior francês, Bernard Cazeneuve

Imprensa francesa destaca perseguição a suspeitos de atentados em Paris

Da Agência Lusa

Os jornais franceses destacam hoje (9), segundo dia de luto nacional, a operação policial para encontrar os autores do atentado contra o semanário Charlie Hebdo, com muitos retomando a frase "Eu sou Charlie" na primeira página.

No diário Libération, a fotografia de um agente das forças de elite em uma rua aparentemente calma da região da Picardia ocupa toda a primeira página, com o título “A perseguição”.

No editorial intitulado "Liberdade, a nossa bússola", o diretor do jornal, Laurent Joffrin, escreve que "os terroristas não têm nenhuma hipótese de fazer prevalecer a sua louca tirania".

"No momento da tempestade, [a liberdade] é a única bússola disponível e o cidadão ontem desencantado fica disposto a arriscar sua vida para conservá-la, como os cidadãos do Charlie Hebdo que vão continuar a sua missão na nossa casa", conclui o editorial do diário que acolhe, a partir de hoje, os jornalistas do veículo atacado na quarta-feira (7).

Na capa do Le Parisien, a fotografia de uma mulher colocando flores no prédio do Charlie Hebdo também ocupa toda a primeira página, com o título "O terrível relato dos sobreviventes", em referência ao testemunho do jornalista Laurent Léger, que participava de reunião na redação quando entraram os atacantes, mas conseguiu escapar.

O editorial intitulado "Um ímpeto de fraternidade" destaca "o testemunho dos que escaparam por milagre”, o que “confirma o horror absoluto do que se passou na quarta-feira de manhã".

No Le Figaro, a capa está dividida entre duas fotos, a da manifestação na Praça da República, em Paris, e a das forças de elite envolvidas na busca aos suspeitos, acompanhadas pelos títulos "A França submersa pela emoção" e "Depois do massacre, a longa perseguição".

Sob o título "Em nome da nossa liberdade", o editorial de primeira página do Le Figaro pergunta: "Depois do massacre no Charlie Hebdo, na quarta-feira, do tiroteio de Montrouge, na quinta-feira, é Impossível não se colocar a questão: quando e onde será o próximo ataque?".

No diário L'Humanité, a primeira página é ocupada pela imagem de centenas de pessoas na Praça da República, com a legenda "Todos erguidos contra a raiva". O editorial do jornal diz, no título, que há "uma onda popular contra a raiva".

- Assuntos: Charlie Hebdo, jornal francês, atentado terrorista, Paris, cartunistas franceses, charge de Maomé, imprensa francesa

Pelo menos 35 presos políticos são libertados em Cuba

Da Agência Lusa

Pelo menos 35 prisioneiros políticos foram libertados em Cuba em um período de 48 horas, como parte do plano de reaproximação diplomática com os Estados Unidos, anunciado em dezembro.

"Estamos com 35 libertações", disse nessa quinta-feira (8) Elizardo Sanchez, presidente da Comissão cubana dos Direitos do Homem, uma organização proibida no país, mas tolerada pelas autoridades.

O líder da União Patriótica de Cuba (Unpacu), organização ilegal de oposição, José Daniel Ferrer, lembrou que a maioria dos presos libertados até agora é integrante do grupo.

A libertação de prisioneiros "continua a conta-gotas e deve prosseguir" nesta sexta-feira, acrescentou Sanchez.

O Departamento de Estado norte-americano anunciou na terça-feira (6) que as autoridades cubanas iriam libertar 53 presos políticos, exigência feita pelos Estados Unidos para iniciar uma aproximação diplomática entre os dois países.

- Assuntos: Cuba, Estados Unidos, presos políticos, libertação

Petrobras anuncia descoberta de petróleo na Bacia de Sergipe

Nielmar de Oliveira - Repórter da Agência Brasil Edição: Graça Adjuto

A Petrobras anunciou, na noite dessa quinta-feira (8), a descoberta  de óleo leve e gás natural na área de Farfan, em águas ultraprofundas do bloco marítimo Sergipe/Alagoas 11, localizado na Bacia de Sergipe.

A descoberta se deu a partir de um dos poços pioneiros que a estatal vem perfurando na região. Segundo a empresa, o óleo é de boa qualidade (petróleo leve), entre 37 e 40 graus API – medida que determina a qualidade.

Os resultados ratificam a descoberta de óleo leve e gás na área de Farfan, conforme comunicado feito ao mercado no dia 9 de agosto de 2013. Essa perfuração também constatou a presença de nova acumulação de óleo leve em reservatório mais profundo, com espessura de 28 metros.

Localizado a 107 quilômetros (km) da cidade de Aracaju, a 5,7 km do poço descobridor e em profundidade de água de 2.492 metros, o poço alcançou a profundidade final de 5.900 metros e, no momento, encontra-se em avaliação.

A empresa informou ainda que essa acumulação integra o projeto exploratório da Bacia Sergipe-Alagoas em águas profundas, conforme previsto no Plano de Negócios e Gestão da Petrobras para o período 2014-2018.

A Petrobras informou que dará continuidade ao Plano de Avaliação da Descoberta, conforme aprovado pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. A estatal brasileira é a operadora do consórcio (60%) em parceria com a IBV-BRASIL (40%).

- Assuntos: Petrobras, descoberta de petróleo e gás, bacia de sergipe

ONU confirma centenas de mortos em massacres no Sudão do Sul

Da Agência Lusa

Rebeldes do Sudão do Sul mataram pelo menos 353 civis em abril do ano passado, incluindo pessoas que se refugiavam em uma mesquita, um hospital e uma base das Nações Unidas, informaram hoje (9) investigadores da ONU.

Este é o primeiro relatório sobre dois incidentes que mostraram abusos e atrocidades cometidos durante a guerra civil, que já dura um ano, na mais jovem nação do mundo.

A ONU alertou para o fato de, nove meses depois dos incidentes, "nenhum agressor ter sido responsabilizado".

No ataque de 15 de abril na cidade de Bentiu, guerrilhas que apoiam o líder rebelde Riek Machar mataram pelo menos 287 civis que se refugiavam em uma mesquita, muitos deles comerciantes e as suas famílias da região do Darfur.

Nesse dia, mais 19 civis foram mortos no hospital da cidade, acrescentaram os investigadores da ONU.

Os rebeldes também fizeram apelos na rádio para que grupos fossem expulsos da cidade e para que os homens violassem as mulheres da tribo rival.

Dois dias depois, em 17 de abril, na cidade de Bor, uma gangue de homens armados entrou em uma base da ONU, para onde centenas de civis tinham fugido em busca de proteção.

"O grupo entrou à força no local protegido e iniciou uma série de assassinatos, saques e sequestros", diz o relatório, acrescentando que o ataque causou a morte de 47 pessoas e tudo indica que foi "planejado com antecedência".

Pelo menos 353 civis morreram e 250 ficaram feridos nos dois ataques, de acordo com a ONU.

Não há um número total de mortes registrado - nem por parte do governo do Sudão, nem pelos rebeldes ou pelas Nações Unidas - apesar de o International Crisis Group estimar que pelo menos 50 mil pessoas tenham sido mortas.

- Assuntos: Sudão do Sul, massacres, ONU, mortos, relatório

Paris: polícia persegue suspeitos de atentado, que já fizeram reféns

Da Agência Lusa

Uma operação policial de grandes dimensões está sendo feita nos arredores de Paris, anunciou hoje (9) a polícia, citada pelo jornal Le Monde, adiantando que já foram disparados vários tiros e pode haver reféns.

A operação ocorre dois dias depois do atentado ao jornal satírico Charlie Hebdo, no qual morreram 12 pessoas.

De acordo com a polícia, os suspeitos perseguidos, dois homens que roubaram um carro, fizeram reféns em uma empresa de Seine-et-Marne. Houve tiros.

O canal de notícias francês BFM TV explica que a região está cercada pela polícia, "cada vez mais numerosa", e que há helicópteros sobrevoando a área.

- Assuntos: Charlie Hebdo, jornal francês, atentado terrorista, Paris, cartunistas franceses, charge de Maomé

Tema da próxima cúpula da União Europeia será antiterrorismo

Da Agência Lusa

A próxima reunião de cúpula da União Europeia (UE), marcada para 12 de fevereiro, terá como tema central o esforço de combate ao terrorismo, após o ataque ao jornal francês, disse hoje (9) Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu.

"Pretendo aproveitar a reunião de 12 de fevereiro para discutir de forma ampla a resposta que a UE pode trazer para esses desafios", depois dos "ataques bárbaros em Paris", disse Tusk em Riga.

Na manhã de quarta-feira (7), três homens vestidos de preto, encapuzados e armados atacaram a sede do jornal Charlie Hebdo, no centro de Paris, deixando 12 mortos - jornalistas, cartunistas e policiais - e 11 feridos, quatro em estado grave.

Um dos supostos autores, Hamyd Mourad, de 18 anos, já se entregou às autoridades e os outros dois suspeitos, os irmãos Said Kouachi e Cherif Kouachi, de 32 e 34 anos, estão sendo procurados.

Entre as vítimas do ataque estão os cartunistas Stéphane "Charb" Charbonnier, 47 anos, diretor da publicação, Jean "Cabu" Cabut, 76 anos, Georges Wolinksi, 80 anos, e Verlhac "Tignous" Bernard, 58 anos.

Criado em 1992 pelo escritor e jornalista François Cavanna, o semanário Charlie Hebdo tornou-se conhecido em 2006 quando decidiu voltar a publicar cartuns do profeta Maomé, inicialmente divulgados no diário dinamarquês Jyllands-Posten e que provocaram forte polêmica em vários países muçulmanos.

- Assuntos: Charlie Hebdo, jornal francês, atentado terrorista, Paris, cartunistas franceses, charge de Maomé

Jovens negros correm mais riscos de morrer do que os brancos

Paulo Victor Chagas – Repórter da Agência Brasil Edição: Graça Adjuto

Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência e Desigualdade mostra que os jovens negros têm 2,6 mais chances de morrer que os brancosMarcelo Camargo/Agência Brasil

Dados comprovam que morrem mais negros do que brancos no Brasil. Segundo o Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência e Desigualdade, os jovens negros têm 2,6 mais chances de morrer do que os brancos. Os dados da pesquisa foram atualizados em 2014 para incluir a desigualdade racial, e o resultado foi que o risco de os adolescentes e jovens de 12 a 29 anos sofrerem violência aumenta quando esse fator é levado em conta.

A média se refere a 2012, último ano em que há dados consolidados, e mostra pequeno aumento em relação há cinco anos. Em 2007, o risco nacional era 2,3.

Encomendada pelo governo federal ao Fórum Brasileiro de Segurança Pública, a pesquisa também faz um recorte por unidades da Federação e coloca a Paraíba no topo do ranking. Lá, a chance de o jovem negro morrer violentamente, assassinado ou em acidentes de trânsito é 13,4 vezes maior do que a do jovem branco. No Paraná, estado com menor risco, a proporção é inversa, já que a taxa de homicídios de jovens brancos é um pouco maior que a de negros: 0,7. Valores mais próximos de 1 indicam maior proximidade entre os dois segmentos.

Secretário de Juventude, Esporte e Lazer do estado, Carlos Ribério Santos lembrou que as autoridades públicas locais estão atentas para o problema e que os dados não são uma “novidade”. Ele informou à Agência Brasil que desde 2011 algumas ações estão sendo desenvolvidas no âmbito do esporte, da cultura, educação e saúde, na tentativa de “criar um cenário favorável à diminuição dessa mortalidade”, mas aque “ainda é cedo” para apresentar resultados.

jovem_negro.jpgMarcelo Camargo/Agência Brasil

Uma das frentes tem o objetivo de inserir o jovem negro no mercado de trabalho. Segundo o secretário paraibano, seis escolas técnicas estaduais serão inauguradas em 2015, oferecendo cerca de 15 mil vagas. Posteriormente, mais nove escolas serão entregues. “O estado nunca fez essa incursão pelo ensino técnico profissionalizante [antes]. Sem qualificação para o trabalho, dificilmente o jovem vai ser integrado”, afirmou. Ele acrescentou que o “contexto de marginalização” não é só estadual e que o tema precisa ser debatido nacionalmente.

Demandante da pesquisa, a Secretaria Nacional da Juventude tem como principal programa de enfrentamento aos índices o Plano Juventude Viva, que visa a prevenir a violência contra a juventude negra em 142 municípios prioritários. Essas cidades concentraram, em 2010, 70% dos homicídios contra os jovens negros. Para Fernanda Papa, coordenadora do plano, os dados contribuem para analisar por que o jovem negro é mais exposto e mostrar a necessidade de mais políticas públicas para esse grupo.

“O índice ajuda a mostrar que o jovem negro do sexo masculino é o que está mais exposto ao risco de perder a vida. Se o seu direito humano mais fundamental, que é a vida, pode ser violado, provavelmente ele já teve outros violados, como a educação e o direito de ir e vir”, observa Fernanda. “Esses direitos fundamentais têm que ser considerados para o jovem negro com urgência”. De acordo com a coordenadora, essa não é uma vontade do jovem negro. Trata-se de “um passivo de séculos”, quando, por exemplo, os negros foram impedidos de frequentar universidades.

Renato Sérgio de Lima, que coordenou o estudo, destacou a importância de um monitoramento sistemático desses índices e da implantação de políticas voltadas à prevenção de mortes. Para ele, essa gestão integrada dos dados vai permitir “mapear de forma precisa os territórios que exigem investimento específico”, de forma inteligente. “Não é só passar dinheiro, é costurar grande pacto pela integração desses sistemas de monitoramento. O que o Brasil aplica não é suficiente, mas está longe de ser pouco. Precisa melhorar a qualidade de investimento”, defendeu.

Com os recursos, as políticas devem focar na redução da desigualdade racial e dos homicídios de jovens negros. “Não é uma questão de racismo, mas civilizatória”, declarou o pesquisador da Fundação Getulio Vargas. Para mostrar “claramente que a desigualdade racial afeta negativamente a vulnerabilidade juvenil”, explicou Renato, o estudo traz uma tabela que simula a eliminação completa da desigualdade racial e revela que o risco se reduz drasticamente em todos os estados.

Dos 142 municípios prioritários do Plano Juventude Viva, 100 aderiram ao plano e 47 já tiveram as ações lançadas, envolvendo inclusão social, a oferta de equipamentos e transformação de territórios onde há altos índices de homicídios. Evitar situações de violência nas esferas que estão ao alcance do Estado também faz parte das missões do plano, de acordo com a coordenadora Fernanda Papa. Ela reconhece a existência de alguns casos em que os agentes de segurança cometem abusos que acabam tirando vidas inocentes, e afirma que uma das formas de coibir o grau de letalidade policial é a “inclusão do tema do racismo na formação dos profissionais de segurança pública”.

Renato Sérgio Lima disse que os dados desconstroem a noção de que somos um país pacífico nesse quesito e revelam que não podemos mais esconder o problema sob o risco de estarmos boicotando nosso futuro. “Há um enorme passivo histórico. O Brasil, enquanto nação, foi construído com base na ideia de um país pacífico e de convivência entre as diferenças. Se a gente quer uma nação democrática, moderna e protagonista, vai ter que enfrentar esse problema”. Segundo ele, a população que está morrendo é a que vai fazer falta para que o país seja economicamente robusto daqui a pouco.

O estudo, ainda preliminar, deve ser lançado na próxima semana pela Secretaria-Geral da Presidência da República. De acordo com Fernanda Papa, o próximo passo será apresentar o índice aos estados e disponibilizá-lo a pesquisadores e instituições de segurança pública. Ela disse que espera a continuidade da pesquisa em busca de um diagnóstico permanente de acompanhamento do risco.

Leia mais: http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2014-07/p-quarta-jovem-homem-negro-esse-e-o-perfil-dos-que-mais-morrem-de-forma-viol

- Assuntos: jovens negros, brancos, violência, Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência e Desigualdade

Governo vai se reunir com sindicalistas para debater as mudanças nos benefícios

Paulo Victor Chagas – Repórter da Agência Brasil Edição: Aécio Amado

Após anunciar medidas que alteram o acesso a benefícios trabalhistas e previdenciários como o seguro-desemprego, abono salarial e auxílio-doença, o governo pretende se reunir com lideranças do movimento sindical para debater as mudanças. O encontro, que terá a presença do ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rossetto, deverá ocorrer na segunda quinzena deste mês.

De acordo com nota divulgada à imprensa pela Secretaria-Geral, a reunião servirá para o governo “esclarecer e discutir com os dirigentes” as medidas. Ainda segundo a assessoria da pasta, Rossetto afirmou que não haverá redução dos direitos dos trabalhadores e as medidas visam a corrigir distorções e garantir a manutenção de políticas de proteção social.

No dia 30 de dezembro, duas medidas provisórias foram enviadas ao Congresso Nacional definindo algumas mudanças nos benefícios. Para solicitar o seguro-desemprego pela primeira vez, por exemplo, o trabalhador precisa ter vínculo com a empresa por pelo menos 18 meses. Antes o prazo era de seis meses. O objetivo é incentivar que as pessoas busquem se inserir no mercado, diz o governo.

Na ocasião, o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, disse que as alterações estavam sendo aplicadas após discussão com as centrais sindicais, e que uma mesa de negociação seria mantida permanentemente. As entidades, no entanto, criticaram as medidas, como por exemplo a Força Sindical.

- Assuntos: benefícios trabalhistas, Previdência, Centrais Sindicais, governo

Governo adia prazo para pagamento da dívida das distribuidoras de energia

Marcelo Brandão* - Repórter da Agência Brasil Edição: Stênio Ribeiro

O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, espera para a próxima semana uma solução para os problemas de caixa das distribuidoras de energia elétrica. Braga esteve reunido com a presidenta Dilma Rousseff, na tarde de hoje (8), para tratar da questão. Na reunião, no Palácio do Planalto, ficou definido o adiamento do prazo para pagamento da dívida das distribuidoras, do próximo dia 13 para 30 de janeiro. Segundo ele, uma das soluções possíveis é realizar um empréstimo no mercado. Outra possibilidade considerada seria um reajuste extraordinário nas tarifas de conta de luz.

“Creio que a solução tenha que ser híbrida, com uma parte estruturante, via empréstimo, e outra parte terá que ter recursos de diversas fontes”, disse o ministro. Ele não confirmou, contudo, se as distribuidoras de energia farão empréstimos bancários para ajudar no problema. Segundo ele, reuniões com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), com o Ministério da Fazenda e a Casa Civil devem ocorrer antes de o governo chegar a um denominador comum.

Braga explicou que as distribuidoras não devem continuar recorrendo a empréstimos, ao longo do ano, e acrescentou que o objetivo é chegar a uma solução permanente para o problema. “Não vamos estender para 2015 a Conta-ACR”, disse. A Conta no Ambiente de Contratação Regulada (Conta-ACR), pertencente à Aneel, foi criada para que as distribuidoras possam captar empréstimos no mercado para cobrir as despesas com a compra de energia no mercado livre.

As medidas planejadas objetivam encontrar formas de compensar o valor gasto a mais pelas distribuidoras para compra de energia, por causa do baixo volume dos reservatórios das usinas hidrelétricas e da necessidade de acionamento de usinas termelétricas. Para liquidar débitos referentes a novembro do ano passado, são necessários R$ 1,6 bilhão. Em relação a dezembro, são mais R$ 900 milhões.

*Colaborou Pedro Peduzzi

- Assuntos: MME, Aneel, Adiamento, prazo, pagamento, dívida, distribuidoras, energia

Juiz pede informações sobre prisão de farmacêutica suspeita de matar italiana

Aline Leal - Repórter da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso

O juiz José Arnaldo dos Santos Soares, da comarca de Jijoca, Ceará, pediu na tarde de hoje (8) mais informações à polícia sobre a prisão da carioca Míriam França de Mello, suspeita de envolvimento no assassinato da italiana Gaia Molinari. As informações servirão para embasar a decisão sobre o pedido de liberação da farmacêutica, de 31 anos, feito ontem (7).

A polícia tem 48 horas para responder à solicitação do magistrado. A prisão da doutoranda da Universidade Federal do Rio de Janeiro mobilizou 6,4 mil pessoas no Facebook pedindo sua soltura.

De acordo com a delegada Patrícia Bezerra, Miriam foi presa porque seu retorno ao Rio de Janeiro “inviabilizaria a continuidade das investigações”. A farmacêutica estava com a volta programada para o dia 29 de dezembro, quando foi presa. Para justificar a prisão, a delegada alegou que a suspeita mentiu várias vezes durante os dois depoimentos.

A revogação da prisão temporária da farmacêutica havia sido feita pela Defensoria Pública na segunda-feira (5) no Fórum de Cariré. O juiz de plantão informou que não apreciou o pedido, porque ele deveria ser encaminhado ao Fórum de Jijoca, onde ocorreu o crime. Para os defensores, não há indícios justificando a prisão da jovem carioca.

A prisão temporária é usada durante a investigação e geralmente é decretada para assegurar o sucesso de determinada diligência “imprescindível às investigações". Ela pode ser aplicada, entre outros casos, quando o indicado não tiver residência fixa e houver razões, de acordo com qualquer prova admitida na legislação penal, de autoria ou participação do indiciado no homicídio.

O prazo de duração da prisão temporária é cinco dias, mas há casos de prazos maiores.

- Assuntos: Turista Italiana, prisão, Farmaêutica, temporária, decisão

Ministério da Justiça simplifica regras para permanência de estrangeiros no país

Mariana Jungmann - Repórter da Agência Brasil Edição: Stênio Ribeiro

O Ministério da Justiça publicou, no Diário Oficial da União, portaria que desburocratiza os procedimentos para permanência definitiva e registro de estrangeiros no Brasil. A portaria estabelece normas que vão simplificar o processo de solicitação da permanência, mas não modifica as regras que determinam as condições para a concessão dela.

O processo de desburocratização já tinha sido iniciado em agosto, quando outra portaria foi editada para tratar dos casos de estrangeiros que solicitavam a permanência definitiva no Brasil para se reunir à família, ou porque tinham filhos aqui, ou ainda porque se casaram ou entraram em processo de união estável.

A portaria atual reitera as normas para esses casos e inclui também os de prorrogação do visto temporário, de transformação do visto oficial ou diplomático em permanente, de transformação do visto oficial ou diplomático em temporário, de transformação do visto temporário em permanente e de transformação da residência temporária em permanente. Todos esses são considerados casos simples pelo ministério.

Na prática, a portaria estabelece que os documentos levados pelos estrangeiros à Polícia Federal, para essas solicitações, passarão a ser analisados no ato da entrega, e não mais deixados lá para análise posterior. Assim, o estrangeiro será comunicado imediatamente se for concedida autorização para sua permanência. Além disso, em caso de ausência de algum documento obrigatório, o solicitante também será imediatamente comunicado para que providencie o papel, evitando perda de tempo e desgaste.

Nos casos em que o pedido de permanência for aprovado, a Polícia Federal providenciará a confecção da Carteira de Identidade do estrangeiro. Nos casos em que for indeferido, o autor do pedido poderá recorrer em última instância ao secretário nacional de Justiça.

- Assuntos: MJ, Alteração, regras, permanência, estrangeiros, país

Resultado do Enem 2014 será divulgado na próxima terça-feira

Mariana Tokarnia - Repórter da Agência Brasil Edição: Luana Lourenço

A nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014 será divulgada na próxima terça-feira (13) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), informou o Ministério da Educação (MEC). Para ter acesso ao resultado, os candidatos precisarão do número de inscrição ou do CPF e da senha criada na hora da inscrição.

Os estudantes já podem conferir o gabarito das provas desde o ano passado. A nota, no entanto, não considera apenas a contagem de acertos e erros. A correção é feita usando a metodologia da Teoria de Resposta ao Item (TRI), em que o valor de cada questão varia conforme o percentual de acertos e erros dos estudantes naquele item. Assim, um item que grande número dos candidatos acertou será considerado fácil e, por essa razão, valerá menos pontos. Já o candidato que acertar uma questão com alto índice de erros ganhará mais pontos por aquele item.

A nota do Enem poderá ser usada para participar do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), cujas inscrições serão de 19 a 22 deste mês, e do Programa Universidade para Todos (ProUni), com inscrições de 26 a 29 de janeiro. O exame é usado também para certificar o ensino médio, obter empréstimo pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e para participar do programa de intercâmbio Ciência sem Fronteiras.

Em 2014, mais de 6,2 milhões de estudantes fizeram o exame nos dias 8 e 9 de novembro em mais de 1,7 mil cidades.

- Assuntos: Enem 2014, Sisu, ProUni, Inep

Discriminação religiosa preocupa comunidade muçulmana após atentado em Paris

Danilo Macedo - Repórter da Agência Brasil* Edição: Luana Lourenço

A reação de algumas pessoas após o atentado na sede do semanário satírico Charlie Hebdo, em Paris, que matou 12 pessoas, e a forma como alguns comunicadores relacionam a questão religiosa ao crime levam preocupação à comunidade muçulmana na França e em outras partes do mundo. Para o xeque brasileiro Ali Mohamed Abdouni, presidente da Assembleia Mundial da Juventude Islâmica (Wamy) no Brasil, os ataques a duas mesquitas na França após o atentado terrorista elevam o temor de uma onda de “islamofobia” e perseguição.

Abdouni disse que a comunidade muçulmana condena veementemente o atentado ao jornal e que aqueles que praticam atos terroristas não representam o Islã, nem os muçulmanos. “Os suspeitos têm de ser presos, julgados e punidos, se realmente foram eles que fizeram isso. Por outro lado, não podemos permitir que uma onda de perseguição, de preconceito e discriminação religiosa cresça, porque, junto com a comoção emocional, vêm esses atentados às mesquitas, e isso vai prejudicar a estabilidade social e pode colocar em perigo milhões de pessoas adeptas de uma religião”, disse à Agência Brasil.

Segundo Abdouni, a comunidade muçulmana considera ofensivas as charges spbre Maomé publicadas pelo semanário francês, mas é contra qualquer forma de violência para resolver a questão. “Apesar de não concordar e de não aceitar as charges ofensivas, porque elas são religiosas e tratam de uma figura sagrada dentro da religião islâmica, não concordamos que seja resolvido assim. Existem as formas legais para isso.”

O xeque ressalta que o próprio nome Islã vem da palavra salam, que significa paz. “A religião islâmica vem para selar a paz e é isso que é seguido pela grande maioria dos muçulmanos: a questão da paz, da tolerância, do respeito, de respeitar o direito do outro, ter consideração pelo outro, se colocar no lugar do outro”, explica. O problema, segundo ele, não está no Islã, mas na presença de fanáticos, o que também existe em outras religões. “Essas pessoas acabam entendendo e interpretando passagens divinas de uma forma particular delas, e não representam nem o Islã nem os muçulmanos.”

O presidente da Wamy no Brasil lembra que uma das vítimas do atentado de ontem era muçulmana. Ahmed, incumbido de fazer a segurança no bairro onde fica a redação do Charlie Hebdo, era muçulmano e foi assassinado a sangue frio, com a imagem do crime filmada por celulares de pessoas que se escondiam no alto do prédio e divulgadas em todo o mundo. Abdouni também alerta para a forma como o tema é abordado por algumas pessoas, muitas vezes com preconceito disfarçado de falsa tolerância.

“As palavras têm poder, então temos que tomar muito cuidado, porque, quando falam que o Islã também tem pessoas de bem, parece que a regra geral é o terrorismo, mas é o contrário. A regra geral é a paz, é a solidariedade – basta ver 14 séculos de contribuição dos muçulmanos para a civilização. Não podemos julgar um grupo por essas pessoas, nem tachar isso de terrorismo islâmico. Dessa forma, estamos criando mais preconceito e não estamos informando de forma alguma”, afirmou.

Para evitar reações isoladas e intolerância, o governo francês vem pedindo unidade à população. Hoje, em Brasília, junto com funcionários e frequentadores da Embaixada da França, após um minuto de silêncio em homenagem às vítimas, o embaixador francês Denis Pietton lembrou que há décadas o país é alvo de terroristas contrariados com seu “compromisso inflexível” com a liberdade e a diversidade. “Estamos e permaneceremos de pé, como povo e indivíduos. E devemos permanecer juntos, porque os valores da República francesa - Liberdade, Igualdade e Fraternidade -, que nos unem, são muito mais fortes do que as nossas divisões de qualquer natureza”.

Apesar da preocupação de organizações muçulmanas com a “islamofobia” e a xenofobia, moradores de Paris entrevistados hoje pela Agência Brasil consideraram pouco provável que a população francesa reaja aos ataques responsabilizando estrangeiros ou grupos religiosos. “Principalmente em Paris, onde é grande o número de estrangeiros, a maioria das pessoas entende que a violência é a manifestação de uma minoria radical”, disse o empresário norte-americano naturalizado brasileiro Glen Homer.

A jornalista francesa Karima Saidi acrescentou que, como os terroristas ainda não foram presos e suas motivações reais não são conhecidas, o principal debate entre os franceses, no momento, diz respeito aos limites da liberdade de expressão.

*Colaborou Alex Rodrigues

- Assuntos: Islã, islamismo, muçulmanos, xeque, Paris, França, terrorismo, Charlie Hebdo, embaixador francês

Detran-BA começa neste sábado ação de verão "Balada Consciente Bahia"


O Departamento Estadual de Trânsito da Bahia (Detran-Ba), por meio da Escola Pública de Trânsito (Eptran), realizará a partir deste sábado (10) o projeto ‘Balada Consciente Bahia’, que tem o objetivo de conscientizar os condutores sobre a importância de uma direção mais segura, evitando a mistura de álcool e direção.

De acordo com a diretora da Eptran, Ana Cristina Regueira, “a campanha também visa incentivar as pessoas a usarem o ‘amigo da vez’, ou seja, aquele que não vai fazer o uso de bebida alcoólica e conduzirá os amigos com segurança”. O projeto será realizado todos os finais de semana do mês de janeiro, sempre das 8h às 12h, nas imediações da rodoviária, aeroporto, ferry-boat, Ondina e Campo Grande.

Secom Bahia

CGU expulsou 550 servidores federais em 2014 por práticas ilícitas

Luciano Nascimento - Repórter da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso

Em 2014, 550 agentes públicos foram expulsos por envolvimento em atividades contrárias à Lei 8.112/1990 (que rege o funcionalismo público federal). Os dados constam de levantamento divulgado terça-feira (6) pela Controladoria-Geral da União (CGU).

De acordo com a CGU, o número é recorde no comparativo dos últimos 12 anos. Ao todo, foram registradas 423 demissões de servidores efetivos, 58 destituições de ocupantes de cargos em comissão e 69 cassações de aposentadorias. As penalidades foram aplicadas pelos órgãos da Administração Pública Federal.

Os dados não incluem os empregados de empresas estatais, a exemplo da Caixa Econômica, Petrobras e dos Correios.

A corrupção foi o maior motivo para as expulsões, correspondendo a 66% (365) do total. Na sequência, o abandono de cargo, inassiduidade e acumulação ilícita de cargos registraram 126 casos. Entre as razões que mais afastaram servidores também figuaram proceder de forma desidiosa (ociosa) e participação em gerência ou administração de sociedade privada.



- Assuntos: CGU, servidores, expulsão, corrupção

Início da venda de ingressos para Rio 2016 será anunciado na próxima semana

Da Agência Brasil Edição: Luana Lourenço

O Comitê Organizador Rio 2016 informou hoje (8) que no próximo dia 15 vai anunciar a data de abertura da venda de ingressos dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio de Janeiro. Na ocasião, serão divulgados detalhes do esquema de venda dos cerca de 7,5 milhões de ingressos para os eventos.

De acordo com o cronograma, o anúncio deveria ter sido feito em novembro de 2014, mas o comitê não explicou o motivo do atraso.

Os preços dos ingressos para as competições já foram divulgados pela organização em setembro do ano passado. Os mais baratos custam R$ 40, para as provas iniciais de futebol, vela, remo, luta livre e greco-romana e ciclismo mountain bike. Os ingressos mais caros serão vendidos por R$ 4,6 mil e darão acesso à cerimônia de abertura dos jogos no Estádio do Maracanã, zona norte da capital.

O comitê anunciou ainda a mudança de local de parte das provas de ciclismo, das categorias contrarrelógio e ciclismo de estrada, com 256 quilômetros de extensão. As provas, que seriam realizadas no Aterro do Flamengo, zona sul do Rio, passaram para o Pontal, no Recreio dos Bandeirantes, zona oeste da cidade, em uma instalação temporária.

A principal alteração será na largada e na chegada da prova de ciclismo, que ocorreria no Aterro do Flamengo e agora será no Forte de Copacabana. Segundo o comitê organizado, o trecho foi alterado para desafogar o trânsito da cidade, já que pelo Aterro passa grande fluxo de veículos todos os dias.

- Assuntos: Rio 2016, esportes, ingressos, jogos olímpicos

Estado Islâmico considera heróis autores do ataque ao jornal Charlie Hebdo

Da Agência Lusa

A estação de rádio da organização extremista Estado Islâmico classificou como heróis os autores do ataque terrorista de ontem (7), em Paris, contra o jornal satírico Charlie Hebdo. No atentado, 12 pessoas, entre jornalistas, cartunistas e outros empregados da publicação, além de dois policiais, foram mortas a tiros. O ataque é apontado como um dos mais graves de toda a história francesa.

Na mensagem lida durante as transmissões da rádio al Bayene, do grupo que mantém sob controle áreas territoriais da Síria e do Iraque, o locutor afirma que “os heróis jihadistas” mataram 12 pessoas e feriram várias outras “para vingar o profeta Maomé”.

Os dois suspeitos do atentado contra o jornal foram vistos hoje (8) de manhã, nas proximidades da cidade de Villers-Cotterêts, no Norte da França. Segundo o gerente de um posto de gasolina, eles estavam a bordo de um carro Clio cinza e fortemente armados com rifles Kalachnikov e lança-foguetes.

As forças de segurança francesas lançaram intensa operação de busca para tentar encontrar os irmãos Chérif e Said Kouachi, de 32 e 34 anos, suspeitos da autoria do ataque de ontem em Paris.

- Assuntos: Charlie Hebdo, jornal francês, atentado terrorista, Paris, cartunistas franceses, charges de Maomé

Ações contra terrorismo mobilizam mais de 88 mil agentes de segurança na França

Alex Rodrigues - Repórter da Agência Brasil Edição: Stênio Ribeiro

Mais de 88 mil agentes das forças de segurança pública da França estão diretamente envolvidos nas ações de vigilância, prevenção e proteção dos cidadãos, instalações e do território francês. Parte desse efetivo tenta, desde ontem (7), capturar os dois suspeitos de terem atacado a redação do semanário satírico Charlie Hebdo e matado 12 pessoas, incluindo dois policiais.

Poucas horas após o ataque ao jornal, no centro de Paris, o governo francês elevou ao máximo o nível de alerta do plano interministerial contra o terrorismo, chamado de VigiPirata. Uma verdadeira operação de guerra foi acionada para tentar evitar novos ataques. Nove pessoas já foram presas.

Segundo o Ministério do Interior, há 88.150 agentes estrategicamente espalhados: 50 mil policiais militares, 32 mil gendarmes (soldados de uma corporação especial encarregada de manter a ordem pública), 5 mil integrantes de forças móveis e 1.150 militares.

Durante reunião do gabinete de crise interministerial, hoje (8), em Paris, o ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, agradeceu o empenho dos homens e mulheres mobilizados e lamentou que uma policial tenha sido morta durante tiroteio no sul de Paris, em circunstâncias ainda não esclarecidas.

Hoje, em Brasília, funcionários e frequentadores da embaixada francesa fizeram um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do Charlie Hebdo. Ao fim da homenagem, o embaixador Denis Pietton referiu-se à manchete do jornal francês Le Monde desta quinta-feira como uma síntese do momento que a França atravessa e dos desafios que os franceses enfrentarão.

“Livres, de pé e juntos. Temos a sorte de viver numa sociedade livre e temos de defender essa liberdade, sabendo que isso sempre tem um preço”, disse o embaixador, afirmando que há décadas a França é alvo de terroristas contrariados com o “compromisso inflexível” do país com a liberdade e a diversidade. “Estamos e permaneceremos de pé, como povo e indivíduos. E devemos permanecer juntos, porque os valores da República francesa - Liberdade, Igualdade e Fraternidade -, que nos unem, são muito mais fortes do que as nossas divisões de qualquer natureza”, ressaltou.

- Assuntos: França, atentados, Charlie Hebdo, Ministério do Interior da França, Embaixada da França no Brasil

Cartunista compara atentado a jornal francês ao ataque de 11 de setembro

Cristina Indio do Brasil - Repórter da Agência Brasil Edição: Fábio Massalli

O cartunista Víctor Henrique Woitschach, conhecido profissionalmente como Ique, comparou o atentado ao jornal Charlie Hebdo, em Paris, ontem (7), ao ataque às torres gêmeas do World Trade Center, em Nova York, no dia 11 de setembro de 2001.

“Foi o 11 de setembro dos cartunistas, porque a dor que a gente sente, eu senti como se o tiro tivesse passado muito perto, porque é a realidade. Como disse um amigo meu. eles são da minha espécie. É o meu trabalho. Eu me senti como um cartunista dentro da redação, e gente entrado e atirando a esmo”, airmou.

Ique teme que o atentado ao jornal de Paris provoque mudanças no comportamento e no trabalho dos cartunistas. “O externo já vai mudar, a segurança vai mudar, uma série de coisas vai mudar, mas o mais importante é que a gente não mude o interno. Para que a gente não comece o trabalho já com autocensura, com medo e com receio, porque este era o objetivo deles. Quando eles foram até aquele ponto, matar aqueles cartunistas, daquela publicação, eles ampliaram muito o alcance do medo que queriam colocar no mundo inteiro.”

O cartunista brasileiro lembrou que depois do ato terrorista às torres gêmeas houve uma série de mudanças no mundo, desde alterações no protocolo da aviação e no movimento dos aeroportos até o dia a dia das pessoas. “Descobrimos que aquilo era possível. Até então não passava na cabeça de ninguém que aquilo era possível”, disse Ique. Para ele, o ataque ao Charlie Hebdo foi um tiro na liberdade de expressão e no direito de ir e vir. Para ele, o momento é de união para não ceder ao medo.

Segundo Ique, tratar o caso como uma questão religiosa é minimizar um problema internacional. “É político, é do terror, é do medo e está afetando o que a humanidade conseguiu às custas de muito esforço, que é o estado democrático e a liberdade de expressão. A decisão do jornal de lançar uma nova edição na próxima semana é uma forma de mostrar que os responsáveis pelo ataque vão ter que se expor novamente. “É uma resposta à altura e contra esse medo que se instalou em todo o mundo.”

Para o professor do Instituto de Relações Internacionais da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC) Marcio Scalércio, o episódio vai provocar radicalização tanto entre extremistas islâmicos quanto nas correntes políticas de direita. Ele chamou a atenção também para a tentativa de aproveitamento oportunista do atentado, especialmente das forças políticas europeias contrárias à imigração e disse que a islamofobia pode se intensificar. “Do mesmo modo que os radicais islâmicos apoiam ações como essa, com o objetivo de aproveitar-se delas para radicalizar e tornar a força a única linha de resolução de problemas, a extrema direita vai pelo mesmo caminho. O setor ultraconservador vai pela mesma linha.”

De acordo com Ique, neste momento, há uma certa unanimidade no que se refere ao repúdio ao ataque, mas, posteriormente, é possível que setores mais intransigentes aproveitem-se da situação. Scalércio destacou que os

Governo vai rever inclusão de peixes na lista de espécies em extinção

Da Agência Brasil Edição: Luana Lourenço

Os ministros da Pesca e Aquicultura, Helder Barbalho, e do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, criaram hoje (8) grupo de trabalho interministerial para discutir a Portaria 445/2014, que listou animais cuja captura poderá ser proibida por estarem ameaçados de extinção, entre eles, peixes.

A lista foi questionada por entidades do setor pesqueiro e provocou protestos como o bloqueio da circulação de navios um porto em Santa Catarina.

De acordo com o governo, a maioria dos peixes listados na portaria não tem impacto na atividade pesqueira por não serem espécies de interesse comercial.

O grupo de trabalho será dividido em duas frentes – uma coordenada pelo Ministério da Pesca e outra pelo do Meio Ambiente – e terá prazo de 30 dias para “avaliação, adequação e proposição de ações, ouvido o setor produtivo”.

Para o presidente do Sindicato dos Armadores e das Indústrias de Pesca de Itajaí e Região (Sindipi), Giovani Monteiro, o grupo não vai conseguir avançar. “Nesse tempo é impossível. O Ministério do Meio Ambiente não fez isso até agora, que dirá fazer com 30 dias”.

Para os ministros, que se reuniram na manhã desta quinta-feira,  a falta de informação sobre a portaria provocou reações do setor pesqueiro. “A desinformação potencializou um sentimento de que a restrição é maior do que parece”, avaliou Barbalho. “Os trabalhos serão feitos com diálogo entre as partes envolvidas”, disse o ministro.

- Assuntos: pescadores, Portaria 445/2014, espécies ameaçadas de extinção, Ministério do Meio Ambiente, Ministério da Pesca

Governo vai rever inclusão de peixes na lista de espécies em extinção

Da Agência Brasil Edição: Luana Lourenço

Os ministros da Pesca e Aquicultura, Helder Barbalho, e do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, criaram hoje (8) grupo de trabalho interministerial para discutir a Portaria 445/2014, que listou animais cuja captura poderá ser proibida por estarem ameaçados de extinção, entre eles, peixes.

A lista foi questionada por entidades do setor pesqueiro e provocou protestos como o bloqueio da circulação de navios um porto em Santa Catarina.

De acordo com o governo, a maioria dos peixes listados na portaria não tem impacto na atividade pesqueira por não serem espécies de interesse comercial.

O grupo de trabalho será dividido em duas frentes – uma coordenada pelo Ministério da Pesca e outra pelo do Meio Ambiente – e terá prazo de 30 dias para “avaliação, adequação e proposição de ações, ouvido o setor produtivo”.

Para o presidente do Sindicato dos Armadores e das Indústrias de Pesca de Itajaí e Região (Sindipi), Giovani Monteiro, o grupo não vai conseguir avançar. “Nesse tempo é impossível. O Ministério do Meio Ambiente não fez isso até agora, que dirá fazer com 30 dias”.

Para os ministros, que se reuniram na manhã desta quinta-feira,  a falta de informação sobre a portaria provocou reações do setor pesqueiro. “A desinformação potencializou um sentimento de que a restrição é maior do que parece”, avaliou Barbalho. “Os trabalhos serão feitos com diálogo entre as partes envolvidas”, disse o ministro.

- Assuntos: pescadores, Portaria 445/2014, espécies ameaçadas de extinção, Ministério do Meio Ambiente, Ministério da Pesca

Colônia francesa em São Paulo faz minuto de silêncio por vítimas de atentado

Daniel Mello - Repórter da Agência Brasil Edição: Armando Cardoso

Integrantes da colônia francesa e funcionários do Consulado da França em São Paulo fizeram hoje (8) um minuto de silêncio em homenagem às 12 vítimas do atentado de ontem, em Paris, contra o jornal Charlie Hebdo. Segundo o cônsul-geral Damien Loras, houve homenagens na França e nas colônias francesas no exterior como forma de se solidarizar com as vítimas e seus parentes.

“Os terroristas quiseram atingir valores da França, mas, diferentemente do que buscavam, criaram uma reação de união e solidariedade”, disse Loras, após manifestação na Avenida Paulista, região central da capital.

Apesar de admitir que o ataque foi um “grande choque”, Loras ressaltou que é importante não ceder ao pânico. “Não temos medo, mas temos de ficar vigilantes para garantir a segurança da comunidade francesa na França e no exterior”, afirmou.

O cônsul pediu, ainda, que os brasileiros que estão na França ou têm planos de ir ao país mantenham suas viagens. “Os brasileiros são bem-vindos na França. O governo francês tomou medidas muito fortes para garantir a segurança de todos, inclusive dos turistas”, acrescentou.

- Assuntos: Charlie Hebdo, jornal francês, atentado terrorista, Paris, cartunistas franceses, charges de Maomé

Apreensão aumenta após novos tiroteios e ataques na França

Alex Rodrigues - Repórter da Agência Brasil Edição: Denise Griesinger

Pessoas se reúnem em silêncio no centro de Paris após o ataque ao jornal Charlie Hebdo que deixou 12 mortos Agência Lusa/EPA/Ian Langsdon - Todos Direitos Reservados

A perplexidade e a incredulidade das primeiras horas que se seguiram ao atentado de ontem (7), em Paris, ao semanário satírico Charlie Hebdo, no qual 12 pessoas foram mortas, foram substituídas pelo clima de apreensão e medo após eventos ocorridos nas últimas horas e ainda não esclarecidos:  uma policial foi morta por um atirador que disparou a esmo na parte sul de capital francesa e locais de manifestação de fé muçulmana, em diferentes regiões do país, foram atacados.

Uma operação de guerra está em curso para capturar os suspeitos de ter atacado a redação do Charlie Hebdo, no centro de Paris, e ontem (7) mesmo o governo francês elevou ao máximo o nível de alerta do plano interministerial contra o terrorismo: o VigiPirata.

Cerca de 3 mil policiais buscam deter dois suspeitos, identificados pelo Ministério do Interior como sendo os irmãos Chérif Kouachi e Saïd Kouachi, de 32 e 34 anos. O terceiro suspeito, Mourad Hamyd, de 18 anos, se entregou à polícia.

Glen Homer conta que o policiamento na capital está reforçadoArquivo pessoal/direitos reservados

O empresário norte-americano naturalizado brasileiro Glen Homer mora há quatro anos em Paris com a mulher e dois filhos. Sua impressão, hoje, é que Paris amanheceu em câmera lenta, com as pessoas atônitas. A casa de Homer fica perto das Galerias Lafayette, conhecido centro de compras da capital. “O policiamento, que é sempre presente, foi reforçado”, disse ele à Agência Brasil nesta manhã.

“Estamos todos muito apreensivos por causa das incertezas, por não sabermos exatamente o que está acontecendo. Mas o povo francês é combativo e não se deixa abater. As manifestações espontâneas desta quarta-feira, as vigílias, são uma expressão dessa combatividade”, afirmou Homer. Segundo ele, escolas, museus, o comércio e as repartições públicas funcionam normalmente. No entanto, com o alerta máximo de segurança, excursões e passeios escolares foram suspensos.

O empresário considera pouco provável que a população reaja aos ataques responsabilizando estrangeiros ou grupos religiosos. “Principalmente em Paris, onde é grande o número de estrangeiros, a maioria das pessoas entende que a violência é a manifestação de uma minoria radical. E como as principais lideranças muçulmanas se anteciparam e condenaram o ataque ao Charlie Hebdo, acho que não deverá haver caça às bruxas.”

A jornalista francesa Karima Saidi tem opinião semelhante. De acordo com Karima, como os terroristas ainda não foram presos e suas motivações reais não são conhecidas, o principal debate entre os franceses, no momento, diz respeito aos limites da liberdade de expressão. Francesa de ascendência árabe, Karima, no entanto, não esconde o medo de que a situação se radicalize. “Há muita solidariedade, mas, ao mesmo tempo, muito medo. Medo de que as coisas piorem e a violência aumente devido à ação de um grupo minoritário.”

Segundo o Ministério do Interior, o VigiPirata é um sistema permanente de vigilância, prevenção e proteção, que se aplica na França e no exterior, com efeitos sobre os transportes, a saúde, a alimentação e as redes de energia e de segurança dos sistemas de informação, entre outros, coordenado pelo primeiro-ministro Manuel Valls.

O sistema é acionado e alimentado a partir de informações colhidas pelos serviços de inteligência e, em caso de ataque terrorista, como está sendo classificado o de ontem, pode ser prorrogado por planos específicos de intervenção. De acordo com o ministério, além de tentar proteger os cidadãos e o território francês de ameaças terroristas, o VigiPirata permite às autoridades de defesa agir rápida e coordenadamente em caso de ataques.

- Assuntos: França, atentados, Charlie Hebdo

Cantor flagrado com maconha em Salvador já está na Lemos Brito



Autuados em flagrante por tráfico de drogas, o cantor Anderson Machado de Jesus, conhecido como Igor Kanário, de 31 anos, e o músico João Pedro Laurentino, 28, já seguiram, nesta quinta-feira (8), para o Núcleo de Prisão em Flagrante (NPF), no Complexo Penitenciário da Mata Escura. A dupla foi encaminhada à 2ª Delegacia Territorial (DT/Lapinha), na tarde da quarta-feira (7), depois de flagrados com maconha, por uma guarnição da 37ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM), numa via pública, no bairro da Caixa D’Água, durante abordagens de rotina.

Interrogados pelo titular da 2ª DT/Lapinha, delegado Luiz Henrique Ferreira, que lavrou o flagrante, Igor Kanário e João Pedro, integrante da banda que acompanha o artista, afirmaram que a maconha seria usada para consumo próprio.

Kanário e João disseram também que a droga, já encaminhada ao Departamento de Polícia Técnica (DPT), fora entregue a eles por um fã do cantor, que não teve o nome revelado.

Secom Bahia

Bolsa Família: prazo para registro de dados de saúde vai até amanhã

Paula Laboissière - Repórter da Agência Brasil Edição: Graça Adjuto

Gestores municipais têm até amanhã (9) para registrar os resultados do acompanhamento das condicionalidades de saúde no sistema de gestão do Programa Bolsa Família (dados relacionados à segunda vigência de 2014). As informações devem ser incluídas no sistema DataSUS do Ministério da Saúde.

O registro mostra como anda o acesso de famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza à rede de atenção básica, além de fornecer informações relevantes para o aprimoramento da gestão municipal.

Dados do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome indicam que, dos 14 milhões de famílias inscritas no programa, 11,6 milhões têm o perfil de acompanhamento da condicionalidade de saúde.

Isso significa que pais ou responsáveis beneficiários do programa têm o compromisso de manter atualizado o calendário de vacinação das crianças menores de 7 anos e levá-las para pesar, medir e fazer exames.

Mulheres na faixa de 14 a 44 anos também devem fazer o acompanhamento e, se gestantes ou nutrizes (lactantes), devem realizar o pré-natal e o acompanhamento de sua saúde e do bebê, além de participar de atividades educativas sobre aleitamento e alimentação saudável.

As condicionalidades de saúde e educação, segundo a pasta, são compromissos assumidos tanto pelos beneficiários do Bolsa Família quanto pelo Poder Público para ampliar o acesso a direitos sociais básicos.

- Assuntos: saúde, dados, registro, Programa Bolsa Família, MDS

Tribunal do Camboja recomeça julgamento dos líderes do Khmer Vermelho

Da Agência Lusa

O tribunal do Camboja, apoiado pelas Nações Unidas, recomeçou hoje (8) o julgamento de dois ex-líderes do Khmer Vermelho pelo genocídio de vietnamitas e minorias muçulmanas, além de casamentos forçados e violações, nos anos 1970.

Nuon Chea, de 88 anos, conhecido como o “irmão número dois”, e o antigo chefe do governo Khieu Samphan, de 83 anos, foram condenados a prisão perpétua, em agosto, por crimes contra a humanidade.

Os dois homens foram os primeiros dirigentes do Khmer Vermelho a serem detidos e responsabilizados por um regime responsável pela morte de pelo menos 2 milhões de cambojanos entre 1975 e 1979.

O recomeço dos trabalhos encerra as tentativas dos dois homens de boicotar o segundo julgamento, no qual enfrentam acusações de genocídio pela morte de muçulmanos do grupo étnico Cham e de vietnamitas, bem como novas acusações de crimes contra a humanidade e crimes de guerra.

O julgamento começou em julho mas tem sido adiado desde outubro, depois de a defesa se recusar a participar das sessões pedindo a desqualificação dos juízes e mais tempo para apresentar documentos.

Por motivos de saúde, Nuon Chea acompanhou a sessão numa cela, enquanto Khieu Samphan esteve presente no tribunal. Ambos negam todas as acusações.

- Assuntos: Khmer Vermelho, julgamento, tribunal, Camboja

Paquistão julgará 3 mil suspeitos de terrorismo em tribunal especial militar

Da Agência Lusa

O Paquistão julgará nos próximos dois anos em tribunais especiais militares cerca de 3,3 mil pessoas acusadas de terrorismo. A decisão foi tomada depois do ataque talibã a uma escola que matou 132 alunos, informou a imprensa local.

"Serão levados a julgamento 3 mil suspeitos de serem terroristas que atentam contra o Estado ou reivindicam atentados", afirmou um alto funcionário do governo, sob condição de anonimato.

Além disso, acrescentou a fonte, também irão para os tribunais militares entre "300 a 400 suspeitos de terrorismo que estavam sendo julgados em tribunais antiterroristas nas províncias do país".

O presidente paquistanês, Mamnoon Husain, assinou na quarta-feira (7) a criação dos tribunais militares depois de as câmaras do Parlamento terem aprovado, por maioria, leis que permitiram as alterações.

O primeiro-ministro, Nawaz Sharif, anunciou a criação dos tribunais no final de dezembro após o massacre executado por um grupo talibã numa escola em Peshawar.

- Assuntos: Paquistão, julgamento, terroristas, tribunal especial militar

Papa Francisco condena ato de "crueldade humana"

Da Agência Lusa Edição: Graça Adjuto

O papa Francisco disse hoje (8) que o atentado contra o semanário francês Charlie Hebdo foi um ato de “crueldade humana” e pediu orações para as vítimas. “O atentado de ontem [quarta-feira] em Paris faz-nos pensar na grande crueldade humana, no terrorismo: nos atos isolados e no [terrorismo] de Estado”, disse Francisco.

“O homem é capaz de tanta crueldade”, disse o papa, na tradicional missa da manhã no Vaticano, antes de pedir uma oração pelas vítimas do ataque contra o jornal francês que deixou 12 mortos.

O papa Francisco pediu também para os católicos rezarem “pelos cruéis, para que o Senhor lhes mude o seu coração”.

Francisco expressou na quarta-feira (7) “firme condenação pelo horrível atentado que semeou morte”.

Por meio de um comunicado, o porta-voz do Vaticano, Frederico Lombardi, informou que o papa rezava “pelo sofrimento dos feridos” e pelas famílias dos 12 mortos.

O papa Francisco manifestou-se também contra a “difusão do ódio e qualquer forma de violência física e moral” que possam destruir a vida e violar a dignidade, atingindo radicalmente a convivência pacífica entre as pessoas e os povos.

Segundo o gabinete de imprensa do Vaticano, o papa endereçou os pêsames às famílias das vítimas do atentado unindo-se "à dor e à tristeza de todos os franceses”.

- Assuntos: papa Francisco, atentado em Paris, Charlie Hebdo